Escolha uma Página

O jogo de quinta contra o Oeste foi daqueles que dá pra chamar de acidente de percurso, mas como em todo acidente, devem ser observadas suas causas.

Diferente dos outros jogos, o que vimos foi um Palmeiras estático, errando demais, onde independente do fato do pênalti que deram contra não ter sido absolutamente nada( o cara dominou com o braço primeiro, depois se jogou, algo patético), nem de longe o time fez por merecer algo melhor que um empate. Era bola de um lado para o outro, sem objetividade, movimentação praticamente nula(exceção feita ao Maikon Leite, que novamente foi o diferencial do time), fora que as principais peças ofensivas estavam em um mau dia. Cicinho estava mal, Juninho sumido e o Daniel Carvalho em uma péssima noite. O pior problema do Palmeiras é que ao que parece o Daniel também não aguenta uma sequência grande de partidas, que o rendimento dele despenca, isso foi notado nas 2 últimas partidas, que ele teve atuações muito apagadas. O pior problema é que com a queda de rendimento dele, o time definha junto, pois ele que na ausência do Valdívia(que já nem é novidade) dá o toque criativo ao time e com ele assim, o time volta a viver de ligações diretas.

Ponto positivo ontem, a estréia do Roman, que mostrou-se um zagueiro veloz e com potencial para virar titular em pouco tempo, vale ficar de olho. O destaque vai de novo para o Maikon Leite, que dessa vez acabou recompensado com um gol no rebote do chute do Barcos, que garantiu ao menos a invencibilidade do time.

Dizer que o time virou uma porcaria seria absolutamente incoerente e a competição não é parâmetro para nada do resto do ano, porém o que deve ser levado em conta é: o time gira em torno de um meia, se ele não joga bem, ou está em uma noite infeliz, o time volta a ser aquela “coisa” que era ano passado. Ainda não dá pra depositar as esperanças em Daniel Carvalho e Valdívia, pois a condição física de ambos os tornam incógnitas. O ponto bom é que agora apesar de tudo, são 2 meias que citamos, e não mais um, bem ou mal, aumentaram as opções. A parte positiva é que o Maikon vem jogando melhor a cada partida e fazendo praticamente esquecerem que o Luan estará fora por tanto tempo, porém faz-se necessário um reserva para ele.

Algo que vi após o jogo, achei simplesmente absurdo: o Felipão quando perguntado sobre o Pedro Carmona, que pelo segundo jogo seguido sequer era relacionado, disse que já conta no banco com o Chico e João Vitor e que pelo fato do João fazer as vezes de volante e pasmem! meia, que não dava para levar ele também, mas então pra que segurou quando ele teve proposta para sair? Vai desculpar, mas se tem um meia que pode ser colocado para ao menos tentar manter o nível criativo quando o titular não rende e ao invés disso, você prefere levar um volante, é no mínimo uma burrice imensa, fora que o João Vitor já provou que é um jogador comum, que não vale a pena todo esse crédito. O Tinga teve o mesmo problema de demora pra cair a ficha, agora ele sequer aparece, o jeito é torcer para que isso ocorra logo no caso dele também.

O jogo do fim de semana, será contra o São Paulo e será um bom parâmetro para ver o quanto o time evoluiu desde o primeiro clássico. será interessante ver como rendem os novos jogadores ao enfrentarem um time muito mais forte do que os que o Palmeiras andou enfrentando. Artur, Barcos, Roman, terão chance de provar que chegaram de fato para ficar.

 

%d blogueiros gostam disto: