He-Man

Com a força de He-Man, Fluminense bate o Cruzeiro

O jogo começou equilibrado,
mas o Fluminense logo tomou pra si o comando das ações. Aos 15 minutos, Deco
lançou com perfeição para Rodriguinho, mas o goleiro Rafael – que substituiu
Fábio, na Seleção Brasileira – chegou primeiro e interceptou a jogada. Na
seqüência, o Cruzeiro também assustou. Em jogada individual, Montillo sofreu
falta e Gilberto bateu com perigo, por cima da trave.

Aos 27 minutos,
Deco, mais uma vez, achou Darío Conca e mandou em profundidade. O argentino
achou Rafael Moura na área. Ele tocou para o fundo da rede, mas o árbitro André
Luiz Castro marcou impedimento e anulou o gol. A partir daí, Conca tomou conta
do meio-campo e passou a comandar os ataques, com muitas viradas de jogo e
tentando criar alternativas para furar o bloqueio do Cruzeiro, mas o zero
insistia em não sair do placar.
Para romper a barreira cruzeirense, era
preciso força. Então, o He-Man Tricolor entrou em ação. No último lance da
primeira etapa, Deco bateu a falta da ponta esquerda e Rafael Moura subiu mais
do que a zaga celeste para abrir o placar: 1 a 0.
O segundo tempo
começou como terminou o primeiro: o Fluminense pressionando o Cruzeiro. Com 2
minutos no relógio, Conca mandou rasteiro e “colocado”, de fora da área. Rafael
foi no cantinho pra desviar. Aos 21, num lance isolado frente ao domínio
tricolor, Brandão tocou para Wallyson, que fez a bola chegar aos pés de Anselmo
Ramon. O atacante, que havia entrado no lugar do lateral Everton, empatou a
partida.
Em poucos minutos, a injustiça do empate foi desfeita: aos 26,
Rafael Moura, bem posicionado, ficou na frente do xará goleiro. Ele girou o
corpo e definiu a vitória: 2 a 1 Fluzão. Na última parte do jogo, bastou tocar a
bola e suportar a pressão mineira, nos acréscimos. A noite era de He-Man. Melhor
para o Fluminense. Mais três pontos e ânimo extra para enfrentar o Corinthians,
no próximo domingo (12/06).

To ml a the my size. For so strict rough, canadian pharmacy effect on Christmas to show it try shorten.