Arquivo da tag: #Müller

Duelo de campeões agitam as semifinais da Copa das Copas

De um lado, Brasil e Alemanha. Do outro, Argentina e Holanda.
Se já não bastasse o peso e a tradição das camisas, os quatro times que entram em campo pela disputa de uma vaga na final contam com uma bagagem bem recheada de troféus: são 10 títulos mundiais e 11 vice-campeonatos em campo.
No primeiro duelo, logo mais às 17h, no Maracanã, Brasil e Alemanha são responsáveis por oito títulos e mais seis vices.
Já as seleções da Argentina e da Holanda somam dois títulos mundiais e cinco vice-campeonatos.
E não para por aí. Esta é a primeira vez na história que as semifinais reeditam duas finais de Copas passadas.
Brasil e Alemanha entram em campo hoje para reeditar a final da decisão de 2002, que foi disputada em 30 de junho no Internacional Stadium, na cidade de Yokohama no Japão. Naquela ocasião, o Brasil venceu a Alemanha por 2–0, com gols do Ronaldo.
Coincidentemente, o outro jogo da semifinal entre Argentina e Holanda reedita a final de uma outra Copa: a de 1978.
A 11ª Copa da história foi disputada no país dos hermanos que ficaram com o título após vencer a Holanda por 3×1 na prorrogação. Vale dizer que nesta copa, o Brasil ficou em terceiro lugar.
E para encerrar as coincidências, outra disputa chama a atenção. Nesta Copa 2014, os quatro times que estão nas semifinais disputam acirradamente a artilharia da competição. Müller (Alemanha), Messi (Argentina) e Neymar (Brasil) marcaram quatro vezes cada e tentam (excluindo Neymar que está fora da Copa) alcançar o colombiano – já eliminado – James Rodríguez. Robben e Van Persie da Holanda estão logo atrás, com três gols cada.
Um pouco mais atrás e ainda na disputa, o brasileiro David Luiz e Hummels (Alemanha) com dois gols cada.
Apenas por este histórico já dá para ver que serão disputas bem acirradas. E que vença o melhor futebol.

Rivais do Brasil – O duelo dos titãs das copas

Depois de alguns adversários razoáveis e das duas gratas surpresas sul americanas, o Brasil finalmente irá encarar uma seleção de peso na copa do mundo e para compensar o que não encarou antes, será “apenas” uma seleção que se equivale a seleção em tradição nos mundiais: a Alemanha.

Continue lendo Rivais do Brasil – O duelo dos titãs das copas

A primeira fase da copa em números

Terminou a primeira fase da copa do mundo e as fases finais estão batendo à porta, então vamos analisar alguns números sobre a copa, alguns até mesmo muito curiosos…

Até o momento tivemos:

48 jogos disputados
134 gols marcados

A marca é tão impressionante que as duas últimas copas terminaram com pouco mais de 140 gols (147 em 2006 e 145 em 2010) e isso que ainda teremos mais 16 jogos, chance de termos a melhor marca de gols em uma única edição de copa(que foi em 1998 com 171 gols), porém muito difícil de superar a melhor média que foi em 1954 com a média até certo ponto absurda de 5,4 gols por jogo(seria bom se os jogos tivessem tal média)

Gols por grupo(ordem de gols marcados):

Grupo B – 22
Grupo E – 19
Grupo G – 19
Grupo A – 18
Grupo C – 17
Grupo H – 15
Grupo F – 14
Grupo D – 12

Por muitas razões não me surpreende o fato do grupo D ser o com menos gols…

Gols por partida:

5 jogos 0 x 0
14 jogos com 3 gols
9 jogos com 4 gols
4 jogos com 5 gols
2 jogos com 6 gols
1 jogo com 7 gols (o 5 x 2 da França contra a Suiça, jogo com mais gols até agora)

A quantidade de jogos com 3 ou mais gols marcados chega a surpreender, haja visto que acostumamos a ver jogos sempre com aquele futebol retranqueiro onde o não perder é mais importante que o ganhar, espero que essa não seja uma tendência apenas para essa copa.
Artilheiros:

Messi, Neymar e Müller com 4 gols.
Van Persie, Robben, Benzema, Shaquiri, Enner Valência, James Rodrigues com 3 gols.

Destaque para os artilheiros, 9 jogadores com 3 ou mais gols sendo q apenas um está fora(Valência) faz aumentar as chances de que o artilheiro supere a marca da copa passada, que foi de 5 gols e quem sabe até chegue na de 2002, onde o Ronaldo fez 8 gols.
Piores ataques:
Camarões, Irã e Honduras 1 gol
Inglaterra, Grécia e Rússia 2 gols(isso só comprova o quão ridículas foram as campanhas dessas seleções e ter a Grécia classificada com essa marca é realmente lamentável…)

Melhores ataques:

Holanda 10 gols
Colômbia 9 gols
França 8 gols
Apenas para situar a seleção brasileira: tem o quarto melhor ataque com 7 gols, jutamente com Alemanha e Suiça.
Piores defesas:

Camarões 9 gols(o que eles vieram fazer afinal nessa copa?)
Honduras 8 gols(esses nem me surpreendem)
Portugal, Suiça e Espanha 7 gols

Surpreende só a Suiça aqui com tantos gols tomados, porém eu condiciono isso ao “fator Senderos” que ocorreu no jogo da França.

 

Classificados por continente(a américa colocarei como apenas um, incluso conmebol e concacaf)

8 americanos
6 europeus
2 africanos

Não há como negar que ver tantos americanos classificados nesse mundial chega a ser surpreendente, ainda mais se colocarmos que entraram 10 no total nessa copa(apenas Honduras e Equador foram eliminados na primeira fase).

Alguns dados que ilustram um pouco como foi a primeira fase e apenas comprovam algumas coisas óbvias como as boas campanhas de Colômbia e Holanda ou as campanhas ridículas de Camarões e Honduras, mas que apenas reforçam que essa vem sendo a copa do futebol ofensivo.

 

Müller, nome de artilheiro

A briga pela artilharia da Copa do Mundo de 2014 tem um concorrente com nome de peso, Müller – Thomas Müller. Ele carrega o sobrenome do segundo maior artilheiro de todas as Copas com 14 gols, o também alemão Gerd Müller.

Gerd Müller foi artilheiro da Copa de 1970 com 10 gols e fez 4 gols no título alemão em 1974, ou seja fez seus 14 gols em apenas 2 Copas, diferentemente de Klose que fez 14 gols em 3 Copas (5 em 2002, 5 em 2006 e 4 em 2010) e de Ronaldo que fez 15 gols em 3 Copas (4 em 1998, 8 em 2002 e 3 em 2006) e teve atuações heróicas nas partidas de mata-mata na Copa de 1974, levando a Alemanha ao bicampeonato principalmente com dois gols na final.

O novo Müller, o Thomas, tem 26 anos, está em seu segundo Mundial (fez 5 gols em 2010), tem 3 gols – só na primeira rodada – nesta Copa, e já fez mais gols em Mundiais que jogadores muito mais badalados, como Messi (2 gols em Mundiais) e Cristiano Ronaldo (2 gols em Mundiais).

Muitos dizem, inclusive o velho Müller (Gerd) , que Thomas não só pode ser artilheiro desta edição como também se tornar o maior artilheiro de todas as Copas. Para que isto aconteça ainda neste Mundial, Thomas teria que fazer mais 6 gols nas partidas da Seleção Alemã. E é possível!

Se a Alemanha chegar à final ou à disputa do 3º lugar será necessário que Thomas Müller faça um gol em cada jogo para alcançar a marca histórica de 15 gols e o tornaria, provavelmente, artilheiro do Mundial com 10 gols.

Como Müller tem apenas 26 anos, mesmo que está marca não seja batida por ele neste Mundial, poderá ser alcançada no máximo em 2018 quando o atacante, se convocado, jogará seu terceiro Mundial.

Na disputa pelo título de maior artilheiro de todas as Copas, à frente de Müller está seu compatriota (mais ou menos porque é polonês de nascimento) Miroslav Klose que já conta com 14 gols, mas não é titular da seleção. No jogo contra Portugal – vitória de 4X0 – muitos acreditavam que Klose jogaria alguns minutos para pelo menos igualar a marca de Ronaldo, mas Joachim Löw (alemão com nome de português e que come meleca de nariz) não se comoveu com o clamor popular e deixou Klose no banco.

Thomas Müller é, sem sombra de dúvidas, um dos favoritos a artilharia desta Copa . Ele já tem 3 gols, e fez estes gols contra o adversário mais complicado do grupo (Portugal) e agora contra os adversários menos difíceis (Gana e EUA) deve ampliar este número.

Depois disto começa a fase eliminatória e aí deve enfrentar nas oitavas um adversário sem muita tradição (2º do grupo H), o que aumenta as esperanças de chegar a artilharia e quem sabe bater o recorde de 15 gols que pertence a Ronaldo ou ao menos alcançar Klose e seu xará Gerd Müller.

Se ele vai conseguir tudo isto? Não sei, mas uma coisa sei Müller é nome de artilheiro!