O Brasileirão 2014 parece que acordou!

Hoje dia 27 de agosto, acabamos de completar 40 dias de retorno do campeonato brasileiro pós Copa do Mundo.  E como bem sabemos, é de consenso de todos torcedores de futebol que o sentimento de saudades da bola jogada no torneio de seleções é absurda. Seja pelos esquemas táticos, pela disposição dos jogadores, pelos craques em campo e principalmente pelo nível técnico do futebol apresentado. Mas se por algum momento a gente tinha certeza (com motivos) que esse segundo semestre seria deprimente e duro de assistir os jogos, nessas últimas duas semanas podemos dizer que tivemos algum alento de um pingo de esperança de que esse 2º turno que começará em breve poderá nos reservar grandes emoções.

Hoje temos em campo um favorito absoluto que busca o bi campeonato e que está sem ser ameaçado a quase 2 anos em nossos gramados. O Cruzeiro por si próprio já seria um agradável motivo para ver os jogos, mas apesar da distância de 7 pontos que ele tem hoje para o vice-líder São Paulo, nós temos diversos motivos que podem gerar grande interesse nessa segunda metade de campeonato:

1 – O próprio SPFC. O tricolor paulista vem apresentando um bom futebol, os seus atacantes de grande habilidade tem se destacado, Ganso e Pato estão crescendo, Kaka se encaixou bem no esquema e quem sabe pode ser esse o time a duelar pelo título com o clube mineiro.

2 – Por incrível que pareça o Flamengo com professor Luxemburgo, dentro de suas limitações, decolou e agora além de não olhar para trás na zona do rebaixamento, pode sim com sua camisa e sua torcida fantástica alçar voos maiores, quem sabe brigar por uma vaga na libertadores.

3 – Por falar em zona da libertadores, com exceção do líder Cruzeiro, não temos no momento muitas certezas de quem será forte postulante para a classificação no maior torneio sul americano de clubes. São Paulo, Corinthians, Inter e Flu brigam hoje pelas 3 vagas restantes, mas não podemos descartar Grêmio e Atlético MG e os demais que correm por fora como Flamengo e Santos.

4 – Tal qual é sempre dura a briga pela libertadores, a zona de rebaixamento não é diferente, e quase sempre é muito pior a batalha. Até porque nos últimos anos tem sido constante a participação de grandes clubes com imensas torcidas na luta contra a degola. Esse ano não deverá ser diferente. Os grandes “destaques” dessa luta serão o endividado e bravo Botafogo, que apesar dos atrasos nos salários tem sido um grupo de jogadores guerreiros, e principalmente o centenário Palmeiras que em um ano histórico como esse não vai querer de forma alguma ficar marcado com a terceira queda para a 2ª divisão nos últimos 12 anos. Temos ainda times de tradição forte como Bahia e Coritiba, os participantes catarinenses, Criciuma, Figueirense e Chapecoense e até quem não parecia na briga mas que vem em queda vertiginosa como Goiás e até Sport Recife.

5 – Uma situação que deverá estimular e incentivar muito os jogadores é a reformulação da seleção brasileira. Isso deverá abrir portas para muitos atletas que atuam em gramados nacionais, sejam novos ou experientes, e deverá contar em muitas das partidas com a presença do técnico Dunga e de sua equipe técnica.

6 – Por fim os grandes jogadores que apesar de tudo ainda estão em nosso campeonato. Apesar de muitos já estarem em situação de final de carreira, podemos perder algumas horas de futebol ainda com Ricardo Goular, Everton Ribeiro, Julio Baptista e Dagoberto no cruzeiro, Rogerio, Michel Bastos, Kaka, Ganso, Luis Fabiano, Kardec e Pato no São Paulo, Guerreiro, Jadson, Lodeiro e Elias no Corinthians, D´Alessandro, Aranguiz, Juan e Alex no Inter, Conca, Fred, Sóbis, Cícero, Wagner e Walter no fluminense, Robinho no Santos, Eduardo da Silva no Flamengo, Zé Roberto e Barcos no Grêmio, Jo, Vitor e Tardeli no Galo e mais alguns novos e bons jogadores como Lucas Silva do Cruzeiro, Dudu e Luan no Grêmio, Lucas Lima no Santos, o próprio Petrus no Corinthians, e por aí vai.

É óbvio que não estamos em uma grande safra de craques no campeonato brasileiro. Mas é incrível como ainda conseguimos manter chamas acesas do amor e da competitividade em nosso futebol. Passada a ressaca da Copa do Mundo, o público começou a aumentar no estádios, a prova disso é a média de 17.000 pessoas, a maior desde 2009, e próxima de ser a maior dos últimos 10 anos, os estádios que sediaram a Copa tem recebido diversos vezes públicos acima de 30 e 40.000 pessoas, as torcidas de SPFC e Corinthians tem duelado palmo a palmo pela maior média de público do campeonato (apesar da renda do timão ser absurdamente maior).

O número de boas partidas aumentou grandiosamente, temos tido alguns jogos bem interessantes, e tem sido gostoso assistir (em doses relativas ainda) o Brasileirão. Que seja daí para melhor, que acima de tudo seja prazeroso assistir esse campeonato e quem sabe (em nossos sonhos) ser um campeonato diferente do que nos acostumamos a ver nos últimos anos.

 

Deixe uma resposta