Arquivo da categoria: Em Cima da Linha

Nem só de amor se vive

Perder é ruim, claro, é muito ruim, mas não é o pior que pode acontecer. Faz parte do esporte, quem gosta e acompanha tem que saber que uma hora vai perder.

Mas o que aconteceu com o meu amado Vasco foi pior. Pois com a volta do Eurico, não perdeu só o clube, perdeu o futebol brasileiro. Perderam todos que gostam desse esporte e que queriam que evoluíssemos.

Inocência pensar que o Eurico fará mal só ao Vasco. Aliás, o provável que o Vasco volte a vencer, diria que em no máximo 3 anos ganhará um Carioca. Mas a que preço?

Bom eu digo por mim, para mim deu. Ver o Vasco cair duas vezes doeu, bastante, eu diria. Ver o principal ídolo como jogador do clube fazer o que o Roberto Dinamite fez, muito mais. Aliás, Roberto também se mostrou, além de fraco, covarde, um administrador bem “confuso”, para não acusá-lo de crime algum. Foi o pior essa é a verdade.

E quando eu achava que tínhamos chegado ao fundo do poço, a volta do Eurico foi a gota d’água para eu largar de mão.

“O Sentimento não pode parar!” O sentimento não para mesmo, mas nenhuma relação vive só de amor, e só de um lado. Perder faz parte, ser diuturnamente vilipendiado não. Se os sócios entenderam por bem o retorno de Eurico, eu que tenho que me afastar.

Foi fácil me afastar da seleção, será também do Vasco. Em certos momentos temos que escolher o que é mais importante, ganhar a qualquer custo, para mim, nunca será.

Dossiê futebol/seleção nacional – direitos de transmissão

Dando continuidade a análise de como o futebol brasileiro(por consequência a seleção, um dos maiores indicadores da clara decadência pela qual o futebol passa), vou passar por algumas coisas que acredito estarem entre as principais causadoras dessa porcaria que está ficando o futebol nacional, que irá desde o desmando dos clubes, lei pelé, direitos de transmissão, entre outros. Para começar, uma questão que gera discussões até hoje, com gente que ainda acredita que isso tenha sido o melhor negócio para os clubes.

Mostrarei aqui como as coisas da forma que foram feitas, foram de tudo, menos vantajosas para o futebol.

O ano de 2011 foi marcante, pois o CADE(Conselho Administrativo de Defesa Econômica) obrigou que houvesse uma licitação pelos direitos de transmissão do futebol brasileiro, que até então tinha praticamente uma renovação automática com a globo, que pagava o valor que bem entendia, deixando consideravelmente defasado em relação a outros clubes.

Seria feito de uma forma simples: seriam entregues as propostas fechadas, abertas e a melhor simplesmente levaria.

Até então, disputavam: globo, record e rede TV!. A record vinha forte e prometia uma proposta considerável para levar esses direitos e a globo já temendo a possibilidade de perder um produto forte e depois de perder as olimpíadas para a mesma, resolveu começar a se mexer nos bastidores.

O clube dos 13 já vivia um racha por conta de problemas entre o presidente corintiano na época, Andrés Sanches e o presidente da entidade, Fabio Koff. O então mandatário corintiano exigia receber mais pelo seu produto, em detrimento a diminuição do valor repassado a outros clubes, o que obviamente geraria uma maior disparidade. O presidente rechaçou a proposta, o que naturalmente enfureceu o dito dirigente.

Aproveitando-se desse fato, a globo já se aproximou dele e do dirigente do Flamengo para dar-lhes justamente isso: muito mais dinheiro em relação aos outros. Tendo alcançado seu objetivo inicial, cabia ao dirigente corintiano começar a demover os clubes de fazer a coisa pela forma correta(ou seja a licitação, que seria feita em bloco) e negociar em separado com a emissora carioca.

Pressionados, alguns clubes acabaram por acompanhar, temendo a possibilidade de ter problemas com acordos de patrocínio e publicidade e com “ameaças” do risco de perderem dinheiro por ir para uma emissora com menos exposição. Acabou que mais e mais foram indo, até pelo medo de “morrerem abraçados” ao já rachado clube dos 13.

Um dos últimos clubes a ir foi o São Paulo, pois este não concordava com esse modelo feito e principalmente acreditava que a negociação pudesse ser feita com termos mais igualitários aos clubes, com uma diferença menor do que é atualmente, porém vendo-se voto vencido, acabou por ceder e também fechar o acordo.

O acordo, olhando nos números “crus”, mostrou-se excelente, pois cada clube praticamente dobrou(e alguns muito mais do que isso) seu faturamento com esse tipo de renda, porém ao analisar a coisa mais a fundo, nota-se que a realidade não é tão bonita como pintaram dirigentes como o próprio Andrés(ele e seu time riem a toa com o bom negócio que fizeram, onde praticamente fizeram de trouxas os outros clubes que entraram nessa barca furada) e claro com o Flamengo, time preferido da emissora carioca.

Primeiro com a questão da disparidade de valores: a faixa que abrange Corinthians e Flamengo, tem um valor de quase 40 milhões a mais do que a segunda faixa, que engloba times como São Paulo, Palmeiras e Vasco, com Santos em uma faixa única recebendo 10 milhões a menos e isso muito se reflete também na questão das transmissões, onde os dois primeiros praticamente predominam na tv.

Gol contra dos que acompanharam os dois, principalmente do mesmo estado, pois abaixaram a cabeça e fizeram contratos que inclusive os prejudicam, já que uma menos exposição na tv naturalmente renderá menos dinheiro.

Segunda coisa foi a forma como os direitos foram vendidos: A globo tem direito a TUDO relacionado ao campeonato, ou seja tv aberta, fechada, internet e celulares. O plano do clube dos 13 na licitação era englobar apenas a transmissão em tv aberta, ou seja, além do valor recebido pelas transmissões em canais abertos, haveria também a uma considerável entrada de dinheiro das outras mídias quando fossem negociadas, verba essa que ficou paga no pacotão comprado pela globo.

Preciso explicar mais sobre tal burrice desse negócio? Consideremos que o valor final pago na transmissão tenha sido equivalente entre globo e record(já que estimava-se que o valor oferecido pela record era de 1 bilhão, que somados os pagamentos feitos pela globo em separado, chega-se a um valor de aproximadamente 840 milhões, ou seja ainda menos que o oferecido pela concorrente), o que cada clube perdeu por não ter negociado outras 3 mídias em separado, poderia ter alavancado consideravelmente o faturamento dos times.

Terceiro ponto é o dos horários dos jogos: times agora ficam chorando por ter de jogar as 22 horas, ou “depois da novela”, tanto que isso rendeu um aumento no horário do transporte público para que os torcedores pudessem voltar, aumentando assim a chance de maior público nesses dias de jogos.

Por acaso alguém se lembra que uma das propostas da record era de colocar o horário dos jogos as 20:30 durante a semana? Pois é, quem não lembra(ou não sabia) tem agora sua memória refrescada. E não é irônico que um dos maiores responsáveis pela manutenção desse horário ridículo, tenha sido justamente o que mais chorou por ter de jogar nele? Opinião minha que as coisas deviam ficar exatamente como eram, sem essa benevolência do estado para aumentar horário de metrô, assim esses clubes tem prejuízo por não poder levar o público que poderiam e pensam duas vezes antes de aceitar qualquer coisa.

Quarto ponto e esse beira o absurdo: sugiro a qualquer um que esteja lendo que busque na internet os seguintes dizeres “Allianz Parque Palmeiras” e depois digam se encontraram algum resultado. Conforme noticiado pelo jornalista Cosme Rímoli ao R7, apenas o corinthians tem esse benefício(isso claro se tivesse algum naming rights), porém não se estende a outros estádios. Tanto que se acha nas matérias da globo o estádio do Palmeiras(que já tem esse nome faz mais de ano) chamado simplesmente de “arena palestra”, além de estádios no nordeste que tiveram os naming rights comprados pela Itaipava e continuam a ser simplesmente chamados de “Fonte Nova” e “Arena Pernambuco”.

Aí vem a pergunta: por que apenas eles teriam tal benefício? E se os times, ou gestores do estádio que sejam tenham tido a competência de conseguir patrocinadores que dão nome aos estádios, por que não chamá-los pelo nome oficial? Mais um dos muitos absurdos que entram nessa conta…

Para não citar o peso que o ex-presidente da CBF, Ricardo Teixeira, na época ainda amiguinho da globo(antes de ter essa relação estremecida por conta das bobagens que falou para a revista Piauí e depois consequente denúncia da globo das suas irregularidades em diversos negócios como retaliação) teve nesse processo todo, até em função da influência dele sobre muitos clubes e claro do bom relacionamento dele com o presidente corintiano, Andres.

É necessário comentar sobre as motivações envolvendo esse ser nefasto? Ele mesmo ameaçou entregar gravações dele com o diretor da globo sobre as discussões desses direitos de transmissão(obviamente se ele ameaçou é porque não se trata de nada que visa o bem do futebol). Acho que por si só o nome dele envolvido já tornam desnecessárias maiores explicações…

Depois de tudo isso, tirem suas conclusões sobre o que de fato foi benéfico em toda essa negociação, quem de fato saiu ganhando, perdendo e o quanto o egoísmo e ganância de alguns(para não citar o dinheiro por fora que possivelmente rolou nessa história toda) continuam a levar o futebol nacional para o buraco.

Atualizando a situação:

Algo que foi noticiado na quinta-feira(7/8) apenas fica como a “cereja do bolo” de tudo que foi dito acima: a globo e os clubes irão se reunir para discutir mudanças no futebol brasileiro.

Cogita-se que a Globo quer a volta dos mata-matas, opção rejeitada pelos clubes(mas que não duvido que hajam vozes que apoiem isso, afinal lembremos o que houve na licitação), além de chance de haver discussão sobre valores de cotas(coisa que certamente a globo não irá mexer) e de investimento em categorias de base, entre outras coisas.

Nota-se claramente que agora a linguiça está comendo o cachorro, pois ao invés de os clubes discutirem e levar a proposta pronta, para ver se eles tem interesse ou não, simplesmente ocorre o inverso, com a emissora buscando e claro vendo seus interesses em tal discussão, que não necessariamente quer dizer que sejam interesses que beneficiem todos os clubes. É algo completamente patético.

 
Apenas nessa primeira parte da análise, já podemos ver como as coisas andam feias, e ainda vem muito mais por aí.

Encheu o saco

– Torcidas de Santos e Corinthians se enfrentando nas cercanias da Vila Belmiro;

– Torcedores do Santos cuspindo no técnico Mano Menezes, que por sua vez retrucou xingando estes torcedores após o gol corintiano;

– Petros agredindo o juiz e depois dizendo que só foi uma trombada;

– Juiz coloca uma coisa na súmula e no dia seguinte muda, sob pressão do auditor do STJD; Continue lendo Encheu o saco

Melhores contratações do meio do ano – Parte 1

Animados certamente pela copa do mundo(outros por desempenho ruim na temporada), os times saíram bem mais cedo as compras esse ano e contratações que normalmente se veria mais ao fim da janela(casos de Suaréz e James por exemplo) foram fechadas logo de cara, talvez possivelmente pelo fato de os clubes vendedores saberem que dificilmente teriam tempo hábil para trazer um substituto se engrossassem demais o jogo e acabaram por aceitar os valores oferecidos(que diga-se também não foram baixos).

Aqui as transferências dessa primeira parte que considero mais relevantes ou pelo menos aquelas que devem ser as boas contratações da próxima temporada:

Continue lendo Melhores contratações do meio do ano – Parte 1

Precisava parar

cansado

13 de Julho de 2014.

A Alemanha bate a Argentina no Maracanã e é coroada como a grande campeã do mundo.

16 de Julho de 2014.

O Campeonato brasileiro tem o início de sua décima rodada.

É demais, meus amigos. Hoje teremos vários jogos importantes pela Copa do Brasil, o segundo campeonato mais importante do país. E a verdade é que ninguém está ligando pra isso. Continue lendo Precisava parar

Como a contratação de James Rodríguez resolve vários problemas do Real Madrid de uma vez só

jamesrodriguez4afp

Assim como aconteceu após a Copa de 2010, quando contratou dois dos destaques da competição (Özil e Khedira), o Real Madrid trouxe mais dois galácticos para se juntar à sua constelação.

Depois de Toni Kroos, meia/segundo volante alemão ex-Bayern de Munique e um dos melhores jogadores da Copa segundo a FIFA e enquete com torcedores, hoje foi a vez do colombiano James Rodríguez, ex-Monaco. O meia de 23 anos foi o artilheiro da Copa do Mundo e autor do gol premiado como o mais belo do campeonato, o que o credenciou como uma das principais estrelas da competição. Continue lendo Como a contratação de James Rodríguez resolve vários problemas do Real Madrid de uma vez só

Alemanha, Santa Cruz Cabrália, Podolski e a Copa das Redes Sociais

esporte-futebol-selecao-alemanha-indios-20140609-06-size-598

Grande constatação inquestionável hoje no mundo do futebol. Alemanha, tetra campeã, com futebol reverenciado, craques aclamados e um carisma que superou todas expectativas e se transformou em um dos maiores shows dessa copa do mundo de forma que o esporte mundial nunca viu. Foi a copa das Redes Sociais.

Continue lendo Alemanha, Santa Cruz Cabrália, Podolski e a Copa das Redes Sociais

As camisas pesadas ainda entortam varal na copa do mundo

campeas-mundiais

Nessa copa do mundo de 2014 não tivemos nenhuma seleção que tenha se destacado 100% e atropelado todos adversários. Único time que não teve complicações sérias até aqui foi a Colômbia que ainda assim pegou um grupo C bastante fraco e um Uruguai derrubado pelo caso Suárez nas oitavas de final.

Porém, ainda assim vamos avançando as rodadas e o cenário continua o mesmo de outras edições anteriores de copa do mundo. As gigantes estão da mesma forma na disputa pelo título e os pequenos e médios vão caindo um a um ainda que os grandes tenham passado sufocos históricos e tenham contado com uma pitada absurda de sorte nos finais dos jogos.  Continue lendo As camisas pesadas ainda entortam varal na copa do mundo