Escolha uma Página
Em tarde de Barcos, Palmeiras “encalha” contra São Paulo

Em tarde de Barcos, Palmeiras “encalha” contra São Paulo

O Choque-rei foi o que podemos chamar realmente de clássico: um jogo emocionante, com diversos lances de perigo e belas jogadas.

O jogo em si mostrou dois times que primaram principalmente pela ofensividade(pois é, o time do Felipão estava jogando pra frente), isso mesmo com a aposta inusitada de tirar o Patrik e por o João Vitor de titular. Interessante ver que mesmo sendo um dos jogadores que mais critico dos que jogam com frequência(e mantenho ainda sim o que digo), tenho de reconhecer que ontem ele fez uma baita partida, pois além de executar bem seu papel na defesa, conseguia ajudar bem o ataque, inclusive sendo dele o lance que originou a falta do primeiro gol. Lance cobrado com maestria pelo Daniel Carvalho, que novamente fez boa partida, pena que ao final do primeiro tempo passou mal com o calor e depois seu rendimento despencou.

Como nem tudo são flores, a defesa falhou bisonhamente no lance do gol do São Paulo, onde ninguém marcou o Cícero, que foi livre para empatar. O que se viu após, foi o Barcos tornando-se o destaque do jogo, primeiro que ele já vinha criando chances, que acabaram coroadas quando ele recebeu o passe do Maikon Leite, driblou na área e chutou para desempatar.

Com o segundo tempo marcado por um pênalti que não foi(achei mais cena do que toque de fato), Willian empatou e já em um momento que o São Paulo vinha criando mais, o Barcos de novo apareceu em bom cruzamento do Assunção, dominou na pequena área e com calma fez o terceiro. A vitória apesar de tudo não veio graças ao belo gol do Fernandinho.

Dando esse breve resumo do jogo, dá pra fazer as considerações que acho mais interessantes. Primeiro que o que foi visto, dá pra dizer que é animador. Dois dos principais jogadores do time(Cicinho e Marcos Assunção), fizeram uma partida terrível, o Cicinho estava mal no apoio e toda hora levando bola nas costas e o Assunção esteve péssimo nas bolas paradas(errou praticamente todas) e ainda estava nervoso, tendo cometido muitas faltas, coisa que normalmente ele não faz. Isso acontecendo no ano passado, era derrota na certa, porém no domingo o que se viu foi que outros jogadores chamaram a responsabilidade: Daniel Carvalho(pelo menos no primeiro tempo) e principalmente do Barcos, que até vale uma análise em especial.

Quando ele chegou, alguns ironizaram, outros supervalorizaram, alguns secaram e eu preferi esperar para ver. O retrospecto dele na LDU era animador, mas ainda era necessário ver o que ele poderia fazer por aqui e confesso que tenho visto até mais do que eu esperava. Tinha expectativa de um trombador que ia ficar esperando a bola na área e quando tivesse chance ia marcar um ou outro, porém o que tenho visto é muito diferente. Ele sempre vai buscar jugo, sabe se posicionar, é alguém com quem se pode fazer uma tabela e faz de maneira eficiente o papel de pivô(principalmente para o Maikon Leite, que cresceu muito jogando ao seu lado). Ele vinha jogando bem, mas eu queria vê-lo em um jogo grande, como um clássico por exemplo e ele além de chamar a responsabilidade, na hora da decisão, ele mostrou calma e frieza como há muito não se via no ataque alviverde. Os dois gols no clássico foram típicos de jogador de decisão, que na hora que precisa, ele não se abala, mantém a cabeça fria e faz o que sabe. Já são 4 gols marcados desde sua estréia e apesar de ainda não ter havido um jogo efetivamente decisivo, ele vem dando mostras que chegou pra assumir definitivamente a condição de “homem-gol” do Palmeiras e cumprir(e talvez até passar) da sua promessa de 27 gols no ano.

Único ponto negativo de ontem foi a defesa, que falhou demais e permitiu ao São Paulo em todas as vezes buscar o empate. O Felipão costuma primar por times com defesas sólidas, porém o Leandro Amaro continua se mostrando muito inseguro, o que sobrecarrega o Henrique, que apesar de bom jogador, não consegue garantir um “meia boca”. Outro ponto complicado foi o Deola, que estranhamente vem sentindo o peso de ser titular com a aposentadoria do Marcos. Vem rebatendo bolas estranhas, mostra-se inseguro nas saídas de gol e ainda tem falhado em alguns gols que o time tem sofrido. Estranho que ano passado uma das coisas que mais me chamava atenção nele, era o sangue frio, coisa que parece vem sendo esquecida. Melhor para o Bruno, que já vinha esperando sua chance e com esse mau momento dele, pode acabar assumindo a vaga de titular e não mais sair. É aguardar o próximo jogo para ver a opção do Felipão nesse caso.

Empate e jogo ruim

Empate e jogo ruim

O jogo de quinta contra o Oeste foi daqueles que dá pra chamar de acidente de percurso, mas como em todo acidente, devem ser observadas suas causas.

Diferente dos outros jogos, o que vimos foi um Palmeiras estático, errando demais, onde independente do fato do pênalti que deram contra não ter sido absolutamente nada( o cara dominou com o braço primeiro, depois se jogou, algo patético), nem de longe o time fez por merecer algo melhor que um empate. Era bola de um lado para o outro, sem objetividade, movimentação praticamente nula(exceção feita ao Maikon Leite, que novamente foi o diferencial do time), fora que as principais peças ofensivas estavam em um mau dia. Cicinho estava mal, Juninho sumido e o Daniel Carvalho em uma péssima noite. O pior problema do Palmeiras é que ao que parece o Daniel também não aguenta uma sequência grande de partidas, que o rendimento dele despenca, isso foi notado nas 2 últimas partidas, que ele teve atuações muito apagadas. O pior problema é que com a queda de rendimento dele, o time definha junto, pois ele que na ausência do Valdívia(que já nem é novidade) dá o toque criativo ao time e com ele assim, o time volta a viver de ligações diretas.

Ponto positivo ontem, a estréia do Roman, que mostrou-se um zagueiro veloz e com potencial para virar titular em pouco tempo, vale ficar de olho. O destaque vai de novo para o Maikon Leite, que dessa vez acabou recompensado com um gol no rebote do chute do Barcos, que garantiu ao menos a invencibilidade do time.

Dizer que o time virou uma porcaria seria absolutamente incoerente e a competição não é parâmetro para nada do resto do ano, porém o que deve ser levado em conta é: o time gira em torno de um meia, se ele não joga bem, ou está em uma noite infeliz, o time volta a ser aquela “coisa” que era ano passado. Ainda não dá pra depositar as esperanças em Daniel Carvalho e Valdívia, pois a condição física de ambos os tornam incógnitas. O ponto bom é que agora apesar de tudo, são 2 meias que citamos, e não mais um, bem ou mal, aumentaram as opções. A parte positiva é que o Maikon vem jogando melhor a cada partida e fazendo praticamente esquecerem que o Luan estará fora por tanto tempo, porém faz-se necessário um reserva para ele.

Algo que vi após o jogo, achei simplesmente absurdo: o Felipão quando perguntado sobre o Pedro Carmona, que pelo segundo jogo seguido sequer era relacionado, disse que já conta no banco com o Chico e João Vitor e que pelo fato do João fazer as vezes de volante e pasmem! meia, que não dava para levar ele também, mas então pra que segurou quando ele teve proposta para sair? Vai desculpar, mas se tem um meia que pode ser colocado para ao menos tentar manter o nível criativo quando o titular não rende e ao invés disso, você prefere levar um volante, é no mínimo uma burrice imensa, fora que o João Vitor já provou que é um jogador comum, que não vale a pena todo esse crédito. O Tinga teve o mesmo problema de demora pra cair a ficha, agora ele sequer aparece, o jeito é torcer para que isso ocorra logo no caso dele também.

O jogo do fim de semana, será contra o São Paulo e será um bom parâmetro para ver o quanto o time evoluiu desde o primeiro clássico. será interessante ver como rendem os novos jogadores ao enfrentarem um time muito mais forte do que os que o Palmeiras andou enfrentando. Artur, Barcos, Roman, terão chance de provar que chegaram de fato para ficar.

 

Em jogo pré-carnaval, Palmeiras joga pro gasto, mas vence

Em jogo pré-carnaval, Palmeiras joga pro gasto, mas vence

O jogo de sexta parecia mais que o time estava com a cabeça nas festividades do que no jogo, pois em vários momentos, se via um time desinteressado e sem criatividade. O momento onde ele mais mostrou disposição, foi durante os primeiros 45 minutos, pois ao sair atrás no placar, acabou tendo de buscar o resultado e não demorou tanto para empatar em mais um excelente lance de bola parada do Marcos Assunção, que cruzou e o lateral-artilheiro Artur se antecipou pra marcar. Nota ruim que ele acabou saindo machucado ainda no primeiro tempo, mas menos pior que não parece ser nada sério, mais uma prevenção. Depois do empate, Maikon Leite, que já vinha sendo destaque até o momento, passou a ser a principal arma ofensiva do time, caía pelos dois lados, tentava tabelas com o Barcos(com quem parece se entender muito bem) e alguns lances solo. Em uma boa jogada com Barcos, ele tabelou com o mesmo, entrou na área, ia direto para o gol, mas acabou sofrendo pênalti, que causou a expulsão do zagueiro do Guaratinguetá. Barcos cobrou e fez o gol da virada.

Voltando para o segundo tempo, esperava-se que o time ampliasse o marcador, aproveitando principalmente a vantagem numérica, porém o time nada fazia, tocava a bola de um lado para o outro, só esperando mesmo o tempo passar. O único a destoar era o Maikon Leite, que continuava a criar perigo e buscar jogo. Até conseguiu alguns lances, mas não conseguiram converter as chances em gol. O Palmeiras ainda tomava um ou outro susto, totalmente desnecessário devido ao jogo burocrático. Chegou ao cúmulo do Felipão com um a mais, quase tirar o Daniel Carvalho para por o Chico(aí eu me pergunto: o que leva alguém em sã consciência, com um a mais, contra um time muito mais fraco, tirar o ÚNICO meia realmente criativo e por um volante brucutu? até agora eu não entendi…), porém antes que ele cometesse essa sandice, o Maikon em outra excelente jogada, ia sozinho em direção ao gol e é parado por outro zagueiro adversário, que por ser o último homem, acaba expulso. Felipão então acaba tirando o mesmo Daniel e põe o atacante Vinícius(aqui outra dúvida: fizeram aquele esforço para manter o Carmona no elenco, porém ao invés de ele entrar nessa posição, raramente o Felipão o coloca, assim fica difícil o cara ganhar confiança), porém para surpresa de todos, quem sela a vitória é… JOÃO VÍTOR!!! Ele acerta um belo chute, faz 3 a 1 e dá o sossego(?) para o time, que continuava sem criatividade e com toques para o lado sem a menor objetividade.

Ainda teve tempo de uma falha do Deola no segundo gol do Guará, parecia que ele também já tava com a cabeça longe, porque não é do estilo dele tomar uns frangos do tipo.

De bom nesse jogo, poucas coisas: a vitória propriamente dita, o gol do Barcos(sempre bom para dar confiança), mas principalmente a atuação excepcional do Maikon Leite. Ele vem mostrando evolução jogo a jogo e mesmo sem ter marcado, foi basicamente graças à ele, que era um dos poucos que buscava jogo o tempo todo, que o time ganhou. Cavou duas expulsões, conseguiu um pênalti e com certeza merecia um gol para coroar a ótima partida. Uma boa notícia para o Palmeiras, que vinha tendo nele um jogador muito irregular, mas que nesse começo de ano vem tendo sempre atuações no mínimo razoáveis. Sempre buscando jogo e caindo pelas laterais, tentando tabelas, dribles, etc. Nesse ritmo vira titular absoluto e ninguém tira mais(nem o Luan, quando estiver recuperado).

Problema apenas que não tem um reserva que siga esse estilo de jogo do Maikon, ou seja, se ele se machuca ou é suspenso, o esquema tem de ser mudado. O time ainda carece de mais opções e pode ser que quando mais se precise, elas façam falta. Já passou da hora da diretoria continuar a buscar e trazer mais pelo menos 2 jogadores.

Sobre o ambiente: é notável o sossego dos jogadores, sem envolverem-se em polêmicas desnecessárias, que davam o tom do time ano passado, ponto para o César Sampaio, que conseguiu tornar-se esse intermediário e ficar como um “pára-raios” de problemas e rusgas que possam surgir entre comissão técnica e diretoria. Ele pode ainda estar apanhando um pouco no quesito contratações, mas o simples fato de ter conseguido apagar o incêndio que eram os bastidores do time, já dá a ele um crédito absurdo. Com o tempo deve tornar-se um diretor ainda melhor.

Atacante será operado e ficará 10 semanas longe da equipe

Atacante será operado e ficará 10 semanas longe da equipe

Líder, segundo melhor ataque do campeonato, chegada de reforços. Até agora a torcida do Palmeiras vinha tendo bons motivos para comemorar.

Mas como no Parque Antártica as boas notícias andam em faltam ultimamente, a bomba acabou de explodir no colo do Felipão.

Em exame realizado no pé do atacante Luan esta manhã, ficou constatado a gravidade do problema: o jogador está com uma sesamóide medial no pé esquerdo (fratura de stress do osso). O atleta que está afastado da equipe nos últimos dois jogos – Ituano e XV de Piracicaba, deverá ser operado ainda nesta quinta-feira, no Hospital São Luiz, pelo médico ortopedista Dr. Renato Masagão e a previsão que fique afastado por 10 semanas, desfalcando a equipe pelo restante do Estadual.

O jogador que chegou a ser vaiado e contestado por parte da torcida alvi-verde foi aos poucos conquistando seu espaço na equipe e em vários jogos chegou a ser peça importante do esquema tático do Verdão. Neste campeonato o atleta participou de três jogos e não marcou nenhum gol.

Lembrando que o Palmeiras volta a entrar em campo na próxima sexta-feira, dia 17, às 21h para enfrentar a equipe do Guaratinguetá.

 

 

Ganhou mais um clássico, mas… e daí?

Mais uma vez Danilo marcou em um clássico.

Ontem, em um jogo até que emocionante e brigado, o Corinthians ganhou o clássico contra o São Paulo por 1 a 0, gol de Danilo, no Pacaembu.

Fora a alegria de vencer mais uma vez o rival, o que esta vitória acrescenta ao Corinthians?

Pode dar um pouco de moral para o jogo de quarta-feira, contra o Deportivo Táchira, é verdade, e se tivesse perdido talvez houvesse um pequeno borburinho em torno do resultado.

Mas taticamente, não foi possível analisar nada, pois o ataque era o reserva.

Tecnicamente, é muito mais fácil perceber a péssima fase de Julio Cesar e Alessandro do que qualquer outra coisa.

Fisicamente, é impossível analisar um time que faz a pré-temporada com o campeonato já em andamento (no que o Corinthians não tem culpa, diga-se de passagem, é a zona que nosso futebol brasileiro proporciona mesmo).

Nessa época do ano é muito importante relativizar os resultados, e muito difícil analisar as atuações. Poderia aqui elogiar Danilo, Jorge Henrique e Fabio Santos, que jogaram bem ontem, assim como o Cortez e o Denis pela equipe São Paulina. Acho que seria muito mais produtivo que as equipes estivessem se preparando fisicamente, disputando torneios amistosos, sem compromisso com resultados.

Vejo grande parte da mídia massacrando o técnico Leão e o João Filipe, que jogou improvisado na lateral direita. Mas será que tinha outra opção também? Não corria o risco de estourar outro jogador, pior preparado fisicamente?

E vocês, o que acham, essa vitória acrescenta alguma coisa à equipe do Corinthians ou foi apenas mais um jogo em que não perder era mais importante do que ganhar?

Contra Ituano e dilúvio, Palmeiras navega sem problemas com Barcos

Contra Ituano e dilúvio, Palmeiras navega sem problemas com Barcos

O Palmeiras em tarde muito inspirada, conseguiu fazer um bom jogo(apesar da chuva) e passou sem sustos pelo Ituano por 3 a 0. O time não ficou bom do dia pra noite, porém dá claros sinais que está em evolução e acho que principalmente esses pontos valem ser ressaltados, principalmente porque a primeira fase do paulista, serve muito pouco como parâmetro para o resto do ano, porém é muito válido para fazer testes, entrosar o time e ver em que setores o time ainda precisa se reforçar.

O primeiro gol é o primeiro sinal da mudança que vem ocorrendo: novamente foi uma jogada trabalhada,  onde o Maikon Leite chegou a linha de fundo, o goleiro espalmou mal e Patrik botou pro fundo das redes. Essa foi apenas uma, pois durante o jogo todo, em vários momentos o Palmeiras buscava com a bola no chão, criar espaços e abrir a defesa adversária. Méritos disso para o Daniel Carvalho, que a cada dia vai chegando mais próximo de sua condição ideal e que foi poupado no segundo tempo de maior desgaste por conta do gramado pesado. Depois do Juninho(que chegou, assumiu a camisa e vem jogando da mesma forma que no Figueirense, sequer sentiu a pressão de chegar em um clube grande), o Daniel vem mostrando que pode jogar em alto nível(coisa que eu mesmo não botava muita fé). Ele desde que estreou, vem demonstrando vontade e disposição de voltar a ser o jogador decisivo que foi nos tempos de CSKA e até pela idade dele(28 anos), ele ainda pode jogar em bom nível por vários anos, depende apenas da sua disposição, porque qualidade ele tem.

O segundo gol é uma primeira impressão que deixa mais expectativas do que certezas: Barcos completando o lance do Marcos Assunção fez seu primeiro gol com a camisa do Palmeiras, nada mal para uma estréia, porém o que chamou mais atenção durante o jogo, foi seu bom posicionamento. Todos os lances que foi acionado, ele conseguiu chegar, mesmo que eventualmente cabeceando mal por estar desequilibrado, ele mostrou que tem bom posicionamento, fora que nos lances de bola rolando ele consegue fazer o papel de pivô e mostra ter recursos técnicos pra arriscar uma ou outra jogada individual. É questão de esperar, porém se ele mantiver esse mesmo nível não será impossível de esperar que ele termine a temporada cumprindo sua promessa de 27 gols. Cedo demais pra dizer, mas a estréia foi no mínimo, animadora.

O terceiro gol mostrou que um dos problemas mais críticos que tínhamos ano passado, pode finalmente estar sendo resolvido: em mais um cruzamento perfeito de Marcos Assunção, o lateral Artur cabeceou e fez seu segundo gol em dois jogos com a camisa do Palmeiras. Cada vez ano passado que o Cicinho estava suspensou ou lesionado, a torcida já entrava em pânico imaginando o João Vitor improvisado ali, porém agora com o Artur, temos um lateral de ofício, que se não tem a mesma qualidade de chegar a frente que o titular tem, é seguro defensivamente e já mostrou ter um bom jogo aéreo.

Interesssante analisar um aspecto – ano passado nessa época, haviam chegado os seguintes jogadores: Cicinho, Adriano michael Jackson(deus do céu), João Vitor(falo nada), Thiago Heleno, Chico e Max Pardalzinho(ainda bem que já voou). Nem preciso dizer que essa lista de “reforços” foi ridícula, entretanto ainda salvaram-se Thiago Heleno e Chico(bons pra compor elenco) e o Cicinho(esse sim uma excelente contratação). Ainda falta estrear o Roman, porém as outras 4 contratações, chegaram e se encaixaram no time, sejam como titulares ou pra compor elenco, clara mostra que o César Sampaio está sim fazendo a diferença! É só observar as duas listas de jogadores para ver a diferença.

Essa semana deve ser confirmada a vinda do Wesley ex-Santos, que será excelente, pois ele tanto pode jogar em um esquema com apenas 1 meia(Márcio Araújo, Marcos Assunção, Wesley e Daniel Carvalho/Valdívia), como pode jogar também junto com os dois meias, no lugar do Márcio Araújo. Ele tanto sabe marcar, como sair para o jogo e dá opções de variação de esquema para o Felipão, coisa que ele tanto reclamava ano passado.

Em tempo: o Maikon Leite vem subindo de produção a cada jogo, tem se tornado uma boa opção de ataque em velocidade pelas pontas. Está voltando ao seus melhores momentos de Santos e Atlético-Pr e vem em ótima hora, já que ao que tudo indica Luan deve ficar fora por cerca de dois meses por conta de um problema no pé. Seria importante inclusive buscar um jogador para suprir a lacuna que abre com isso, pois além do Maikon Leite, não há outra opção de jogador rápido no ataque e até considerando que o contrato do Ricardo Bueno não será renovado ao fim do empréstimo, já seria importante ter em vista um jogador para a posição(sim, eles não são das mesmas características, mas conto como jogador do ataque como um todo)