Uma semana de redenção

A semana começou com uma grande apreensão da torcida: estréia na libertadores e clássico contra o Corinthians. O time sendo desmontado e começando a ser remontado, desentrosado e com carência em diversas posições… o cenário nem de longe era animador, porém ao final da semana, o torcedor termina muito mais esperançoso com pelo menos uma campanha mais digna do time. Uma vitória 2 a 1 em casa na libertadores e um empate no clássico com chances reais de sair com a vitória foram resultados bem acima das expectativas dos torcedores.

Há que se exaltar a dedicação, entrega e muita raça do time em ambos os jogos, coisa que por exemplo não se via no ano passado(méritos para o Kleina). O time joga de forma solidária, acredito por saber das suas limitações(e o elenco tem diversas, diga-se), então eles buscam compensar uma eventual falta de qualidade técnica com disputar cada jogada como se fosse a decisiva do jogo.

Os dois jogos dessa semana mostraram isso. O time marca em cima desde a saída de bola do adversário, tem um meio de campo forte(apesar de pouco técnico), que impede o adversário de criar livremente jogadas. Foi notável nos jogos os problemas dos setores criativos do Sporting(que foi presa muito mais fácil por ser muito limitado tecnicamente) e do Corinthians, que mesmo tendo um time mais técnico, teve muitos problemas em sair com a bola e para criar jogadas, muitas vezes se viam apenas os zagueiros e o Ralf para iniciar as jogadas.

Acredito que o ponto mais louvável desse time, seja o ataque rápido, que foi principalmente notado no clássico. A boa saída de bola do Souza e do Wesley, diversas vezes pegaram em velocidade os atacantes Patrick Vieira(esse me parece ter muito potencial) e Vinícius, e os dois caindo pelas pontas, preparavam lances para chegada de trás dos volantes(tanto que o primeiro gol foi em um lance desse, onde o Wesley recebendo um passe de contra-ataque, pegou a bola na lateral e cruzou para a chegada surpresa do Vilson).

O Kleina com isso mostrou que pode conseguir compensar os defeitos do time com adaptação do esquema e principalmente rigidez tática: o time tem de jogar no limite e de forma obediente, principalmente na marcação, para suprir uma falta de maior técnica. Apesar de tudo, o Kleina tem se mostrado falho ao mexer no time. No clássico ele mexeu mal duas vezes: ao tirar o Patrick e colocar o Charles e ao Tirar o Vinícius e colocar o Ronny. Ele deixou o time sem ataque, e fatalmente como presa fácil, já que não agredia, apenas tentava conter a pressão, tanto que acabou tomando o gol justamente nesse momento do jogo. O Kleina apenas precisa ter menos medo de agredir o adversário na vantagem e não se fechar quando se está na frente. Creio que esse seja o único defeito que ele ainda precisa corrigir.

Acredito que principalmente na Libertadores, o time jogando assim como foi nessa semana, deve passar sem muito susto pela primeira fase, pois mostrou que pode engrossar muito o jogo como visitante com essa marcação pressão, elemento fundamental para jogar contra os sul-americanos. O problema é que ao chegar na fase eliminatória, o time já deverá ter contratado 3 REFORÇOS(letra maiúscula mesmo) para encarar a fase, pois com o time que foi inscrito, passar a primeira fase é possível, mas ser campeão, extremamente improvável, pois há a necessidade de um fator de desequilíbrio e isso até o momento o Palmeiras não tem.

Deixe uma resposta