Arquivo da tag: copa do brasil

Da estréia sem graça à classificação tranquila.

Depois de um fim de semana com um jogo sonolento e empate de graça contra a Portuguesa(poderia ter ganhado, mas quis valorizar o jogo qdo não devia), o time segue firme na Copa do Brasil, agora indo para as semifinais, depois de um dois a zero contra o Atlético-PR.

Vale uma citação rápida do jogo do fim de semana, onde o time fazia um jogo tranquilo, havia aberto o placar com um belo gol do Luan, porém apesar de dominar o jogo, preferiu se conformar com o placar magro e em uma bobeada no fim levou o empate.

O jogo de quarta seguiu o estilo que o Palmeiras vem imprimindo na Copa do Brasil: jogo firme e mais seguro na defesa e se valendo de contra-ataque(muito em função da suspensão do Barcos essa última), até pelo fato de geralmente o time fazer o resultado favorável no primeiro jogo.

Tentando manter o estilo do time, o Felipão resolveu por o recém-chegado Betinho, mas ali ele e nada era a mesma coisa, fraco demais, legítimo tapa-buraco mesmo. Com o rendimento pífio do ataque no primeiro tempo, saíram Mazinho e Betinho e entraram Maikon Leite e Luan respectivamente. O time melhorou e não demorou a marcar. Em bela jogada do Maikon leite, que deu um drible da vaca no zagueiro e tocou para o Valdívia, que só rolou para o Luan abrir o placar. Depois em boa cobrança de escanteio do Maikon Leite(sim ele pediu pra cobrar), a bola contou com desvio do Valdívia e o Henrique fez de cabeça, fechando o placar.

O time segue muito forte na Copa do Brasil, continua invicto e com atuações bem mais convincentes que as apresentadas no final de sua participação do Paulista e na primeira rodada do Brasileirão. Chega na semifinal, coisa que não acontecia desde 1999 e chega com totais condições de conquistar o título.

Outra coisa: Luan continua sendo peça importante no elenco e marcou nos últimos dois jogos, isso segue de encontro ao que sempre disse ano passado: do fato de ele ser um grande injustiçado, tanto que quando ele se contundiu, vi muitos torcedores até comemorando quando ele parou, mas o retorno dele vem provando que ele pode ser peça importante tanto na fase final da Copa do Brasil, como durante o Brasileirão.

Algumas questões extra-campo:

– Felipão anda falando algumas coisas totalmente fora de hora… Criticar a direção depois da goleada e citar que não permanece no clube, foram inoportunas e fora de hora. Podia ter ficado sem essa.

– A direção arrumou parceiros para trazer reforços, e o principal da lista é o Thiago Ribeiro. Li muita coisa desmerecendo o jogador, mas acho que ele será sim um ótimo reforço, pois ele pode jogar também na mesma posição que o Barcos, ou então de parceiro de ataque dele. Ele tem uma boa finalização e é mais centroavante que por exemplo o Maikon Leite ou Luan. Sou totalmente contra a vinda do Obina, pois seria cara por um jogador que considero meia boca, para trazer ele, eu iria atrás do Neto Baiano, que é bem mais novo e tem potencial.

– Saiu um novo vídeo sobre a Arena Palestra e devo dizer que do que vi, será o estádio mais moderno do Brasil. Há muito o que se criticar da direção, mas o acordo para a reforma do estádio está de parabéns. Não fosse a má vontade da prefeitura, as obras estariam em um estágio mais avançado, mas infelizmente todos sabemos como a política de conveniências funciona. A previsão de entrega está atualmente em Outubro de 2013.

A volta em grande estilo

As duas semanas de folga ao que pareceram, fizeram bem ao Palmeiras. Apesar de não ser o mesmo futebol que vinha chamando a atenção da torcida(e um bocado surpreendente diga-se), jogou e venceu com muita facilidade o Paraná por 4 a 0 e garantiu vaga nas quartas-de-final da Copa do Brasil.

O jogo mostrou uma excelente atuação do novo reforço Mazinho. Não vou aqui dizer que ele é excelente jogador, que vai ser titular e destaque do Brasileirão, porém acho que pra um time que precisa de peças de reposição e de jogadores que possam entrar e dar uma movimentação nova ao time, ele pelo que mostrou nas partidas, pode sim ser esse jogador.

Fora isso, vale a citação do gol do Valdívia depois de meses sem marcar e do fim do jejum do Maikon Leite, que vinha já há um bom tempo sem marcar e fez o gol ao seu estilo, com uma ótima arrancada, deixando a zaga para trás.

Lado ruim que o Henrique foi expulso por uma imensa bobagem e desfalca o time. Lado bom que é uma boa chance do Román jogar e quem sabe tirar o Maurício Ramos do time titular. Acho ele um zagueiro mediano, mas ele vem jogando mal(consegue ir pior que o Leandro Amaro), falhando demais, errando posicionamento direto. Acho que é hora d dar chance ao paraguaio pra mostrar a q veio.

O próximo jogo da Copa, será já nessa próxima semana contra o Atlético-PR, que vem credenciado pela eliminação com sobras do Cruzeiro, com direito a vitória até em Minas. Promete engrossar demais a vida do Palmeiras, mas vejo como bem possível a classificação às semifinais, que aí pode ter uma pedreira como o Grêmio pela frente.

Acredito que o desabafo do Felipão tenha sido das grandes burradas que ele fez. Apesar de concordar em partes com o que ele disse, acredito que foi extremamente inoportuno, pois o time jogou bem, ganhou com propriedade, se impondo no jogo, não precisava disso.

Fora isso, vejo que o ambiente continua bom lá e até pelo fato de essa crítica ter sido mais para a diretoria, do que propriamente para os jogadores. O time é consciente de que precisa ser reforçado, então apesar do comentáro, não acredito em um mal estar no time por conta disso.

Sobre reforços: surgiu uma possibildade do Thiago Ribeiro vir, porém não alimento esperanças, ainda mais que ele fez um bom campeonato pelo Cagliari, dependeria muito de ele querer voltar,  o que no momento é uma total incógnita, mas seria o reforço perfeito para fazer dupla com o Barcos sem dúvida nenhuma.

Classificado!

Depois de alguns jogos realmente dignos de vergonha, hoje mesmo sem fazer seu melhor jogo, o Palmeiras conseguiu fazer bem seu papel, venceu por 3 a 1, com destaque para o Leandro Amaro, autor de dois gols e foi o único time que se classificou diretamente.

O Palmeiras entrou para esse jogo disposto a apagar as últimas pífias atuações e contou com uma escalação q eu particularmente não gostei, com 4 volantes, o Daniel Carvalho e o Barcos isolado na frente. Até entendo que no caso do Wesley, ele tinha liberdade para ir ao ataque e os laterais avançavam constantemente, porém uma tática assim força o Barcos a voltar muito pra buscar jogo, o que acaba prejudicando seu desempenho, tanto que hoje até ele sair, mal recebeu bolas com condições minimamente boas. Daniel Carvalho e Juninho se destacavam, e até o Wesley fazia algumas jogadas(a cada jogo seu desempenho vem melhorando, mostrando que o caso é exatamente ritmo de jogo) e o Cicinho também aparecia no ataque, porém novamente o time pagou por errar nas finalizações e acabou por sair atrás no placar, em falha ridícula do Leandro Amaro, que cortou a bola pro meio da área, dando quase uma assistência para o atacante adversário. A impressão que deu, era que a história ia se repetir e o time ia se afobar e ir de forma desorganizada à frente, porém ao contrário o time manteve a calma e criou diversas chances perigosas, principalmente pelos pés do Daniel, que fez ótimo primeiro tempo, porém em mais um bom lance de bola parada Leandro Amaro se redimiu e empatou.

O segundo tempo contou com a entrada de Maikon Leite no lugar do Wesley(eu deixaria pra dar mais ritmo) e com uma opção de dupla de ataque… Barcos mal pode aproveitar, pois logo ele foi sacado para a entrada do Ricardo Bueno(deus do céu!), e o jogo ainda reservava surpresas, pois além do gol da virada ter sido feito também pelo Leandro Amaro, Maikon Leite voltou a marcar após bom lance individual e uma tabela meio involuntária com o Ricardo(porque ela bateu no pé dele e não ele q passou) e com uma boa finalização, marcou o gol que garantiu a classificação do time de forma direta.

O jogo hoje mostrou um Palmeiras diferente daquele dos últimos jogos, pois era um time que criava, disputava todas as bolas e não desistia dos lances, porém sem ser afobado ou atacar de qualquer jeito. Até quando tomou o gol o time mostrou calma e buscou de forma organizada retomar o controle do jogo e conseguiu, ao contrário das últimas partidas, uma reação mais rápida e ainda teve calma para conseguir virar e fazer o gol da classificação.

Algo tem me desagradado muito no Felipão: suas mexidas tem sido demasiado óbvias, ele não arrisca algo diferente, e pior está jogando de uma forma que vem prejudicando e muito o Barcos, pois este jogando isolado na frente, constantemente é visto na intermediária e até mesmo no meio campo pra buscar bola e assim não consegue estar bem posicionado quando os meias ou laterais, chegam em condição de dar-lhe uma assistência.

Outra coisa é o Bueno… tenho sido repetitivo e acho que até mesmo implicante, mas não tem a menor condição dele continuar a jogar pelo Palmeiras. Ele é muito fraco tecnicamente, mesmo entrando e jogando com relativa frequência, não progride em nada e principalmente: sua mira parece estar cada dia pior, pois ele acerta tudo, menos o gol. Sorte do time que ele está apenas por empréstimo, porque seria difícil arrumar alguém disposto a contratá-lo.

Apesar da vitória ter sido meio aos trancos e barrancos, valeu mais pela questão moral e pra tirar as cornetas de plantão que por conta de dois resultados, já queriam tumultuar o ambiente do time(cheguei ao cúmulo de ligar a tv em um “debate” no começo da tarde, e estar lá o tema: a crise no Palmeiras! ridículo…)

Acredito que o time com isso tenha recuperado o rumo e que contra o Guarani domingo, o time já mostre uma postura diferente daquela mostrada nos três últimos jogos do Paulista.

Palmeiras vence e manda Coruripe de Barcos pra casa

Quarta feira teve o jogo de volta da Copa do Brasil, e apesar do primeiro tempo terrível, no segundo, só pra variar, o pé certeiro do Marcos Assunção resolveu e o Palmeiras conseguiu fazer sem muitas dificuldades um 3 a 0 no Coruripe.

Diante de um placar final relativamente tranquilo, muitos podem pensar que o jogo foi conduzido sem muito problema, porém para quem viu o primeiro tempo, soube que a coisa não foi bem assim… Sem poder contar com Valdívia suspenso e Daniel Carvalho machucado o Felipão optou por deixar como o cérebro do time o Patrik(terrível erro), porém ele não tem a habilidade, técnica e visão de jogo para isso, ele pode complementar bem como um meia mais recuado que avança com a bola ou que dá uma saída um pouco mais qualificada, porém não ao ponto de ditar o ritmo do time em campo, pra isso ele não tem qualidade. Prova disso foi que as jogadas custavam a sair, já que quando chegava no pé dele pra ele decidir, ele normalmente errava. As boas jogadas foram principalmente através do Juninho(que de novo jogou demais), do Marcos Assunção e até um pouco do Cicinho, que parece que caiu de rendimento desde a chegada do Artur e não vem mostrando aquele bom futebol de antes, porém ontem ele até foi melhor do que em seus últimos jogos.

Vendo a bobagem que havia feito na escalação, o Felipão tirou o Patrik e Maikon Leite(que nem vinha jogando tão mal) e pôs o Pedro Carmona e Ricardo Bueno. A simples entrada de um meia, ajeitou as coisas e o time tomou uma direção. Curioso que o Carmona fez uma partida relativamente discreta, porém sua entrada mudou o ritmo e a criação do time e as jogadas passaram a fluir muito melhor. Não demorou muito para o Palmeiras abrir o placar em mais uma cobrança primorosa do Assunção(seu quinto gol de falta no ano). Ele ainda deu uma bela assistência para o Barcos fazer seu nono gol e em apenas 11 jogos já chegar a 1/3 da sua promessa. Ainda teve tempo para em uma jogada do Carmona e do Bueno, deixarem o Juninho em condições para fazer o terceiro e fechar com um placar mais digno.

A classificação em si não chegou a estar ameaçada em nenhum momento, porém a notada queda de rendimento do time quando ele entra sem um meia vale como observação. Esse esquema funciona bem, desde que conte com um “cérebro” no meio campo.

O Ricardo Bueno merece uma citação: ele entrou bem, participou da jogada de dois gols, porém ele continua a perder gols feitos, isso acaba complicando muito, pois sempre que vão lembrar dele, lembram dessas bobagens que ele costuma fazer(e que não são poucas). Acho ele muito pouco confiável até mesmo pra opção, pois é um cara que se a chance do jogo cair no pé dele, ainda sim tem grande chance de ele perder. Deve sair ao fim do empréstimo e sem deixar saudades.

Outro que vem me surpreendendo a cada jogo é o João Vítor, pois nem parece aquele jogador “nada” que eu citava antes. Ele tem marcado muito bem e saído com uma razoável qualidade. Ainda acho que ele não é o ideal para o time titular(esse deve ser o Wesley), porém já estou começando a considerá-lo uma boa opção de banco, pois há muito ele vem entrando sem comprometer, tendo sido um dos melhores do time inclusive no clássico contra o São Paulo. Vejamos se ele mantém o nível das atuações.

Vitória, mas sem fazer o dever.

Dois minutos e o Palmeiras abre o placar, porém pra quem esperava uma goleada e classificação sem sustos, o jogo permaneceu apenas 1 a 0 e agora será necessário um segundo jogo na próxima quarta em São Paulo.

O começo foi algo arrasador, pois logo de cara foi pressão total e em um avanço do zagueiro Henrique, ele tocou para o Daniel Carvalho, que de primeira deixou Barcos livre para abrir o placar. O gol, que deveria ter feito bem ao time, acabou tendo efeito contrário e acomodou-o, que começou a levar a partida em “banho-maria”, indo com calma e com aquela história de que pode decidir a qualquer hora. Até criou algumas chances durante o primeiro tempo, mas não conseguiu transforma-las em gol.

Segundo tempo veio ainda pior, com o time simplesmente deixando o tempo passar e indo só na boa, não arriscava, não tentava nada e o Felipão ao meu ver mexeu mal ao tirar o Daniel Carvalho e por o Pedro Carmona(devia ter deixado os dois). Ele entrou sem ritmo, já que mal vem jogando, e o Palmeiras continuou praticamente na mesma. O Coruripe até teve chance ou outra, mas nenhuma que fosse realmente um risco para o resultado. Ao ver que o jogo se aproximava do fim e nada saia, o time(que já tinha em campo Bueno e Chico) avançou de forma afobada e nada conseguiu, senão uns parcos lances de algum perigo, mas que não mudaram o resultado final, ou seja, jogo de volta em São Paulo.

Tirar algo de proveitoso dessa partida é realmente complicado, haja visto que o time jogou de forma acomodada boa parte do jogo, então ressaltaria apenas o oportunismo e artilharia do Barcos, que marcou seu oitavo gol em nove jogos e caminha bem para cumprir sua promessa de no mínimo 27 gols na temporada.

Líder… Até quando?

O São Paulo conquistou ontem sua 5ª vitória nos 5 primeiros jogos do Campeonato Brasileiro, algo inédito desde 2003 quando começou o campeonato por pontos corridos. É bom lembrar que em 1977 o Atlético Mineiro (que foi vice-campeão naquele ano) venceu as 8 primeiras partidas do campeonato.

Ainda assim, é de se ressaltar o feito da molecada tricolor. O Clube iniciou o Brasileiro em meio a desconfiança causada pela má atuação e desclassificação na Copa do Brasil, todos apostavam (inclusive eu) que iniciaria o campeonato com derrota contra o atual campeão, porém o time venceu e foi incorpando.

É claro que ainda é só o começo de um campeonato longo, mas é de se ressaltar que o tricolor enfrentou adversários de níveis diferentes nestas 5 rodadas. Enfrentou e venceu times que tem elenco para brigar pelo título como  Fluminense e Grêmio, venceu também adversários intermediários como Figueirense e Atlético Mineiro, e venceu neste domingo um candidato ao rebaixamento (Ceará).

Em todos estes jogos a molecada foi testada e aprovada, não sem sustos é claro –  nos jogos contra Atlético e Ceará , Rogério precisou mostrar que ainda é o melhor goleiro do Brasil, e contra o Figueirense a vitória veio somente nos acréscimos.

Porém é possível afirmar que a equipe evoluiu da fatídica eliminação da Copa do Brasil. O sistema defensivo tem demonstrado regularidade (mesmo com as ausências de Miranda e Rodolpho), o meio-campo tem sido mais criativo (muito em função do posicionamento do Casemiro que está jogando mais a frente) e o ataque continua veloz, embora ainda careça de melhor aproveitamento nas finalizações.

Acredito que um grande teste para a molecada será o próximo jogo, os meninos terão pela frente pela primeira vez neste Brasileirão um clássico estadual, jogo em que tudo pode acontecer. O adversário será o SCCP que também vive um bom momento no campeonato, é vice-líder (não errei as contas, o SCCP perdeu somente 2 pontos e SEP perdeu 4 pontos)  e tem a vantagem de jogar em casa (alugada).

Uma pena que o meia Lucas estará com a seleção da CBF e não poderá enfrentar (de novo) o SCCP, de qualquer forma será um grande jogo e em caso de vitória tricolor mais uma afirmação da molecada, caso ocorra uma derrota a liderança passará para o rival.

Tudo faz com que o jogo de domingo seja imperdível assim como a Edição ao vivo do Em cima da linha, logo após o clássico.

Depois deste grande jogo veremos como o time renderá sem Lucas por um mês e sem Casemiro no mês seguinte.

Mas aí é assunto para outro post.

 

As Coisas do Rio – Chegou a hora do Vascão

O clube de regatas Vasco da Gama, está muito próximo de resgatar de vez a sua alto estima, o gigante da colina nunca este tão próximo de conquistar o título inédito da Copa do Brasil,   mais porque estou falando nisto, uma vez que a equipe vascaina já disputou a final de 2006 contra o Flamengo.

Vamos por partes, primeiro que em 2006, o adversário era o Flamengo, e isto faz toda a diferença, classico e rivalidade, além da equipe não estar em um grande momento naquela época. Hoje a história e bem diferente, o time um dos melhores dos últimos anos do Vasco, com jogadores que podem fazer a diferença. com Felipe, Diego Souza e o Éder Luis que vem sendo muito importante na caminhada da equipe, outros fatores não menos importante são os fatos do Vasco não ter levado gols em São Januário e o time jogar melhor fora do que no Rio.

Façam sua apostas, a minha já está feita Vasco Campeão da Copa do Brasil 2011.