Palmeiras vence e manda Coruripe de Barcos pra casa

Quarta feira teve o jogo de volta da Copa do Brasil, e apesar do primeiro tempo terrível, no segundo, só pra variar, o pé certeiro do Marcos Assunção resolveu e o Palmeiras conseguiu fazer sem muitas dificuldades um 3 a 0 no Coruripe.

Diante de um placar final relativamente tranquilo, muitos podem pensar que o jogo foi conduzido sem muito problema, porém para quem viu o primeiro tempo, soube que a coisa não foi bem assim… Sem poder contar com Valdívia suspenso e Daniel Carvalho machucado o Felipão optou por deixar como o cérebro do time o Patrik(terrível erro), porém ele não tem a habilidade, técnica e visão de jogo para isso, ele pode complementar bem como um meia mais recuado que avança com a bola ou que dá uma saída um pouco mais qualificada, porém não ao ponto de ditar o ritmo do time em campo, pra isso ele não tem qualidade. Prova disso foi que as jogadas custavam a sair, já que quando chegava no pé dele pra ele decidir, ele normalmente errava. As boas jogadas foram principalmente através do Juninho(que de novo jogou demais), do Marcos Assunção e até um pouco do Cicinho, que parece que caiu de rendimento desde a chegada do Artur e não vem mostrando aquele bom futebol de antes, porém ontem ele até foi melhor do que em seus últimos jogos.

Vendo a bobagem que havia feito na escalação, o Felipão tirou o Patrik e Maikon Leite(que nem vinha jogando tão mal) e pôs o Pedro Carmona e Ricardo Bueno. A simples entrada de um meia, ajeitou as coisas e o time tomou uma direção. Curioso que o Carmona fez uma partida relativamente discreta, porém sua entrada mudou o ritmo e a criação do time e as jogadas passaram a fluir muito melhor. Não demorou muito para o Palmeiras abrir o placar em mais uma cobrança primorosa do Assunção(seu quinto gol de falta no ano). Ele ainda deu uma bela assistência para o Barcos fazer seu nono gol e em apenas 11 jogos já chegar a 1/3 da sua promessa. Ainda teve tempo para em uma jogada do Carmona e do Bueno, deixarem o Juninho em condições para fazer o terceiro e fechar com um placar mais digno.

A classificação em si não chegou a estar ameaçada em nenhum momento, porém a notada queda de rendimento do time quando ele entra sem um meia vale como observação. Esse esquema funciona bem, desde que conte com um “cérebro” no meio campo.

O Ricardo Bueno merece uma citação: ele entrou bem, participou da jogada de dois gols, porém ele continua a perder gols feitos, isso acaba complicando muito, pois sempre que vão lembrar dele, lembram dessas bobagens que ele costuma fazer(e que não são poucas). Acho ele muito pouco confiável até mesmo pra opção, pois é um cara que se a chance do jogo cair no pé dele, ainda sim tem grande chance de ele perder. Deve sair ao fim do empréstimo e sem deixar saudades.

Outro que vem me surpreendendo a cada jogo é o João Vítor, pois nem parece aquele jogador “nada” que eu citava antes. Ele tem marcado muito bem e saído com uma razoável qualidade. Ainda acho que ele não é o ideal para o time titular(esse deve ser o Wesley), porém já estou começando a considerá-lo uma boa opção de banco, pois há muito ele vem entrando sem comprometer, tendo sido um dos melhores do time inclusive no clássico contra o São Paulo. Vejamos se ele mantém o nível das atuações.

Deixe uma resposta