Arquivo da tag: Croácia

Neymar e Chicharito, “os caras” da última rodada do grupo A

O grupo A se encerrou segunda e Brasil e México garantiram suas vagas nas oitavas de final em primeiro e segundo respectivamente. A seleção brasileira passeou frente a mosca morta camaronesa, enquanto a mexicana teve muitas dificuldades até construir o placar que assegurou sua vaga. Vamos então aos jogos

Brasil 4 x 1 Camarões
Olhar para o placar desse jogo apenas soa extremamente enganoso sobre o que realmente foi a partida. O Brasil fez um primeiro tempo realmente desesperador, tanto que imagino que os técnicos de Holanda e Chile viam aquilo e pensavam: vai ser uma baba.

O time começou até fazendo alguma pressão, mas logo começou a tomar uns sustos de Camarões, que deu a impressão que parariam quando o Neymar(sempre ele) fez o primeiro gol, porém o que se viu foi exatamente o contrário. Camarões foi para cima, pressionou o Brasil, que nem ao menos conseguia sair com a bola, começou a ceder escanteio atrás do outro e pior, perdia todas as jogadas pelo alto(Thiago Silva e David Luiz, dois ótimos cabeceadores tomaram baile dos camaroneses). Tanto pressionaram que conseguiram o empate em um lance… de cabeça! Coube ao Neymar(alguma surpresa nisso?) colocar o time à frente de novo e dar certa tranquilidade para a saída do intervalo.

Paulinho continuava a ser a mesma nulidade de sempre, tanto que dessa vez finalmente saiu(aleluia!!!) e entrou o Fernandinho no lugar, o que melhorou consideravelmente o time, que conseguiu dominar Camarões(o que não é algo lá muito difícil, diga-se) e marcou mais dois gols, com o Fred(finalmente) e Fernandinho.

Exceção feita ao Neymar, que agiu como craque que é e foi decisivo quando o time precisou, ponto positivo a entrada do Fernandinho, que por mais que se diga que Camarões nesse caso não foi um grande paramêtro, o Paulinho nem mesmo contra eles conseguiu jogar, ou seja, com ele realmente houve um avanço. O problema é saber se o Felipão vai desempacar e aceitar que o time precisa de mudanças.

O Fred continua mal, porém nessa partida, diferente das duas primeiras, notou-se esforço dele em buscar jogadas, arriscar e não ficar só esperando bola no pé, tanto que até gol conseguiu marcar, mas ainda é muito pouco para o que se esperava dele.

A maior sorte do Brasil foi ter passado em primeiro e pegar o Chile, que apesar de ter um time muito bom, não tem jogadores como Robben e Van Persie, que considerando as duas avenidas que o Brasil tem nas laterais, iam fazer a festa sem dó. O técnico parece não enxergar ou finge que não enxerga, é algo realmente difícil de entender…

Pegar o Chile nas oitavas é positivo principalmente pelo mesmo clima que havia para o México quando enfrentou o Brasil: o retrospecto. O histórico de freguês dos chilenos frente ao Brasil é muito extenso e isso acaba sempre pesando na hora do jogo. Algo ainda sim deve ser ressaltado: de todas seleções chilenas que o Brasil enfrentou nos últimos anos e diria até nas últimas copas, essa é de longe a melhor, mais qualificada e com melhor jogo de equipe dentre todas, ou seja o jogo será duríssimo, pois eles tem um jogo coletivo consideravelmente melhor que o brasileiro.

Entrando o Fernandinho o time já terá corrigido um dos problemas, porém com apenas essa mudança, a seleção dependerá de mais um dia iluminado do Neymar para garantir a vaga as quartas. É muito pouco, porém atualmente é a melhor opção que se tem.
Croácia 1 x 3 México

Jogo bem duro para os mexicanos que até parte do segundo tempo sofreram muito com a pressão da seleção croata, que chegava, mas não conseguiu transformar a pressão em gols. Mandzukic, Rakitic e Perisic eram de longe os mais perigosos. Ochoa, como vem sendo rotina nessa copa, fazendo grandes defesas e o time ia segurando o empate aos trancos e barrancos.

Chicharito, foi o cara do jogo
Chicharito, foi o cara do jogo

Tudo então começou a mudar quando saiu o inoperante Giovani dos Santos(que vem jogando bem a copa, diga-se, mas nesse jogo mal pegou na bola) e entrou o Chicharito Hernández. Ele entrou bem demais, mudou o setor ofensivo do México, que passou a levar muito mais perigo ao gol de Pletikosa, que sofria com a velocidade que ele imprimia nos lances e em um escanteio Rafa Marquez finalmente fez. Depois foi só ampliar com Guardado e o próprio Hernández que também deixou sua marca(merecido) e Perisic só pode comemorar(se é que há algum motivo para isso) por ser o primeiro a vazar o até então invicto Ochoa.

Considero essa uma classificação até surpreendente, pois o México não chegou bem na copa, veio de uma eliminatória(que posso dizer gentilmente) patética, porém fez 3 jogos excelentes na primeira fase, superando inclusive aquela que eu considerava o time mais bem montado até então, que era a seleção croata. Superou eles na capacidade de ser mais eficiente, pois apesar de o time croata durante boa parte do jogo ter sido o time mais perigoso, o selecionado mexicano foi sem dúvida muito mais objetivo ao não desperdiçar as chances que teve e conseguir assim uma merecida classificação.

Agora pegam a seleção holandesa como grandes azarões, porém em nenhum momento podem ser menosprezados, pois já mostraram nessa copa que se forem subestimados, podem surpreender a acabar passando por cima e levando a classificação(apesar de que eu considero que a Holanda passa, mesmo que com alguma dificuldade, por eles).

Palpitômetro – Saldo grupo A e B

Terminada a primeira fase para os grupos A e B, chegamos ao momento de ver o saldo do Palpitômetro de ambos(em cima o palpite e embaixo o resultado do jogo).

Grupo A

Brasil Vence Croácia
Resultado – Brasil 3 x 1 Croácia

México vence Camarões
Resultado – México 1 x 0 Camarões

Brasil empata com México
Resultado – Brasil 0 x 0 México

Croácia vence Camarões
Resultado – Croácia 4 x 0 Camarões

Brasil vence Camarões
Resultado – Brasil 4 x 1 Camarões

Croácia vence México
Resultado – Croácia 1 x 3 México

Classificação final(palpite)

Brasil – 7 pontos
croácia – 6 pontos
México – 4 pontos
Camarões – 0 ponto

Classificação final(real)

Brasil – 7 pontos
México – 7 pontos
Croácia – 3 pontos
Camarões – 0 ponto

Análise dos palpites – Acerto de quase 100% nos resultados, porém a surpresa fica pela evolução mexicana, que está fazendo até agora excelente copa. Brasil fez o dever de casa e Camarões como esperado fez uma campanha patética.
Grupo B

Espanha empata com a Holanda
Resultado – Espanha 1 x 5 Holanda

Chile vence Austrália
Resultado – Chile 3 x 1 Austrália

Espanha empata com Chile
Resultado – Espanha 0 x 2 Chile

Holanda vence Austrália
Resultado – Holanda 3 x 2 Austrália

Espanha vence Austrália
Resultado – Espanha 3 x 0 Austrália

Chile vence Holanda
Resultado – Chile 0 x 2 Holanda

classificação final(palpite)

Chile – 7 pontos
Espanha – 5 pontos
Holanda – 4 pontos
Austrália – 0 ponto

Classificação final(real)

Holanda – 9 pontos
Chile – 6 pontos
Espanha – 3 pontos
Austrália – 0 ponto
Análise dos palpites – Holanda surpreendeu, muito em função da copa fabulosa até o momento que vem fazendo Van Persie e Robben, os diferencias da classificação e o que basicamente me derrubou nesse grupo. Espanha pífia e o Chile como esperado fazendo boa campanha, mas sem ser páreo para a Holanda. Austrália coitada sofreu nesse grupo.

Saldo dos jogos:

12 partidas

8 acertos

4 erros

Ochoa e Mario decisivos e Croácia a melhor do A

Terminada a segunda rodada do grupo A, vou comentar os jogos à parte, mas de cara vou fazer uma análise do que foi visto até agora(o que irá deixar os pachecos de plantão malucos), a conclusão de que a melhor seleção do grupo A é a… Croácia!!

Parace absurdo que o time que perdeu uma e ganhou outra seja o melhor? Talvez… porém é tudo questão de analisar;

Camarões – patético, nem vale comentar.

México – um bom time, defende bem e apesar de atacar com alguma qualidade, tem um repertório ofensivo um pouco limitado, talvez em função da péssima fase do Chicharito Hernandez.

Brasil – é o time do “toca pro Neymar”(na análise do jogo vou explicar melhor).
Analisando a derrota do time para a seleção brasileira, nota-se que o time jogou muito bem, foi um time que mesmo perdendo, sabia o que estava fazendo(não era aquela coisa de atacar de qualquer jeito) e certamente sentiu muito a falta do seu atacante Mandzukic(coisa que eu havia dito antes que era sorte do Brasil ele não jogar) e que já fez a diferença no jogo que participou. É sem dúvida nenhuma o melhor conjunto dos 4 times do grupo A, mesmo não tendo craques em todas posições, é o time mais organizado e que sempre sabe o que fazer com a bola nos pés.

Talvez não tenha vida tão longa na copa pelo cruzamento de grupos(Holanda e Chile estão jogando muito mais), porém não é nada impossível que em uma tarde feliz o time consiga ter uma vida ainda mais longa na copa.

Sobre a rodada:

Brasil 0 x 0 México

Jogo onde o goleiro Ochoa salvou a pátria mexicana, além do claro fato de que o México fez uma excelente partida(a história também já citada da dificuldade do Brasil com os mexicanos) e teve a chance de sair com a vitória em diversos momentos, porém dessa vez o Brasil contou com uma boa atuação de ambos jogadores de defesa, além de mais um bom jogo do Luiz Gustavo(jogador que vem salvando a pátria) o que de certa forma facilitou a vida do Julio Cesar, que quando foi exigido, mais uma vez rebateu a bola para o meio da área(fazendo juz a alcunha de “mão de pau”) deixando a torcida em pânico(menos em pânico certamente que a russa), porém sem grandes riscos justamente devido aos zagueiros que faziam boa cobertura desses lances.

Agora o problema da seleção brasileira(e ficando bem claro, em momento nenhum desmerecendo o ótimo jogo do México, porém baseado no que a seleção pode oferecer) é aquela sensação de que o time joga na base do “toca pro Neymar que ele resolve”, o que obviamente é muito, mas muito pouco.

Paulinho não vem jogando nada, teve duas atuações pífias, limitando-se a dar toquinhos de lado. Nem de longe lembra aquele dos tempos de Corinthians, onde ele só não era o melhor do Brasil porque o Neymar também estava aqui. O Fred pensa que é uma árvore, pois fica o jogo inteiro plantado, não vai buscar bola, não faz pivô, não se desmarca e a única vantagem dele é o fato de saber que para o seu lugar tem o Jô, que consegue ser ainda pior.

Outro ponto falho é o sistema defensivo capenga do Brasil, que tem dois laterais que atacam muito bem e defendem mal, o que lembra um bocado o time de 2002, que tinha o mesmo problema com o Roberto Carlos e o Cafú.

Por que não então montar o time mais ao estilo de 2002? Tirando o Paulinho e o Fred e colocando o Henrique e o Hernanes em seus lugares. Sim, vocês não leram mal, eu disse Henrique pelo fato de ele já ter feito isso no Palmeiras. Poderia ser o David Luiz, porém ainda prefiro ele na zaga ao invés do Dante(seria o Miranda caso ele tivesse sido convocado). E o Hernanes pelo simples fato de ele dar muito mais qualidade a saída de bola do time.

O time montado dessa forma teria uma defesa com 3 zagueiros que deixaria os laterais livres para atacar(o que eles fazem de melhor), teria uma saída de qualidade com Hernanes, um meia que seria o Oscar, que vem jogando bem, para ser o criador de jogadas e no ataque Neymar e Hulk, que dessa vez jogaria ao estilo que fazia no Porto, nos tempos que tinha como seu parceiro o Falcão Gárcia, onde tinha liberdade para chegar no ataque e chutar de longe(haja visto a quantidade de gols que ele fez nessa época), diferente do que faz agora, onde fica preso na lateral, mais preocupado em marcar do que atacar.

Problema maior disso é que seria mudar demais e a comissão técnica tem dois dos caras que menos mudam esquemas durante competição, são muito limitados nesse ponto, não tentam arriscar. Principalmente o Parreira, que muitas vezes passa a impressão de ser o cara que ajeita o esquema do time, principalmente no que diz respeito a manter ele insosso.

Considerando que minha ideia dificilmente será posta em prática, resta a torcida esperar que os jogadores resolvam jogar e que o Neymar decida todos jogos até o titulo, porque do jeito que vai, o time nem na final chega(pelo menos não com essa bolinha que tá jogando).
Croácia 4 x 0 Camarões

Depois de ser garfado sem dó pelo Nishimura, a seleção croata, contando com a volta de seu atacante Mandzukic, fez uma partida impecável e com dois gols dele, um de Olic e outro de Perisic, venceu com muita facilidade a seleção camaronesa, que ainda contou com o “gênio” Song, que com o time perdendo por 2 a 0 e precisando do resultado para ainda ter chances de classificação, agride o croata com um soco nas costas sem bola e é expulso, parabéns para ele por ser uma besta.

O time vai com moral para a última rodada também para uma partida um tanto quanto imprevisível contra o México, que ainda sim eu aposto na vitória croata, principalmente pelo bom futebol mostrado e pela ótima fase dos seus melhores jogadores, que diga-se, são melhores que os mexicanos.

Curiosidades – Seleção da Iugoslávia nos dias de hoje

Saindo um pouco dos jogos e grupos das copas(mas não totalmente), esse ano temos duas seleções de países que já fizeram parte da antiga Iugoslávia: Croácia e Bósnia-Herzegovina. E um assunto que as vezes surge quando se vê esses times jogarem(e depois de dois bons jogos de ambos inclusive), imagina-se como seria uma seleção se ainda os países fossem apenas um.

Fazendo uma pesquisa e análise das atuais seleções e retirando o que de melhor cada uma tem, pode-se chegar a conclusão que no mínimo o time seria um dos favoritos ao título da copa do mundo, dada a quantidade de bons jogadores espalhados entre os times.

Vamos então aos 23 selecionáveis e suas respectivas seleções
Goleiros:

Stipe Pletikosa(Rostov e seleção da Croácia)
Samir Handanovic(Inter de milão e seleção da Eslovênia)
Asmir Begovic(Stoke City e seleção da Bósnia)

Zagueiros:

Branislav Ivanovic(Chelsea e seleção da Sérvia)
Neven Subotic(Dortmund e seleção da Sérvia)
Nemanja Vidic(Manchester United e seleção da Sérvia)
Stefan Savic(Fiorentina e seleção de Montenegro)

Laterais:

Darijo Srna(Shaktar Donetsk e seleção da Croácia)
Aleksandar Kolarov(Manchester City e seleção da Sérvia)
Senad Lulic(Lazio e seleção da Bósnia)
Vedran Corluka(Lokomotiv Moscou e seleção da Croácia)

Meias:

Nemanja Matic(Benfica e seleção da Sérvia)
Luka Modric(Real Madrid e seleção da Croácia)
Ivan Rakitic(Sevilla e seleção da Croácia)
Miralen Pjanic(Roma e seleção da Bósnia)
Lazar Markovic(Benfica e seleção da Sérvia)
Ivan Perisic(Wolfsburg e seleção da Croácia)
Zvjezdan Misimovic(Guizhou Renhe e seleção da Bósnia)

Atacantes:

Goran Pandev(Napoli e seleção da Macedônia)
Mario Mandzukic(Bayern e seleção da Croácia)
Edin Dzeko(Manchester City e seleção da Bósnia)
Stevan Jovetic(Manchester City e seleção de Montenegro)
Mirko Vucinic(Juventus e seleção de Montenegro)
Convocação feita, ficou dividido assim os jogadores:

1 – Eslovênia
1 – Macedônia
3 – Montenegro
5 – Bósnia
6 – Sérvia
7 – Croácia

 

vamos a escalação:

Handanovic

Srna – Subotic – Vidic – Kolarov

Matic – Modric

Rakitic – Markovic

Dzeko – Mandzukic

Temos aí um dos melhores goleiros em ação no futebol italiano, tanto que na época que a Inter o contratou foi quem botou o Júlio César no banco.

Dois laterais que além de atacar bem, tem um chute muito potente, casos de Srna e Kolarov(apesar de defensivamente não serem tão bons).

A zaga é até difícil escolher, pois além dos dois, temos o Ivanovic que vem em ótima fase no Chelsea, porém o Vidic pela experiência e o Subotic pela dupla que faz com Hummels, estão um pouco à frente

Meio bem ofensivo, com apenas o Matic como volante de contenção, o Modric mais recuado(função que faz muito no Real), além da revelação Markovic e do Rakitic, que fez uma campanha excelente com o Sevilla e é muito cotado no Barcelona na próxima temporada.

O ataque eu fui contra a regra geral(um atacante de velocidade e outro mais fixo) e coloquei os dois matadores em campo, pois ambos tem técnica suficiente pra conseguir jogar juntos. Caso não funcione, já tem pronto o Jovetic no banco, que sabe jogar muito bem pelas pontas, além de também fazer gols(vide as temporadas dele na Fiorentina).
A seleção fica equilibrada, tem peças de reposição, ou seja, consegue realizar substituições sem perder a qualidade, além do setor ofensivo letal.

Futebolisticamente falando é uma pena que tal seleção nunca venha a jogar junta, ainda sim é bem interessante ver como mesmo divididos, os países ainda conseguiram manter força.

Talvez uns discordem de quem coloquei, achem a escalação ruim ou mesmo lembrem de peças que possam ter me passado batidas(ou que eu simplesmente não quis escalar), mas fica valendo a curiosidade de ver como ficou essa seleção Iugoslava.

Grupo “A”rbitro, em homenagem aos protagonistas da rodada

Brasil 3 x 1 Croácia

Resultado que quem olha diz que o Brasil estreiou bem, com uma vitória tranquila, porém quem viu o jogo, sabe que a coisa foi muito diferente disso.

O time entrou muito tenso, nervoso e fez uma partida muito aquém do que se esperava. Os laterais foram muito mal com Daniel Alves sendo uma verdadeira avenida e Marcelo então nem se fala, até gol contra fez. Paulinho também sumido, assim com o Júlio César fazendo algumas defesas dignas de deixar os brasileiros temerosos pelo futuro(rebatendo bola para o meio da área, deu sorte de não ter um atacante de mais presença, porque senão o time tinha tomado mais gols).

A sorte foi que o jogo marcou a redenção do Oscar, que jogou demais, foi novamente o cérebro do time(assim como na Copa das Confederações) e teve nele o organizador do setor ofensivo, tendo sito justamente premiado ao final da partida com um gol, o que assegurou a vitória. Não se pode deixar de citar obviamente o Neymar(afinal ele marcou dois gols), mesmo que no contexto geral ele não tenha feito uma partida tão boa quanto a do Oscar, foi decisivo quando necessário e mostrou o porquê se coloca tanta expectativa nele.

Não se pode além de tudo esquecer de citar a excelente partida que a Croácia fez. Mesmo sem um de seus astros(o citado anteriormente Mandzukic), o time jogou muito em função dos erros do Brasil e a cada ataque era um perigo para a defesa brasileira, tendo os lances quase todos comandados por Modric e Rakitic, os dois excelentes meias da seleção croata. O time mostrou que além de tudo está muito bem montado, tanto que poderia ter conseguido um grande resultado na estreia mesmo, não fosse alguém que determinou o resultado, e será citado a seguir…

Esse foi o cara que determinou a sorte brasileira na estreia!! O juiz japonês Yuichi Nishimura(que não foi suspenso pela fifa, então guardem esse nome, pois ele promete na copa), o mesmo que apitou mal demais o jogo em 2010, aquele que o Brasil foi eliminado lembram-se? Aparentemente ele resolveu compensar aquele jogo e não só fez vista grossa a uma agressão digna de cartão vermelho do Neymar(o cara olha para o adversário e ainda vai e mete o cotovelo no pescoço do adversário? desnecessário…) como deu um pênalti absurdamente duvidoso no Fred(não sei o que foi pior, o cara cavar o pênalti, ou depois afirmar ainda que o pênalti de fato foi, esse merece o troféu óleo de peroba). Jogo que caminhava para um empate, teve no juizão o fator desequilíbrio para que a vitória chegasse. Uma pena pois o jogo estava bom e foi manchado por essa atuação horrível do mesmo.

México 1 x 0 Camarões

Outro placar enganoso. O México foi muito, mas muito superior aos camaroneses. Criou mais, chutou mais, sofreu pouca pressão, porém só conseguiu marcar um, certo? Errado!!!

Jogo que foi ainda mais estragado pela arbitragem, que parece decidiu tirar essa copa para aparecer. Tiveram a proeza de anular dois(acreditem, dois) gols legítimos da equipe mexicana, ambos marcados pelo Giovani dos Santos(que diga-se jogou bem demais, até muito mais do que eu esperava), um em impedimento inexistente(estava na mesma linha) e outro impedimento ainda mais absurdo, onde o jogador de Camarões que deu o último toque e ainda sim o bandeirinha viu lance irregular.

Capítulos lamentáveis à parte do grupo A(e infelizmente foram muitos), depois de ver esse jogo, pode-se dizer que o México é um time renascido em relação aquele da pífia eliminatória. Jogou muito bem e lembra mais o time que foi medalha de ouro em 2012. Vai dar muito trabalho para o Brasil(o que não é novidade) e vai brigar firme com a croácia pela vaga(não vejo ainda sim o Brasil ameaçado).

Camarões por outro lado tem um time fraco, pouco criativo, dependente demais de Eto’o e Mbia. a defesa tem duas avenidas(laterais fizeram uma partida horrível). Promete ser garantia de 3 pontos para Brasil e Croácia, pois com isso que jogou não ameaça ninguém.

Rivais do Brasil – O que devemos saber da Croácia

A estreia do Brasil chegando, a torcida na expectativa de uma estreia boa, ou pelo menos convincente(com uma vitória de preferência), então que melhor forma de saber o que esperar, do que conhecendo melhor o adversário? Segue-se então questões relevantes sobre o primeiro adversário, a seleção da Croácia.

O que esperar dessa geração croata?

Para ser bem prático: mais do que 2002 e 2006(caiu na primeira fase) e menos que 1998(ficou em 3º).

O que esperar dela em relação ao Brasil?

Um jogo mais duro do que em 2006, pois aquele time croata não era lá grandes coisas, tinha parte da geração envelhecida e em má fase de 98 e muitos jogadores ainda inexperientes, ao passo que essa seleção atual tem valores muito bons e em ótima fase, um deles inclusive o Brasil vai ter sorte de não enfrentar(Mandzukic, suspenso nessa primeira partida), porém ainda ficam muitos outros bons valores, como Modric, Rakitic, Srna, Eduardo da Silva e Kovacic.

Ponta fraca do time?

Se o setor ofensivo da antiga Iugoslávia ficou bem concentrado na Croácia, a Sérvia manteve o lado defensivo, pois a seleção croata continua tendo uma defesa que não é lá das mais confiáveis(haja visto que o goleiro deles continua sendo o bastante contestável Pletikosa).

O time passa de fase?

Sem dúvida é o maior favorito a segunda vaga, pois ao contrário do México que vem em fase horrível e Camarões que quase nem veio, a seleção croata tem um conjunto mais equilibrado e vem em melhor fase(apesar de ter precisado da repescagem para chegar a copa).

Jogador mais perigoso?

Se jogasse, eu diria o Mandzukic, que apesar do Guardiola não lhe dar o devido valor(aquela mania estúpida dele de jogar sem centroavante, mesmo ele sendo bom), ele é o tipo de atacante que não costuma desperdiçar chances, então eu colocarei o Modric. Jogador que vem em muito boa fase no Real, tendo conseguido cavar sua vaga no time titular depois de um bom tempo na reserva. É o tipo do meia que cadência e dita o jogo do time e certamente dele que devem partir as principais jogadas ofensivas.

Considerações finais:

Depois de analisar esses pontos, o que posso dizer é que essa é uma das seleções que vale parar para assistir aos jogos e que principalmente como seleção da estreia, deve ser um excelente teste para ver se o Brasil está realmente pronto para disputar o título.