Arquivo da tag: seleções

As camisas pesadas ainda entortam varal na copa do mundo

campeas-mundiais

Nessa copa do mundo de 2014 não tivemos nenhuma seleção que tenha se destacado 100% e atropelado todos adversários. Único time que não teve complicações sérias até aqui foi a Colômbia que ainda assim pegou um grupo C bastante fraco e um Uruguai derrubado pelo caso Suárez nas oitavas de final.

Porém, ainda assim vamos avançando as rodadas e o cenário continua o mesmo de outras edições anteriores de copa do mundo. As gigantes estão da mesma forma na disputa pelo título e os pequenos e médios vão caindo um a um ainda que os grandes tenham passado sufocos históricos e tenham contado com uma pitada absurda de sorte nos finais dos jogos.  Continue lendo As camisas pesadas ainda entortam varal na copa do mundo

Curiosidades – Seleção da Iugoslávia nos dias de hoje

Saindo um pouco dos jogos e grupos das copas(mas não totalmente), esse ano temos duas seleções de países que já fizeram parte da antiga Iugoslávia: Croácia e Bósnia-Herzegovina. E um assunto que as vezes surge quando se vê esses times jogarem(e depois de dois bons jogos de ambos inclusive), imagina-se como seria uma seleção se ainda os países fossem apenas um.

Fazendo uma pesquisa e análise das atuais seleções e retirando o que de melhor cada uma tem, pode-se chegar a conclusão que no mínimo o time seria um dos favoritos ao título da copa do mundo, dada a quantidade de bons jogadores espalhados entre os times.

Vamos então aos 23 selecionáveis e suas respectivas seleções
Goleiros:

Stipe Pletikosa(Rostov e seleção da Croácia)
Samir Handanovic(Inter de milão e seleção da Eslovênia)
Asmir Begovic(Stoke City e seleção da Bósnia)

Zagueiros:

Branislav Ivanovic(Chelsea e seleção da Sérvia)
Neven Subotic(Dortmund e seleção da Sérvia)
Nemanja Vidic(Manchester United e seleção da Sérvia)
Stefan Savic(Fiorentina e seleção de Montenegro)

Laterais:

Darijo Srna(Shaktar Donetsk e seleção da Croácia)
Aleksandar Kolarov(Manchester City e seleção da Sérvia)
Senad Lulic(Lazio e seleção da Bósnia)
Vedran Corluka(Lokomotiv Moscou e seleção da Croácia)

Meias:

Nemanja Matic(Benfica e seleção da Sérvia)
Luka Modric(Real Madrid e seleção da Croácia)
Ivan Rakitic(Sevilla e seleção da Croácia)
Miralen Pjanic(Roma e seleção da Bósnia)
Lazar Markovic(Benfica e seleção da Sérvia)
Ivan Perisic(Wolfsburg e seleção da Croácia)
Zvjezdan Misimovic(Guizhou Renhe e seleção da Bósnia)

Atacantes:

Goran Pandev(Napoli e seleção da Macedônia)
Mario Mandzukic(Bayern e seleção da Croácia)
Edin Dzeko(Manchester City e seleção da Bósnia)
Stevan Jovetic(Manchester City e seleção de Montenegro)
Mirko Vucinic(Juventus e seleção de Montenegro)
Convocação feita, ficou dividido assim os jogadores:

1 – Eslovênia
1 – Macedônia
3 – Montenegro
5 – Bósnia
6 – Sérvia
7 – Croácia

 

vamos a escalação:

Handanovic

Srna – Subotic – Vidic – Kolarov

Matic – Modric

Rakitic – Markovic

Dzeko – Mandzukic

Temos aí um dos melhores goleiros em ação no futebol italiano, tanto que na época que a Inter o contratou foi quem botou o Júlio César no banco.

Dois laterais que além de atacar bem, tem um chute muito potente, casos de Srna e Kolarov(apesar de defensivamente não serem tão bons).

A zaga é até difícil escolher, pois além dos dois, temos o Ivanovic que vem em ótima fase no Chelsea, porém o Vidic pela experiência e o Subotic pela dupla que faz com Hummels, estão um pouco à frente

Meio bem ofensivo, com apenas o Matic como volante de contenção, o Modric mais recuado(função que faz muito no Real), além da revelação Markovic e do Rakitic, que fez uma campanha excelente com o Sevilla e é muito cotado no Barcelona na próxima temporada.

O ataque eu fui contra a regra geral(um atacante de velocidade e outro mais fixo) e coloquei os dois matadores em campo, pois ambos tem técnica suficiente pra conseguir jogar juntos. Caso não funcione, já tem pronto o Jovetic no banco, que sabe jogar muito bem pelas pontas, além de também fazer gols(vide as temporadas dele na Fiorentina).
A seleção fica equilibrada, tem peças de reposição, ou seja, consegue realizar substituições sem perder a qualidade, além do setor ofensivo letal.

Futebolisticamente falando é uma pena que tal seleção nunca venha a jogar junta, ainda sim é bem interessante ver como mesmo divididos, os países ainda conseguiram manter força.

Talvez uns discordem de quem coloquei, achem a escalação ruim ou mesmo lembrem de peças que possam ter me passado batidas(ou que eu simplesmente não quis escalar), mas fica valendo a curiosidade de ver como ficou essa seleção Iugoslava.