O Estranho Ostracismo do sucesso

A seleção belga é cheia de talentos. Jogadores que tiveram excelentes temporadas na Europa, seja a última ou ainda a anterior. Ora, qual o resultado óbvio disso; criou-se, principalmente entre os jovens, uma expectativa muito grande em torno da sua participação na Copa.

Todos queriam ver Hazard, Lukaku, De Bruyne e até Courtois arrebentando no Brasil. E por isso, os “velhos de guerra” de Copa do Mundo taxaram a Bélgica de time de modinha. E decretaram o seu fracasso retumbante.

É impressionante como as pessoas adoram vaticinar o fracasso. Como se sentem confortáveis em afirmar qual será a decepção da Copa, que jogador “amarelará”. E o pior, têm um prazer sádico em dizer “eu avisei, viu como essa seleção aí ‘pipoca’; como esse jogador só se olha no telão”. Não consigo entender tal prazer.

E claro, tal análise vem, normalmente, fundada em lugares-comuns, em chavões, raramente essa “secada” tem base em análise aprofundada e isenta.

Feita a crítica, vou ao ponto do título! Impressiona como a Bélgica, a seleção da moda parou de ser assunto recorrente nas mesas de bar e redondas. Óbvio que se fala do time, mas não com a recorrência de antes. E isso se dá por um simples motivo, a Bélgica não fracassou! Digo mais, segundo os próprios belgas, já atingiram seu objetivo na Copa. Claro que querem mais, sabem que podem mais, mas estão cientes de que já foram longe.

Bélgica pode ser de moda, mas é uma das 8 melhores seleções do mundo. E isso é já é a 2ª melhor campanha da história do país. É bom demais para eles.

Quero ouvir mais sobre a Bélgica, mas então lembro, para ser notícia, só vale o título, ou o fracasso. Como ninguém poderá dizer “eu avisei”, é melhor deixar quieto.

Deixe uma resposta