Arquivo da categoria: Grupo B

Os gols inúteis da Espanha e o jogo morto da Holanda

Muito se falou sobre a Espanha nesse mundial. De atual campeã e provável finalista a fracassada e vergonhosa. Os jornais espanhóis deste fim de semana já deixavam claros que um último lugar não seria tolerado, já que até então tinha perdido dois jogos e o terceiro seria contra a fraca e inexpressiva seleção da Austrália.

Frente aos australianos, os espanhóis foram claramente superiores (o que já era obrigação) e fizeram três gols (inúteis) que só valeram para fazer com que voltassem pra casa com ao menos uma vitória e diminuíssem o vexame.

David Villa fez um belo gol de letra, mas como dizia Romário “Não interessa como é o gol, o que interessa é que é gol”. E com certeza é melhor fazer quatro, cinco, seis gols de bico e ganhar todos os jogos do que fazer um gol de letra, bicicleta ou voleio e só ganhar um.

E só uma curiosidade para fechar o assunto Espanha… Ontem no voo que levou os jogadores de volta a Madrid um raio atingiu o avião na descida. Seria talvez para acordar os jogadores  e mostrar que eles não jogaram nada???

Já Holanda e Chile fizeram um jogo comum, morno, de comadre… (pode escolher o nome que quiser) e só ficaram enrolando o tempo. No final do jogo, os reservas da Holanda (Fer e Depay) marcaram e consumaram o que todos já imaginavam, Holanda primeira colocada do grupo B e Chile em segundo. A Holanda pega nas oitavas-de-final o México e o Chile enfrenta o Brasil.

O time chileno até que tentou algumas jogadas pra cima da Laranja, mas parou na defesa bem postada. O grande lance do Chile foi de Alexis Sanchez que em jogada individual deu uma bela caneta em Lens e chutou forte, o goleiro Cillessen fez boa defesa e evitou o gol.

Agora o Chile vai com tudo pra cima do Brasil, acreditando que podem conquistar vitória, apostando no ataque rápido e nas artimanhas de Sampaoli, que sempre muda o esquema do time por completo atuando com três e até quatro atacantes.

A Holanda enfrenta o México e confia no poder de seu elenco e principalmente na força e velocidade de Robben para passar as quartas-de-final.

Bye bye Austrália – Adiós Espanha

A Holanda entrou em campo com o pensamento de que golearia a Austrália quando e como quisesse. Só não contavam que Bresciano, Oar, Cahill e Leckie estariam em dia inspirado e dariam bastante trabalho para a defesa holandesa.
Com a presença do rei Guilherme Alexandre e a rainha Máxima Zorriegueta, a seleção holandesa não podia passar vergonha e começou o jogo com muitos toques de lado deixando o jogo morno, mas em um erro de passe do time australiano no meio de campo, Robben aproveitou (e como sempre) correu, correu, correu e marcou o primeiro gol do jogo.
A tendência seria que o time australiano se recolhesse para não tomar mais, mas levaram a sério o lema de que a melhor defesa é o ataque e partiram para cima da Laranja Mecânica e empataram o jogo com um belo voleio sem pulo de Cahill (e que gol, diga-se de passagem – candidato a gol mais bonito da copa com certeza).
A Austrália ampliou logo no inicio do segundo tempo com gol de pênalti de Jedinak, mas a Holanda mostrou que é a Holanda e que tem tudo para ir longe nessa copa, empatando o jogo com gol de Van Persie e virando com Depay.
Os brasileiros seriam muito mais felizes se o goleiro australiano Ryan fosse da seleção mexicana. Ele falhou (e feio) no gol de Depay. Um chute de longe, e o goleiro acabou caindo muito atrasado na bola e se não bastasse nem teve tempo de esticar os braços direito para ao menos sair bem na foto do gol.

No outro jogo do grupo, a Espanha nem viu o rastro do Chile que atropelou os espanhóis com gols de Vargas e Aránguiz.
Vargas abriu o placar com belo gol, após cortar Casillas e colocar a bola nas redes. Ainda no primeiro tempo, Aránguiz aproveitou nova falha de Casillas(que já deve pensar em se aposentar, já que só tem cometido erros, tanto no Real Madrid como na seleção) e guardou mais um para La Roja.
A Espanha se despede da Copa 2014 com duas derrotas até agora e faz o último jogo com a Austrália que também está fora da Copa.
O Chile mostrou que tem Vidal, Medel, Isla e companhia, e que faz parte do grupo de favoritos ao título, principalmente se continuarem com o bom futebol mostrado em campo.
Com esquema de jogo baseado no bom toque de bola e boas jogadas em velocidade, a equipe chilena tem tudo para ir longe nessa copa.
Na próxima rodada, Chile e Holanda se enfrentam para definir quem fica com a primeira posição do grupo, e isso interessa e muito ao Brasil já que os primeiros do Grupo A enfrentam os primeiros do Grupo B.
Agora é só o momento de dizer Bye bye Austrália e Adiós Espanha, foi um prazer recebe-los aqui, mas agora é hora de preparar as malas para ir para casa.

Técnicos Tipo Exportação

Todos desfrutamos de um passeio hoje no Maracanã. O Chile, com seu futebol atual, rápido, agressivo,  colocou a Espanha na roda e eliminou a atual campeã.

Amanhã a Colômbia enfrentará a Costa do Marfim, e a repetir a atuação da primeira rodada, encaminhará, certamente,  sua passagem para as Oitavas.

E aí você pensa, o que tem a ver uma coisa com a outra…

Ambas equipes, as Sulamericanas que demonstraram o melhor futebol até agora, são treinadas por técnicos argentinos. E o que me espanta, o pior time taticamente, aquele que demonstrou a pior formação em campo, foi a própria Argentina.

A verdade é que tanto Sampaoli quanto Pekerman não são novidades no mundo do futebol. Este por ter tido muito sucesso com as seleções de base argentinas e aquele pelas temporadas brilhantes comandando a equipe da Universidade do Chile.

E mais, Sampaoli é um discípulo assumido de Bielsa. Outro técnico argentino com muito sucesso fora de lá.

Na verdade, ou Messi, Di María e Aguero começam a jogar, ou o melhor argentino da Copa pode defender outras cores.

Estou dividido, não gostaria de pegar a Holanda logo agora, mas ao mesmo tempo queria muito que o Chile fosse longe nessa Copa.

Vidal, Vargas, Sanchéz, Bravo e, principalmente, Sampaoli merecem chegar lá.

Se é cedo para decretar o fim do Tiki Taka, não é cedo para enaltecermos o estilo coletivo, veloz e ofensivo de La Roja.

Enquanto isso, Messi e companhia entram em campo com GPS para poderem se achar nas quatros linhas.

E se reclamamos de vermos que nossos craques estão fora do país, imaginem os “hermanos”, que se viram com Maradona, Sabella e afins…

 

Grupo B e seus sacos de pancada

Os dois sacos de pancada do grupo B foram apresentados. Espanha e Austrália mostraram ontem que possivelmente não passem da fase de grupos. A Espanha, atual campeã do mundo não conseguiu jogar diante do forte esquema da Holanda. A seleção espanhola até saiu na frente no placar, mas Robben, Van Persie e companhia conseguiram impor um excelente futebol e massacraram o time espanhol. Van Persie que por sinal fez um lindo gol – que pode vir a ser o mais bonito da copa – mostrou que sabe render na seleção também e espantou o fantasma de sumir em copas. E com isso, a Holanda simplesmente mandou 5 gols pra cima da Espanha e deixou o mundo de queixo caído. Será que a tão poderosa Espanha já não é mais tão temida???
E outra que também não deve conseguir vingar nessa copa é a Austrália, que tomou três do Chile. Até conseguiu um gol do vovô Cahill e uma pressão boa feita pelo outro vovô Bresciano, mas com pouquíssima técnica não conseguiu fazer muito no jogo.
O Chile jogou como quis e abusou das “brincadeiras”, perdendo muitos gols e desperdiçando boas jogadas. A presença de Vidal no jogo fez diferença e Valdívia rendeu bem no meio campo, chegando até a marcar um belo gol.
Pelo menos na primeira rodada já sabemos que os “sacos de pancada” sem dúvida apanharam bastante. Resta saber se nas próximas rodadas se o título se confirma ou não.

La Roja murió

despertador_03

Sim, meus amigos, acabou pra Espanha.

Não, não estou precipitado.

Após levar o maior sapeca ia ia até então da copa – e se bobear, o maior que teremos no torneio, a seleção espanhola demonstrou ao mundo que essa geração não tem mais o que ser extraído. Eu tinha dito aqui que Argentina X Irã poderia ser a maior goleada da copa, mas duvido que seja com a autoridade que a Holanda passou o carro hoje.

Aliás, o jogo de hoje já movimentou as apostas para a artilharia do torneio, porque ninguém esperava que fosse tão fácil. O Luciano Sant’Anna já trouxe um texto sobre isso hoje.

Bom, mas não quero falar sobre a Holanda, nem sobre o jogo em si. E sim sobre a geração mais vitoriosa de uma seleção de futebol, que ganhou, na sequência, duas Eurocopas e uma Copa do Mundo.

O time hoje é visivelmente envelhecido e “manjado” pelos adversários. Vai tentar ficar com a posse de bola, o tal do tic-tac que cá entre nós, funciona mas é chato pra caramba de se ver pra tudo quanto é lado, mas sem força física pra penetrações na defesa adversária tampouco resistência para manter o ritmo até o final.

Não, isso não apaga o que a seleção espanhola fez pelo futebol. Mas temos, sim, a decadência de uma geração que precisa urgentemente ser renovada. Talvez o treinador Vicente Del Bosque tenha perdido a oportunidade de usar essa copa para dar maturidade a jovens talentos, como o Klisman fez com a Alemanha em 2006, mas o próprio Del Bosque talvez esteja precisando sair e deixar espaço para algum treinador mais jovem (não pela idade, mas por uma nova ideia de futebol, mesmo).

Quem joga contra a Espanha sabe que é só congestionar o meio, forçar a marcação sobre a lenta e sem habilidade defesa espanhola e metade do jogo está garantido. Tivesse a Holanda jogado um pouco mais sério no segundo tempo e teria enfiado uns 8.

NEste exato momento, vejo o Chile ganhar com certa tranquilidade da Austrália, por 2 a 1. Se arrancar um empate da Espanha, é só não ser goleado pela Holanda. E mesmo que perca da Espanha, não acredito que a Holanda terá todo o ânimo do mundo para ganhar dos chilenos na última rodada. Então, meus amigos, vou encerrar meu post de hoje com a mesma frase que iniciei: Acabou para a Espanha.

Chile x Austrália – Só a vitória interessa

Chile e Austrália fecham o dia 13 com jogo às 19 horas na Arena Pantanal em Cuiabá.

No Grupo B Espanha e Holanda são as favoritas, e para Chile e Austrália resta a disputa pelo título de “Azarão”, mas para isto, no confronto direto de hoje só a vitória interessa.

A Austrália sabe disso e o próprio diretor da Federação Australiana de Futebol, Kyle Patterson já disse que os primeiros 20 minutos serão decisivos. O time australiano depende muito de dois jogadores – Bresciano e Tim Cahill, mas ambos não são mais tão jovens a ponto de aguentar um ritmo rápido durante todo o jogo.

Do outro lado o Chile sempre confiante, mas nem sempre eficaz, conta com o entrosamento de Valdívia, Aránguiz, Vargas e Alexis Sanchéz para impor seu estilo de jogo e sufocar a defesa australiana. O time tem enfrentado dificuldades em se acostumar ao calor (para alguns seria uma desculpa caso sejam derrotados).

O volante Vidal era a principal dúvida no jogo. O jogador vem de uma cirurgia no joelho direito e por diversas vezes não treinou com a equipe, mas o técnico Jorge Sampaoli garante o volante no jogo.

Esse promete ser um jogo bem disputado pelas duas equipes e pode render bons momentos. Resta saber se Valdívia(eterno perna de vidro) e companhia tem gás suficiente para sobrepujar os “vovôs” Bresciano e Cahill.

Espanha e Holanda reeditam final da Copa da África

Talvez seja o melhor jogo da copa, talvez seja uma reedição da final da copa passada, talvez seja uma forma da Holanda mostrar que agora é diferente, talvez seja a vez da Espanha mostrar que é melhor mesmo… Talvez… Talvez… tudo são dúvidas. De certo, só que o jogo tem tudo para atrair a atenção do mundo todo. Holanda e Espanha, duas potências do futebol mundial – uma das antigas e outra da atualidade.

O jogo promete ser um dos maiores embates desta copa. Analisando as escalações vemos nomes fortes e que podem realmente fazer a diferença – Xavi, Iniesta, Fernando Torres, Fàbregas, Kuyt, Sneijder,Robben… Não tem como falar da qualidade destes jogadores – são craques tanto em seus clubes como nas seleções.

Holanda e Espanha já se enfrentaram 10 vezes e os espanhóis levam ligeira vantagem – cinco vitóriasda “Fúria” contra quatro da “Laranja Mecânica” e um empate. Em número de gols, a Espanha ainda leva vantagem, 16 contra 11 da Holanda.

O jogo está marcado para hoje (13/06) às 16:00 na Arena Fonte Nova em Salvador.

Resta-nos aguardar para termos o prazer de ver as estrelas em campo e torcer para que eles nos contemplem com belos lances.

O grupo B… Seria esse um “Grupo da Morte” ou um “Grupo dos Mortos” ???

Estão no grupo B as seleções de Espanha, Holanda, Chile e Austrália.

A Espanha é a atual campeã do mundo, mas nos últimos meses os comandados pelo técnico Vicente Del Bosque não estão rendendo o tão esperado futebol mágico que contagiou o mundo nos últimos anos.

Os grandes nomes como Xavi, Iniesta, David Villa, Cassilas e Fernando Torres já indicaram que esta deve ser a última copa que disputarão pela Seleção Espanhola. São jogadores que se destacaram nas últimas Eurocopas e na Copa do Mundo de 2010, disputada na África do Sul, mas que já não rendem tanto como antes. A média de idade gira em torno dos 32 anos.

Mas a Espanha ainda pode render exatamente pelo fato de ser a última copa disputada por sua geração mais vitoriosa, isso pode servir de motivação para que os mais jovens convocados busquem o título para colocarem seus nomes na história junto com de seus ídolos.

No mesmo grupo está a Holanda, atual Vice-Campeã do mundo e “carrasca” do Brasil na última copa. A Holanda, assim como a Espanha, aposta alto nos mais experientes do elenco. É o caso de Robben, Sneijder, Van Persie, Kuyt e Huntelaar. Robben e Sneijder foram os principais nomes da Holanda na copa de 2010, mas atualmente não tem rendido tanto na seleção. Robben ainda se destaca no campeonato alemão e Sneijder no Turco, que não são campeonatos de tanta expressão. O jeito é tentar conciliar a experiência de uns com a vitalidade de outros e ver o que se consegue tirar de bom futebol.

O Chile também está no grupo B e promete vir com um time pronto para desbancar os atuais campeões. O time de Valdívia, Vidal, Alexis Sanchez, Isla e Vargas enfrenta um adversário fora de campo, as lesões. Vidal operado há cerca de 2 meses ainda não sabe se joga e Alexis Sanchez treina, mas sempre com proteções e muita cautela. Valdívia “perna de vidro” pode começar bem a copa, mas sempre se espera que saia mancando de algum jogo e que fique parado por mais 3 ou 6 meses. Sobra assim a bomba nos pés de Vargas que tem rendido bem na seleção “Roja” e Isla que tem se destacado pela Juventus tanto na lateral como no meio campo.

A Austrália fecha o grupo B, mas não parece ter um time forte o suficiente para brigar no grupo. Tem três destaques no time, Mark Bresciano e Tim Cahiil e Jedinak, mas Bresciano e Cahill, ambos com 34 anos não tem a mesma disposição física dos tempos que defendiam Palermo(ITA) e Everton(ING). O time australiano vai buscar ser o azarão do grupo B e vai tentar a classificação, missão bem difícil tendo em vista que sua melhor participação em copas do mundo foi na edição de 2006 na Alemanha chegando as oitavas-de-final perdendo para a Itália, que viria a se sagrar campeã naquele ano.