Escolha uma Página

Virada… de novo?

Terminou o Campeonato Brasileiro e conforme citei no post anterior sobre o tema, tivemos como punidos por sua incompetência Vasco e Fluminense com mais uma queda para a segunda divisão, o Flu com sua terceira e o Vasco com a segunda em menos de 5 anos.

Depois da mudança do formato para pontos corridos, muitos times do grupo dos “grandes” já caíram: Palmeiras, Botafogo, Corinthians, Vasco, Grêmio, Atlético-MG e todos cumpriram com sua obrigação, fruto da sua incompetência, ou seja: caiu, suba dentro de campo, porém esse ano, com a queda de dois cariocas, parece que resolveram reviver os tempos de várzea, canetadas, amadorismo e bandidagem da CBF.

Tenho acompanhado tudo isso com certa perplexidade e muito desgosto, pois não tem coisa pior do que ver times que tem administrações péssimas, quererem usar de artifícios extremamente suspeitos para conseguirem corrigir os erros que já estão tão visíveis na esfera esportiva.

Primeiro vejamos o caso vascaíno: o time pleiteia a anulação de um jogo por conta de 13 minutos além do tempo regulamentar de espera. Dentro de campo, eles “somente” perderam por 5 a 1, ou seja foram massacrados, porque o time é um lixo e dentro de campo nunca que conseguiria a salvação. Esse atraso se deveu ao fato de esperarem as ambulãncias retirarem os feridos de dentro de campo.

Agora analisando a coisa mais a fundo: quem não garante que esses “torcedores” que arrumaram confusão não foram pagos pelo próprio Vasco para fazerem isso? Justamente com o intuito de anular o jogo e pleitear os pontos? É bem sabido a relação suspeita entre organizadas e clubes de futebol, então dentro de toda essa sujeira, eu não descartaria essa possibilidade…

Agora o pior dos casos, o do Fluminense. Ele acusa a Portuguesa pela escalação de um jogador de forma irregular, pedindo a punição com a perda dos pontos e consequente rebaixamento do time paulista para a série B. Olhando a coisa de forma fria, poderia se dizer: está na lei, não tem o que fazer, porém a coisa não pode ser vista de forma tão simplória…

Vamos analisar alguns aspectos sobre tudo isso:

1 – a Portuguesa já estava salva, apesar de matematicamente poder ainda cair, precisaria que fosse tirada uma diferença de 11 gols de saldo em uma rodada e que Vasco, Coritiba e Cricíuma vencessem, ou seja, as chances eram remotas.

2 – o jogador em questão sequer era titular, não era peça chave e nem ao menos era necessário que ele fosse escalado

3 – o time poderia até mesmo perder q não seria rebaixado, por quê arriscaria algo tão desnecessário?

4 – diversas vezes jogadores foram punidos e fizeram uso de efeito suspensivo, enquanto era julgado seu recurso, por que dessa vez isso não ocorreu?

5 – o tratamento que vem sendo dado é o de time condenado, quando nem sequer foi julgado o mérito do recurso da suspensão do jogador, ou seja, ele foi punido sem direito a recurso, quando tantos outros fazem uso disso por que? O fato de haver um time do rio diretamente beneficiado é apenas uma infeliz coincidência? Duvido…

6 – querem punir o Flamengo da mesma forma, apenas como forma de dar um “cala boca” dizendo que a regra vale para todos, no entando isso será feito apenas pelo fato de que o time rubro negro não vai cair com essa perda de pontos…

7 – o recurso do Vasco foi prontamente negado, mas se formos analisar de uma forma mais profunda, isso tem uma razão: os pontos pleiteados pelo Vasco, o levariam aos 47 pontos, que o salvaria do rebaixamento. A Portuguesa com 44 seria uma das rebaixadas e quem seria o outro? Flamengo, que com a punição no mesmo caso da Lusa, cairia para 45 pontos, ficaria também atrás do Fluminense e cairia. Coincidência? Muito improvável, ainda mais quando se trata de um time como o Flamengo.
Tudo isso pode parecer uma grande teoria da conspiração, porém quando se olha bem a fundo, nota-se que todos fatos se encaixam perfeitamente, em especial o último, tratando do Flamengo, o time intocável quando se trata de casos assim…

O futebol carioca hoje em dia é o próprio retrato do que se tem de mais obsoleto, arcaico e retrógrado no futebol brasileiro, não por acaso a sede da CBF também está entre eles…

Os times lá não agem com responsabilidade fiscal, sempre gastam muito mais do que arrecadam. Tem o Flamengo com a maior dívida do Brasil de forma disparada, tem um Vasco quem nem água paga, Fluminense e Botafogo com salários atrasados. O time das laranjeiras inclusive nem um centro de treinamento adequado tem, vide o que foi dito sobre presença de ratos no local há pouco tempo atrás.

Enquanto os clubes do resto do país buscam se profissionalizar, usar ações de marketing para ter uma arrecadação maior, fazer programas de sócio torcedor rentáveis e oferecendo um produto com mais qualidade, o que se vê lá são algumas tentativas feitas nas coxas, os times nem ligando para o seu marketing(vide a situação patética que foi o “marketing” que houve em volta do Ronaldinho Gaúcho no Flamengo).

Pessoas como Eurico Miranda ainda tem voz naquele futebol e ainda tem gente que acha q ele é a solução para algo, mais uma mostra do quão involuído está o futebol lá.

Vendo toda essa situação, não chega a ser tão inacreditável que isso tudo esteja vindo justamente de lá, o que é uma pena, pois os torcedores de lá não merecem ter um futebol tão amador e incompetente como o que lhes é oferecido, ainda mais com clubes de tanta tradição, que tantos craques tem em sua história, mas que pararam no tempo e ainda vivem na época onde se dá “jeitinhos” para incompetência.

Agora é esperar e torcer para que o time que caiu no campo, suba no campo.

Primeiro empate, mas um bom sinal.

Primeiro empate, mas um bom sinal.

O primeiro jogo que pude ver de fato do Palmeiras, teve um resultado que apesar de não ser grandes coisas(um mero empate jogando em casa), não pode ser considerado de todo ruim, pois a Portuguesa atual, nem de longe lembra aquele time bagunçado do paulistão passado(nesse ritmo deve fazer bom papel no paulista e copa do brasil, mas não vem ao caso), porém não dá pra dizer que foi de todo ruim o jogo de ontem.

A partida acabou por ser bastante equilibrada, pois a Portuguesa segue o estilo de jogo que marcou sua campanha na série B: com toques rápidos, ofensividade e contra ataque geralmente em velocidade, então até aí nada de novo, porém o Palmeiras diferente do ano passado, está jogando com a bola no chão, pensando as jogadas. O chuveirinho na área sem dúvida continua sendo uma arma poderosa(Marcos Assunção por sinal completou 100 jogos na quarta), mas principalmente graças ao Valdívia, que dá um toque de qualidade no meio que o Palmeiras não tinha praticamente ano passado, o time consegue organizar jogadas a partir de lances do camisa 10. O maior problema em especial no primeiro tempo, era a presença da nulidade chamada Tinga no time titular. Nada pessoal contra ele, porém o futebol dele desde que chegou no Palmeiras, é algo sofrível e nem dá pra alegar que foram falta de oportunidades, pois ele sempre entra em campo e joga com muita frequência(para desespero dos torcedores).

O segundo tempo veio e um alento! Tinga saiu e entrou o Maikon Leite. Aqui devo dizer que apesar de gostar do estilo de jogo dele, ontem ele abusou de ser fominha, cansou de tentar arriscar jogadas onde haviam companheiros melhor posicionados. Apesar da melhora do Palmeiras, quem saiu na frente foi a Lusa, com uma falha da zaga, o Maylsom abriu o placar. A etapa complementar foi marcada pela estréia do camarão que mais parecia um peixe-boi: Daniel Carvalho. Estranho como são as coisas, quando o via na seleção, até em partidas do CSKA, pensava: um cara desses no meu time, ia dar jeito, já hoje em dia, apesar da pouca idade dele(tem apenas 28 anos), tenho sérias dúvidas do que de fato esperar dele: o cara tem anos q vem brigando com a balança, apesar de um segundo turno do brasileiro relativamente bom, é uma incógnita saber se ele será aquele jogador do fim do ano ou aquele que nada fez nos últimos 2 anos, só jogou com o nome.

Apesar de tudo isso contra, foi dele o passe para o Maikon Leite(que apesar de alguns lances fominhas, foi o cara que deu outra movimentação ao time) que foi pela linha de fundo e passou para o Ricardo Bueno empatar e dar números finais a partida.

Depois de tudo que vi, posso dizer que apesar de ainda ser começo de temporada e o time ainda ter muito para se ajeitar, apenas o fato de ver que o time joga com a bola no chão ao invés de jogar a base de cruzamentos e nada mais, já é um alento, porém mantenho minha posição que com Ricardo Bueno(que não foi tão sofrível como de costume, mas ainda sim acho muito, mas muito fraco) e Fernandão como opções, o Palmeiras não irá muito longe, pois continuam a faltar reposições.

Em tempo: estão dizendo que deve vir um tal de Artur do São Caetano. Não faço ideia de quem seja, ou como joga, porém é estranho quando uma diretoria diz que trará “4 camarões”, trazer apenas 1(considerando que o Barcos o seja), mas com essa diretoria esperar alguma ação mais audaciosa é querer demais, quando sequer um patrocínio eles conseguem arrumar(apenas como informação: dizem que existe a possibilidade da JAC motors ser o novo patrocinador, porém isso surgiu e logo caiu no esquecimento)