Volta copa do mundo!!

A copa terminou! E a cada dia que passa, nos vemos pensando: por que terminou tão cedo?

Desde que a copa terminou, assisti/ouvi mais de 10 jogos(todos do Palmeiras e alguns de Santos, Corinthians e São Paulo, até em função das transmissões) e posso dizer: não vi um único jogo bom! Nenhum mesmo, nem ao menos o clássico entre Palmeiras x Corinthians.

Tem-se a impressão de que os técnicos daqui ou não viram os jogos, ou viram e simplesmente ignoraram… Para piorar, quando se comenta sobre uma partida de fraco futebol, de times que atacam pouco, se apoiam em uma muleta das mais cômodas: o pessoal ainda está em clima de copa, que conta com os melhores jogadores do mundo, aqui é outra coisa, porém isso é apenas meia verdade.

Poderíamos entender isso se os jogos bons da copa em questão fossem os grandes clássicos envolvendo campeões mundiais ou times tradicionais, como a Holanda, porém não é bem esse o caso…

Peguemos jogos com times de segundo escalão, casos de Argélia x Coréia do Sul, Japão x Costa do Marfim, Equador x Honduras, Nigéria x Bósnia, entre outros. pra se ter uma ideia, dessas 8 seleções que citei, somente duas passaram de fase. Isso porque não peguei outros jogos de excelente nível como EUA x Portugal, Bélgica x Argélia, Croácia x Camarões, Suiça x Equador, os jogos da Costa Rica, da Colômbia também, mas paremos aqui senão vou acabar falando quase todos os jogos.

O ponto fundamental aqui é analisar o estilo como eram jogadas as partidas da copa e como os jogos do brasileiro tem sido jogados.

As partidas da copa, tinham como principal ideia o ataque, os times entravam buscando a vitória e por conta disso o jogo por si só já rendia maiores emoções, até pelo fato de os times menos qualificados deixarem espaços para que o outro time também pudesse jogar, até por conta disso a copa foi uma das com maior número de gols na história.

Analisando agora o brasileiro, parece que aquela asneira dita pelo Parreira certa vez de que “o gol é só um detalhe” tem sido levada um bocado a sério aqui. Vemos muitos times que basicamente entram para não perder, ao invés de montar um esquema que busque primeiramente a vitória.

Dá para entender que times mais fracos, como por exemplo os de Santa Catarina, mesmo os dois baianos, Sport, Goiás, Coritiba, que são times que recebem valores consideravelmente menores de trasmissão(mais uma vez “obrigado” Andrés pela negociação dos direitos de transmissão) joguem assim, pois no caso de muitos deles é questão de sobrevivência e ainda sim muitos mostram um futebol mais agradável que os clubes grandes.

Ver o jogo dos times paulistas(para ficar naqueles que acompanhei mais) é algo deprimente. O Palmeiras tem ainda tentado jogar um futebol mais vistoso, mas a falta de qualidade técnica impede que isso ocorra. Depois temos o Santos que tem um pouco mais de opções, mas seja por jovens que pensam que são craques, seja por experientes em má fase e também por bobagens do grande O.O., o time tem feito partidas pífias.

O pior é olhar os casos de São Paulo e Corinthians. Em que pese o fato de ambos estarem na parte de cima da tabela, assistir os jogos dos times é um teste de paciência. O São Paulo conta muitas vezes com má vontade de suas estrelas, casos de Pato e Ganso, ou então da ruindade crônica da sua defesa, que só manda bola quadrada para a criação de jogadas, “mérito” do Muricy que por vezes teima em montar o time com gente que não tem a menor condição, seja pela diretoria que montou o time de forma totalmente errada.

Já o caso do Corinthians é ainda pior. O time foi montado de forma bem mais equilibrada, tem condição de mostrar um futebol mais vistoso, porém graças ao Mano, que acha que o mais importante é defender, que o melhor ataque é a defesa e que o gol é só um detalhe, monta times que jogam um futebol tão chato, que dá sono de ver as partidas.

Parece que os técnicos daqui se fecharam no mundinho deles e não aceitam que ninguém diga que eles precisam mudar, porque só isso explica um futebol de tão baixo nível como o que tem sido apresentado.

Explica também o fato de não se ver mais tantos jogadores criativos, pois os técnicos praticamente queimam as jovens peças que aparecem e para ficar apenas no Palmeiras, por que o Kleina mesmo tendo falta de jogadores, nunca deu chance ao Bruno Dybal ou mesmo ao Diego Souza, que tanto destaque tiveram na base? Tem-se a impressão que por eles os times teriam uns 6 zagueiros e o resto de volante destruidor, pois é praticamente isso que eles procuram e investem, tanto que mesmo no paulista, pouco se via de meias criativos, assim como não se viam bons atacantes.

A situação vai de mal a pior e os técnicos parecem também não estarem lá muito interessados em mudar, haja visto que continuam rezando da mesma cartilha de futebol retranqueiro, pior para os torcedores que cada dia que passa tem mais e mais jogos pavorosos de se assistir.

E pensar que copa de novo só em 2018, triste…

Deixe uma resposta