Escolha uma Página
Libertadores 2014 – Felicitaciones Cuervos!

Libertadores 2014 – Felicitaciones Cuervos!

romagnoli

Acabou mais uma edição da taça libertadores. E como virou praxe desde 2012 cai um mito de um grande time que nunca havia conquistado esse título, e de uma torcida fantástica que merecia fazer uma festa imensa por esse conquista, ao exemplo do que aconteceu com Corinthians e Atlético mineironos anos anteriores, dessa vez a festa foi dos hinchas do San Lorenzo de Almagro. Festa merecida pela torcida que estava com a ausência do título de uma libertadores entalada e também pelo time que jogouo melhor futebol na competição. (mais…)

Libertadores 2014- Vamos Bolívar!

Libertadores 2014- Vamos Bolívar!

bolivar

 

Acabou a copa, voltamos a nossa realidade de campeonatos de clubes tanto nacionais quanto internacionais e aqui na América o futebol volta com a reta final da competição mais importante, a taça libertadores.

E a competição não podia voltar em data melhor, amanhã dia 24/07 comemoramos o aniversário do mais importante entre os libertadores da América, Simón Bolívar. E em homenagem ao espírito do libertador hoje temos em campo no estádio Nuevo Gasometro a equipe que carrega seu nome, o Bolívar de La Paz.

Com uma campanha surpreendente o Bolívar já superou dentro e fora de casa favoritos como o Flamengo do Brasil e o León do México e até o momento só sofreu uma única derrota na competição para os equatorianos do Emelec, os comandados pelo veterano treinador espanhol Javier Azkagorta tem uma equipe interessante que sabe se fechar fora de casa e matar os jogos como mandante. Com a transferência de seu principal jogador o uruguaio Willian Ferreira mercenário traidor que abandonou o time na reta final da libertadores para o futebol mexicano os destaques do time são os espanhóis Capdevilla e Callejón (irmão gêmeo do Callejón do Napoli) e o ex-corinthiano Arce.

Independente do favoritismo do San Lorenzo e das orações do Papa Francisco, hoje o futebol boliviano está em festa, desde o feito do Blooming em 1985 que nenhuma equipe boliviana chega tão longe em uma libertadores, e com alguma chance de passar mais adiante. Por isso uma caravana de 400 torcedores chegou hoje a Buenos Aires se juntando a comunidade boliviana residente na cidade porteña e promete fazer muito barulho apoiando os celestes, com destaque para o cantor de salsa norte-americano de origem porto-riquenha Marc Anthony que por sua amizade com o presidente/dono do Bolívar, o empresário Marcelo Claure, Anthony se tornou torcedor da equipe e hoje viajou a Buenos Aires para apoiar a acadêmia paceña.

O jogo promete ser acirrado e difícil, Azkargorta escalará uma equipe defensiva com 3 zagueiros e 2 volantes de marcação, apenas Callejón na armação e apostando na velocidade de Arce para puxar contra-ataques. Do outro lado os comandados de Edgardo Bauza entram com esquema mais ofensivo e apostando no talento de Romagnoli.

Com resultado positivo ou não, hoje a cidade de La Paz está em festa desde os boliches (como se chamam as baladas por lá) do centro e da zona sul, até as chicherías (bares) de El Alto. E toda a Bolívia (e grande parte da América do sul) está com Marc Anthony dizendo que hoje é Bolívar desde wawa (criancinha).

Atlético-MG: o menos com menos que virou mais

Todos devem lembrar daquela manjada regra matemática: menos com menos é igual a mais, porém na última quarta-feira, o Atlético-MG provou que isso também pode se aplicar ao futebol, pois com um time repleto de jogadores, que quando chegaram muita gente torcia o nariz, assim como um técnico desacreditado em decisões, o time superou até a descrença de que não conseguiria reverter a desvantagem e consagrou-se campeão da américa de 2013.

Olhando o time titular por exemplo:

Victor quando saiu do Grêmio, para muitos não deixou saudade, pois era um goleiro considerado inseguro e que “amarelava” em horas decisivas… foi decisivo nas quartas, semi e final.

Leonardo Silva foi dispensado do Palmeiras, viveu boa fase no Cruzeiro e saiu quando diziam que ele já estava decadente, no entanto foi seguro na defesa e ainda marcou o gol decisivo na final.

Richarlyson quando saiu do São Paulo a torcida agradeceu, tanto pela pegação de pé pela sua suposta opção sexual(babaquice, diga-se de passagem), como pelo seu destempero e má fase. Apesar de não ter jogado a partida final, justamente por ter sido expulso, foi peça fundamental no time. Júnior César, que entrou em seu lugar foi outro que por onde passou não deixou saudade, porém quando entrou e até na final, não comprometeu.

Pierre que foi dos destaques do time, saiu do Palmeiras por não ser aproveitado pelo Felipão na época.

Diego Tardelli tornou-se ídolo no Galo e voltou com status de tal, porém quando chegou, era considerado uma aposta arriscada, pelas passagens pífias no São Paulo e Flamengo. Jogou muito e foi destaque junto com seus 3 companheiros de ataque

Jô chegou dispensado por indisciplina do Internacional e foi considerado uma contratação extremamente duvidosa, pois imaginava-se que ele traria os mesmo problemas ao Atlético. Ao contrário do que todo mundo esperava, ele renasceu para o futebol, chegou a seleção e ainda foi artilheiro da Libertadores com 6 gols.

Ronaldinho Gaúcho é sem dúvida o símbolo dos renegados citados, quando contratado, até a torcida do Galo se dividiu, pois muitos achavam um investimento alto demais e com poucas chances de dar certo, até pelos últimos anos, porém o que se viu foi um Ronaldinho que liderou esse time e apesar de ter sido bem discreto nas finais, ainda sim teve papel de destaque nessa conquista.

creio que desse time, apenas o Rever e Josué(jogou no lugar do Pierre) chegaram como reforços que outros times gostariam de contar(não incluo o Bernard nessa lista por ele ser cria da base).

Talvez a explicação de um time com tantos “menos” ter virado mais seja justamente seu técnico, pois o Cuca tinha na testa o rótulo de “fracassado” e azarado, tantas foram as vezes que ele bateu na trave na hora de ganhar um título de expressão e perder seja por destempero seu que acabava por abalar o time, seja por alguma ironia do destino(como quando perdeu para o Once Caldas em 2004 com um time claramente superior), sendo dentre todos o mais “menos” da lista.

Sempre apreciei o trabalho dele como técnico, mas como muitos, não gostaria dele no time por saber que no final ele daria um jeito de perder o título, rótulo esse que perseguia seus bons trabalhos até ontem.

Ele sem dúvida foi a peça-chave dessa conquista, pois mostrou aos jogadores (e certamente os contagiou com isso) que era hora de aquele grupo com aquele técnico e em um time que vinha sendo considerado apenas um grande pela tradição e nem tanto por impor respeito, que eles eram um grupo que poderia mostrar não só ao Brasil, como a américa, que tinham condições de renascer para o futebol e voltarem ao papel de protagonistas. No ano passado já haviam se tornado um time a ser respeitado, com um vice-campeonato brasileiro tendo um futebol vistoso e para muitos o melhor do país.

Chegou com rótulo de favorito na Libertadores e depois de 5 vitórias e somente uma derrota na primeira fase(em um jogo contra o São Paulo que perdeu pelo salto alto), foi para a segunda fase com a melhor campanha entre os 16 classificados.

Despachou o São Paulo nas oitavas vencendo fora de casa e goleando em casa.

Superou o Tijuana com 2 empates (2 a 2 fora e 1 a 1 em casa), no primeiro milagre do Victor(a defesa com o pé aos 47 do segundo tempo no pênalti que poderia dar a classificação ao Tijuana).

Passaram pelo Newell’s Old Boys depois de reverterem em casa um placar adverso de 2 a 0(que muitos consideravam irreversível) com um gol nos acréscimos do Guilherme e o segundo milagre do Victor(Defesa do último pênalti, batido pelo capitão Maxi Rodriguéz).

Finalmente na final, depois de perderem por 2 a 0 fora e novamente chegarem desacreditados no jogo da volta, fizeram 2 a 0 em casa, com um gol aos 42 do segundo, levando o jogo para a prorrogação e posteriormente pênaltis onde o Victor realizou seu terceiro milagre(defendendo o primeiro pênalti batido pelo Olímpia, mesmo se adiantando um pouco).

Um time que renasce, jogadores que dão a volta por cima e um técnico que finalmente se consagra como um dos grandes do país. Possivelmente das maiores histórias de renascimento dos últimos tempos do futebol.

Parabéns ao Atlético-MG que agora é o dono da América e volta a cantar alto como uma potência nacional!

Eliminação e perspectivas para o segundo semestre

O Palmeiras terminou seu primeiro semestre de “série A” de uma forma um tanto quanto melancólica… Eliminado de uma forma dolorosa pelo apenas mediano time do Tijuana, depois de ter conquistado um bom empate no México, perdeu em casa por 2 a 1, contando com um azar imenso do Bruno e com o juiz anulando um gol legal.

O time merecia melhor sorte, pois vinha fazendo boa partida, já tinha botado uma bola na trave em uma falta bem cobrada pelo Ayrton, porém o gol pela falha do Bruno(que foi algo lamentável por sinal) abalou por demais o time, que acabou envolvido não só pela retranca do Tijuana, como pela cera(que foi absurda e não foi coibida) e ali mostrou a falta que faz um jogador decisivo ou experiente que consiga colocar a bola no chão e acalmar o time.

A coisa estava feia a tal ponto que o Henrique no segundo tempo era atacante junto com o Kleber, se valendo do seu bom jogo aéreo, porém nem assim o time conseguiu o placar. Ainda houveram absurdos como deixarem o Souza cobrar faltas que claramente deviam ser batidas pelo Ayrton, e o resultado eram lances bisonhos…

Foi a noite do tudo errado, nem a presença em massa da torcida deu conta de empurrar o time de forma a fazer mais um milagre e com isso encerrou-se o ciclo do primeiro semestre.

O saldo foi razoável, pode-se encontrar peças boas que devem ser aproveitadas na montagem, além de algumas que já estavam lá. Do elenco atual, acredito que devam permanecer: Bruno, Prass, Ayrton, Henrique, Maurício Ramos, Vilson, Marcelo Oliveira, Léo Gago, Charles, Souza, Wesley, Leandro, Patrick Vieira e Vinícius(esse ainda precisa melhorar a pontaria).

Dos que não citei: Juninho, Kleber, Márcio Araújo, Maikon Leite, Tiago Real, Ronny me parecem membros totalmente dispensáveis, não vem trazendo grande acréscimo ao time e poderiam ser usado como moedas de troca para trazer algum outro jogador que fosse mais útil ao time(exceção do Kleber, quer termina o empréstimo e deve voltar logo para o Porto).

O caso do Valdívia é mais complexo: o time precisa recuperar um pouco do investimento, porém acho que por mais que ele esteja interessado, dedicado, etc… gastar 500 mil por mês com alguém que nunca se pode contar, é preferível vender por um valor mais barato e abrir espaço para outro investimento que possa de fato render o que se espera do salário mais alto do elenco(é comparar com o caso do Riquelme, que no momento que o boca precisou, ele estava lá e decidiu).

A venda do Barcos acabou sendo mais mal negócio para o pirata do que para o Palmeiras… é inegável que com ele no time, talvez a sorte contra o Tijuana fosse melhor, talvez até a chave fosse melhor nas eliminatórias, porém o resultado para ele: ser eliminado na mesma fase, ser esquecido pela seleção argentina, só comprovou que ele tem uma total falta de noção de visibilidade, pois o Leandro que veio como moeda de troca, já até foi levado para a seleção brasileira e ainda marcou um gol, ou seja, não importa a fase, o Palmeiras é sempre um clube que dá projeção a quem joga e se destaca lá.

O segundo semestre além da série B, terá a Copa do Brasil para o Palmeiras disputar, ou seja, tem chances de no ano do centenário conseguir novamente uma vaga para a Libertadores.

É necessário pra ontem reforços na essência do termo. Meias que consigam de fato criar e Centroavantes que saibam de fato marcar gols são peças que se o time quer ter uma série B sossegada, tem de chegar o quanto antes, pois com o time que está aí, a vaga deve vir, mas não virá fácil, pois o time não tem criação, e o arremate deixa demais a desejar, pois tem apenas no Leandro, que nem atacante de definição é, sua única peça realmente efetiva.

a série B já começa no fim de semana com o jogo contra o Atlético-GO e a diretoria precisa se mexer, pois já passou da hora de consertar as gravíssimas falhas que o elenco tem, isso se o Palmeiras quer chegar no seu ano do centenário como um time disposto a ganhar títulos e não apenas fazer figuração.

Momento de decisão

O Palmeiras fará hoje o jogo mais importante do ano possivelmente. Depois do 0 a 0 no jogo de ida, o time precisa apenas de um vitória simples para passar adiante.

A classificação para as quartas de final, além da própria passagem, representa um ganho de moral do time, onde ele começa a buscar retomar o espaço perdido pós título da Copa do Brasil, onde ao invés de subir, o time só desceu, tanto que até para a série B caiu.

Erros atrás de erros foram cometidos e esse ano dá a entender que será muito mais um ano de limpeza, onde apenas em 2014 o time poderá de fato começar a colher a reestruturação do que está fazendo em 2013

Sobre o jogo, o Palmeiras conta com a bua fase do Bruno, que parece ter retomado o pique das boas atuações que teve na copa do Brasil e fechou o gol na partida de ida.

Problema maior será o sistema ofensivo mostrar-se mais eficiente do que vem sendo nos últimos tempos, haja visto que poucas foram as partidas que o time conseguiu passar de 1 gol na libertadores, porém depende apenas de marcar um(caso não tome).

O time deve passar e na próxima fase sofrerá demais contra o Atlético-MG, que atualmente é sem dúvida um dos times mais complicados de serem batidos no Brasil. Talvez seja o limite do time alviverde, que deverá contar principalmente com a tradição no confronto para tentar ir mais longe.

A metamorfose ambulante

Ver o Palmeiras jogar tem sido algo realmente complicado para a torcida… Quando parece que o time vai, ele empaca… Depois daquelas duas semanas perfeitas, onde o time garantiu com antecipação a classificação no Paulista e Libertadores, o time vacilou, perdeu para o Ituano e Sporting e complicou e muito sua situação nas competições… tanto que pagou o preço no Paulista, pois foi eliminado pelo Santos.

Apesar de não ter jogado mal contra o time da vila, o Palmeiras poderia ter enfrentado algum time de menor expressão e até evitado cair tão cedo na competição. É o preço que se paga quando se relaxa na hora errada.

Terça será o real teste do primeiro semestre: o jogo contra o Tijuana, no México, outro jogo que poderia ser evitado, pois se tivesse vencido o já eliminado sporting, estaria do outro lado da chave, onde pegaria o Emelec e na próxima fase enfrentaria ou Tigre ou Olímpia, porém desse lado pega o complicado time mexicano e na fase seguinte pode enfrentar ou Atlético MG ou São Paulo.

A equipe alviverde continua a oscilar demais, relaxou quando conseguiu as classificações e acabou complicando sua vida em ambas competições, reagiu de certa forma no Paulista, fez um bom jogo contra o Santos e a eliminação nos pênaltis não pode ser considerada uma falha pelo time ter jogado mal, foi um jogo bastante equilibrado.

O melhor do jogo foi a moral com a qual o goleiro Bruno irá para os jogos da Libertadores. Desacreditado após o jogo contra o Ituano, fez uma partida praticamente impecável contra o time santista e chega muito mais confiante para esses jogos

Acredito que o time consiga passar pelo Tijuana com certa dificuldade e chegando nas quartas com um clássico nacional, tem até chance de chegar as semifinais(pois considero o jogo doméstico sem favoritos por conta de rivalidade, mesmo que o rival seja o Galo), depois acho que talvez seja o limite da equipe alviverde, acho improvável que caso chegue as semis, passe, porém dependerá muito principalmente do time que estará jogando(leia-se contar com o “incontável” Valdívia) e até com o desempenho do Kleber, agora que desencantou, podem ser fatores que deem uma chance de vida mais longa na competição, porém como tudo esse ano no Palmeiras, é extremamente incerto, então o jeito é o torcedor aguardar…