Irreconhecível…

Ouvi o jogo entre Palmeiras e Mirassol e confesso que ao final do jogo, quando ficou em 1 a 0 para os visitantes, pensei: era pra ter sido mais. Com o futebol que o time apresentou, no mínimo uns 3.

O jogo tinha tudo para ser mais uma vitória(tranquila ou não), porém algo havia com o time, que nada dava certo, pois a dupla de zaga formada por Henrique e Mauricio Ramos, errava constantemente nas saídas de bola e a todo momento propiciava contra-ataques para o time do Mirassol que pela sua baixa qualidade técnica desperdiçava. O Palmeiras no seu setor ofensivo também não fazia muito melhor, pois errava demais no passe inicial e a bola ou chegava em péssimas condições, ou sequer chegava para a dupla Barcos/Maikon Leite. Quem procurava jogo ainda era o Wesley, que diferente da primeira partida, apareceu muito mais e foi um dos bons destaques do time durante o jogo.

Mesmo na etapa final o time do Verdão criava pouco e errava muito e continuava a dar espaços para o visitante, que só não estava marcando agora por conta da excelente partida do Deola, que praticou diversas defesas que estavam garantindo o empate até aquele momento. O Felipão pra mim errou de novo nas substituições, ao tirar o Artur e por o Chico, depois tirar o Daniel Carvalho e por o Pedro Carmona e sem comentários a primeira: tirar o Maikon e por o Ricardo Bueno, que só pra variar, foi figura nula e quando aparecia, era pra errar algum lance. Tanto errou que acabou sendo castigado pelo gol do Preto, e depois não teve competência pra virar, já que ia de forma desorganizada e pouco criava de jogadas consistentes.

Em termos práticos, essa derrota não significa praticamente nada, pois o time já está classificado, porém acho q tanto essa derrota, como a sofrida para o Corinthians, servem como alerta para que o time não se perca pensando que pode ganhar o jogo a qualquer momento, como eu vinha citando que estava acontecendo em algumas partidas. Talvez essas “sacudidas” acordem o time e façam eles perceberem que não podem entrar em campo achando que o gol saíra do nada, que eles não tem de se esforçar para buscar o resultado, coisa que vinham fazendo durante aquela excelente série de jogos invictos, mas que nas últimas partidas parece que esqueceram. Positivo para o time, que isso aconteceu em um momento onde o efeito da derrota é menor, pois se o time seguisse no ritmo que estava indo e continuasse a vencer jogando com soberba, poderia acabar levando um tombo muito pior em fases decisivas, tanto da Copa do Brasil, como do Campeonato Paulista.

O próximo jogo será no Ceará, contra o Horizonte, ainda com a possibilidade de eliminar a segunda partida. Não vou cravar uma classificação antecipada, porém acredito que a postura do time será totalmente diferente dessa apresentada contra o Mirassol. O time evoluiu muito, mas ainda precisa encontrar o equilíbrio emocional para não se deixar levar por séries de bons resultados e procurar sempre melhorar e não achar que porque conseguiu uma série invicta, que deve se contentar só com aquilo e não almejar progressos.

O time deve ter algumas mudanças ao término do Paulista, principalmente no setor ofensivo, que contará com a volta de Luan e que finalmente nos veremos livres do Ricardo Bueno, que definitivamente não tem condições de jogar no Palmeiras. É muito fraco tecnicamente, e peca principalmente pela péssima pontaria. O Fernandão, apesar de não ser um primor tecnicamente, erra muito menos e consegue fazer um papel razoável de pivô, ou seja, pra compor elenco é uma peça até interessante, diferente do Bueno, que cada vez que entra dá a impressão que não conseguirá fazer nada para mudar o panorama da partida.

Deixe uma resposta