Arquivo da tag: pato

Como fazer os bons jogadores do Brasileirão brilharem?

Que nós brasileiros atravessamos uma entre-safra absurda de craques de futebol não nos resta dúvida.  Mas ainda assim estamos com grandes dificuldade de fazer até mesmo com que os bons jogadores, e possíveis craques, rendam o que podem, ou teoricamente poderiam produzir dentro de campo.

Continue lendo Como fazer os bons jogadores do Brasileirão brilharem?

Futebol nacional: a verdadeira Ferrari sem motorista

“O lucas é como uma Ferrari sem motorista”, com esse comentário bastante infeliz, que vemos a atual situação das revelações do futebol nacional: mimados, mal acessorados e rodeados de aproveitadores.

A última semana no caso do Lucas, foi a clara prova disso. Ele após ser criticado, saiu reclamando no twitter(a nova moda entre os birrentos) dizendo que tudo que fazia estava errado e pra piorar no jogo seguinte, faz exatamente o contrário, justamente pra provocar o Leão, ficou tocando cada vez que pegava a bola e ainda diz na saída que “apenas fiz o que mandaram”. Não acredito de fato que ele seja tão burro a ponto de não saber distinguir o momento de passar e de avançar com a bola, porém quem está por trás dele(principalmente empresário, acessores, e essa corja que virou figura presente entre todas novas revelações) faz ele acreditar que é muito mais do que ele é no momento. Ele é um jogador com ótimo potencial, mas sendo tratado como aquele que não erra, nunca vai evoluir e corrigir os erros(e no momento ainda são muitos) que ele tem. Desnecessário de dizer que o empresário dele é o Wagner Ribeiro e o histórico dele diz tudo…

O pior de tudo é ver esse novo pessoal estragando a carreira de diversos jogadores. Outro bom exemplo é o Ganso, outro que entrou em rota de colisão com o Santos por conta da ex-parceira do time da vila, a DIS. Já criou intriga pra sair do time, já foi vendido pra meio mundo, já pressionou a direção por valorização e tudo que ele ganhou foi um abalo na carreira. Hoje em dia ele tá retomando a boa fase, mas tão real é o fato de que deu uma esfriada nesse suposto interesse de meio mundo, é que apenas o Porto recentemente manifestou algum interesse. Pouco para quem há menos de um ano, era cotado pra uma tranferência milionária para o Milan.

Tem o Oscar, que fez todo aquele escarcéu por conta do tal contrato irregular e quase que jogou no lixo sua carreira, também por ser mal acessorado no caso. Sua sorte é que ele se reencontrou no Internacional e atualmente é titular e destaque do time gaúcho(ironicamente o jogador que mais faz falta ao time do São Paulo).

Outros casos são aqueles de quando o jogador sai novo demais, casos do Philippe Coutinho, que antes de completar 18 anos já era atleta da Inter de Milão, tendo permanecido aqui até os 18 e depois com um empréstimo de seis meses até o fim da temporada européia. Chegou cedo demais, acabou não rendendo o que se esperava dele, se machucou, perdeu espaço e agora está esquecido no Espanyol. Caso parecido com o do Alexandre Pato, que para muitos era o novo “camisa 9” da seleção, chegou até a ter momentos bons no Milan, porém se machucou em excesso(possivelmente culpa da sua saída precoce daqui, pois lembremos que, o tratamento dado a base deles é diferente do daqui, o que explica que geralmente jogadores que vão pra Europa jovens e ganham massa muito rápido sofrem com problemas físicos, como Kaká e Ronaldo por exemplo) e agora o time italiano quer ver-se livre o quanto antes dele.

Para finalizar aqueles jogadores que saem pra qualquer lugar, apenas pela boa proposta e chance de ganhar dinheiro e somem para o futebol, casos por exemplo de Taíson e Giuliano, que apareceram muito bem no Inter, foram rápido embora e agora estão esquecidos no futebol ucraniano.

Eu poderia ficar citando casos sem parar aqui, porém acho que esses, até por serem exemplos claros do que eu digo, mostram bem uma coisa: que estamos pagando por toda bagunça que virou a administração de futebol aqui. Essa já é a segunda geração que pode ir para o ralo, por conta desse amadorismo, é só ver no que deu a seleção promissora da época das olímpiadas de 2004, com Diego, Robinho, Daniel Carvalho, Wagner Love, entre tantos outros, onde só uns poucos se salvaram(caso do Daniel Alves por exemplo) e até incluir o Adriano, ex-imperador nessa conta, que na copa passada era para ser o destaque e veja aí  o que se deu dele…

Os jogadores daqui não tem nenhum preparo psicológico para lidar com a fama, muitos largam os estudos e quando um empresário não “compra” o jovem da sua família, ele é entregue de bandeja pelo clube, em troca de algum favor, ou algum jogador mais ou menos que esse empresário tenha. Ele chega ao profissional sem preparo, sem estrutura, acaba sendo vendido para qualquer lugar(já que seu empresário o vê como mercadoria e não como gente) e vemos diversos jogadores que poderiam ser a nova geração da seleção, parando pelo caminho, porque simplesmente não tem a menor estrutura emocional para suportar essa mudança na vida. Só ver o caso do Breno, que ateou fogo a própria casa, sabe-se lá porque e agora pode até acabar preso, acusado de fraude no seguro.

O caso do Neymar é a prova de que existe outra alternativa: ele vem sendo bem orientado, está mostrando muita tranquilidade em relação ao seu futuro, não tem pressa em sair do Brasil(fruto com certeza de um trabalho psicológico visando prepará-lo), aprendeu a lidar com o fato de ser uma estrela e a prova disso é o seu desempenho excepcional em campo. Parabéns a que cuida da carreira dele, pois o está fazendo bem feito.

A copa será daqui a apenas 2 anos e será que apenas com o Neymar teremos chance? Porque ele é o único que seguindo o caminho atual estará preparado para suportar a pressão, pois todos outros que eu citei(inclusive o Ganso, já que ele não se acerta no extra-campo) são meras incógnitas e mais do que isso, será que continuaremos a ver valores do nosso futebol sendo desperdiçados porque simplesmente eles esquecem que além da parte técnica, tem de preparar o cidadão jogador?

Pelo caminhar atual da coisa acho muito difícil que esse cenário mude, tanto a curto como a médio prazo.

 

Decepção: Brasil começa mal

Assim como a Argentina, o Brasil começou a Copa América frustando sua torcida. O empate em 0 a 0 contra a fraca Venezuela fez a seleção brasileira sair de campo vaiada pela torcida presente em La Plata.
Mesmo escalado para atacar – o time entrou em campo com Ganso, Robinho, Neymar e Pato -, o sistema ofensivo do Brasil simplesmente não funcionou. A equipe chegava ao ataque, mas faltava precisão nas definições. Já a Venezuela ficava recuada e quase não chegou ao gol de Julio Cesar.

O primeiro tempo ainda foi marcado por três lances curiosos:

1 – Após uma bela jogada do Brasil, que culminou com uma bola de Pato no travessão, um cachorro entrou no gramado e forçou a paralisação do jogo por alguns momentos.

2 – Robinho recebeu de Neymar e tocou na saída do goleiro, mas, antes que a bola entrasse, o zagueiro Vizcarrondo se jogou no chão e cortou com o ombro esquerdo. A equipe brasileira reclamou com o árbitro querendo penalidade máxima, mas o arbitro não marcou nada.

3 – Na saída do campo para o vestiário, o técnico da Venezuela, César Farias, tentou intimidar Neymar. Os jogadores e comissão técnica do Brasil, entre eles, o treinador Mano Menezes, foram defender o atacante e criou-se uma grande confusão.

Segundo tempo

Na segunda etapa, a seleção canarinho apresentou péssimo futebol e quase não conseguiu levar perigo ao gol venezuelano.
Para tentar resolver o problema das péssimas jogadas no ataque, o técnico brasileiro ainda fez modificações para tentar acertar o time. Colocou Fred, um atacante mais fixo na frente, e tirou Robinho, que deixou o campo sob vaias. Já Pato e Ramires foram substituídos por Lucas, do São Paulo e Elano.
Mas as substituições não surtiram efeito. O Brasil foi perdendo cada vez mais espaço e a Venezuela aproveitou para chegar à defesa brasileira com mais frequência. Entretanto, nenhuma das equipes conseguiu abrir o marcador. Resultado: 0 a 0.
Com o placar final, ambas as equipes somam apenas um ponto no Grupo B, que ainda tem Paraguai e Equador. No próximo sábado, às 16h (de Brasília), em Córdoba, a Seleção Brasileira enfrenta o Paraguai na segunda rodada da fase de grupos.

Confira a galeria de fotos do jogo: aqui