Arquivo da tag: Neymar

Dossiê futebol/seleção nacional – ciclo 2014

Depois de tudo, parando e analisando friamente o que ocorreu, vemos que o auge do vexame do futebol nacional, não é assim tão obra do acaso ou de “6 minutos de apagão” como disseram de forma até certo ponto ridícula o Felipão e o Parreira(que aliás continua sendo arrogante quando fala, tem-se a impressão que ele acha ser o único que entende de futebol, coisa que para mim nunca passou de um técnico comum com muita fama). Para entender melhor tudo o que aconteceu, farei um pequeno dossiê, começando pelo que houve nessa copa(ou seja, pelo meio), depois indo para o como o futebol e a seleção chegaram na atual situação e o que pode ser feito para sairmos dela, que nos moldes que está, tende somente a piorar.

Continue lendo Dossiê futebol/seleção nacional – ciclo 2014

A Copa de 2018 começa agora.

A Seleção Brasileira encerrou sua participação na Copa do Mundo de maneira melancólica na derrota por 3 a 0 contra a Holanda. Este Mundial embora tenha mostrado uma melhor colocação em comparação em relação às duas últimas Copas, mostrou uma seleção sem nenhuma consistência tática vencendo somente adversários sem tradição nenhuma no futebol (Croácia, Camarões, Chile e Colômbia) e tendo muita dificuldade com adversários com um pouco mais de história (México, Alemanha e Holanda).

Muitos erros foram cometidos nesta campanha, porém é preciso assimilar estes erros, corrigi-los e iniciar o planejamento para Copa de 2018. A atual seleção tem média de quase 28 anos (27,78), o que inviabiliza a continuidade de vários jogadores desta seleção que teriam mais de 30 anos na próxima Copa.

Para se pensar em uma seleção em condições de disputar as próximas Copas, faz-se necessário uma análise dos jogadores da atual seleção e das últimas seleções de base (olímpica e sub 20) para mesclar experiência e juventude.

Continue lendo A Copa de 2018 começa agora.

A vergonha

brasil

Sim, eu me enganei. pra variar

Escrevi aqui neste texto, antes do jogo que a seleção brasileira não passaria mais vergonha na copa, que sem o Neymar o time ia melhorar, que íamos para a final e mais um monte de coisa que agora sabemos não fazer mais sentido algum.

Como explicar a derrota de hoje? A humilhação? Como explicar o inexplicável? Continue lendo A vergonha

Duelo de campeões agitam as semifinais da Copa das Copas

De um lado, Brasil e Alemanha. Do outro, Argentina e Holanda.
Se já não bastasse o peso e a tradição das camisas, os quatro times que entram em campo pela disputa de uma vaga na final contam com uma bagagem bem recheada de troféus: são 10 títulos mundiais e 11 vice-campeonatos em campo.
No primeiro duelo, logo mais às 17h, no Maracanã, Brasil e Alemanha são responsáveis por oito títulos e mais seis vices.
Já as seleções da Argentina e da Holanda somam dois títulos mundiais e cinco vice-campeonatos.
E não para por aí. Esta é a primeira vez na história que as semifinais reeditam duas finais de Copas passadas.
Brasil e Alemanha entram em campo hoje para reeditar a final da decisão de 2002, que foi disputada em 30 de junho no Internacional Stadium, na cidade de Yokohama no Japão. Naquela ocasião, o Brasil venceu a Alemanha por 2–0, com gols do Ronaldo.
Coincidentemente, o outro jogo da semifinal entre Argentina e Holanda reedita a final de uma outra Copa: a de 1978.
A 11ª Copa da história foi disputada no país dos hermanos que ficaram com o título após vencer a Holanda por 3×1 na prorrogação. Vale dizer que nesta copa, o Brasil ficou em terceiro lugar.
E para encerrar as coincidências, outra disputa chama a atenção. Nesta Copa 2014, os quatro times que estão nas semifinais disputam acirradamente a artilharia da competição. Müller (Alemanha), Messi (Argentina) e Neymar (Brasil) marcaram quatro vezes cada e tentam (excluindo Neymar que está fora da Copa) alcançar o colombiano – já eliminado – James Rodríguez. Robben e Van Persie da Holanda estão logo atrás, com três gols cada.
Um pouco mais atrás e ainda na disputa, o brasileiro David Luiz e Hummels (Alemanha) com dois gols cada.
Apenas por este histórico já dá para ver que serão disputas bem acirradas. E que vença o melhor futebol.

Um Craque… Fora da Copa

As quartas de final fizeram mais uma vítima. Assim como na fase de grupos quando vimos o melhor do mundo (CR7) se despedir melancolicamente com apenas um gol e nas oitavas de final quando vimos o melhor goleiro da Copa (Howard) – com uma partida fora do comum – também se despedir do Mundial. Esta fase fez com que mais um craque desse “tchau” à competição.

Um craque de apenas 22 anos,  que veste a camisa amarela de número 10, responsável por 50% dos gols de sua equipe e que foi caçado pelos adversários em seu último jogo, mas ainda assim conseguiu fazer uma boa partida de despedida

Não, não estou “falando” de Neymar Júnior, que infelizmente também está fora da Copa, mas por contusão. Falo de James Rodrigues, craque colombiano, artilheiro da Copa com 6 gols e que foi apresentado ao mundo neste Mundial.

James já vinha despertando o interesse do mundo do futebol desde que jogou no Porto e principalmente por causa de sua última temporada pelo Mônaco – embora muitos digam que o campeonato francês é muito fraco e não pode ser usado como parâmetro.

Esta Copa revelou ao mundo um jogador diferenciado. Bom toque de bola, visão de jogo, goleador, aguerrido e um atleta que não se esconde em meio a marcação dura. Um dos grandes, para muitos o melhor da Copa.

James saiu de campo em lágrimas de tristeza, de frustração e de decepção por saber que poderia ter ido ainda mais longe.

É bem provável que o garoto termine o Mundial como artilheiro, pois tem 6 gols, e isto sirva a ele como um prêmio de consolação, mas o melhor de tudo foi o reconhecimento de seu talento por um outro gigante.

O abraço e as palmas de David Luiz para James revelam que naquele momento estávamos diante de dois gigantes do futebol. Um craque de bola (James) e um craque de bola e de caráter (David Luiz). Um esta fora desta Copa e o outro ainda tem dois jogos para entrar para história, mas isto é assunto para outra coluna.

Torço para que a Colômbia se classifique para o Mundial de 2018 na Rússia para apreciarmos ainda mais o talento de James Rodrigues.

Agressões x punições

A contusão e consequente saída do Neymar da copa do mundo, acabaram tomando muito mais os noticiários do que o jogo propriamente dito(por razões óbvias, diga-se) e nessa onda muita besteira tem sido dita e algumas reações completamente absurdas de torcedores por conta do acontecido. Resolvi então antes de analisar o jogo(o melhor do Brasil disparado na copa), comentar sobre o que houve.

Continue lendo Agressões x punições

Rivais do Brasil – Porque devemos nos preocupar(e muito) com a Colômbia

O Brasil custou, sofreu, chorou(literalmente e até demais para o meu gosto), mostrou um baita desequilíbrio, mostrou também uma ausência de ideias pra fazer o time jogar de uma forma diferente, tendo em vista o pífio desempenho nos 4 jogos… enfim tem tanta coisa pra se colocar aqui que eu gastaria tempo demais falando e esse não é o caso, pois aqui vou analisar o outro lado: a Colômbia.

Continue lendo Rivais do Brasil – Porque devemos nos preocupar(e muito) com a Colômbia

Contra Chile e “copa comprada”, Hulk e Júlio salvam Brasil

Termina o sofrimento brasileiro, finaliza-se a maldição de Mick Jagger(sim, para a tristeza de todos ele havia apostado no Brasil, talvez isso também explique o jogo sofrido) e a partidaça de dois dos jogadores mais cornetados do Brasil: Julio César(esse por mim inclusive) e o Hulk(jogador que considero injustiçado). Encerra também aquela babaquice de que “a copa tá comprada” com essa atuação no mínimo deplorável desse que é tratado como um dos melhores juízes do mundo, Howard Webb.

O Brasil que já havia feito partidas ruins nessa copa, hoje definitivamente se superou. Como esperado, o técnico sampaoli procurou anular o único jogador que realmente vinha fazendo algo no ataque do Brasil, o Neymar e mesmo sabendo que isso seria a coisa mais óbvia a se fazer, parece que o Felipão e o Parreira não pensaram em alternativas para isso, tanto que o setor criativo do Brasil era algo inexistente.

hulk

O único desafogo do ataque brasileiro vinha pelos pés do Hulk, que foi quem mais organizou as jogadas do Brasil(isso durante o jogo todo). O time achou praticamente um gol, pois já não vinha fazendo grande partida e depois disso praticamente deixou-se dominar pelo time chileno, que marcando pressão, exatamente como o Brasil fazia com essa mesma equipe, acabou por tomar um gol em um lance de total desatenção da defesa, onde alguém deixa o Alexis Sanchez livre para aparecer e chutar para empatar.

Após isso, o time brasileiro se desesperou e o que se viu foi o Chile muito mais perto da vitória, só não chegou graças a atuações defensivas excelentes(depois do gol claro) de Thiago Silva, David Luiz, Luiz Gustavo(que lamentavelmente está suspenso para o próximo jogo, grande preocupação para o time) e claro do Hulk que aparecia cobrindo os lados do Marcelo e Daniel Alves(que só para variar não jogaram bem na defesa, mas vale ressaltar que ao menos se esforçaram).

O setor ofensivo do time era algo inexistente, pois o Neymar bem marcado quase não aparecia, Oscar estava apático, Fernandinho sequer aparecia e o Fred… bom o Fred continua fazendo aquela copa de Fred: um cone inútil na frente, que não puxa marcação, não faz pivô, não chuta, não aparece de cabeça… afinal o que ele faz no time? Só quem criava algo e conseguia boas chances era… o Hulk!!! Além de aparecer bem na defesa, ele ainda chegava bem no ataque, tabelou, chutou de longe com perigo, cruzou, foi o faz tudo do time, inclusive participou de 2 lances que valem citação especial ao árbitro.

Sim a copa estava comprada, porém então alguém devia ter avisado esse juiz não acham? Howard Webb hoje teve uma atuação digna de se suspender ele pelo resto da copa… Apitou faltas no grito, deixou a porrada comer solta(só passou a marcar no fim do jogo, mas por conveniência, para truncar a partida) e ainda não deu um pênalti no Hulk e anulou um gol legal do mesmo(mais dois lances de destaque dele), que ele dominou com o ombro, porém para não se comprometer, ele disse que foi com o braço, além claro de aceitar cera sem compensar o tempo no final. Atuação absolutamente ridícula.

O fim do tempo normal e a prorrogação foram uma verdadeira tortura para os brasileiros, que viam o Chile muito mais perigoso, enquanto no time do Brasil as entradas de Jô(deus do céu…), Ramires e no início da prorrogação do Willian, serem totalmente improdutivas, pois os três em nada acrescentaram ao setor ofensivo insosso do time, que ainda contou com a sorte de a bola do atacante Pinilla bater na trave.

Chegaram então os pênaltis e a hora da consagração de outro jogador: Júlio César, que pegou dois pênaltis, sendo um deles do craque chileno Alexis Sanches. Quis o destino que o Hulk logo nesse momento errasse o pênalti, mas uma bola na trave garantiu a passagem do time para as quartas.

Analisando o futebol(ou a falta dele) que o Brasil apresentou nesse jogo e o grande futebol que a Colômbia apresentou contra a seleção uruguaia, é bom os jogadores e a comissão técnica repensarem o que tem feito, pois não vai ser todo dia que se vai ganhar jogando tão mal como foi hoje.

A primeira fase da copa em números

Terminou a primeira fase da copa do mundo e as fases finais estão batendo à porta, então vamos analisar alguns números sobre a copa, alguns até mesmo muito curiosos…

Até o momento tivemos:

48 jogos disputados
134 gols marcados

A marca é tão impressionante que as duas últimas copas terminaram com pouco mais de 140 gols (147 em 2006 e 145 em 2010) e isso que ainda teremos mais 16 jogos, chance de termos a melhor marca de gols em uma única edição de copa(que foi em 1998 com 171 gols), porém muito difícil de superar a melhor média que foi em 1954 com a média até certo ponto absurda de 5,4 gols por jogo(seria bom se os jogos tivessem tal média)

Gols por grupo(ordem de gols marcados):

Grupo B – 22
Grupo E – 19
Grupo G – 19
Grupo A – 18
Grupo C – 17
Grupo H – 15
Grupo F – 14
Grupo D – 12

Por muitas razões não me surpreende o fato do grupo D ser o com menos gols…

Gols por partida:

5 jogos 0 x 0
14 jogos com 3 gols
9 jogos com 4 gols
4 jogos com 5 gols
2 jogos com 6 gols
1 jogo com 7 gols (o 5 x 2 da França contra a Suiça, jogo com mais gols até agora)

A quantidade de jogos com 3 ou mais gols marcados chega a surpreender, haja visto que acostumamos a ver jogos sempre com aquele futebol retranqueiro onde o não perder é mais importante que o ganhar, espero que essa não seja uma tendência apenas para essa copa.
Artilheiros:

Messi, Neymar e Müller com 4 gols.
Van Persie, Robben, Benzema, Shaquiri, Enner Valência, James Rodrigues com 3 gols.

Destaque para os artilheiros, 9 jogadores com 3 ou mais gols sendo q apenas um está fora(Valência) faz aumentar as chances de que o artilheiro supere a marca da copa passada, que foi de 5 gols e quem sabe até chegue na de 2002, onde o Ronaldo fez 8 gols.
Piores ataques:
Camarões, Irã e Honduras 1 gol
Inglaterra, Grécia e Rússia 2 gols(isso só comprova o quão ridículas foram as campanhas dessas seleções e ter a Grécia classificada com essa marca é realmente lamentável…)

Melhores ataques:

Holanda 10 gols
Colômbia 9 gols
França 8 gols
Apenas para situar a seleção brasileira: tem o quarto melhor ataque com 7 gols, jutamente com Alemanha e Suiça.
Piores defesas:

Camarões 9 gols(o que eles vieram fazer afinal nessa copa?)
Honduras 8 gols(esses nem me surpreendem)
Portugal, Suiça e Espanha 7 gols

Surpreende só a Suiça aqui com tantos gols tomados, porém eu condiciono isso ao “fator Senderos” que ocorreu no jogo da França.

 

Classificados por continente(a américa colocarei como apenas um, incluso conmebol e concacaf)

8 americanos
6 europeus
2 africanos

Não há como negar que ver tantos americanos classificados nesse mundial chega a ser surpreendente, ainda mais se colocarmos que entraram 10 no total nessa copa(apenas Honduras e Equador foram eliminados na primeira fase).

Alguns dados que ilustram um pouco como foi a primeira fase e apenas comprovam algumas coisas óbvias como as boas campanhas de Colômbia e Holanda ou as campanhas ridículas de Camarões e Honduras, mas que apenas reforçam que essa vem sendo a copa do futebol ofensivo.

 

Neymar e Chicharito, “os caras” da última rodada do grupo A

O grupo A se encerrou segunda e Brasil e México garantiram suas vagas nas oitavas de final em primeiro e segundo respectivamente. A seleção brasileira passeou frente a mosca morta camaronesa, enquanto a mexicana teve muitas dificuldades até construir o placar que assegurou sua vaga. Vamos então aos jogos

Brasil 4 x 1 Camarões
Olhar para o placar desse jogo apenas soa extremamente enganoso sobre o que realmente foi a partida. O Brasil fez um primeiro tempo realmente desesperador, tanto que imagino que os técnicos de Holanda e Chile viam aquilo e pensavam: vai ser uma baba.

O time começou até fazendo alguma pressão, mas logo começou a tomar uns sustos de Camarões, que deu a impressão que parariam quando o Neymar(sempre ele) fez o primeiro gol, porém o que se viu foi exatamente o contrário. Camarões foi para cima, pressionou o Brasil, que nem ao menos conseguia sair com a bola, começou a ceder escanteio atrás do outro e pior, perdia todas as jogadas pelo alto(Thiago Silva e David Luiz, dois ótimos cabeceadores tomaram baile dos camaroneses). Tanto pressionaram que conseguiram o empate em um lance… de cabeça! Coube ao Neymar(alguma surpresa nisso?) colocar o time à frente de novo e dar certa tranquilidade para a saída do intervalo.

Paulinho continuava a ser a mesma nulidade de sempre, tanto que dessa vez finalmente saiu(aleluia!!!) e entrou o Fernandinho no lugar, o que melhorou consideravelmente o time, que conseguiu dominar Camarões(o que não é algo lá muito difícil, diga-se) e marcou mais dois gols, com o Fred(finalmente) e Fernandinho.

Exceção feita ao Neymar, que agiu como craque que é e foi decisivo quando o time precisou, ponto positivo a entrada do Fernandinho, que por mais que se diga que Camarões nesse caso não foi um grande paramêtro, o Paulinho nem mesmo contra eles conseguiu jogar, ou seja, com ele realmente houve um avanço. O problema é saber se o Felipão vai desempacar e aceitar que o time precisa de mudanças.

O Fred continua mal, porém nessa partida, diferente das duas primeiras, notou-se esforço dele em buscar jogadas, arriscar e não ficar só esperando bola no pé, tanto que até gol conseguiu marcar, mas ainda é muito pouco para o que se esperava dele.

A maior sorte do Brasil foi ter passado em primeiro e pegar o Chile, que apesar de ter um time muito bom, não tem jogadores como Robben e Van Persie, que considerando as duas avenidas que o Brasil tem nas laterais, iam fazer a festa sem dó. O técnico parece não enxergar ou finge que não enxerga, é algo realmente difícil de entender…

Pegar o Chile nas oitavas é positivo principalmente pelo mesmo clima que havia para o México quando enfrentou o Brasil: o retrospecto. O histórico de freguês dos chilenos frente ao Brasil é muito extenso e isso acaba sempre pesando na hora do jogo. Algo ainda sim deve ser ressaltado: de todas seleções chilenas que o Brasil enfrentou nos últimos anos e diria até nas últimas copas, essa é de longe a melhor, mais qualificada e com melhor jogo de equipe dentre todas, ou seja o jogo será duríssimo, pois eles tem um jogo coletivo consideravelmente melhor que o brasileiro.

Entrando o Fernandinho o time já terá corrigido um dos problemas, porém com apenas essa mudança, a seleção dependerá de mais um dia iluminado do Neymar para garantir a vaga as quartas. É muito pouco, porém atualmente é a melhor opção que se tem.
Croácia 1 x 3 México

Jogo bem duro para os mexicanos que até parte do segundo tempo sofreram muito com a pressão da seleção croata, que chegava, mas não conseguiu transformar a pressão em gols. Mandzukic, Rakitic e Perisic eram de longe os mais perigosos. Ochoa, como vem sendo rotina nessa copa, fazendo grandes defesas e o time ia segurando o empate aos trancos e barrancos.

Chicharito, foi o cara do jogo
Chicharito, foi o cara do jogo

Tudo então começou a mudar quando saiu o inoperante Giovani dos Santos(que vem jogando bem a copa, diga-se, mas nesse jogo mal pegou na bola) e entrou o Chicharito Hernández. Ele entrou bem demais, mudou o setor ofensivo do México, que passou a levar muito mais perigo ao gol de Pletikosa, que sofria com a velocidade que ele imprimia nos lances e em um escanteio Rafa Marquez finalmente fez. Depois foi só ampliar com Guardado e o próprio Hernández que também deixou sua marca(merecido) e Perisic só pode comemorar(se é que há algum motivo para isso) por ser o primeiro a vazar o até então invicto Ochoa.

Considero essa uma classificação até surpreendente, pois o México não chegou bem na copa, veio de uma eliminatória(que posso dizer gentilmente) patética, porém fez 3 jogos excelentes na primeira fase, superando inclusive aquela que eu considerava o time mais bem montado até então, que era a seleção croata. Superou eles na capacidade de ser mais eficiente, pois apesar de o time croata durante boa parte do jogo ter sido o time mais perigoso, o selecionado mexicano foi sem dúvida muito mais objetivo ao não desperdiçar as chances que teve e conseguir assim uma merecida classificação.

Agora pegam a seleção holandesa como grandes azarões, porém em nenhum momento podem ser menosprezados, pois já mostraram nessa copa que se forem subestimados, podem surpreender a acabar passando por cima e levando a classificação(apesar de que eu considero que a Holanda passa, mesmo que com alguma dificuldade, por eles).