Japão ganha de virada e conquista pela primeira vez um título mundial

Os japoneses são conhecidos por sua sabedoria e superação. Quem não lembra o triste episódio ocorrido em março quando um terremoto e um tsunami arrasaram com várias cidades do país? Pois é. Ainda abalado e se reconstruindo, hoje o país pode esquecer um pouco a tragédia para sorrir e comemorar.

De forma incontestável, a seleção feminina de futebol do Japão (que por conta das dificuldades quase ficou de fora do Mundial na Alemanha) conquistou seu primeiro título mundial ao vencer a forte equipe dos EUA, bicampeã da competição.

Homare Sawa, que desde os 15 anos joga na seleção asiática, espera que o desempenho possa ter um reflexo positivo do outro lado do mundo. “Depois do terremoto, a situação não está fácil no Japão”, explica. “Estou muito feliz por poder jogar futebol, mais do que nunca. Espero que a gente possa dar força e incentivo ao povo japonês que está no nosso país. Tomara que o nosso futebol tenha dado uma chance para que crianças e futuras jogadoras possam sonhar”.

A final

A experiência do time dos Estados Unidos não foi suficiente para derrotar a insistente equipe do Japão. Apesar de ter saído na frente duas vezes, uma no tempo normal e outra na prorrogação, o time dos EUA deixou o adversário empatar e levar a partida para as penalidades máximas.

Apesar do domínio americano no primeiro tempo, a partida foi para o intervalo com 0 a 0 no placar.

No segundo tempo, Alex Morgan, que entrou no lugar da lesionada Lauren Cheney, foi lançada nas costas da zaga e bateu cruzado no canto esquerdo do gol para abrir o placar: 1 a 0.

O empate japonês saiu de uma falha gritante da zaga norte-americana. Depois de cruzamento pela direita, Rachel Buehler disputou bola com Aya Miyama e, na hora de afastar, chutou em cima da companheira Alex Krieger. Miyama aproveitou a sobra e mandou para o gol, sem chance para Hope Solo.

Prorrogação

Após cruzamento da esquerda, Abby Wamback cabeceou para fazer 2 a 1. O empate só saiu aos 11 minutos do segundo tempo da prorrogação. Após cobrança de escanteio, Homare Sawa se antecipou e desviou, a bola ainda desviou na americana Rachel Buehler, e entrou.

No finalzinho da partida, a zagueira Azusa IWASHIMIZU acabou sendo expulsa após cometer falta na jogadora americana.

Decisão nos pênaltis

Depois de 2 a 2 com direito a prorrogação, a equipe japonesa venceu os Estados Unidos nos pênaltis, por 3 a 1.

As americanas não foram bem nas cobranças e perderam as três primeiras (com Shannon Boxx, Carli Lloyd e Tobin Heath). Apenas Abby WAMBACH converteu.

Já o Japão marcou três das quatro cobranças: Aya MIYAMA, Mizuho SAKAGUCHI e Saki KUMAGAI. Além disso, a goleira Hope Solo defendeu a segunda cobrança batida por Yuki NAGASATO.

Classificação Final da Copa do Mundo da Alemanha

 

  • Campeão: Japão
  • Vice-campeão: EUA
  • Terceiro lugar: Suécia
  • Quarto lugar: França

 

Bola de Ouro adidas

 

  • 1: Homare SAWA (JPN)
  • 2: Abby WAMBACH (USA)
  • 3: Hope SOLO (USA)

Prêmio FIFA Fair Play

  • Japão (JPN)

Chuteira de Ouro adidas

  • 1: Homare SAWA (JPN)
  • 2: Abby WAMBACH (USA)
  • 3: MARTA (BRA)

Luva de Ouro adidas

 

  • Hope SOLO (USA)

Prêmio de Melhor Jogador Jovem

  • Caitlin FOORD (AUS)

 

Os melhores momentos da partida entre EUA x Japão

 

Clique abaixo para assistir os momentos mais marcantes da final que garantiu o título inédito ao Japão

 

 

index.html

 

2 ideias sobre “Japão ganha de virada e conquista pela primeira vez um título mundial”

  1. Depois da tragédia que o país enfrentou não dava para não torcer por esta seleção, que embora não seja brilhante (para mim não nem um bom time) demonstrou muita força de vontade.

  2. Mais uma lição que os japoneses nos ensinaram Luciano. Realmente não acho que a seleção tenha um bom time mas muitas vezes no futebol o que importa é a raça e a vontade de vencer. Isso o Japão tinha de sobra. Parabéns aos nipônicos pelo título

Deixe uma resposta