Arquivo da tag: valdívia

Primeiro empate, mas um bom sinal.

O primeiro jogo que pude ver de fato do Palmeiras, teve um resultado que apesar de não ser grandes coisas(um mero empate jogando em casa), não pode ser considerado de todo ruim, pois a Portuguesa atual, nem de longe lembra aquele time bagunçado do paulistão passado(nesse ritmo deve fazer bom papel no paulista e copa do brasil, mas não vem ao caso), porém não dá pra dizer que foi de todo ruim o jogo de ontem.

A partida acabou por ser bastante equilibrada, pois a Portuguesa segue o estilo de jogo que marcou sua campanha na série B: com toques rápidos, ofensividade e contra ataque geralmente em velocidade, então até aí nada de novo, porém o Palmeiras diferente do ano passado, está jogando com a bola no chão, pensando as jogadas. O chuveirinho na área sem dúvida continua sendo uma arma poderosa(Marcos Assunção por sinal completou 100 jogos na quarta), mas principalmente graças ao Valdívia, que dá um toque de qualidade no meio que o Palmeiras não tinha praticamente ano passado, o time consegue organizar jogadas a partir de lances do camisa 10. O maior problema em especial no primeiro tempo, era a presença da nulidade chamada Tinga no time titular. Nada pessoal contra ele, porém o futebol dele desde que chegou no Palmeiras, é algo sofrível e nem dá pra alegar que foram falta de oportunidades, pois ele sempre entra em campo e joga com muita frequência(para desespero dos torcedores).

O segundo tempo veio e um alento! Tinga saiu e entrou o Maikon Leite. Aqui devo dizer que apesar de gostar do estilo de jogo dele, ontem ele abusou de ser fominha, cansou de tentar arriscar jogadas onde haviam companheiros melhor posicionados. Apesar da melhora do Palmeiras, quem saiu na frente foi a Lusa, com uma falha da zaga, o Maylsom abriu o placar. A etapa complementar foi marcada pela estréia do camarão que mais parecia um peixe-boi: Daniel Carvalho. Estranho como são as coisas, quando o via na seleção, até em partidas do CSKA, pensava: um cara desses no meu time, ia dar jeito, já hoje em dia, apesar da pouca idade dele(tem apenas 28 anos), tenho sérias dúvidas do que de fato esperar dele: o cara tem anos q vem brigando com a balança, apesar de um segundo turno do brasileiro relativamente bom, é uma incógnita saber se ele será aquele jogador do fim do ano ou aquele que nada fez nos últimos 2 anos, só jogou com o nome.

Apesar de tudo isso contra, foi dele o passe para o Maikon Leite(que apesar de alguns lances fominhas, foi o cara que deu outra movimentação ao time) que foi pela linha de fundo e passou para o Ricardo Bueno empatar e dar números finais a partida.

Depois de tudo que vi, posso dizer que apesar de ainda ser começo de temporada e o time ainda ter muito para se ajeitar, apenas o fato de ver que o time joga com a bola no chão ao invés de jogar a base de cruzamentos e nada mais, já é um alento, porém mantenho minha posição que com Ricardo Bueno(que não foi tão sofrível como de costume, mas ainda sim acho muito, mas muito fraco) e Fernandão como opções, o Palmeiras não irá muito longe, pois continuam a faltar reposições.

Em tempo: estão dizendo que deve vir um tal de Artur do São Caetano. Não faço ideia de quem seja, ou como joga, porém é estranho quando uma diretoria diz que trará “4 camarões”, trazer apenas 1(considerando que o Barcos o seja), mas com essa diretoria esperar alguma ação mais audaciosa é querer demais, quando sequer um patrocínio eles conseguem arrumar(apenas como informação: dizem que existe a possibilidade da JAC motors ser o novo patrocinador, porém isso surgiu e logo caiu no esquecimento)

O primeiro camarão e vitória na estréia

Custou, demorou, mas o dito “camarão” saiu! Fato que tá muito longe de ser um jogador de renome, porém o desempenho dele na LDU(que atualmente figura entre os tops da américa, pelo seu recente desempenho) é no mínimo algo para se olhar com certa expectativa para seu desempenho: foram 53 gols em 92 jogos pelo time equatoriano, uma média bastante considerável ainda mais se levarmos em conta a média pífia dos últimos atacantes palmeirenses. Apesar de já estar treinando no clube, sua apresentação oficial será apenas na sexta-feira. Da minha parte, apesar de achar exagerada a badalação, considero um reforço que realmente vem para fazer a diferença, que demonstrou vontade de jogar pelo Palmeiras(o que é muito positivo) e que apesar de não ter feito grande sucesso na Argentina(o Barcos jogou muito jovem e inexperiente lá, o que talvez explique a falta de maior sucesso lá), por ter uma característica que se encaixa no jogo do Felipão, pode fazer sucesso por aqui. Não esperem um Evair da vida, porque tá muito longe disso, ele é um fazedor de gols e é disso que o time precisa no momento.

Opinião sobre reforços: o time contratou apenas 4 jogadores Hernám Barcos, Juninho, Román e Daniel Carvalho. É pouco, mas muito pouco para uma temporada, pois o time continua sem reposição em várias posições e o time titular, apesar de já ter uma cara melhor, ainda seria muito mais interessante que se tivessem outras peças, para poder dar alternativas de jogo e principalmente, no caso de alguma suspensão/contusão, o time não perca tanta qualidade. Jogadores como Valdívia, Marcos Assunção e o próprio racém-chegado Barcos, não tem peças de reposição à altura e isso fatalmente fará falta no futuro, pois quando o time depender de um Tinga, Ricardo Bueno, Fernandão(que dos 3 é o único que acho que ainda pode virar algo melhor), a coisa ficará muito complicada.

Sobre o jogo: vi muito pouco, então nem entrarei em uma análise mais profunda sobre o mesmo, mas do que vi e li sobre, dá pra dizer que o Valdívia teve uma estréia no mínimo animadora, buscando jogo, dando assistências, dribles e ainda acabou sendo caçado em campo(com conivência do juiz). Ao final do jogo ele ainda afirmou que se cuidou nas férias, malhou e procurou manter o preparo, já que ele havia tido problema com isso nos anos anteriores, e achei isso excelente, pois mostrou compromentimento com o time, e que ele sabe que tem uma dívida com o time, depois de um ano e meio mal atuando pelo Palmeiras, parabéns pra ele, que ao menos soube reconhecer isso(parece um certo “imperador” de um outro time não?). Fora ele, os 3 pontos foram importantes para dar uma moral ao time nesse começo e um certo sossego para o trabalho.

 

Acreditar em reforços com essa diretoria é complicado, porém como não há muito mais o que se esperar, o jeito é pagar pra ver se eles de fato trazem mais peças para fechar o elenco. Na minha opinião, se trouxerem mais um lateral direito(o Jonas que dizem estar bem encaminhado), um zagueiro, um meia e um outro centroavante, que possam entrar sem comprometer, aí o elenco estará pronto para a disputa tanto do paulista, como da copa do brasil.

Palmeiras vence e cumpre 50% de sua tarefa

O jogo de domingo não foi um jogo que tenha primado por lances espetaculares, porém como todo clássico foi bastante disputado. Curioso que para alguém que chegasse desinformado sobre a tabela do campeonato, diria que era o Palmeiras o time a disputar a vaga na libertadores e o São Paulo o time desinteressado, que jogava apenas para cumprir tabela.

Jogando com o mesmo espírito dos últimos jogos, o Palmeiras manteve a pegada de forte marcação e buscando o jogo aéreo e faltas próximas à área são paulina, em especial com Luan e Valdívia, sendo que em uma dessas faltas, Marcos Assunção cobrou com sua habitual precisão e marcou o gol que selou a vitória palmeirense(alguns alegaram que o lance devia ser anulado pela posição dos jogadores palmeirenses na área, porém eles não participam direto do lance, não tocam na bola ou no goleiro, ou seja o gol foi legal).

A vitória atrapalhou por demais os planos de classificação do São Paulo a libertadores, ou seja, a missão de amenizar um pouco o ano patético palmeirense foi concluída com êxito.

Próximo objetivo será no domingo, onde terão de conseguir uma nova vitória, agora para tirar o título corintiano(ou pelo menos ajudar o Vasco nessa missão). Fato é que isso em nada apagará as decepções desse ano, porém uma vitória sobre o maior rival e a chance de prejudicá-lo, podendo ser o fiel da balança na disputa do título, ao menos será uma forma de terminar mais dignamente o ano.

 

Agora duas coisas em relação a esse jogo:

 

Primeira: nenhum palmeirense(pelo menos os coerentes) irão pensar que isso apagará esse ano, que foi marcado por um sem número de confusões e desmandos, mas qualquer um iria gostar de terminar o ano com vitória sobre o maior rival…

Segunda: o que li durante a semana, sobre gente dizendo “patético ficar torcendo pela desgraça alheia” ou “nós torcemos apenas pelo corinthians e não contra os outros”, vai me desculpar, mas isso é hipocresia do pior tipo… Já cansei de ver corintiano secando o rival, comemorando quando o São Paulo perdeu a final para o Inter ou quando foi eliminado pelo Fluminense nas quartas de final da libertadores, ou a torcida pelo Peñarol(que segundo eles era o “brasil na libertadores”), ou quando fizeram camisas meio a meio com boca e manchester nos jogos do Palmeiras. Todos torcedores adoram rir do fracasso alheio, pois cínico e mentiroso será aquele que diz que não fica feliz quando vê seu maior rival quebrando a cara, então vamos parar com a conversinha mole que já deu.