Arquivo da tag: real madrid

O fim dos vexames? O respiro de esperança italiano

Não, o futebol italiano não saiu da crise feia que se instalou, com a falta de grandes jogadores e a dificuldade de manter os bons valores que aparecem lá e até mesmo conseguir atrair outros, porém os resultados dessa semana, com a classificação da Juventus para as semifinais da UCL e da Fiorentina e Napoli, para as semifinais da UEL(e com possibilidade de final italiana), são um alento para um futebol que vinha de anos de vexames em competições européias.

Continue lendo O fim dos vexames? O respiro de esperança italiano

Fase de grupos Champions League: grupos A até D

Para os apreciadores do bom futebol, está em vias de começar a fase de grupos de Uefa Champions League 2014/15. Como não poderia deixar de ser, o Em cima da linha vai dar seu pitaco sobre os grupos, considerando favoritos e até possíveis surpresas. Começaremos com os grupos de A até D, que disputarão suas partidas nesta terça-feira 16.

Continue lendo Fase de grupos Champions League: grupos A até D

Melhores contratações do meio do ano – Parte 3

Chegamos aqui a última parte das contratações dessa janela de transferência. Chama muito a atenção o quanto o United gastou nesse período, muito em função da reformulação que o time vem passando. Sem dúvida foi um dinheiro alto, mas muito bem investido, pois trouxe 3 peças que irão qualificar absurdamente o elenco. Real por outro lado perdeu duas peças chaves da base campeã e ninguém sabe o porquê deixaram ir. Além deles, alguns outros times também merecem destaque.

(para você que não viu as primeiras matérias, pode conferir a primeira parte AQUI e a segunda AQUI)

Continue lendo Melhores contratações do meio do ano – Parte 3

Melhores contratações do meio do ano – Parte 2

Passada boa parte da janela de transferências e faltando pouco mais de uma semana para seu fim, trago agora a segunda parte das boas contratações realizadas nessa janela de transferências.

Nota-se claramente que nessa parte, temos menos nomes de impacto, ainda sim muitas ótimas contratações foram feitas.

(Você também pode conferir a primeira parte, clicando aqui)

Vamos então a elas:

Continue lendo Melhores contratações do meio do ano – Parte 2

Real Madrid, Barcelona, Bayern de Munique e a extinção do futebol brucutu

Daqui a pouco, ás 15h45, o time do Real Madrid entrará em campo para enfrentar o Sevilha pela final da Supercopa da Europa. Será a primeira partida do time merengue na temporada e a tão aguardada estreia de James Rodrigues e Toni Kroos.

O jogo não marcará apenas a estreia dos dois craques, possivelmente os dois melhores jogadores da última copa do mundo. A final será o enterro definitivo da posição de volante tradicional, contenção, marcação, o famoso brucutu. Continue lendo Real Madrid, Barcelona, Bayern de Munique e a extinção do futebol brucutu

Melhores contratações do meio do ano – Parte 1

Animados certamente pela copa do mundo(outros por desempenho ruim na temporada), os times saíram bem mais cedo as compras esse ano e contratações que normalmente se veria mais ao fim da janela(casos de Suaréz e James por exemplo) foram fechadas logo de cara, talvez possivelmente pelo fato de os clubes vendedores saberem que dificilmente teriam tempo hábil para trazer um substituto se engrossassem demais o jogo e acabaram por aceitar os valores oferecidos(que diga-se também não foram baixos).

Aqui as transferências dessa primeira parte que considero mais relevantes ou pelo menos aquelas que devem ser as boas contratações da próxima temporada:

Continue lendo Melhores contratações do meio do ano – Parte 1

Como a contratação de James Rodríguez resolve vários problemas do Real Madrid de uma vez só

jamesrodriguez4afp

Assim como aconteceu após a Copa de 2010, quando contratou dois dos destaques da competição (Özil e Khedira), o Real Madrid trouxe mais dois galácticos para se juntar à sua constelação.

Depois de Toni Kroos, meia/segundo volante alemão ex-Bayern de Munique e um dos melhores jogadores da Copa segundo a FIFA e enquete com torcedores, hoje foi a vez do colombiano James Rodríguez, ex-Monaco. O meia de 23 anos foi o artilheiro da Copa do Mundo e autor do gol premiado como o mais belo do campeonato, o que o credenciou como uma das principais estrelas da competição. Continue lendo Como a contratação de James Rodríguez resolve vários problemas do Real Madrid de uma vez só

As melhores transferências europeias – Parte final

Considerando que a terceira quinzena da janela foi praticamente nula(apenas duas transferências, que serão citadas aqui), o final foi como de costume movimentado, com algumas surpresas e negociações de última hora. Acredito olhando o término que muitos times pagaram por apostas e tentativas erradas, ficando a ver navios ou com resultados muito aquém do esperado(esses também em alguns casos comentarei na própria contratação), mas vamos a elas:

Bernard(Atlético-MG – Shaktar) – Ótima contratação do time ucraniano, que agora tem uma peça que pode repor a altura a perda do Willian na janela de janeiro, que não havia sido tão bem suprida com a chegada do Taíson, que não teve um encaixe tão bom no time. Pelo lado do jogador achei um negócio péssimo, ele tem futebol e qualidade para conseguir um centro maior, porém a pressa do Atlético e sua própria pressa(por parte de pais, empresários principalmente), não ajudaram em nada. A sorte dele é que o time é repleto de brasileiros, o que facilitará a sua adaptação, mas futuramente deve ter problemas quando quiser ir para outro centro, pois o Shaktar já é conhecido por endurecer nas negociações.

Luiz Gustavo(Bayern de Munique – Wolfsburg) – Um dos melhores jogadores do time na tríplice coroa e titular absoluto, foi dado como dispensável com a chegada de Guardiola ao time. Algo bem inexplicável considerando o bom desempenho do mesmo e sua qualidade como primeiro volante, sendo uma peça que dava muita segurança ao setor defensivo do time bávaro. Melhor para o time do Wolfsburg que levou um excelente jogador por uma quantia alta, mas que será recompensada, pois ele já provou tanto no time alemão como na seleção que pode ser um jogador muito valioso. Pior para o Bayern que fica sem uma boa opção no elenco para a posição.

Eriksen e Lamela(Ajax e Roma, respectivamente – Tottenham) – Peças contratadas para suprir a venda do Bale. O primeiro vinha sendo especulado em diversos times, graças as ótimas atuações no Ajax, sendo peça importantíssima do time holandês, tem tudo para encaixar bem nesse meio. Já o Lamela vem de uma temporada de destaque no time romano, tendo finalmente estourado e sido aquele jogador que muita gente esperava quando ele foi contratado. Chegou por um preço caro, mas deve valer o investimento. O Tottenham como um todo saiu-se muito bem no mercado, levou ótimas peças e boas revelações. Quando o time estiver mais entrosado, deve conseguir finalmente a vaga na Champions que vem batendo na trave nos últimos anos.

Eto’o e Willian(Anzhi – Chelsea) – O time inglês já estava bem reforçado, além de não ter perdido nenhuma peça relevante e termina a janela levando duas excelentes peças para o seu plantel. O primeiro foi especulado na Inter, que nada fez(e devia, pois precisa), já o segundo tinha tudo certo com o Tottenham e de última hora mudou de ideia(não aprovo esse tipo de comportamento, pois me passa a impressão de jogador sem palavra). O time agora tem o centroavante que queria e mais um meia para o já fortíssimo meio campo do time inglês. Certamente o melhor elenco da Inglaterra atualmente.

Mesut özil(Real Madrid – Arsenal) – Milagre!!! O time londrino tirou o escorpião do bolso e fez um investimento de real qualidade para seu time. Levou um dos melhores meias do mundo(talvez até seja o melhor) pagando um salgado valor de 50 Milhões de euros, mas que certamente valerá tão alto investimento, pois o meia trará um acréscimo de qualidade considerável ao time. Exceção a essa contratação, o time inglês teve mais uma janela de transferências patética, pois ficou namorando o Suaréz e perdeu muitas outras boas contratações. O time é desequilibrado, não tem boas peças ofensivas, não tem laterais de bom nível e falta reposição no elenco. Me impressiona o fato de o time estar todo ano na Champions, que parece ser mais por incompetência dos rivais do que méritos próprios, pois as apresentações do time tem sido pífias no âmbito continental. Talvez com o Özil as coisas melhores um pouco, porém só uma peça talvez não seja o suficiente…

Kaká(Real Madrid – Milan) – Certamente a idolatria do time e torcedores italianos com o jogador, fizeram eles esquecerem dos anos pífios dele no time espanhol, a grande quantidade de problemas físicos e que ele nem de longe lembra o craque decisivo que saiu em 2009. Trazer apenas ele e o Matri(que acho uma contratação mediana, então nem entrarei em detalhes sobre) é muito pouco para um time da grandeza do Milan. O time é fraco, tem apenas o diferencial de uma dupla jovem e muito qualificada de ataque(Balotelli e El Sharaawy), porém a defesa é muito fraca e o meio irregular e a chegada do brasileiro não deve servir para amenizar os problemas e dependendo do Kaká que chegar lá, pode se tornar apenas mais um dos tantos problemas do clube milanês.

Gareth Bale(Tottenham – Real Madrid) – A contratação que todos esperavam saiu e por um valor realmente absurdo: 100 milhões de euros!! Não sei realmente se ele fará valer tal investimento, mas isso pareceu mais uma contratação de “honra”, para compensar a perda do Neymar do que outra coisa. O time espanhol agiu de uma forma ridícula, ao desrespeitar o clube e ir direto ao jogador para força-lo a sair, além da pressão feita depois no próprio time, quando mesmo não o queria vender e acabou forçado pela própria pressão do atleta, que depois de tudo não queria mais permanecer. Acho esse tipo de atuação lamentável e devia haver uma regra que evitasse esse tipo de abordagem aos jogadores, até como uma forma de preservar o clube atual do mesmo, que muitas vezes acaba se vendo pressionado de todos os lados por conta desse tipo de atuação. Sobre o jogador, sem dúvida servirá para dar um desafogo ao Cristiano Ronaldo, já que de tempos, só ele que decidia para o time espanhol e agora tem uma excepcional companhia. O time ainda deixa a desejar na defesa(novidade…) e não tem dos centroavantes mais confiáveis, no entando com duas peças das melhores do mundo no seu setor ofensivo, talvez isso seja compensado.

Kevin-Prince Boateng(Milan – Schalke 04) – Negociação inexplicável, depois de ele ter sido o herói da classificação do time para a fase de grupos da Champions. Foi claramente vendido para dar espaço ao Kaká, mas considerando que ele é mais jovem e vinha em franca evolução, enquanto o outro já esteve no auge e agora só tende a decair, o negócio foi péssimo. Melhor para o time alemão, que conseguiu um excelente reforço para montar um meio campo muito bom junto com a revelação alemã Julian Draxler.

Fellaini(Everton – Manchester United) – Jogador de muito bom nível e destaque a tempos do time do Everton, acabou chegando mais como uma forma do time dizer que contratou alguém de nome, depois de uma janela inteira de recusas(casos de Fabregás, Thiago Alcântra por exemplo), novela Rooney muito mal conduzida. A gestão do Moyes no time começou de forma péssima, agora é ver se o time consegue manter o nível e o ritmo para essa temporada, pois os seus principais rivais(City e Chelsea) chegarão com elencos muito mais fortes, enquanto o dos diabos vermelhos teve pouco acréscimo, pois apesar da chegada do volante/meia, o time ainda carece de opções na defesa, o que pode ser determinante em momentos decisivos, como foi no ano passado, quando sua defesa acabou cedendo(exemplo no caso do jogo contra o Real Madrid). Mais um dos times que levaram mal o período de contratações, não soube aproveitar as boas oportunidades, acabou pagando caro de última hora e nem sequer levou tudo que precisava.

Mahmadou Sakho(PSG – Liverpool) – Estranhamente liberado, considerando que era uma peça importante do time francês, jogador chega para acertar a defesa do time de Liverpool. Muito bom volante, forte na marcação, deve cair como uma luva no time. O Liverpool não tem gastado muito e vem se remontando, mas nessa janela conseguiu o principal, que era manter o Suaréz e trouxe boas peças para a defesa(Touré e Sakho). Ainda está abaixo dos dois times de Manchester e do três Londrinos, porém essa diferença tende a diminuir nessa temporada.

 

Tendo sido essas talvez as movimentações mais relevantes do final da janela(houveram tantas outras, mas de pouco impacto), agora é aguardar o desenrolar das competições e ver se as peças contratadas farão juz ao investimento. Alguns times que comentei em especial nas contratações devem ter sérias dificuldades no ano e apesar de tantos outros terem gastado quantias astronômicas, não vejo nenhum supertime que possa despontar como franco favorito a uma Champions por exemplo… Atualmente devem ter cerca de uns 10 times nessas condições, principalmente aqueles que souberam aproveitar as oportunidades de contratar bons jogadores. Tantos outros gastaram demais e talvez não tenham prestado atenção no próprio elenco ao deixar várias pontas soltas, principalmente na defesa(é impressionante como muitos times esquecem o fato de que um time de futebol também tem setor defensivo). Agora é aguardar para ver.

La liga, o exemplo a NÃO ser seguido

Quando foi feito o novo acordo de televisão do futebol brasileiro, muitos ficaram preocupados que se repetisse o que ocorre na Espanha nos dias de hoje(o que ao meu ver aqui, se ocorrer, terá um número maior de clubes favoritos, dada a grandeza dos mesmo e a benevolência com as dívidas dos mesmo, mas esse não é o tema aqui) e que a curto prazo não parece que será resolvido.

Duas das mais caras transferências dessa janela, foram do Álvaro Negredo(27 milhões de euros) e Jesus Navas(30 milhões de euros) do Sevilla, para o Manchester City. Na Inglaterra eles se juntam a: David Silva, no próprio City, além de De Gea(United) Pepe Reina(Liverpool), Mata, Torres e Azpilicueta(Chelsea), Cazorla(Arsenal) como jogadores selecionáveis da Fúria.

Não é muito comum ver uma seleção de ponta como a Espanha(de ponta principalmente nos últimos anos) e um dos campeonatos que tinham a tradição de ser dos mais fortes e ricos, tendo uma debandada tão grande de bons nomes. Até nomes de menor expressão como Callejon e Albiol preferiram sair do país a continuar na Espanha.

Isso é o resultado prático da mudança nas negociações de cotas de tv, que ocorreu há alguns anos. Antes pode-se pegar as classificações finais do campeonato e se via outros times tirando Barcelona e Real Madrid dos primeiros lugares, tendo inclusive campeões diferentes(Atlético de Madrid, La Coruña e Valência tendo sido os mais recentes fora os dois), porém de uns anos para cá, a fonte dos outros times foi secando e o abismo que separa os demais das duas potências, chegou a níveis nunca antes vistos.

Havia equilíbrio, a distância dos campeões não era tão grande, porém nos últimos tempos beirou 20, até 30 pontos dos dois para os demais. Acabou tornando-se desinteressante até para os jogadores da seleção citados anteriormente, que não veem mais perspectiva de disputa estando em outro time, que não sejam Real e Barça.

O negócio “la liga” deixou de ser um dos campeonatos mais ricos e hoje perde em faturamento até para a Bundesliga, que é um campeonato mais “modesto”(exceção feita ao Bayern), mas que apesar de tudo tem muito mais equilíbrio(haja visto que mesmo com a diferença de faturamento dos times para o gigante bávaro, se voltarmos no mesmo período que na Espanha, encontraremos: Stuttgart, Werder Bremen, Borussia Dortmund, Kaiserslautern e Wolfsburg como campeões, alguns até mais de uma vez), justamente porque ninguém quer ver um campeonato que a única emoção que se tem é saber qual dos dois que ganham na disputa entre eles e ver os outros dezoito disputando para ver quem fica em terceiro, o “título” dos demais.

A situação chegou em um nível que recentemente os dois gigantes até aceitarão diminuir suas cotas, para aumentar a receita dos demais, como forma de retomar o equilíbrio, porém o estrago está feito já e a curto prazo não será desfeito. Alguns times definharam, como o La Coruña, que até por conta de ter um “patrono”, depois que a fonte secou foi sumindo e hoje está na segunda divisão, mesma situação que passou Villareal, semifinalista da Champions, que caiu e voltou agora.

Times como o Sevilla, que chegou a ser bicampeão da Copa da Uefa, ou Valência, que nesse século foi o único a quebrar a hegemônia dos dois, vivem agora momentos de ostracismo, o primeiro perdeu suas principais estrelas, o segundo esteve afundado em dívidas e agora que vem se recuperando. Dos demais o que tem a melhor situação é o Atlético de Madrid, mas mesmo ele ainda sim não tem um time à altura para competir com Real e Barça, ainda mais depois da perda do Falcão para o Mônaco.

Muitos acham que essa questão da cota está certa e que quem dá mais audiência deve receber muito mais, porém isso é só meia verdade: ele deve sim receber mais, porém times como o Real Madrid e Barcelona, tem muitas outras fontes de arrecadação e dependem menos das cotas de tv, do que times menores, ou seja o fato de eles receberem mais, mas não muito mais, para eles não muda em nada, eles continuarão a ter uma fortuna e poderão gastar muito mais que os demais, porém os outros recebendo muito menos, terão poucas condições de montar bons times e mesmo de segurar suas principais estrelas, tornando assim o campeonato como um todo, muito menos atraente, pois o maior atrativo de uma competição é ter muitos times em condição de candidatos ao título e não apenas dois.

A lição da Espanha está dada, pois por mais algum tempo, seu campeonato será um “escocês com grife”(escocês que ficou ainda mais precário com a falência do Glasgow Rangers), exemplo de como nenhum campeonato deve ser administrado se você almeja equilíbrio e atratividade para o mesmo. Uma pena, pois era dos mais interessantes campeonatos de se assistir, mas hoje em dia, está um tédio… interesse apenas nos duelos Real x Barça e para os brasileiros ver o desempenho do Neymar, o que é muito pouco para um campeonato do tamanho do espanhol e que tem a seleção campeã mundial.

As melhores transferências europeias – parte 1

Passado apenas 1/4 do período de transferências na europa, muitas contratações de impacto já foram feitas, inclusive aquela que era sempre a mais especulada nos últimos 3 anos: a transferência do Neymar, agora jogador do Barcelona. Tendo isso em vista, listarei aquelas que considero as melhores contratações até o momento:
Neymar(Santos-Barcelona) – Sem dúvida será a principal contratação dessa janela. Depois principalmente da excelente copa das confederações que realizou, muito se espera do mais novo companheiro do Messi e agora fica a expectativa de como serão os dois jogando juntos. Acredito que ele fará muito sucesso no Barcelona, mesmo com seu estilo que não combina tanto com o do time catalão, devem achar um meio termo para ele.

Götze(Dortmund-Bayern) – Uma das contratações mais polêmicas, pelo fato de quando foi anunciada. Atitude extremamente infeliz do jogador ao negociar com o rival do seu time na final da Champions e pior ainda não jogou a final alegando contusão(coisa que ainda tenho dúvidas), foi tudo feito da forma errada da parte dele, mas esse não é o foco aqui. O Bayern tem em mãos uma das maiores revelações alemãs dos últimos tempos, um meia atacante excelente, que junto com o Reus e Lewandowski(que por pouco não foi junto) fizeram do Dortmund um dos melhores times da Champions. Deve se encaixar fácil no meio campo do time alemão e dar ainda mais força ao já poderoso time bávaro.

Tevez(Manchester City-Juventus) – Um ótimo negócio do time italiano, principalmente pelo preço que pagou(apenas 10 milhões). O argentino é um jogador bem problemático fora de campo, principalmente por suas crises de saudade da Argentina, porém dentro de campo é o poder de fogo que faltava a Juve e junto com o Llorente(que chegou sem custos nesse meio do ano) devem compensar a fraqueza ofensiva do time, que sofreu com a irregularidade de seus atacantes durante a última temporada. Se tiver a cabeça no lugar, tem tudo para ser dos destaques do time na temporada, pois sempre que joga, se entrega em campo.

Mario Gomez(Bayern-Fiorentina) – O time de florença conseguiu das grandes contratações da temporada e também por um preço relativamente baixo(16 milhões) um dos grandes centroavantes dos últimos anos na europa, que acabou por oscilar nessa temporada por disptar posição com Mandzukic, mas que na temporada anterior havia sido um dos artilheiros da Europa, ao marcar 41 gols na temporada. Diversos times tem caçado jogadores que vejo muito abaixo dele(caso do Higuain por exemplo) e pagando um valor muitas vezes 2, 3 vezes maior e deixaram ele “esquecido” e a Viola pensando rápido, manteve a investida até conseguir dobrar o time alemão e levar o jogador. Apesar de não ser brilhante tecnicamente, é matador e deve encaixar bem com o estilo de futebol italiano, tendo tudo para ser dos artilheiros do calcio.

Isco(Málaga-Real Madrid) – Responsável principal pela excelente campanha do Málaga na Champions e pelas boas participações nos últimos campeonatos espanhóis, deve chegar para ser titular no Real, pois vem mostrando não só qualidade criativa como boa capacidade de finalização, tendo marcado muitos gols na última temporada. Apesar de caro(30 milhões) deve compensar o investimento feito nele.

Falcão Garcia(Atlético de Madrid-Mônaco) – Primeira contratação de impacto do novo rico europeu, o colombiano chega para ser a estrela maior da nova constelação que o magnata russo deseja montar no principado. Acredito sem dúvida que ele fez um retrocesso na carreira, pois ele tinha tudo para levar o time de Madrid a um patamar acima e diminuir ainda mais a diferença para os dois poderosos da Espanha, porém o valor absurdo pago por ele(60 milhões), além claro do grande salário o fizeram repensar a carreira. Ele terá de torcer para um rápido entrosamento de todos reforços que o time contratar, pois do contrário ele acabará desperdiçando a chance de disputar grandes títulos, coisa que ele tem futebol para conseguir(vejo ele atualmente apenas atrás do Messi e C.Ronaldo como melhor atacante do mundo).

Jesus Navas(Sevilla-Manchester City) – Dos melhores jogadores espanhóis no setor ofensivo, vin sofrendo com o fraco time do Sevilla campanhas apenas medianas, sem chance de disputar de igual com os grandes do país, acertou ao trocar de time. Com a debandada de atacantes do time(Tevez e Balotelli), chega para ser titular e voltar a disputar títulos, coisa que se tornou um passado distante do time do Sevilla.

David Villa(Barcelona-Atlético de Madrid) – Pechincha da temporada até o momento, pois por apenas 5 milhões o Atlético levou o substituto do Falcão. Jogador de grande qualidade, que sofreu muito com lesões no último ano, mas que com um time que jogue mais em função dele no ataque, deve voltar aos bons tempos de Valência, pois qualidade para isso ele tem. Apenas acredito que o time deva se reforçar mais, pois ele ainda está muito abaixo de Real e Barça.

Mkhtarian(Shaktar-Dortmund) – Contratado como substituto de Götze, o jogador Armênio tem tudo para dar certo no time alemão. Na última temporada, ele que joga como meia foi artilheiro do time no ucraniano marcando 25 gols em 29 jogos. Não tem a mesma velocidade criativa do alemão, porém compensa sendo muito mais decisivo ofensivamente e marcando muitos gols. Deve mudar um pouco o estilo de jogo do time, porém tem totais condições de manter a força do mesmo.

Paulinho(corinthians – Tottenham) – Cobiçado por muitos gigantes europeus, acabou optando pelo time inglês, que vem tentando retomar seu papel de protagonista e sem dúvida acertou na contratação desse que tem futebol para ser dos melhores volantes do mundo. Marca bem, sabe sair com a bola e principalmente é um elemento surpresa quase sempre fatal, tanto chegando para finalizar com boa precisão, como em bolas paradas com cabeceios perigosos. Conquistou com todo mérito a posição de titular na seleção e com o que vem jogando tem tudo para mantê-la. No clube inglês deve se adaptar bem ao estilo de jogo da Premier League. Se puder jogar com o Bale(que vem sendo especulado em meio mundo) pode ser um dos pilares na busca do Tottenham pelo seu retorno a Champions League.
Ao final do segundo quarto, colocarei novamente aquelas transferências de mais impacto ou mais relevância no mercado europeu.