Quando acaba o assunto

Semana passada estava pronto para escrever sobre mais uma goleada do JEC, para questionar o que estaria acontecendo com o Leão da Ilha, esse e outros vários temas rondavam minha cabeça. Eis que chegou a quarta-feira. E certos jogadores, certas partidas, encerram o assunto.

Eu nunca tinha entendido muito bem esta expressão. Messi me ensinou quanto usá-la. O craque, mas põe craque nisso, simplesmente encerrou o assunto. Fiquei sem ter o que escrever. E o pior, comecei a escrever este texto na quinta, mas não encontrava palavras, fiquei sem entender o que tinha visto. Só hoje, quase uma semana depois é que as coisas começam a se encaixar.

Parece exagero, mas  exagero mesmo é o que jogao La Pulga. Quem ama o esporte fica fascinado cada vez que ele toca na bola. E cada vez que eu lia sobre o jogo de quarta-feira mais eu me revoltava com algumas comparações que eu via, e mais impressionado eu ficava com o que esse jogador é capaz de fazer.

Falando em comparações, por mais que tentemos fugir, não há como fazê-lo. São inerentes ao ser humano e principalmente ao esporte. No programa disse um pouco o que acho dessas comparações e em que lugar eu colocaria o Messi.

Impossível negar que um dia achei que Robinho fosse ser um dia melhor que o Argentino. Lá se vão seis anos. Como eu estava enganado…

Acho que o que é preciso para fazermos comparações é estabelecermos critérios. Os meus são números, títulos, capacidade de definição, quão completo é o jogador, e claro, o talento puro. E nos meus critérios Messi já chegou no ápice. É o melhor jogador de futebol do Mundo de todos os tempos.

Digo do mundo porque do Universo ainda é o Pelé. E mais, não, Messi não chegará nem perto do Rei em nenhum dos critérios. Messi não ganhará nenhuma Copa do Mundo, Messi não fará mais de 1200 gols, nunca cabeceará como Pelé, ou chutará de esquerda. Ponto Final! Pessoas com a minha idade que tentam desmerecer o que foi Pelé me dão preguiça. Só porque ele fala asneira? Não estou dizendo que ele é o melhor orador da história, e sim, melhor jogador de futebol.

A disputa de Messi com Maradona é apertada, mas aí, meus olhos fazem a diferença. Maradona vi muito pouco ao vivo, muitos vídeos, mas lembro pouco da Copa de 90 e nada da de 86. Sua época no Napoli também é algo que me é muito vago. Nesse caso, prestigio o prazer e a alegria e Leo me dá toda semana. É abusrdo.

E que fique claro, o mais importante disso tudo, como dissemos no programa domingo, é que estar abaixo de Pelé, não é demérito algum, muito pelo contrário. Digo mais, ser comparado a Pelé de maneira séria, ou seja, realmente me fazer argumentar para provar que Pelé foi melhor, já faz de Messi algo muito acima do que já vimos. Nem Ronaldo, nem Zidane, nem Gaúcho, só Messi foi capaz disso.

Em suma, o que eu quis dizer nesse monte de frases acima é que tudo que escrevi e escreverei não tem o mínimo valor quando sentamos em frente à TV e desfrutamos de momentos mágicos, únicos a seu modo, quando simplesmente, Messi acaba com o assunto.

 

Deixe uma resposta