Arquivo da tag: wesley

Irreconhecível…

Ouvi o jogo entre Palmeiras e Mirassol e confesso que ao final do jogo, quando ficou em 1 a 0 para os visitantes, pensei: era pra ter sido mais. Com o futebol que o time apresentou, no mínimo uns 3.

O jogo tinha tudo para ser mais uma vitória(tranquila ou não), porém algo havia com o time, que nada dava certo, pois a dupla de zaga formada por Henrique e Mauricio Ramos, errava constantemente nas saídas de bola e a todo momento propiciava contra-ataques para o time do Mirassol que pela sua baixa qualidade técnica desperdiçava. O Palmeiras no seu setor ofensivo também não fazia muito melhor, pois errava demais no passe inicial e a bola ou chegava em péssimas condições, ou sequer chegava para a dupla Barcos/Maikon Leite. Quem procurava jogo ainda era o Wesley, que diferente da primeira partida, apareceu muito mais e foi um dos bons destaques do time durante o jogo.

Mesmo na etapa final o time do Verdão criava pouco e errava muito e continuava a dar espaços para o visitante, que só não estava marcando agora por conta da excelente partida do Deola, que praticou diversas defesas que estavam garantindo o empate até aquele momento. O Felipão pra mim errou de novo nas substituições, ao tirar o Artur e por o Chico, depois tirar o Daniel Carvalho e por o Pedro Carmona e sem comentários a primeira: tirar o Maikon e por o Ricardo Bueno, que só pra variar, foi figura nula e quando aparecia, era pra errar algum lance. Tanto errou que acabou sendo castigado pelo gol do Preto, e depois não teve competência pra virar, já que ia de forma desorganizada e pouco criava de jogadas consistentes.

Em termos práticos, essa derrota não significa praticamente nada, pois o time já está classificado, porém acho q tanto essa derrota, como a sofrida para o Corinthians, servem como alerta para que o time não se perca pensando que pode ganhar o jogo a qualquer momento, como eu vinha citando que estava acontecendo em algumas partidas. Talvez essas “sacudidas” acordem o time e façam eles perceberem que não podem entrar em campo achando que o gol saíra do nada, que eles não tem de se esforçar para buscar o resultado, coisa que vinham fazendo durante aquela excelente série de jogos invictos, mas que nas últimas partidas parece que esqueceram. Positivo para o time, que isso aconteceu em um momento onde o efeito da derrota é menor, pois se o time seguisse no ritmo que estava indo e continuasse a vencer jogando com soberba, poderia acabar levando um tombo muito pior em fases decisivas, tanto da Copa do Brasil, como do Campeonato Paulista.

O próximo jogo será no Ceará, contra o Horizonte, ainda com a possibilidade de eliminar a segunda partida. Não vou cravar uma classificação antecipada, porém acredito que a postura do time será totalmente diferente dessa apresentada contra o Mirassol. O time evoluiu muito, mas ainda precisa encontrar o equilíbrio emocional para não se deixar levar por séries de bons resultados e procurar sempre melhorar e não achar que porque conseguiu uma série invicta, que deve se contentar só com aquilo e não almejar progressos.

O time deve ter algumas mudanças ao término do Paulista, principalmente no setor ofensivo, que contará com a volta de Luan e que finalmente nos veremos livres do Ricardo Bueno, que definitivamente não tem condições de jogar no Palmeiras. É muito fraco tecnicamente, e peca principalmente pela péssima pontaria. O Fernandão, apesar de não ser um primor tecnicamente, erra muito menos e consegue fazer um papel razoável de pivô, ou seja, pra compor elenco é uma peça até interessante, diferente do Bueno, que cada vez que entra dá a impressão que não conseguirá fazer nada para mudar o panorama da partida.

Em dia de Wesley, João Vitor é quem decide

Quarta foi um dia de festa, onde uma das grandes novelas de contratações desse começo de temporada, teve final feliz e o Wesley finalmente estava estrando no time do Palmeiras, porém o dia em que ele era a estrela, foi seu reserva muito menos badalado e contestado em muitos momentos, João Vitor, que roubou a cena e garantiu o gol da vitória por 1 a 0 contra o Paulista de Jundiaí.

Dizer que a partida foi algo atrativo seria um exagero, pois o jogo no primeiro tempo foi uma grande monotonia, os times estavam pouco inspirados e apenas o Palmeiras conseguia alguns lances de mais emoção. O estreante da noite até teve chance de deixar o seu, porém finalizou mal.

O segundo tempo mudou com a entrada do Daniel Carvalho, que em pouco tempo deu outra movimentação ao time e quase abriu o placar em um belo chute. O jogo acabou caindo de novo na mesmice do primeiro tempo, depois de algumas paradas demoradas devido a contusão de alguns jogadores, porém quando Wesley deixou o campo e o João Vitor entrou, o time voltou a ir pra cima e em um bom lance e uma finalização excelente, ele marcou o gol que garantiu os 3 pontos para o Verdão.

Acho que esperar muito dessa estréia era otimismo demais, pois o jogador apesar de bem preparado fisicamente, há meses que não joga e no Palmeiras ele não realizava coletivos, até pelo risco de contusão, portanto só o tempo mesmo para dar o ritmo adequado para ele. Deve assumir de vez o posto de titular em pouco tempo, mas por enquanto ainda deve alternar entre o time titular e o reserva.

O principal motivo de ele não ser peça cativa no time titular é o próprio João Vitor, que contra todas expectativas, vem mostrando a cada dia melhor futebol. O jogador que eu muitas vezes chamei de “jogador nada”, pois ele nunca tinha algo a acrescentar ao time, esse ano resolveu jogar e bem. Já foi destaque em clássico(contra o São Paulo), fora outras partidas que demonstrou uma evolução um tanto quanto inesperada. Vem marcando melhor, passando melhor, até lances individuais ele vem arriscando e acertando alguns inclusive, sem contar que com esse, já tem dois gols na temporada. Acredito que ainda é cedo pra dizer se isso é apenas uma fase, ou se de fato estamos vendo outro jogador agora, porém no momento dá pra dizer que ele tornou-se uma opção excelente para o elenco, já que pode entrar tranquilamente no time, sem que o mesmo perca em qualidade no meio-campo.

Valdívia se contunde, de novo e para por um mês

Sinceramente eu não sei mais o que falar sobre ele… ele vinha atuando de forma apenas razoável(o Daniel vem jogando muito melhor que ele), estava retomando seu melhor ritmo, porém novamente tem interrompida sua sequência de jogos por uma contusão, agora na coxa. Foi um investimento extremamente caro e desde que voltou ainda não deu nenhum retorno. Apesar de achá-lo um jogador de muito bom nível técnico, começo a não ter mais tanta certeza do quanto o time pode contar com ele, pois afinal o Palmeiras vai chegar na fase decisiva da competição estadual e justamente agora não poderá contar com um de seus principais jogadores. Vejo como importante e diria mais, necessária, a contratação de um meia para o Brasileirão, pois até o momento o Valdívia infelizmente é um jogador com o qual não se pode contar e ter apenas o Daniel Carvalho e o ainda irregular Pedro Carmona é muito pouco.

Apagão, derrota… e pra compensar uma apresentação

Depois de tantos incidentes lamentáveis, gente morrendo por nada, gente brigando por nada(até onde me consta, futebol é diversão, não guerra), pensava até em deixar o jogo de lado, que de certa forma foi posto de lado, em vista de tantos eventos dignos de meros marginais, que envergonham aqueles que são os verdadeiros torcedores de ambos times. Entretanto com a chegada e apresentação do Wesley, aproveitarei, para além de comentar sobre a chegada do sexto reforço do time, dar um ponto de vista diferente da imprensa corintiana, que na segunda soltava um monte de asneiras(pra não dizer outra coisa), pensando que o ouvido dos outros é privada.

O jogo(o real, não o criado por boa parte da imprensa) teve 3 momentos:

Primeiro tempo – O Palmeiras tendo entrado muito melhor, praticamente dominava as ações do jogo e o Corinthians limitava-se a ficar em seu campo e arriscar umas poucas vezes. Dois lances que pra mim foram no mínimo absurdos, foi a solada do Liédson no Deola(esse pra mim imprudente e nem tanto maldoso) e o pisão do Chicão no Barcos(esse imprudente E maldoso). Já vi muito comentarista de arbitragem e comentaristas mesmo, chiarem por muito menos, ex-árbitros que sempre falam em “imprudência e força excessiva que deve ser punida com expulsão”, dessa vez simplesmente disseram que foi do jogo e que não valia a expulsão. Evidentemente que sim, já que é muito natural durante o jogo você disputar uma bola, indo com o pé na altura da canela do adversário e torcendo o tornozelo do mesmo, é simplesmente ridículo a ruindade do árbitro em não punir um lance desse com expulsão e a tendenciosidade da mídia em dizer que isso não foi nada. O Palmeiras marcou seu gol através de um belo chute do Marcos Assunção(que comemorou ao estilo Professor Raimundo em uma bela homenagem ao Chico Anysio) e o time apesar de ter tido chance, não matou o jogo.

Primeiros 10 minutos do segundo tempo – O time deu o mesmo apagão/acomodada que vinha dando nos últimos jogos(casos de Ponte Preta e (o primeiro contra o Coruripe) e achou que tava tudo certo e o jogo ganho, porém isso em clássico não vale e em duas bobeadas do Márcio Araújo(que diga-se não é costume dele errar de forma tão grotesca), renderam o empate e a virada. O time travou de tal forma que por pouco não levou o terceiro em seguida.

Restante do segunndo tempo – Aproveitando-se da total desorganização alviverde, o Corinthians simplesmente recuou(como é de praxe) e apenas administrou o resultado, pois quando o Palmeiras voltou a se organizar, faltavam poucos minutos pra terminar e as chances criadas já eram puramente base de desespero. O time durante praticamente toda segunda etapa, nem de longe mostrou o toque de bola e organização que tem sido sua marca durante o ano.

O time corintiano mereceu a vitória porque soube aproveitar as oportunidades e o momento de falha(ou pane como queiram) do time do Palmeiras, porém não vi a superioridade dita nos comentários da segunda-feira em boa parte dos programas de esporte. Vi sim dois times muito equilibrados e equivalentes, pois em nenhum dos dois casos os times tem um Neymar por exemplo, como fator de desequilíbrio, tem sim o conjunto como forte.

O maior problema do time palmeirense é depender de jogadores como o Ricardo Bueno para dar um rumo diferente ao jogo. Eu inclusive havia comentado sobre ele na coluna anterior, que achava ele muito pouco confiável e como tal fez jus ao que eu disse, sendo elemento nulo quando entrou, inclusive errando praticamente tudo o que tentava. Daniel Carvalho fez muita falta, pois na minha opinião ele vinha jogando até melhor que o Valdívia e ele sim poderia mudar o rumo do jogo caso fosse uma opção para entrar. Esse ainda é o maior defeito do time, o número reduzido de boas opções ofensivas.

 

Wesley é apresentado!

Como havia comentado há pouco mais de uma semana, era fato que o Wesley chegaria ao final do período daquela arrecadação(que diga-se, foi um algo pra lá de desconexo e sem razão). Tirando tal evento, a chegada dele deixa o meio campo do time muito bem encaminhado, já que passa a ter uma opção diferente para segundo volante e alguém que pode jogar tanto mais recuado, como mais à frente de segundo meia. Deve ser titular rapidamente do time e não tenho a menor dúvida de que fará tanto sucesso quanto as outras contratações do time.

Olhando para o elenco atual, o que fica faltando é basicamente uma opção melhor pra lateral esquerda(Juninho está muito a frente do Gerley) e melhores opções de ataque(os reservas de Barcos e Maikon não chegam nem perto do nível dos titulares), considerando que o Luan esteja de volta para o brasileirão e ele e o Maikon podem se revezar na função, creio que mais duas contratações deixariam o elenco do Palmeiras em condições de entrar no Brasileirão almejando no mínimo uma classificação direta para a Libertadores. As seis peças contratadas até o momento foram muito bem escolhidas e além de qualidade, deram mais profundidade ao elenco que tem mais opções que lances esporádicos de bola parada.

Ainda sobre reforços, esse já está, mas a notícia é boa como se fosse uma contratação: nos próximos dias a direção deve confirmar a contratação em definitivo do zagueiro Henrique, que tinha seu vínculo se encerrando no meio do ano. Ótima notícia, haja visto que ele vem jogando em alto nível esse ano, lembrando sua boa fase da primeira passagem pelo Palmeiras

Pra finalizar: quarta contra o Paulista deve ser a primeira oportunidade de poder apreciar a estréia do mais novo reforço alviverde.

 

Wesley é do Palmeiras, apesar do presidente negar

Hoje foi um dia de muitas notícias desencontradas, porém o simples fato do Werder ter anunciado o acerto do Wesley, pra mim dá o assunto por encerrado quanto a essa “novela” e que ele é o mais novo jogador do Palmeiras.

O time alemão já alega ter todas as garantias de pagamento do valor total(seis milhões de euros), e no caso específico do entrave, o pagamento da primeira parcela de dois milhões. Conforme noticiado pelo Estado de São Paulo, os dirigentes alemães asseguram que todas as garantias foram cumpridas pelo Palmeiras, sendo assim a tranferência é dada como concluída.

Acredito que muito dessa negação desesperada, seja até para que o time possa arrecadar um pouco mais na campanhas de doações “Wesley no Verdão”, que até o momento arrecado menos de 500 mil reais. O valor é ínfimo perto dos 21 milhões do total da campanha e a própria diretoria vem reconhecendo que é praticamente impossível chegar ao valor total(algo que já citei antes aqui).

O Tirone tem suas razões pra ainda negar, porém acho que ele seguir com a mentira, ficará mais feio do que ele chegar e dizer “contratamos, mas precisamos da ajuda para complementar o pagamento”, o que desmotivaria, é verdade, porém é melhor do que negar o que é claro a olhos vistos, pois até com o time ele já treinou(antes vinha só fazendo preparo físico).

Indo um pouco na questão do jogador em si(afinal dentro em breve ele será anunciado), será uma peça que caíra como luva no time, pois no esquema atual do Palmeiras(que vem tendo três volantes e um meia, revezando Daniel/Valdívia), ele será o volante mais avançado e que dará o toque criativo inicial, além de ter qualidade para chegar na frente(o que vai ser um desafogo para o meia que estiver em campo).

Olhando para os reforços(com ele serão seis) mostra que a diretoria soube contratar as peças nas posições necessárias, gastou valores razoáveis, nada absurdo e jogadores que chegaram e encaixaram no time. Com o sossego que o time tem para só jogar e não ter mais crises chegando o tempo todo ao vestiário, esse ano promete campanhas muito mais respeitáveis do que as pífias do ano passado.

Épico!

Jogo para entrar na história dos clássicos, com uma virada histórica e com uma vitória que, se não resolve os problemas do time(que continuam sendo vários), pelo menos dá uma nova moral e principalmente dá uma mostra de raça e garra do time que há muito não se via.

O jogo era visto como a chance de exibição de gala do Neymar, já que além de tudo, era seu aniversário de 20 anos, porém o que se viu foi um Palmeiras muito bem postado na defesa, com marcação individual em todo setor criativo do Santos e dando liberdade para o Valdívia com o auxílio do Marcos Assunção, pudessem municiar o ataque alviverde. Valdívia seguia como destaque até sentir uma lesão e Daniel Carvalho entrar em seu lugar e quando todos esperavam que a criatividade diminuiria, o Daniel em seu primeiro lance, quase faz um golaço. Ele conseguiu manter o nível criativo do time com bons passes e algumas boas jogadas individuais. A única ameaça real era o aniversariante Neymar, que praticamente sozinho criava jogadas e conseguia em alguns lances deixar companheiros livres puxando a marcação em jogadas individuais.

Segundo tempo vem e o jogo continua muito mais favorável ao Palmeiras, porém a ameaça Neymar acabou se concretizando e em passe preciso de Ganso, ele subiu em meio a dois jogadores do Palmeiras(que eram Luan e Fernandão, o que surge como dúvida: por que logo eles que não tem como especialidade a marcação, cuidavam justamente do mais perigoso jogador adversário? falha feia do sistema defensivo). A partida caminhava para uma derrota, até que Ibson faz falta, leva o segundo amarelo e acaba expulso, aumentando ainda mais a pressão palmeirense. Aos 44 minutos em mais um precisa cobrança de escanteio do Marcos Assunção, Fernandão subiu bem de cabeça e empatou o jogo. Continuando a pressionar, o Palmeiras acabou premiado com um lance que eu diria que foi mais sorte(e que premiou a determinação do time em busca da vitória), pois o Juninho tentando passar a bola, contou com o desvio de Durval e assim garantir a virada e uma vitória que muitos não esperavam mais que viria.

Apesar da vitória excelente e que deve ser comemorada, ainda mais por ser em um clássico, não dá pra se iludir e achar que de um jogo para o outro o time ficou uma maravilha, porque isso está muito longe de ser a realidade! O time continua falho, o Henrique continua sem um parceiro à altura(Leandro Amaro vem se mostrando um jogador apenas mediano, que serviria mais para compor o elenco, não para titular) e o ataque ainda continua deixando a desejar, porém algo deve ser exaltado: como venho citando desde sempre, o Fernandão continua a cada dia provando quem entre ele e o Bueno, ele de longe é a melhor opção. Um jogador de bom porte físico, que consegue fazer bem o papel de pivô(pois sabe fazer jogo de corpo), tem uma finalização mediana e um excelente jogo aéreo(haja visto que seus dois gols foram de cabeça). Pode vir a ser um jogador bastante útil para a temporada se for bem trabalhado e jogar com relativa frequência.

Outro que devo dar um destaque mais que especial é para o Daniel Carvalho. Ele vem se dedicando a entrar na sua melhor forma física(está muito próximo do peso considerado ideal) e vem mostrando sua técnica apurada que o consagrou em outros tempos. Mostrou que não desaprendeu a jogar(muito menos se acomodou) e dá a entender que veio realmente para fazer a diferença. Muito bom para o Palmeiras, que consegue um importante reforço em um setor que vinha sendo seu principal problema, já que o Valdívia constantemente vem ficando de fora por problemas físicos(inclusive deve ficar cerca de duas semanas fora, lamentável…).

 

Reforços: durante a semana passada, o presidente disse que ainda pretende reforçar mais o elenco, chegou o Artur, para a reserva do Cicinho(o qual citei antes, desconheço) e ao que tudo indica o Wesley, ex-Santos, deve ser o próximo. Ele chegaria para ser titular e dar uma criatividade muito maior ao meio-campo do time, uma contratação excelente que deixaria o setor de meio do time com peças suficientes para esse primeiro semestre, faltando apenas qualificar melhor o ataque. Bom sinal que depois do acerto com a Kia, o time está tendo uma visão mais ambiciosa e fazendo algumas extravagâncias para tornar o time de fato competitivo.

Opinião sobre os gastos com reforços: considero que mesmo criticando(e muito) a falta de agressividade na contratação, algo deve ser louvado nisso tudo: o time não entrou em leilões absurdos, como pagar 600 mil por mês para o Douglas(que é muito irregular, apesar de muito bom tecnicamente) ou pagar um absurdo pelo Tardelli, que nem de longe vale o que pediram, ou mesmo aceitar pagar um valor alto pelo C.Alberto(insanidade pura na minha opinião sequer cogitar esse elemento). Sou favorável a gastos, desde que seja com peças que realmente venham pra fazer a diferença, mas que não seja por um valor irreal, muito maior do que elas realmente valem.