Dossiê futebol/seleção nacional: torcidas organizadas

Para começar essa nova parte do dossiê, fica registrada a desculpa pela demora em dar continuidade, por conta de alguns problemas. Dito isso, vamos ao que interessa…

Esse novo capítulo será marcado por uma questão bastante controversa para alguns, mas que para mim resta muito pouca dúvida que é mais um malefício(dada a quase nulidade de pontos positivos em relação a elas) do que propriamente algo bom: as torcidas organizadas.

Pode até parecer exagerado dizer que elas sejam responsáveis também pela atual situação do futebol nacional, ainda mais se considerarmos que esse é um problema mundial(o de torcidas violentas, porém em outras partes do mundo as punições são enérgicas, ao passo que aqui…), porém ao olharo caso com mais atenção, veremos que elas tem uma parcela bem considerável de culpa.

Abaixo vou listar aqueles que considero os principais problemas em relação a elas:

– violência: sem dúvida o principal problema. Pegando pelo lado objetivo, isso afasta a torcida eventual(aquela que irá alternar entre jogo e outro, mas que garantiria o estádio sempre cheio), faz com que o time perca mandos de campo e consequentemente tenha prejuízo tanto no aspecto técnico como no financeiro. Além do fato de em horários de jogos fazerem a vida de pessoas que nem ao menos irão na partida um inferno, vide a total falta de respeito dessa gente com pessoas que não torcem pelos seus respectivos clubes. Coisa que honestamente mostra que eles não tem o mínimo de civilidade(em sua maioria), agem como animais.

– ameaças: não em relação a outras torcidas(isso fica na conta da violência citada acima), mas sim em relação aos jogadores. Quantos jogadores já não abandoram o clube em função disso? Muitos que as vezes apenas passavam por uma má fase, mas foram praticamente expulsos do time. Sem contar também o fato de que muitas vezes atletas deixam de ir para um clube por saber desse comportamento imbecil.

– massa de manobra política: muitos dirigente usam eles como forma de pressionar esse ou aquele dirigente ou mesmo esse ou aquele jogador que desagrada alguma ala da diretoria em troca de benefícios daquela ala, sejam viagens gratuitas, ingressos para jogos, entre outros.

– aproveitamento indevido: usam símbolos do clube(como por exemplo o escudo do time) para lucro próprio, sem que com isso a agremiação receba algo em troca, ou seja trás prejuízo para o clube, pois muitos desses “torcedores” gastam o dinheiro com esses produtos ao invés de gastar com produtos do clube e assim trazer mais renda ao mesmo.

– desrespeito: a mania de muitos deles de acharem que são mais torcedores do time que os outros, tratando muitas vezes a própria torcida com falta de educação, isso para não dizer a coisa lamentável de ter alguns que acham que podem ir lá dar “palestra” pra jogador(o que me impressiona são alguns dirigentes darem esse tipo de liberdade a eles).

O que mais me chama atenção(mas não me surpreende) é que durante essa semana que estava pensando sobre esse texto, acontecem mais coisas que dão razão ao que falo, que foi o protesto dos torcedores em frente ao Corinthians, com direito a presidente recebendo esses vagabundos. Os bandidos que armaram emboscada para os torcedores santistas(saldo dessa selvageria: um morto e outro internado em estado grave) e a torcida do Botafogo que invadiu o CT do clube e quase saiu na mão com os jogadores(em especial o Carlos Alberto).

Com exemplos como esses em apenas uma semana, o que dá pra se tirar de bom dessa corja? NADA!

Sei também que existem torcedores que até são de fato apenas torcedores, mas na minha opinião esses que tem como finalidade de fato apenas torcer pelo clube do coração, que se reúnam com amigos, com familiares, com quem quer que seja e vão assistir o jogo, porque definitivamente você ficar fazendo parte de algo que tá mais do que escancarado que não tem nada de bom a acrescentar, é no mínimo uma grande burrice.

O pior é diretor dessas torcidas dizer que eles tiram essa gente e que não tem como controlar e outras desculpas. Tudo balela, eles são sim é coniventes com essa gente que faz isso, pois se de fato houvesse algum interesse em fazer com que essas gangues de bandidos fossem tiradas das torcidas, eles o fariam, mas não fazem simplesmente porque não querem.

Lamentável ver clube dar ouvido a essa gente que além de não ter a menor noção de futebol, não pensam no bem do clube. Isso aí pra mim não é torcedor, pois se o cara realmente gosta, ama o time como diz, ele vai protestar sim, vai lutar por mudanças, porém não é com selvageria, desrespeito e agressão imbecil a torcedores rivais que isso será alcançado.

A impunidade que as autoridades tratam essa gente, a conivência dos clubes com atos violentos e a certeza de que nada de diferente será feito para que isso, se não acabar, pelo menos diminuir, é dos fatores principais que mantém essa bandidagem, arruaça e vandalismo ativos e sem nenhuma perspectiva de acabar. Pior para os torcedores comuns, que acabam deixando de ir ao estádio com medo de serem vítimas disso e acabarem até apanhando(e em casos mais graves sendo mortos) por essa escória, que se chega a tal ponto, sequer pode ser chamada de gente.

Uma coisa que li esses dias é sem dúvida uma das boas conclusões que se tira disso tudo: que bom seria se as pessoas tivessem essa mesma intensidade e agisse com essa mesma revolta em relação a política nacional, certamente se isso ocorresse, as coisas não estariam o lixo que estão…

A ascensão alviverde

Depois da goleada de 6 a 0 sofrida diante do Goiás, parecia de certa forma impensável que depois de menos de um mês, estaríamos falando da terceira vitória consecutiva do Palmeiras e agora diante de um dos melhores times do campeonato, no caso o Grêmio, por 2 a 1.

Foi ainda mais impressionante se analisarmos o fato de que ela veio depois de o time sair perdendo, o que há tempos atrás era praticamente impensável, pois a cada vez que o time saía perdendo, era um quase consenso que o time perderia, não havia reação, o time se entregava ou então se desesperava de tal forma que mesmo que marcasse algum gol, era mais obra do acaso do que própriamente uma reação. No jogo de sábado foi diferente, se via um time lutando e ao conseguir essa virada, ela veio através de uma pressão de certa forma organizada.

Inegavelmente a expulsão do Barcos ajudou nisso, mesmo depois de ele ter marcado um gol em um pênalti bastante contestável(segue a sina dos ex-jogadores marcando contra o Palmeiras), porém nesse caso não teve o mesmo sucesso do Alan Kardec. Mouche, que voultou a marcar depois de muito tempo, e João Pedro, que fez um lindo gol, o seu primeiro no profissional, garantiram a virada em apenas 7 minutos entre o empate e o segundo.

Vale o destaque para o João Pedro, que entrou pela contusão do Wendel e pelo futebol ridículo do Weldinho e com apenas 17 anos tomou conta da lateral direita do time. Vem jogando muita bola e junta-se a essa boa safra da base, que está dando outra cara ao time, assim como o Victor Luis que fez outra boa partida pelo time.

Destacar o Valdívia, que cansou de apanhar e ainda sim manteve a calma e o foco no jogo. Parece muito mais consciente da sua grande importância nesse momento de recuperação do time e essa é mais uma mostra da sua evolução.

A volta do Prass vem sendo também algo fundamental. Depois da boa atuação contra o Botafogo, outro jogo onde salvou a meta do time. A frieza e a segurança que a defesa tem ao saber que tem um goleiro muito confiável embaixo da meta, será de vital importância para manter essa arrancada para um fim de campeonato pelo menos digno.

O clássico contra o Santos será muito difícil, até pela boa fase do time da baixada(quebrada pelo massacre de 3×0 imposto pelo Cricíuma nessa rodada), porém com o futebol que vem sendo apresentado e a consistência que o time vem demonstrando nessas 3 vitórias faz crer que um resultado positivo no clássico é algo consideravelmente possível, além do que a moral que o time ganhará com isso pode fazer com que definitivamente o risco de cair fique no passado.

Teve humildade

Eu sempre fui e continuo sendo contra ver meu time jogando como um pequeno, lá atrás, fechadinho, mais preocupado em não perder do que em vencer.

A maior crítica que faço ao trabalho do Mano Menezes – e fazia ao trabalho do Tite também – é exatamente a mania de mandar todo mundo pra defesa quando faz 1 a 0, em casa, ou quando está 0 a 0, fora. Eu sei que se ganhar todas em casa e empatar a maioria fora, ganhando uma ou outra, consegue o título. Mas não tem jeito, eu não gosto. Continue lendo Teve humildade

Primeira “final” antecipada no Calcio

Nesse domingo acontece a primeira “final” antecipada no campeonato italiano.

Às 13h horário de Brasília, a líder Juventus entra em campo e recebe no Juventus Stadium em Turim a Roma, segunda colocada no Calcio. Liderada pelo argentino Carlitos Tevez, a Velha Senhora busca mais uma vitória para disparar na liderança e abrir pelo menos 3 pontos de vantagem. Continue lendo Primeira “final” antecipada no Calcio

Tem coisa errada

entrevista

 

Segunda-feira ocorreu uma cena muito estranha no Corinthians. Ralf, Renato Augusto e Fabio Santos, supostamente líderes do time, deram uma entrevista defendendo o treinador Mano Menezes, sob os olhares atentos do presidente em final de exercício Mario Gobbi.

O mesmo Mario Gobbi que demorou exatos 18 minutos na resposta à primeira pergunta para defender o retranqueiro treinador corinthiano. Continue lendo Tem coisa errada

Mais uma final antecipada?

Este final de semana temos o jogo Cruzeiro x Internacional.

Mais um jogo importante para o campeonato, por ser um confronto direto entre o líder e o vice líder, afastados hoje por 6 pontos de diferença.

Muitos dizem que é uma final antecipada, mas… não disseram a mesma coisa quando o Cruzeiro enfrentou o São Paulo? Continue lendo Mais uma final antecipada?

Fim dos investidores no futebol: o que pode mudar?

Na esteira do dossiê que venho publicando, surgiu uma notícia que pode fazer a médio/longo prazo os clubes brasileiros avançarem um pouco mais à caminho da profissionalização: que foi a proibição de investidores no mundo do futebol.

Na pratica o que isso significa? Continue lendo Fim dos investidores no futebol: o que pode mudar?

Valdívia e a “mágica” da recuperação

Depois da lástima que foi o jogo de domingo e da derrota vexatória, o Palmeiras sacudiu a poeira e em uma partida surpreendentemente boa, conseguiu vencer o Vitória, que vinha de dois bons resultados contra Fluminense e a vitória no BA-VI, por 2 a 0.

Como era de se imaginar, a entrada do Valdívia no time fez toda a diferença, pois o time mostrou mais organização, conseguia criar mais e até pelo fato de ter alguém com passe qualificado, outros jogadores conseguem se destacar, afinal com os outros meias do Palmeiras o cara dá um passe e recebe de volta uma desculpa.

Victor Luis(por sinal excelente revelação) fez uma ótima partida, tendo cobrado bem o escanteio que ocasionou o primeiro gol do time, marcado pelo Lúcio.

Outro que fez boa partida foi o Cristaldo, por sinal de uma troca de passes entre ele e o Valdívia, que saiu a jogada do segundo gol, marcado pelo Henrique(que é ruim, perde gol demais, mas ainda sim tem 9 gols no brasileiro, inacreditável…).

A vitória não tirou o time da zona da degola, mas sem dúvida nenhuma mostra que ainda há esperança na salvação do time, mas como foi dito, ela passa diretamente pelos pés do chileno, então para o bem do time, que ele consiga ter ao menos regularidade(e não pegue um gancho longo) no campeonato.

Fica valendo mais uma citação aqui ao Cristaldo, que em meio a tanta cornetagem aos argentinos que chegaram, ele vem mostrando a cada dia um futebol de mais bom nível. Promete muito ainda, pois sempre que entra vira um tormento para a zaga adversária, pois diferente do Henrique, ele não é estático. Como disse é das boas peças que o time tem para o ano que vem.

Com a próxima partida contra o Figueirense, que vem de boa vitória contra o Corinthians, o Palmeiras não só tem chance de sair da zona de rebaixamento, como ficaria só a um ponto do próprio time catarinense, ou seja, mais uma partida que o time TEM de ganhar.

A vitória vai passar novamente pela boa atuação do Valdívia, então se ele estiver inspirado, grandes chances de o time voltar com 3 pontos e assim também quem sabe ele começa a fazer valer depois de tanto tempo o investimento que foi feito nele ainda em 2010.

Queria ver o campeão

Tem uma coisa que eu odeio no futebol: reclamações de bairrismo movidas pelo complexo de inferioridade de algumas pessoas. Via de regra, reclamam que o destaque para os times de São Paulo e Rio de Janeiro é desproporcional aos resultados obtidos em campo.

Discordo. Os números estão aí pra provar que não é bem assim. Mas… (sempre tem um mas). Continue lendo Queria ver o campeão

A espera de um milagre e a “primavera alviverde”

Foram 4 jogos desde q última vez q opinei algo sobre o time: a vitória sobre o Criciúma, massacre pelo Fluminense, empate roubado contra o Flamengo(nenhuma novidade ajuda ao time rubro-negro) e agora aquilo que aconteceu em Goiás e que é até difícil de definir.

Estava querendo esperar e analisar melhor se eu estava errado(e como queria estar) que a chegada do Dorival além de não melhorar em nada o time, o fez regredir, pois antes o time perdia, mas ainda mostrava alguma organização, porém no atual momento, o time parece mais um time de prédio, onde cada um vai pra um lado e ninguém sabe o que fazer. Continue lendo A espera de um milagre e a “primavera alviverde”