Escolha uma Página
CR7: Ame ou Odeie

CR7: Ame ou Odeie

Não tem meio termo, ninguém consegue ser indiferente a este grande jogador do futebol mundial. Para o bem ou para o mal, Cristiano Ronaldo move multidões, seja para atacá-lo ou defendê-lo.

Cheio de carisma, com um currículo invejável e bastante marra, o jogador português parece chegar a esta copa do mundo no seu auge, gerando em todos a grande dúvida: ele vai conseguir carregar sua seleção sozinho?

Muitos vão argumentar que na conquista da Eurocopa o craque do Real Madri não fez falta quando se machucou na final, que o resto do time jogou mesmo assim, mas… sabemos que isso é coisa dos “haters”. Sem ele, dificilmente a seleção estaria na copa, e sem sombra de dúvidas não teria a menor chance de títulos não fosse a presença do atual melhor jogador do mundo.

Na estreia contra a Espanha, CR7 pegou pouco na bola, é verdade, mas quando pegou, sofreu um pênalti e fez 3 gols, sendo o último quase nos descontos, após sofrer uma falta na entrada da área. Se olharmos a carreira de Cristiano Ronaldo, poderemos ver que de uma maneira geral o seu desempenho é 8 ou 80: ou ele acaba com o jogo, ou ele simplesmente não aparece. Dificilmente vemos ele fazendo uma partida mediana, sem brilho e sem desaparecer.

O que acho mais curioso é ver o pessoal aqui no Brasil criticando o jogador por causa de suas características extra campo. Uns dizem que ele é marrento, e aí me perguntou: o que era o Romário. Outros dizem que ele é vaidoso, e aí pergunto: O que é Neymar? Ainda temos aqueles que dizem que o Gajo é pipoqueiro, que some em decisões. A estes, só consigo atribuir muita raiva ou frustração, além de uma inacabável fonte de desinformação.

O currículo de Cristiano Ronaldo fala por si só. São muitos títulos, individuais e coletivos, gols em decisões, gols históricos, atuações épicas. Não importa se você ama ou odeia o português, uma coisa é simplesmente inquestionável: ele é um dos melhores de todos os tempos.

A COPA TEM VALOR SIM!

Texto escrito pelo nosso amigo Tercio Bamonte:

As redes sociais são um poço de mentiras, vaidades e futilidades.

Me peguei estes dias lendo manchetes e memes medíocres, dizendo que o Brasil não liga mais para a Seleção.
Mas isto não é verdade.

O que acontece é que uma boa parcela do brasileiro só liga para o futebol quando seu time está ganhando. Ou só liga para determinado esporte, quando o Brasil está em evidência. Assim foi com a Fórmula 1, que teve seu ápice de audiência com Piquet e Senna. Quando perceberam que Barrichello não era um vencedor, e que Massa não dava pro gasto, deixaram a velocidade de lado.

Isso aconteceu com basquete, vôley, judô, ginástica artística…

Brasileiro só quer saber do primeiro lugar. Pouco importa se Barrichello é um dos pilotos mais respeitados do mundo, ou se Massa tem seu nome gravado num panteão seleto que poucos conseguiram chegar. O que interessa é o pódio, o ouro, o título.

O raro valor que se deu aos perdedores foi para a Seleção de 1982. Ah! Aquilo que era futebol. Pena que perdeu (pronto, já estragou tudo….o brasileiro com a síndrome do vencedor).

Depois do 7×1, o Brasil levou um inédito ouro olímpico, mas esse é um título menor, não é? O que interessa é só o supra sumo…ganhar do mundo inteiro, aparecer.

Isso a gente vê também nos estádios. Quando o time vai bem….a coisa enche…todo mundo quer mostrar que é gigante. Quando vai mal…nem o salário do bandeirinha se paga direito.

O Brasil volta a ligar para a seleção lá pelas quartas de final…quando vislumbrar que tem chance de se achar campeão de novo. E se ganhar a Copa então…vai estampar a sexta estrela no peito e cantar EU….SOU BRASILEIRO, COM MUITO ORGULHO….COM MUITO AMOOOOOR.

Paciência. É este o nosso retrato de hoje. Quem sabe amanhã a gente dê mais valor para o atleta, que é um ganhador só por estar lá, vestindo a nossa farda.

VAI BRASIL!

Novo Uniforme da Seleção do Tibete

Novo Uniforme da Seleção do Tibete

A seleção do Tibete, apresentou seu novo uniforme com a presença do lider político da região Dalai Lama. O uniforme, que é desenvolvido pela Copa, marca holandesa que nos últimos anos se especializou em réplicas de camisas históricas do futebol mundial, desenhou a camisa utilizando a estilização  dos raios solares presentes na bandeira da região, elemento que a tornou a camisa similar com o uniforme do clube sul africano Kaizer Chiefs, que é produzida pela Nike.

Novo Uniforme do Tibete

Atual uniforme titular do Kaiser Chiefs

 

A primeira camisa do Tibete que conheci foi a utilizada em meados dos anos 2000, feita pela dinamarquesa Hummel (que não tem nenhuma ligação com a brasileira Rhummell), que ia numa direção totalmente contrária da atual, tendo um design mais clássico e usando mais o amarelo, cor que no modelo atual não aparece.

 

Assim como as seleções da Catalunha, Groelandia e País Basco, o Tibete não está filiado a Fifa nem em federações regionais e apenas disputa jogos e torneios amistosos. Para mais informações sobre a federação visite o site : http://www.tibetansports.org/About_TNFA.htm