Racismo: Pena Equivocada

Infelizmente, no último jogo entre Grêmio e Santos, pela Copa do Brasil, atos de injúria racial voltaram a ser manifestados em um estádio de futebol. Desta vez na Arena do Grêmio, no Rio Grande do Sul, porém, este é só mais uma versão desta atitude totalmente condenável, presente em todos os setores da sociedade. Especificamente neste caso, câmeras da emissora de TV ESPN flagraram uma jovem proferindo as palavras ofensivas.
A situação se torna ainda mais lamentável por ter tido como protagonista uma mulher. Digo isto por sempre ter acreditado que a presença de mulheres nos estádios seria uma estratégia para redução da violência. Me decepcionei duplamente.
Caso ocorrido. Caso julgado, pelo “egrégio” supremo tribunal de justiça desportiva. Não vou considerar a pena branda nem exagerada, pois somente quem sofre tal injúria consegue avaliar se a pena faz justiça ao dano causado. Quero discutir, apesar de não ser operador do direito, se a pena causará consequências benéficas para a causa. Temo que um precedente gravíssimo tenha sido gerado.
A sentença exarada excluiu a agremiação gaúcha desta Copa do Brasil (ainda cabendo recurso, que tende a não reverter o desfecho do caso). Fico imaginando se em situações futuras, outras torcidas, principalmente as organizadas, com a capacidade infinita de fazer coisas horripilantes, não vai ter a infeliz ideia de infiltrar pessoas na torcida inimiga para provocar a eliminação dos clubes adversários. Acho que se a sentença fosse direcionada para a eliminação da competição do ano seguinte, o caso demoraria ainda mais para cair no esquecimento e não provocaria a situação vislumbrada acima. Outro problema que poderá surgir com esta sentença é uma interrupção da competição, diminuindo, ainda mais, a credibilidade e a organização do campeonato.
Alguém poderia contra argumentar dizendo que nenhum cidadão assumiria deliberadamente o risco de ser condenado na esfera da justiça criminal por cometer um ato de injúria. Eu responderia que o tipo de gente mencionado é capaz de tudo e nada teme, ainda mais considerando que há uma diferença de condenação entre ato de racismo e o de injúria racial.
O ideal seria que tal situação não tivesse ocorrido e não necessitássemos estar discutido o caso, mas ele ocorreu e provavelmente voltará a ocorrer. O futebol é vítima da intolerância presente em toda a sociedade, mas os clubes no final da história saíram com suas marcas prejudicadas. Meu sonho seria ver um dirigente de clube, pedindo judicialmente, aos criminosos, ressarcimento por danos à imagem da instituição. Acho que é só um sonho.

Deixe uma resposta