Arquivo da tag: Tite

Tem coisa errada

entrevista

 

Segunda-feira ocorreu uma cena muito estranha no Corinthians. Ralf, Renato Augusto e Fabio Santos, supostamente líderes do time, deram uma entrevista defendendo o treinador Mano Menezes, sob os olhares atentos do presidente em final de exercício Mario Gobbi.

O mesmo Mario Gobbi que demorou exatos 18 minutos na resposta à primeira pergunta para defender o retranqueiro treinador corinthiano. Continue lendo Tem coisa errada

Dunga Sim

O velho novo treinador da seleção brasileira.
O velho novo treinador da seleção brasileira.

Nos últimos dias, tomou conta da grande mídia a confirmação extra-oficial de que Dunga será o próximo técnico da seleção.

O comandante de 2010, muito contestado por uns, idolatrado por outros, está de volta, sendo quase uma unanimidade que não deveria ser ele o novo técnico. Pois eu sou completamente a favor, e explico. Continue lendo Dunga Sim

Tem elenco e tem padrão

Padrão do time corinthiano.

Não tenho me animado a escrever aqui porque sinceramente o Campeonato Paulista não é muito passível de análises, por falta de competência técnica dos competidores.

Mas tenho observado algumas coisas no Corinthians que se confirmaram ontem na Copa Santander Libertadores.

Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que ainda acho o Tite um técnico muito fraco para comandar o Corinthians. Porém, quando ele acerta devemos aplaudir e reverenciar.

Independente dos resultados dos jogos, que aliás é o que menos importa a essa altura, principalmente no Paulistinha, a equipe do Parque São Jorge tem mostrado que possui duas coisas muito importante no futebol atual: Padrão de Jogo e Elenco.

Mesmo mesclando várias vezes os jogadores titulares com os reservas, o Corinthians tem mantido uma forma de atuar, que gostemos ou não (eu, particularmente, prefiro um time mais agressivo) tem dado certo. Foi com o futebol “burocrático”, de toque de bola e muito 1 x 0 que o time chegou ao título brasileiro do ano passado, e tem mantido isso neste ano.

Pode-se argumentar que é um jogo feio, mas mantendo a posse de bola e marcando à frente do meio de campo, como fez ontem contra o Nacional do Paraguai, o Corinthians corre muito pouco risco, e sua defesa nem é verdadeiramente testada. Quando se fala da defesa pouco vazada, deve-se lembrar que estamos falando de um sistema, e não somente de dois zagueiros que fazem o trabalho sozinhos.

Além disso, é de se admirar o conhecimento sobre o elenco e a excelente utilização que vem sendo feita pelo técnico Tite. Priorizando a condição física dos seus atletas (vale lembrar que no ridículo futebol brasileiro pré-temporada é luxo), ele vem fazendo um rodízio e dando oportunidade a todos, e ninguém está jogando somente com o nome, têm ficado no time titular os melhores jogadores. Tudo isso sem que haja crise de ciúmes, chilique em público ou reclamações sobre a insatisfação de não jogar.

Sou um crítico contumaz dele, mas neste momento, palmas para o Tite.

Hora da espera.

Olá meus amigos, feliz 2012 a todos.

Após um final de ano muito feliz, com o título de campeão brasileiro, é hora do Corinthians se preparar para a próxima temporada.

Sobre o elenco, a diretoria manteve a base, o técnico (infelizmente) e acredito que o time terá a mesma estrutura do ano passado. Ainda acho que faltam um goleiro e um lateral para cada lado, pois o semestre vai ser bem apertado. Vieram jogadores de times pequenos, sem muito nome, e isso é bom, pois com um baixo investimento podemos ter jogadores muito úteis durante o campeonato.

Ontem vi o jogo amistoso contra o Flamengo, e com todas as ressalvas que um jogo de pré-temporada precisa ter achei bem interessante a postura do time, principalmente no primeiro tempo, quando jogou com seu time titular. Contra um time que deveria estar muito melhor fisicamente, pois tem compromisso pela Libertadores em breve, o Corinthians conseguiu manter o domínio da posse de bola e foram raras as vezes em que o adversário passou do meio campo. Destaque para o Fábio Santos, que se apresentou muito bem e errou pouquíssimos passes e inversões de jogo. Sobre o Liedson não precisamos falar nada, o cara é diferenciado mesmo, e aparentemente o Alex vai se firmar como titular. No segundo tempo, gostei muito da atuação do Nenê Bonilha (acho que é esse o nome) como lateral direito, mas não dá para avaliar o garoto por uma partida amistosa, ainda mais que ele é volante de origem. Mas o Alessandro que se cuide.

Este é um momento de muita especulação e pouca notícias, então o foco deve ser a preparação física para aguentar a temporada. Por que o Adriano não treinou nas férias, ao invés de ficar baladeando por aí? Agora precisa de mais duzentas mil semanas para ele entrar em forma, um absurdo isso, mostra a omissão da diretoria neste tipo de comportamento amador de alguns jogadores.

E por enquanto é isso, só nos resta aguardar, separar as especulações das notícias de verdade e ver o que o Corinthians trará de diferente para o ano que se inicia.

Não engrena


E o Corinthians perdeu a chance de praticamente ser campeão ontem.

Com o resultado negativo do Vasco, era só a equipe paulista bater no lanterna do campeonato, em um estádio que tinha praticamente somente corinthianos, para abrir 3 pontos + 1 vitória de vantagem, ou seja, uma rodada de folga para o segundo colocado, com 5 jogos a serem disputados.

Por algum motivo que não consigo entender, o time simplesmente não engrena.

Poderia ficar aqui reclamando que o Tite é um covarde (ou cagalhão, como ele mesmo prefere dizer), que o Julio Cesar tem braço de dinossauro, que o time jogou sem vontade, mas por que isso acontece tudo na mesma partida?

Será que há algum foco de insatisfação dos jogadores? Será que a diretoria não está honrando seus compromissos? Poderia montar centenas de teorias da conspiração aqui, mas acho que falta somente uma coisa para o Corinthians: personalidade.

Falta um jogador que ponha a bola debaixo do braço, diga “é minha” e seja o verdadeiro maestro do time, vá pra cima quando precisar, segure o jogo quando for necessário, e chame a responsabilidade pelas vitórias, tentando, arriscando, mesmo que ao final seja um completo e miserável fracasso.

Não me importo de ver meu time perdendo títulos, todos que disputam correm esse risco, afinal, somente um vence, mas perder dessa forma apática, sem vontade, deixando a sensação de que poderia ter ido muito melhor… desculpem, mas é deprimente.

Por que a carroça corinthiana (não dá para chamar de carro né?) não engrana? Comenta aí!

Deu gosto de ver

Adriano Imperador

Sob forte chuva, o Corinthians finalmente venceu e convenceu no campeonato brasileiro.

Em um primeiro tempo histórico, a equipe de Parque São Jorge massacrou o Atlético Goianiense, que tem sido a pedra no sapato de muito time neste campeonato e só perdeu um dos últimos 12 jogos, e venceu tranquilamente por 3 a 0, gols de Castan, William e Alex.

Mais do que a vitória, impressionou o futebol apresentado pela equipe do técnico Tite.

Marcação por pressão, jogadas trabalhadas, trabalhando bem a posse de bola, fazendo triangulações pelas laterais… nem parecia o Corinthians das últimas rodadas.

No momento em que é tão importante separar os homens dos meninos, o Corinthians pode aproveitar a facilidade de sua tabela daqui pra frente e correr rumo ao título nas próximas dez rodadas do campeonato.

É torcer para que a estreia do Adriano, hoje, e depois a volta do Liedson e do Emerson não atrapalhem o acerto tático das últimas rodadas, com Ale e principalmente Danilo mais à frente.

Pode ser que na quarta tudo desande de novo, mas hoje deu gosto de ver.

Ainda há esperança

Pode-se dizer que foi uma oportunidade de ouro desperdiçada.

No campo rival, com pressão, o Corinthians conseguiu ser melhor que o Vasco, sobretudo no segundo tempo, e perdeu uma série inacreditável de gols que dariam uma vitória importantíssima no campeonato. É bem verdade que no primeiro tempo a equipe de São Januário foi bem melhor e que o empate não foi exatamente injusto, mas o destaque mesmo foi o futebol finalmente apresentado pela equipe paulista.

Com vários desfalques e a perspectiva de ser atropelado pelo líder, o Corinthians armou bem seu contra-ataque e quando conseguiu ter o comando do jogo foi pra cima, como se estivesse jogando em casa. Nem parecia time do Tite.

Destaque positivo para as atuações de Paulo André e Danilo, que mostraram que são jogadores que crescem em decisões. Pelo lado negativo, a inexplicável ausência de Chicão e a quantidade de gols perdidos pela William.

Com uma tabela teoricamente mais fácil pela frente, o Corinthians pode se aproveitar para retomar a liderança nas próximas rodadas e correr rumo ao título nesta reta final de campeonato. Futebol para isso, tem de sobra. Só não pode se complicar como fez na mesma sequência de jogos fáceis pelo primeiro turno.

Contando com a volta de Liedson, Emerson e a estreia de Adriano, o Corinthians se credencia de vez como favorito ao título, ao meu ver, ao lado do Vasco.

No final, ainda há esperanças.

E agora, Adenor?


E agora Adenor?

Qual será a desculpa? Falta de treinabilidade? De ofensibilidade? Vergonhanacarabilidade?

O Corinthians está jogando no lixo o título mais fácil de todos os tempos.

Um time que praticamente não sofreu com desfalques por lesão, convocações, não perdeu ninguém na janela, teve bons reforços, estava entrosado… como pode cair tanto de produção?

É nítido que o Corinthians não tem um padrão tático, uma jogada ensaiada, há muito tempo a equipe de Parque São Jorge não faz um gol de bola parada, principalmente pelo alto.

E a defesa então? O ponto alto do time sofre com a falta de confiança dos zagueiros, um goleiro ruim. O grande ponto forte da equipe agora é seu calcanhar de aquiles.

A tabela do campeonato é muito bondosa com o Corinthians, e permite a recuperação em 3 rodadas, quando há o confronto direto com o São Paulo, um jogo em casa contra o desfalcado Bahia, já que metade dos jogadores é do time paulista, e depois a decisão contra o Vasco, em São Januário.

Não dá mais para tropeçar, é tudo ou nada.

Mas quem confia no time do Tite?

Clássico entre Palmeiras e Corinthians agita o domingão

Na semana em que a Sociedade Esportiva Palmeiras completou seus 97 anos de história, a torcida palestrina, que há tempos está carente de boas notícias, tem um bom motivo para assistir a partida desse domingo, contra o Corinthians, às 16h, em Presidente Prudente, pelo Brasileirão.

Uma vitória sobre o maior rival seria um belo presente de aniversário e ajudaria a esquecer a eliminação precoce contra o Vasco da Gama pela Copa Sul-Americana . Mas do que isso, caso a equipe do Palmeiras vença o dérbi dessa tarde, significaria uma recuperação no Campeonato Brasileiro.

O time que durante boa parte do primeiro turno ficou no G-4 caiu de rendimento nas últimas rodadas (foram quatro empates em cinco jogos), caiu para a sexta posição (29 pontos) e está a oito pontos do Corinthians que é líder (dependendo do resultado do clássico, pode ficar com o título simbólico de campeão do primeiro turno).

Para o ídolo Marcos, só a vitória interessa. “Contra o Corinthians, também precisamos muito da vitória e temos que jogar da mesma maneira que jogamos contra o Vasco na vitória por 3×1. Se conseguirmos um bom resultado, daí acho que podemos pensar em algo maior no segundo turno”.

Mais polêmicas

Além de toda a rivalidade que o clássico carrega, outras polêmicas ajudaram a esquentar ainda mais o clima para o duelo: o atacante Kléber que teve divulgada pela Fiel uma ficha antiga de filiação, os treinadores Tite e Felipão, desafetos antigos e até mesmo problemas com arbitragens.

Histórico do clássico

No geral, Palmeiras e Corinthians já se enfrentaram 37 vezes pelo Campeonato Brasileiro. Foram 12 vitórias do Palmeiras (32 gols), 14 empates e 11 vitórias do adversário (33 gols).

Já os jogos do Palmeiras contra o Corinthians em Prudente foram pelo Brasileiro de 2009 (2×2, gols de Danilo e Maurício), Brasileiro 2009 (3×0, três de Obina), Paulista 2009 (1×1, Diego Souza), Rio-SP 1998 (4×2, Cris, Zinho, Roque Jr. e Alex), Paulista 1997 (2×2, Luizão e Viola) e Paulista de 1996 (3×1, Djalminha, Júnior e Célio Silva contra).

Previsão

O clássico tem tudo para ser um jogão. Os dois times precisam muito da vitória. O Corinthians porque quer o título do primeiro turno e o Palmeiras porque quer entrar no G-4 novamente. O treinador corinthiano inclusive já avisou que o time será escalado mais ofensivamente. Minha opinião é que o Palmeiras vence por 2×1.

Mas acima de tudo, o mais importante é que o jogo transcorra bem e que não haja violência entre as torcidas. É esperar para ver porque o domingo promete. E lembrando que às 19h30 estaremos ao vivo em mais uma edição do Em Cima da Linha para comentar e analisar os lances da rodada.

Parece que ninguém quer.

O Corinthians tá se esforçando para perder a liderança.

O Flamengo faz de tudo para não alcançar o tpo.

São Paulo e Vasco se dedicam à manutenção da posição intermediária.

O Palmeiras e o Botafogo não conseguem se aproximar.

Ninguém quer ser campeão brasileiro?

Nas rodadas finais do primeiro turno, vemos vários times derrapando e não conseguindo abrir vantagem perante os concorrentes. Muitos são os fatores, como desfalques por contusão, convocações da seleção brasileira e jogadores novos que ainda não entrosaram com o time.

Mas quem arrisca, a esta altura do campeonato, fazer uma previsão?

Quem pode dizer quem será o campeão brasileiro? Os classificados para a libertadores? O artilheiro do torneio?

Falando do Corinthians especificamente, o começo da tabela foi muito mais difícil, e a equipe abriu uma enorme vantagem. Quando pegou adversários mais fracos, perdeu a oportunidade de estar disparado na liderança.

Qual será a próxima surpresa pregada pelo time do professor Adenor?