Arquivo da categoria: Brasileirão Série B

Quem realmente quer a melhora do futebol brasileiro?

Queridos amigos leitores, sabe quando um filme é tão previsível que a gente chega a pensar que é impossível que o final seja tão lógico e ainda assim para nosso espanto no final ele realmente não surpreende nada e cumpre exatamente aquilo que já esperávamos?

Esse é o retrato exato desse quase 1 mês de retorno do futebol brasileiro a copa do mundo.

Tudo de mal que imaginávamos vem acontecendo rodada após rodada. O futebol fraco, a falta de técnica, a falta de novidades táticas, o fraco desempenho ofensivo, uma absurda apatia de técnicos e jogadores e não faltariam adjetivos negativos para descrever esse campeonato brasileiro.

Em consequência disso, não a toa, temos tido péssimos jogos, uma falta de interesse popular absurda pelo campeonato, péssimos públicos e uma queda vertiginosa na audiência da TV. Ou seja, o nocaute que sofremos da Alemanha na copa do mundo transbordou o âmbito seleção brasileira e continuou em nossos campos locais. A decisão atual é unanime: O Futebol Brasileiro foi a Knockout.

O desgaste do produto futebol é tanto que a TV Globo, manda chuva do nosso esporte preferido, foi obrigada a marcar uma reunião urgente com os clubes para uma ação de choque que remende as feridas em nosso campeonatos. Não somos tolos a ponto de não sabermos que a emissora dos Marinhos é uma das principais responsáveis pelo sucateamento do nosso futebol. É ela que determina dias e horários, absurdos, de nosso futebol, é ela que monopolizou a cobertura com transmissões de jogos apenas do eixo RJ-SP, é ela que praticamente centralizou em Corinthians e Flamengo a sua grade esportiva, ela que causou boa parte do desequilíbrio financeiro entre os clubes e por aí vai.

Porém, como é mais sabido do que nunca,  os clubes precisam até as cuecas da TV, mais precisamente da Globo. Os clubes hoje recebem % muito maior da TV do que de bilheterias, do que patrocínios ou mesmo até do que algumas vendas de jogadores. Boa parte dos clubes inclusive já receberam adiantadas as cotas de próximos anos, e muitos deles já até usaram de forma totalmente obscuras essa verba.

Se você leitor parar o texto nesse ponto e refletir chegará a conclusão de que: os campeonatos são ruins, os times tem elencos fracos, os clubes estão sem dinheiro, a TV está sem audiência, os estádios vazios, e nosso futebol chegou a beira do abismo.

Nosso país sempre foi campeão em dar um jeitinho nos problemas, principalmente dentro das 4 linhas. Mas a falência dessa vez é tão forte, que nem mesmo nas peças de chuteiras dentro de campo nós podemos ter um alento. Não temos mais de onde extrair ouro, a mina secou. Não adianta mais esperarmos uma resolução imediata, sensacional, surpreendente ou inovadora. A salvação é simplesmente recomeçar do zero.

Vocês seguidores do em cima da linha devem ter reparado que a quantidade de textos do site deu uma diminuída. Nós pedimos desculpa, sabemos que muita gente quer nos ler, ainda mais nesse momento, mas está bem difícil ter ânimo, pique, disposição e inspiração para falar de futebol nesse país. Muitas vezes falamos mais das contratações dos clubes europeus do que dos próprios resultados do nosso fim de semana de jogos.

É trágico isso!!

Ainda não sabemos o que virá da reunião da Globo com os dirigentes, sabemos como é público há anos, que o interesse da emissora global é o retorno do mata-mata. Eu que sempre fui defensor desse modelo ida e volta mais justo começo a repensar sobre isso visto que o playoff com eliminações talvez estanque por um pouco de tempo a dor de vermos esse futebol medonho que temos jogado.

Agora, para não falarmos que só temos visto desesperança em nosso universo futebolístico, estou cada dia mais feliz com o papel e desempenho do bom senso. Hoje mesmo eles retaliaram o nojento calendário proposto pela CBF para 2015. E não só foram contra como deram justificativas, e muitas, para comprovar porque esse calendário é patético.

Poderia escrever aqui mais algumas horas sobre esse poço de lama do nosso futebol, mas nesse momento o que podemos fazer é cobrar dos nossos jogadores, dos nossos clubes e dirigentes, para que eles acordem e comecem a subir a cobrança de acordo com a pirâmide de poder do nosso futebol.

É isso, ou isso. Não tem mais como empurrar com a barriga. Ou então clubes como Botafogo irão falir de vez e não será o único, virão outros tantos na rabeira.

 

O Abismo entre os clubes na 1ª divisão do Brasileirão

O futebol brasileiro, dentre os principais países do mundo, talvez tenha sido o que mais demorou para aderir definitivamente ao profissionalismo e ao poder do dinheiro.

Até a década de 80 a Televisão ainda tinha muito pouco poder sobre os clubes e os campeonatos, os valores de patrocínios eram quase irrisórios, e praticamente não haviam diferenças estruturais entre os clubes da primeira divisão. Bem por isso se justifica a grande variação de campões que tivemos na extinta Copa Roberto Gomes Pedrosa e também nos 15 primeiros anos do atual formato de campeonato Brasileiro.

De 71 a 85 por exemplo, no campeonato brasileiro tínhamos:

– Internacional e Flamengo com 3 títulos
– Palmeiras com 2 títulos
– Atlético Mineiro, Fluminense, Grêmio, Vasco, Coritiba, Guarani e São Paulo com 1.

Ao todo 10 times campeões.

De lá para cá foram 28 campeonatos brasileiros e:

– 5 títulos do São Paulo e Corinthians
– 3 de Flamengo (sim 87 ele foi o campeão brasileiro) e Vasco
– 2 de Palmeiras, Santos, Cruzeiro e Fluminense
– 1 de Atlético Paranaense, Bahia, Grêmio e Botafogo.

Ou seja, em 15 anos tivemos 10 times campeões e nos 28 anos seguintes apenas 12 times diferentes campeões. Se compararmos com os torneios internacionais é um número excelente, mas se considerarmos no âmbito brasileiro encontraremos gradualmente um sinal de início de monopólio.

Dos 12 times do eixo RJ, SP, MG e RS, Atlético Mineiro não vence brasileirão há 41 anos, Internacional há 35 anos,  Palmeiras 20 anos, Botafogo 19, Grêmio 18, Vasco 14 e Santos 10.

O estado do Rio Grande do Sul nos últimos 30 anos venceu apenas um campeonato brasileiro, Bahia também 1, Minas Gerais apenas 2, Paraná 2, Rio de Janeiro 9 e São Paulo 14. O estado Paulista venceu quase metade dos campeonatos brasileiros desse período.

Isso é sinal claro que a diferença econômica e de infraestrutura dos estados chegou definitivamente no futebol desde então. Hoje por exemplo se colocarmos no papel o poder aquisitivo de clubes como Corinthians e Botafogo, é impossível afirmar que ambos entram com chances iguais em seus campeonatos. É impossível até afirmar que hoje ambos são grandes.

Não analisamos história e sim condições profissionais de competição. No último final de semana os jogadores do Botafogo entraram em campo com uma faixa citando todas as dívidas que o clube tem com seus funcionários atualmente. (Sim jogadores de futebol são funcionários CLT como todos nós).

É absurdo pensar que em um país que Flamengo e Corinthians recebem cotas de TV e patrocínio de camisa a altura de grandes clubes do mundo, nós tenhamos um clube de primeira divisão, da cidade que irá receber as próximas olimpíadas e acabou de sediar a final do copa do mundo, devendo 3 meses de salário para seus jogadores. Isso porque estamos falando do clube que junto com SPFC mais cedeu jogadores para seleção brasileira em copas do mundo.
Imagina se analisarmos os clubes do interior do estado ou mesmo dos demais estados do país.

Aliás, hoje na primeira divisão do futebol brasileiro temos apenas 4 clubes fora das regiões Sul e Sudeste do país. Esse é um exemplo claro do ABISMO que existe no futebol brasileiro e que já chegou com toda força até a primeira divisão do país. Quando nós do Em cima Da Linha cobramos que não seja apenas o técnico da seleção alterado, mas sim toda a estrutura, todos dirigentes que comandam a CBF, é por isso.

O futebol brasileiro passa por um processo de desmoronamento em suas estruturas. Se não tivemos clubes pequeno revelando jogador, não vamos ter seleções brasileiras com novos craques. Apenas as escolinhas dos clubes grandes não são suficientes para apresentarem novos ronaldos, romários, etc.

É por isso que cada dia mais aumentamos o limite de jogadores estrangeiros em nosso país. Pois no final das contas, sai muito mais barato contratarmos jogadores medianos nos países vizinhos do que investir na escola de base. E mesmo que tenhamos uma ótima estrutura, como a do São Paulo em Cotia, se não tivermos mãos de obra qualificada, se não tivermos jogadores sendo revelados fora do eixo, não teremos novas perspectivas.

Ou fortalecemos nosso futebol, ou não voltaremos tão cedo a vencer copa do mundo.

Virada… de novo?

Terminou o Campeonato Brasileiro e conforme citei no post anterior sobre o tema, tivemos como punidos por sua incompetência Vasco e Fluminense com mais uma queda para a segunda divisão, o Flu com sua terceira e o Vasco com a segunda em menos de 5 anos.

Depois da mudança do formato para pontos corridos, muitos times do grupo dos “grandes” já caíram: Palmeiras, Botafogo, Corinthians, Vasco, Grêmio, Atlético-MG e todos cumpriram com sua obrigação, fruto da sua incompetência, ou seja: caiu, suba dentro de campo, porém esse ano, com a queda de dois cariocas, parece que resolveram reviver os tempos de várzea, canetadas, amadorismo e bandidagem da CBF.

Tenho acompanhado tudo isso com certa perplexidade e muito desgosto, pois não tem coisa pior do que ver times que tem administrações péssimas, quererem usar de artifícios extremamente suspeitos para conseguirem corrigir os erros que já estão tão visíveis na esfera esportiva.

Primeiro vejamos o caso vascaíno: o time pleiteia a anulação de um jogo por conta de 13 minutos além do tempo regulamentar de espera. Dentro de campo, eles “somente” perderam por 5 a 1, ou seja foram massacrados, porque o time é um lixo e dentro de campo nunca que conseguiria a salvação. Esse atraso se deveu ao fato de esperarem as ambulãncias retirarem os feridos de dentro de campo.

Agora analisando a coisa mais a fundo: quem não garante que esses “torcedores” que arrumaram confusão não foram pagos pelo próprio Vasco para fazerem isso? Justamente com o intuito de anular o jogo e pleitear os pontos? É bem sabido a relação suspeita entre organizadas e clubes de futebol, então dentro de toda essa sujeira, eu não descartaria essa possibilidade…

Agora o pior dos casos, o do Fluminense. Ele acusa a Portuguesa pela escalação de um jogador de forma irregular, pedindo a punição com a perda dos pontos e consequente rebaixamento do time paulista para a série B. Olhando a coisa de forma fria, poderia se dizer: está na lei, não tem o que fazer, porém a coisa não pode ser vista de forma tão simplória…

Vamos analisar alguns aspectos sobre tudo isso:

1 – a Portuguesa já estava salva, apesar de matematicamente poder ainda cair, precisaria que fosse tirada uma diferença de 11 gols de saldo em uma rodada e que Vasco, Coritiba e Cricíuma vencessem, ou seja, as chances eram remotas.

2 – o jogador em questão sequer era titular, não era peça chave e nem ao menos era necessário que ele fosse escalado

3 – o time poderia até mesmo perder q não seria rebaixado, por quê arriscaria algo tão desnecessário?

4 – diversas vezes jogadores foram punidos e fizeram uso de efeito suspensivo, enquanto era julgado seu recurso, por que dessa vez isso não ocorreu?

5 – o tratamento que vem sendo dado é o de time condenado, quando nem sequer foi julgado o mérito do recurso da suspensão do jogador, ou seja, ele foi punido sem direito a recurso, quando tantos outros fazem uso disso por que? O fato de haver um time do rio diretamente beneficiado é apenas uma infeliz coincidência? Duvido…

6 – querem punir o Flamengo da mesma forma, apenas como forma de dar um “cala boca” dizendo que a regra vale para todos, no entando isso será feito apenas pelo fato de que o time rubro negro não vai cair com essa perda de pontos…

7 – o recurso do Vasco foi prontamente negado, mas se formos analisar de uma forma mais profunda, isso tem uma razão: os pontos pleiteados pelo Vasco, o levariam aos 47 pontos, que o salvaria do rebaixamento. A Portuguesa com 44 seria uma das rebaixadas e quem seria o outro? Flamengo, que com a punição no mesmo caso da Lusa, cairia para 45 pontos, ficaria também atrás do Fluminense e cairia. Coincidência? Muito improvável, ainda mais quando se trata de um time como o Flamengo.
Tudo isso pode parecer uma grande teoria da conspiração, porém quando se olha bem a fundo, nota-se que todos fatos se encaixam perfeitamente, em especial o último, tratando do Flamengo, o time intocável quando se trata de casos assim…

O futebol carioca hoje em dia é o próprio retrato do que se tem de mais obsoleto, arcaico e retrógrado no futebol brasileiro, não por acaso a sede da CBF também está entre eles…

Os times lá não agem com responsabilidade fiscal, sempre gastam muito mais do que arrecadam. Tem o Flamengo com a maior dívida do Brasil de forma disparada, tem um Vasco quem nem água paga, Fluminense e Botafogo com salários atrasados. O time das laranjeiras inclusive nem um centro de treinamento adequado tem, vide o que foi dito sobre presença de ratos no local há pouco tempo atrás.

Enquanto os clubes do resto do país buscam se profissionalizar, usar ações de marketing para ter uma arrecadação maior, fazer programas de sócio torcedor rentáveis e oferecendo um produto com mais qualidade, o que se vê lá são algumas tentativas feitas nas coxas, os times nem ligando para o seu marketing(vide a situação patética que foi o “marketing” que houve em volta do Ronaldinho Gaúcho no Flamengo).

Pessoas como Eurico Miranda ainda tem voz naquele futebol e ainda tem gente que acha q ele é a solução para algo, mais uma mostra do quão involuído está o futebol lá.

Vendo toda essa situação, não chega a ser tão inacreditável que isso tudo esteja vindo justamente de lá, o que é uma pena, pois os torcedores de lá não merecem ter um futebol tão amador e incompetente como o que lhes é oferecido, ainda mais com clubes de tanta tradição, que tantos craques tem em sua história, mas que pararam no tempo e ainda vivem na época onde se dá “jeitinhos” para incompetência.

Agora é esperar e torcer para que o time que caiu no campo, suba no campo.

Reação de líder

A caminhada do Palmeiras na série b vem mostrando que não é fácil, entretanto o time vem superando até as grandes adversidades, como foi no caso de hoje, que chegou a estar perdendo por 2 a 0, conseguiu uma virada que além de trazer mais 3 pontos importantes, teve grande valor moral, pois mostrou a força e entrega do time.

Não vale aqui elogios ao futebol do time, pois esse deixou demais a desejar, acabou se complicando em uma partida que não se apresentava como tão difícil. Tomou um gol, pressionou, não conseguiu o gol de empate, devido a pressão, deixou a defesa exposta e tomou o segundo. O time mostrou melhora com a entrada do Felipe Menezes(surpresa, pois ele entrou se apresentando, criando e tentando jogadas. Foi uma válvula de escape para o Mendieta, que pode assim ter mais liberdade, além de um parceiro para articular as jogadas.

De tanto pressionar o time conseguiu diminuir com Alan Kardec, depois empatar com o Mendieta(que marcou no segundo jogo seguido) e aos 49 virou com Leandro(marcando depois de 5 jogos).

Moral elevada para o time estrear na Copa do Brasil, quarta-feira contra o Atlético-PR, porém é necessário que algumas coisas sejam corrigidas: o time tem errado muito na defesa, certamente por conta da falta de combate no meio-campo, talvez com a entrada do Eguren no lugar do Márcio Araújo isso possa ser corrigido, além claro da cobertura que deve ser feita pelo Charles e Wesley, afinal entrar com 3 volantes e ainda sim ter espaço na defesa é no mínimo absurdo.

Outra coisa a ser corrigida é a questão criativa do time, que jogando só com um meia, muitas vezes acaba virando refém da marcação dos adversários. Talvez fosse o caso de entrar com 2 meias ou 3 atacantes, ou até mesmo dar maior liberdade para os laterais(talvez até colocando eles como alas) para apoiarem o ataque, dando mais opções para os atuais 3 jogadores do setor de ataque do time.

Vendo o lado positivo, esse período de jogos na série b, antes do time entrar na Copa, serviu para que jogadores como Alan Kardec e Mendieta pegassem ritmo e entrosamento. Hoje os dois são peças importantes para o time, o primeiro inclusive já é titular absoluto, já tendo virado referência ofensiva do time. O segundo virou ótima opção para quando o Valdívia não puder jogar, o time ter um outro bom meia criativo. Com tudo isso, o time deve fazer um bom papel nessas oitavas contra o Furacão e acredito inclusive que deva passar para próxima fase.

Eliminação e perspectivas para o segundo semestre

O Palmeiras terminou seu primeiro semestre de “série A” de uma forma um tanto quanto melancólica… Eliminado de uma forma dolorosa pelo apenas mediano time do Tijuana, depois de ter conquistado um bom empate no México, perdeu em casa por 2 a 1, contando com um azar imenso do Bruno e com o juiz anulando um gol legal.

O time merecia melhor sorte, pois vinha fazendo boa partida, já tinha botado uma bola na trave em uma falta bem cobrada pelo Ayrton, porém o gol pela falha do Bruno(que foi algo lamentável por sinal) abalou por demais o time, que acabou envolvido não só pela retranca do Tijuana, como pela cera(que foi absurda e não foi coibida) e ali mostrou a falta que faz um jogador decisivo ou experiente que consiga colocar a bola no chão e acalmar o time.

A coisa estava feia a tal ponto que o Henrique no segundo tempo era atacante junto com o Kleber, se valendo do seu bom jogo aéreo, porém nem assim o time conseguiu o placar. Ainda houveram absurdos como deixarem o Souza cobrar faltas que claramente deviam ser batidas pelo Ayrton, e o resultado eram lances bisonhos…

Foi a noite do tudo errado, nem a presença em massa da torcida deu conta de empurrar o time de forma a fazer mais um milagre e com isso encerrou-se o ciclo do primeiro semestre.

O saldo foi razoável, pode-se encontrar peças boas que devem ser aproveitadas na montagem, além de algumas que já estavam lá. Do elenco atual, acredito que devam permanecer: Bruno, Prass, Ayrton, Henrique, Maurício Ramos, Vilson, Marcelo Oliveira, Léo Gago, Charles, Souza, Wesley, Leandro, Patrick Vieira e Vinícius(esse ainda precisa melhorar a pontaria).

Dos que não citei: Juninho, Kleber, Márcio Araújo, Maikon Leite, Tiago Real, Ronny me parecem membros totalmente dispensáveis, não vem trazendo grande acréscimo ao time e poderiam ser usado como moedas de troca para trazer algum outro jogador que fosse mais útil ao time(exceção do Kleber, quer termina o empréstimo e deve voltar logo para o Porto).

O caso do Valdívia é mais complexo: o time precisa recuperar um pouco do investimento, porém acho que por mais que ele esteja interessado, dedicado, etc… gastar 500 mil por mês com alguém que nunca se pode contar, é preferível vender por um valor mais barato e abrir espaço para outro investimento que possa de fato render o que se espera do salário mais alto do elenco(é comparar com o caso do Riquelme, que no momento que o boca precisou, ele estava lá e decidiu).

A venda do Barcos acabou sendo mais mal negócio para o pirata do que para o Palmeiras… é inegável que com ele no time, talvez a sorte contra o Tijuana fosse melhor, talvez até a chave fosse melhor nas eliminatórias, porém o resultado para ele: ser eliminado na mesma fase, ser esquecido pela seleção argentina, só comprovou que ele tem uma total falta de noção de visibilidade, pois o Leandro que veio como moeda de troca, já até foi levado para a seleção brasileira e ainda marcou um gol, ou seja, não importa a fase, o Palmeiras é sempre um clube que dá projeção a quem joga e se destaca lá.

O segundo semestre além da série B, terá a Copa do Brasil para o Palmeiras disputar, ou seja, tem chances de no ano do centenário conseguir novamente uma vaga para a Libertadores.

É necessário pra ontem reforços na essência do termo. Meias que consigam de fato criar e Centroavantes que saibam de fato marcar gols são peças que se o time quer ter uma série B sossegada, tem de chegar o quanto antes, pois com o time que está aí, a vaga deve vir, mas não virá fácil, pois o time não tem criação, e o arremate deixa demais a desejar, pois tem apenas no Leandro, que nem atacante de definição é, sua única peça realmente efetiva.

a série B já começa no fim de semana com o jogo contra o Atlético-GO e a diretoria precisa se mexer, pois já passou da hora de consertar as gravíssimas falhas que o elenco tem, isso se o Palmeiras quer chegar no seu ano do centenário como um time disposto a ganhar títulos e não apenas fazer figuração.

O que esperar do próximo ano?

O ano de 2012 termina no Palmeiras com a sensação de que foi uma completa tragédia. Apesar de não ter ficado muito longe disso, acredito que o ano não tenha sido de todo ruim.

O time voltou a conquistar um título de expressão nacional depois de mais de uma década(desconsiderando o Paulista) e conseguiu trazer bons valores como o Wesley e um camisa 9 que há muito não se via: Hernán Barcos.

Atribuo o título muito mais aos méritos do Felipão de conseguir estimular e motivar um grupo que já vinha mais desacreditado(há tempos que isso ocorre), do que a diretoria. Um pouco de exceção deve ser feita ao César Sampaio, que também errou, mas dadas as condições que ele enfrenta ali, ele até conseguiu um resultado mediano. Talvez com esse período maior já de experiência e uma direção mais qualificada, ele possa desempenhar um melhor papel(apesar de não ter muita certeza que ele permaneça, dependendo de quem for o vencedor das próximas eleições).

Aliás deve-se dizer algo sobre essa eleição: é absurdo que uma eleição de clube seja realizada depois da pré-temporada do mesmo e com campeonatos já iniciados(caso do Paulista). A nova diretoria tem praticamente um ano perdido, pois não pode fazer o planejamento da temporada, ou seja, se a diretoria anterior faz um planejamento de m****(lembremos, é o Tirone e isso é absolutamente possível), não se tem margem de conserto, pois já terão vindo jogadores, comissão técnica já vai ter feito a preparação. É amadorismo até nisso, é difícil de aguentar tanta incompetência… mas voltemos a questão do time.

Terminado o Brasileiro, mais 4 jogadores se juntaram aquela imensa lista de dispensa já citada anteriormente e são eles: Artur(que começou muito bem, mas caiu absurdamente de rendimento), Thiago Heleno(acho bom zagueiro, mas aparentemente seu comportamento fora de campo deve ser algo terrível), Corrêa(não foi tão mal, mas seu preparo ainda deixava a desejar) e o Román(não parecia mal zagueiro, mas errou demais quando mais foi exigido, não vai deixar saudades).

Depois da dispensa(q deu um total de 20 jogadores), analisando as necessidades prioritárias do time, eu colocaria q são necessários 9 jogadores e são eles:
– goleiro(chegou o prass).
– lateral direiro(chegou o ayrton).
– zagueiro pra ser titular e outro pra compor elenco.
– primeiro volante pra ser titular.
– meia pra ser titular e outro de bom nível pra reserva imediata(considerando que o valdívia não permaneça, senão ele é o reserva).
– um segundo atacante para ser titular e um centroavante de bom nível para a reserva do Barcos.

A conta é muito simples, mas vamos colocar uma estimativa de valores:

esses 20 jogadores dispensados, devem representar aproximadamente uma economia de 2 milhões aos cofres do time(vamos considerar que além de alguns jogadores baratos que apenas faziam número ou jogavam no time B, muitos ali era jogadores relativamente caros, casos de Daniel Carvalho e Thiago Heleno por exemplo), entre jogadores renomados e peças da base. Nove jogadores são necessários(já se nota o quanto foi jogado dinheiro no lixo pela diferença de números) e considerando que nenhum deve chegar no atual teto(que é o Valdívia que recebe 500 mil) teríamos o seguinte cenário:
– Prass veio recebendo 300 mil(é o que diz a imprensa)
– Ayrton deve estar entre 100 e 150 mil
– mais 4 peças vem pra ser titular e o custo com as 4 deve sair entre 1 e 1,2milhões, não mais
– 3 peças para compor elenco com alguma qualidade, deve ficar entre 300 e ,350 mil(isso chutando alto com peças mais qualificadas)

O custo total deve sair entre 1,7 e 2,1milhões

Considerando q nesse cenário o Valdívia estaria fora do time, seriam 500 mil a mais disponíveis, ou seja um saldo em salários de 2,5milhões.

Mesmo na hipótese mais dispendiosa, ainda daria um custo a menos de 400mil.

Evidente que com a mula do Tirone no comando, não se pode esperar uma visão inteligente do cenário desse ano, então vamos a elas(apesar de ser um leigo curioso, não tenho dúvida que se eu errar no que digo, vai ser por muito pouco):

– Palmeiras terá uma receita consideravelmente alta do público na série B(tradicionalmente a torcida apoia e muito o time nesses momentos), tudo depende de fazer as ações de marketing corretas.

– Diferente de TODOS grandes que caíram, o Palmeiras terá a Libertadores no primeiro semestre, ou seja, além de uma chance de receita muito maior, terá um atrativo a mais para trazer jogadores de nível(o time indo bem ou até mesmo ganhando a competição, teria o mundial no fim do ano, o que asseguraria a permanência de qualquer estrela numa boa, mesmo disputando a série B).

– A receita da tv não vai diminuir e a exposição(tem sido comentado que TODOS jogos podem ser transmitidos), podem gerar ainda mais receita durante o ano

– A arena palestra fica pronta e o time terá uma fonte de receita excelente(estádio próprio, não precisará pagar pelo aluguel de estádios como o Pacaembu por exemplo)

– O time ainda no segundo semestre terá a disputa da Copa do Brasil, podendo além de tudo garantir um título nacional de expressão, mesmo estando disputando a série B e poderia facilmente dividir as atenções nas duas competições sem perder força ou fôlego em nenhuma.

Não existe nenhum mistério para o time fazer um ano digno da sua grandeza e principalmente montar um time condizente com o mesmo, porém a já citada ridícula data de eleição e a própria falta de qualidade dessa “direção”, fazem com que o time viva uma incógnita, ainda mais com o presidente dizendo que esperará até o ano que vem para contratar, o que é absurdo, pois o mínimo que o time tem para fazer um bom ano é chegar na pré-temporada faltando apenas ajustes(um ou outro que possa chegar como peça complementar, mas tendo todo o elenco principal já basicamente montado).

Agora além de tudo temos de ouvir que o time não tem dinheiro… se não tem, ARRUME!! Times muito menos “abastados” conseguem fazer boas contratações, casos de Atlético-MG e Botafogo e o Palmeiras no mínimo tem de estar um degrau acima deles, tanto por ter melhores acordos de TV, patrocínio, como ter uma marca que pode gerar muito mais lucro, pois tem maior alcance que as outras.

O time tem um marketing sucateado que não sabe aproveitar a força da marca e não consegue fazer o time gerar dinheiro a partir da venda da própria imagem, espero que o próximo presidente tenha essa visão de que o marketing hoje em dia é o básico do básico para o time poder sempre estar forte.

Os sinais até o momento não são nada animadores e o jeito é aguardar que alguma luz ilumine o Palmeiras, ou que o próximo presidente faça mágica caso ele chegue e as contratações ainda não tenham sido feitas.

O centenário está chegando e já passou da hora do time acordar!!

2012 frustrante e expectativas 2013

Fim de ano e a sensação de velório no time do Palmeiras é imensa. O time rebaixado e agora as limpas começam a ser feitas.

Sobre o rebaixamento: era algo mais do que evidente pelo que o time vinha apresentando(não ele todo, pois o Barcos e mais alguns jogadores ainda lutavam por melhor sorte), porém quando se tem uma parte tão grande do time jogando contra fica realmente difícil.

Foram até o momento 21 derrotas em 37 jogos, um verdadeiro absurdo se for considerado que o time perto dos outros que estão acima dele, nada deixa a desejar(Bahia, Sport, Portuguesa, Flamengo, Ponte Preta, Naútico), porém o que se via era um time sem raça, determinação, que jogava na base do “no próximo a gente resolve”, porém tantos próximos vieram que o campeonato chegou ao fim e o time não resolveu…

A incompetência foi tamanha, que o time conseguiu perder os 2 jogos para o Atlético-GO(tudo bem que não dá pra culpar os garotos da base no último, ainda sim é ridículo), fora que poucas vezes fez valer o mando de campo e quando mais precisou dele, contou com a parcela estúpida da torcida para fazer o time jogar no interior, praticamente eliminando essa vantagem.

Triste para a torcida que depois da alegria de ver o time novamente vencendo um título, teve de amargar um fim de ano tão melancólico como esse.

Desnecessário dizer que boa parte disso foi culpa da diretoria, que além de péssimos negócios(trocar Pierre por Daniel Carvalho?) e de não trazer nem metade dos pedidos de jogadores feitos pelo Felipão, ainda não teve pulso, nem deu a cara a tapa para administrar os momentos de crise do time. Clara prova da influênca nefasta do Mustafá ainda na direção do Palmeiras(haja visto que o “bananone” como carinhosamente a torcida o apelidou é sua cria). Agora com o estatuto mudado e com eleições diretas, deve ser apenas questão de tempo para que todo esse lixo que tanto estraga o clube finalmente seja eliminado e nunca mais volte para o bem do Palmeiras.

Com o término da temporada, saiu a tão esperada lista de dispensa do verdão e particularmente achei ela apenas razoável, pois o Márcio Araújo não estar nela é simplesmente absurdo.

agora sobre a lista:

Leandro – nem devia ter vindo

João Vitor – começou bem, sentiu a pressão, não vai fazer falta

Daniel Carvalho – outro que nem devia ter vindo, apesar de ter começado bem, caiu demais de rendimento, nunca se cuidou e ainda fez corpo mole, ridículo.

Betinho – esforçado, mas ruim, teve sua utilidade na Copa do Brasil, mas não dá pra mantê-lo só por isso, outro que não fará falta.

Obina – muito fora de forma, nem de longe serviu para ser reserva do Barcos e como ainda teria que gastar para mantê-lo, nem vale a pena.

Esses são os com contrato até fim do ano, agora a parte da lista dos com contrato mais longo:

Pegorari e Carlos – goleiros da base, indiferente estarem aí, tão só fazendo número na lista.

Fabinho Capixaba e Gerley – aleluia!! ruins demais, tão fazendo hora extra desde que chegaram.

Luís Felipe – não teve chance no time principal, talvez valesse uma aposta.

Leandro Amaro – a torcida agradece, ele precisa melhorar muito pra ser ruim.

Wellington – não é dos piores, acho que poderia ter chance ainda, nem que fosse para compor elenco.

Tinga – mais um da leva de jogadores horríveis que fazem hora extra no Palmeiras. Veio até com algum crédito, mas fez tantos jogos pífios que já ficou até tempo demais no clube.

Patrik – de início parecia até uma boa revelação, mas mostrou-se muito limitado e frequentemente era o cara que “estragava” as jogadas, um ótimo reforço sua saída.

Daniel Lovinho e Tadeu – por que o Kleina trouxe de volta? qualquer jogador da base deve ser melhor que isso aí.
Provavelmente depois do jogo contra o Santos devem ser liberados mais, afinal se o fossem agora, mal teria gente para entrar em campo.

Começaram até que bem, livraram o time de muito refugo, mas se não houver uma grande mudança na área política, apenas isso não bastará, pois precisa haver entedimento, para organizar contratações, ações de marketing, entre tantas outras coisas que levariam o Palmeiras de volta a frequência do protagonismo e não apenas contar com situações esporádicas.

 

 

CBF tira jogos das 21 e 18:30

Depois de tanta chiadeira dos times, que odiavam esse novo horário de sábado às 21 horas e até mesmo os jogos realizados às 18:30, a CBF alterou os jogos desses horários para as 18 horas. Os horários novos passam à valer na rodada do dia 20/8 e esses são os jogos que até agora tiveram o horário alterado:

 

20/8 – SÁBADO
18h – Cruzeiro x Ceará
18h – Botafogo x Atlético-MG
18h – Corinthians x Figueirense

21/8 – DOMINGO
18h – Atlético-PR x América-MG
18h – Vasco x Fluminense
18h – Bahia x Santos

24/8 – QUARTA
20h30 – Santos x Fluminense

27/8 – SÁBADO
18h – Coritiba x Atlético-PR
18h – América-MG x Atlético-GO
18h – Fluminense x Botafogo

28/8 – DOMINGO
16h – Ceará x Bahia
18h – Atlético-MG x Cruzeiro
18h – Figueirense x Avaí

 

Sobre essas alterações eu digo: esses jogos pelo que vi não estavam tendo a média de público esperada por quem criou esse novo horário(pelo contrário, geralmente eram os de menos públicos), porém a ideia não era de todo ruim: era um programa diferente para se fazer aos sábados e para quem não ia sair(e tivesse tv à cabo) seria uma opção diferente de programa pra assistir. Talvez valesse manter mais um tempo para ver se o horário emplacava(digo pelo menos durante esse campeonato), mas como os clubes chiavam sem parar, desistirim de insistir.

Acho uma pena terem tirado essa ideia que até parecia ser interessante(devo ser um dos poucos que pensam assim), mas fazer o que? Pode ser que tenham perdido uma ideia boa, simplesmente por não terem paciência.

Palpites da equipe

No primeiro programa do Em Cima da linha, ocorrido na primeira rodada do Campeonato Brasileiro, dia 22/05, os presentes colocaram seus palpites sobre quem seria o campeão, os classificados pra Libertadores e os Rebaixados. Guardem os palpites, coloquem os seus nos comentários, e o principal, cornetem!

Bernardo Marchesini

4 primeiros: Santos, Cruzeiro, São Paulo, Atlético-MG

4 últimos: Bahia, Améri, Atlético-GO, Atlético-PR

Carlos Teixeira

4 primeiros: Fluminense, Cruzeiro, Santos, São Paulo

4 últimos: América, Bahia, Figueirense, Atlético-Go

Fernando Rossini

4 primeiros: Grêmio, Inter, Atlético-MG, Santos

4 últimos: Botafogo, América, Ceará, Bahia

Luciano Sant’Anna

4 primeiros: Santos, Grêmio, Inter, São Paulo

4 últimos: Atlético-PR, Atlético-GO, Bahia, Ceará

Luiz Fernando

4 primeiros: Santos, Inter, Cruzeiro, Coritiba

4 últimos: Botafogo, Figueirense, América, Bahia.

Tatiana Ferreira

4 primeiros: Inter, Grêmio, Santos, Flamengo

4 últimos: Atlético-GO, Bahia, Botafogo, Ceará

A denúncia e a apuração

Imagem meramente ilustrativa

Muito tem se falado sobre as denúncias de corrupção no futebol que tem sido mostradas pela Rede Record na última semana, a partir de uma série de reportagens sobre os cartolas brasileiros.

Acho as reportagens positivas e negativas ao mesmo tempo. Explico.

Evidente que todo material jornalístico que venha somar com o futebol através de denúncias de irregularidades e corrupção é bem-vindo. As denúncias são muito graves, e todos, sem exceção, devem ser investigados.

Ricardo Teixeira, João Havelange, Andres Sanchez, todos deveriam passar por um processo de investigação para que todos os fatos sejam devidamente esclarecidos e nenhuma dúvida paire acerca da honestidade destes indivíduos. Em caso de provas de algum tipo de crime, cadeia neles, sem pestanejar.

Muito se fala que o futebol é um meio corrupto, sujo, mas até hoje ninguém teve coragem de dar nome aos bois e assumir a responsabilidade da acusação, assinando as matérias e deixando o nome e o CPF disponíveis para qualquer tipo de ação judicial. Sendo assim, acho muito positiva a ação da Rede Record, de revelar os bastidores do esporte mais popular do mundo.

Em época de denúncias mundiais contra a FIFA e a CBF, talvez seja a hora de fazer o grande levante contra os cartolas e colocar os pingos nos is, para que o futebol tenha finalmente uma gestão séria e profissional.

Porém, nem tudo são flores no mundo mágico da IURD. Sabemos que a motivação das denúncias são única e exclusivamente políticas. A Rede Record não quer apenas a transparência no futebol brasileiro, essas reportagens são uma retaliação ao fato dela ter perdido o direito de transmissão do Campeonato Brasileiro. Na parte que tange Copa do Mundo, ela defende claramente a utilização do Morumbi para o torneio porque seu diretor de marketing é também diretor de marketing do São Paulo, então toda a isenção e idoneidade vão para o espaço. (e antes que os analfabetos digitais comecem a xingar, eu sou contra a copa no Brasil, seja no Morumbi, no Palestra ou no Fielzão. Fazer festa com dinheiro público não é algo que eu considere muito legal).

Sendo assim, se for pra criticar, denunciar e investigar, que seja feito com todos. Que seja aberta a caixa preta do futebol brasileiro, que os dirigentes sejam responsabilizados por seus atos, devolvam o dinheiro que por ventura tenham roubado, e vão para a cadeia.

Qualquer conversa ou investigação que fique aquém disso não será nada mais que jogo de cena.