Escolha uma Página

Os japoneses são conhecidos por sua sabedoria e superação. Quem não lembra o triste episódio ocorrido em março quando um terremoto e um tsunami arrasaram com várias cidades do país? Pois é. Ainda abalado e se reconstruindo, hoje o país pode esquecer um pouco a tragédia para sorrir e comemorar.

De forma incontestável, a seleção feminina de futebol do Japão (que por conta das dificuldades quase ficou de fora do Mundial na Alemanha) conquistou seu primeiro título mundial ao vencer a forte equipe dos EUA, bicampeã da competição.

Homare Sawa, que desde os 15 anos joga na seleção asiática, espera que o desempenho possa ter um reflexo positivo do outro lado do mundo. “Depois do terremoto, a situação não está fácil no Japão”, explica. “Estou muito feliz por poder jogar futebol, mais do que nunca. Espero que a gente possa dar força e incentivo ao povo japonês que está no nosso país. Tomara que o nosso futebol tenha dado uma chance para que crianças e futuras jogadoras possam sonhar”.

A final

A experiência do time dos Estados Unidos não foi suficiente para derrotar a insistente equipe do Japão. Apesar de ter saído na frente duas vezes, uma no tempo normal e outra na prorrogação, o time dos EUA deixou o adversário empatar e levar a partida para as penalidades máximas.

Apesar do domínio americano no primeiro tempo, a partida foi para o intervalo com 0 a 0 no placar.

No segundo tempo, Alex Morgan, que entrou no lugar da lesionada Lauren Cheney, foi lançada nas costas da zaga e bateu cruzado no canto esquerdo do gol para abrir o placar: 1 a 0.

O empate japonês saiu de uma falha gritante da zaga norte-americana. Depois de cruzamento pela direita, Rachel Buehler disputou bola com Aya Miyama e, na hora de afastar, chutou em cima da companheira Alex Krieger. Miyama aproveitou a sobra e mandou para o gol, sem chance para Hope Solo.

Prorrogação

Após cruzamento da esquerda, Abby Wamback cabeceou para fazer 2 a 1. O empate só saiu aos 11 minutos do segundo tempo da prorrogação. Após cobrança de escanteio, Homare Sawa se antecipou e desviou, a bola ainda desviou na americana Rachel Buehler, e entrou.

No finalzinho da partida, a zagueira Azusa IWASHIMIZU acabou sendo expulsa após cometer falta na jogadora americana.

Decisão nos pênaltis

Depois de 2 a 2 com direito a prorrogação, a equipe japonesa venceu os Estados Unidos nos pênaltis, por 3 a 1.

As americanas não foram bem nas cobranças e perderam as três primeiras (com Shannon Boxx, Carli Lloyd e Tobin Heath). Apenas Abby WAMBACH converteu.

Já o Japão marcou três das quatro cobranças: Aya MIYAMA, Mizuho SAKAGUCHI e Saki KUMAGAI. Além disso, a goleira Hope Solo defendeu a segunda cobrança batida por Yuki NAGASATO.

Classificação Final da Copa do Mundo da Alemanha

 

  • Campeão: Japão
  • Vice-campeão: EUA
  • Terceiro lugar: Suécia
  • Quarto lugar: França

 

Bola de Ouro adidas

 

  • 1: Homare SAWA (JPN)
  • 2: Abby WAMBACH (USA)
  • 3: Hope SOLO (USA)

Prêmio FIFA Fair Play

  • Japão (JPN)

Chuteira de Ouro adidas

  • 1: Homare SAWA (JPN)
  • 2: Abby WAMBACH (USA)
  • 3: MARTA (BRA)

Luva de Ouro adidas

 

  • Hope SOLO (USA)

Prêmio de Melhor Jogador Jovem

  • Caitlin FOORD (AUS)

 

Os melhores momentos da partida entre EUA x Japão

 

Clique abaixo para assistir os momentos mais marcantes da final que garantiu o título inédito ao Japão

 

 

index.html

 

%d blogueiros gostam disto: