Arquivo da categoria: Brasileirão Série A

Estrangeiros x cornetas

Hoje não vou entrar na questão da derrota, até porque não se tem muito o que falar em relação, pois juntou o nervosismo da falta de vitórias, com a falta de qualidade ainda do time(como faz falta um bom meia, deus do céu…) que resultou em um recuo excessivo depois do empate(via-se o Gareca desesperado mandando o time não recuar demais) e tanto levou pressão que acabou derrotado.

Alonguei-me até demais no tema, então vamos ao que realmente interessa: a chegada em massa de gringos no time.

O Gareca chegou e não conhece tantos jogadores brasileiros, até em função de muito poucos dos que estão aqui se destacarem lá fora, por conta disso pediu muitos que já trabalharam com ele, ou mesmo que ele já conheça ou tenha alguma informação(caso do Mouche).

Chegaram quatro(já estou considerando o Cristaldo, que logo será anunciado e apresentado), no caso o próprio Cristaldo, Tobio, Mouche e Allione.

Destes, dois já são titulares(Tobio e Allione) e outro ainda fica na reserva, talvez pelo Gareca estar tentando esgotar as chances com o Leandro e ver se ele volta a jogar, talvez para não colocar todos de cara.

Tobio começou um pouco inseguro, cometeu alguns erros(apesar de eu não achar o caso do Elias um erro, mas sim que ele teve de sair porque deixaram o cara livre), mas nesse último jogo contra o Galo, já mostrou um bom entendimento com o Lúcio.

Mouche ainda está bem irregular. Apesar de vir jogando melhor que o Leandro, ele ainda não mostra uma boa regularidade nos jogos, alguns entra bem, outros fica mais sumido. Acredito que seja muito em função de no seu time, na Turquia, ele ainda estar em pré temporada, ou seja já tinha um tempo sem jogar, ainda está recuperando o ritmo e como o Leandro já vem em meio de temporada, acaba tendo mais chances.

Allione então é um caso a parte. No amistoso já mostrou que poderia ser uma opção interessante, porém no jogo de hoje deu a entender que pode ser dos principais jogadores do time. Ainda que se discuta o fato de ele acertar ou errar os lances que tentou, em praticamente toda jogada a bola passava pelos seus pés. Clara mostra que ele procura e principalmente, aparece para o jogo. Tentou armar, aparecia na defesa roubando bola, tentou lançamentos, e até aparecer no ataque como elemento surpresa. Quem viu o jogo certamente deve ter gostado muito do que viu, isso que foi apenas seu primeiro jogo oficial.

Cristaldo deve chegar e assumir a posição de ataque, pois apesar do Henrique ser um cara esforçado e ter lá um faro matador(já deixou mais dois no brasileiro), ainda sim não é o cara pra ser o 9 do Palmeiras e o novo reforço parece ter muito mais recursos que ele, que sem dúvida nenhuma deve ficar no time, pois é uma excelente opção.

É mais do que notável que os argentinos qualificam demais o time do Palmeiras, que passa a ser bem mais respeitável com suas presenças, ainda sim o que mais se ouve são coisas como “e se o técnico for embora, como faz com eles?” ou “risco de panelas” ou ainda “jogadores de qualidade duvidosa”. Impressiona como a corneta rola solta e principalmente sem conhecimento de causa.

Primeiro que os vindos do Velez, foram campeões lá e destaque do time, qual então a dúvida que possam ser bons reforços?

Mouche foi destaque por anos no Boca, mas não deu tão certo na europa, igual muitos jogadores daqui, qual a dúvida então que ele possa ser um bom reforço também?

Sobre a questão do técnico ficar ou sair é simples: se eles forem bem jogam, se forem mal não jogam, qual a dúvida?

Isso só é mostra de como a imprensa passa pelo mesmo mal dos técnicos daqui: aparece uma coisa nova e nem esperam, já saem cornetando.

Evidente que o time vai ainda capengar até se acertar, até pelo simples fato de estar sendo montado no meio da competição(o que por si só é absolutamente terrível, total falta de planejamento, mas enfim). Tanto que se for olhar o time que estreou contra o Criciúma e o que jogou contra o galo, são muitas mudanças, praticamente todo o time.

Precisa sim cobrar, mas principalmente saber o que se está cobrando, porque ficar aí jogando crítica ao vento não é analisar o time, mas sim ser oportunista e querer criar manchete em cima de uma má fase ou mesmo uma fase de transição como a que o time vem passando.

Uma pena sim que esse ano do centenário ao que parece, será jogado no lixo, mas se houver o início de um renascimento, com o time voltando a ter um elenco respeitável e disputando títulos, pelo menos esse ano marcará a volta por cima.

Acredito muito no trabalho do Gareca, principalmente pelo fato de se ver o time com uma postura diferente dos tempos do Kleina. Se entrega mais, luta, joga com raça(tirando um ou outro que ainda estão dormindo), porém é preciso qualificar e esperar o time ajeitar as peças para que então sim se possa cobrar algo.

Quem realmente quer a melhora do futebol brasileiro?

Queridos amigos leitores, sabe quando um filme é tão previsível que a gente chega a pensar que é impossível que o final seja tão lógico e ainda assim para nosso espanto no final ele realmente não surpreende nada e cumpre exatamente aquilo que já esperávamos?

Esse é o retrato exato desse quase 1 mês de retorno do futebol brasileiro a copa do mundo.

Tudo de mal que imaginávamos vem acontecendo rodada após rodada. O futebol fraco, a falta de técnica, a falta de novidades táticas, o fraco desempenho ofensivo, uma absurda apatia de técnicos e jogadores e não faltariam adjetivos negativos para descrever esse campeonato brasileiro.

Em consequência disso, não a toa, temos tido péssimos jogos, uma falta de interesse popular absurda pelo campeonato, péssimos públicos e uma queda vertiginosa na audiência da TV. Ou seja, o nocaute que sofremos da Alemanha na copa do mundo transbordou o âmbito seleção brasileira e continuou em nossos campos locais. A decisão atual é unanime: O Futebol Brasileiro foi a Knockout.

O desgaste do produto futebol é tanto que a TV Globo, manda chuva do nosso esporte preferido, foi obrigada a marcar uma reunião urgente com os clubes para uma ação de choque que remende as feridas em nosso campeonatos. Não somos tolos a ponto de não sabermos que a emissora dos Marinhos é uma das principais responsáveis pelo sucateamento do nosso futebol. É ela que determina dias e horários, absurdos, de nosso futebol, é ela que monopolizou a cobertura com transmissões de jogos apenas do eixo RJ-SP, é ela que praticamente centralizou em Corinthians e Flamengo a sua grade esportiva, ela que causou boa parte do desequilíbrio financeiro entre os clubes e por aí vai.

Porém, como é mais sabido do que nunca,  os clubes precisam até as cuecas da TV, mais precisamente da Globo. Os clubes hoje recebem % muito maior da TV do que de bilheterias, do que patrocínios ou mesmo até do que algumas vendas de jogadores. Boa parte dos clubes inclusive já receberam adiantadas as cotas de próximos anos, e muitos deles já até usaram de forma totalmente obscuras essa verba.

Se você leitor parar o texto nesse ponto e refletir chegará a conclusão de que: os campeonatos são ruins, os times tem elencos fracos, os clubes estão sem dinheiro, a TV está sem audiência, os estádios vazios, e nosso futebol chegou a beira do abismo.

Nosso país sempre foi campeão em dar um jeitinho nos problemas, principalmente dentro das 4 linhas. Mas a falência dessa vez é tão forte, que nem mesmo nas peças de chuteiras dentro de campo nós podemos ter um alento. Não temos mais de onde extrair ouro, a mina secou. Não adianta mais esperarmos uma resolução imediata, sensacional, surpreendente ou inovadora. A salvação é simplesmente recomeçar do zero.

Vocês seguidores do em cima da linha devem ter reparado que a quantidade de textos do site deu uma diminuída. Nós pedimos desculpa, sabemos que muita gente quer nos ler, ainda mais nesse momento, mas está bem difícil ter ânimo, pique, disposição e inspiração para falar de futebol nesse país. Muitas vezes falamos mais das contratações dos clubes europeus do que dos próprios resultados do nosso fim de semana de jogos.

É trágico isso!!

Ainda não sabemos o que virá da reunião da Globo com os dirigentes, sabemos como é público há anos, que o interesse da emissora global é o retorno do mata-mata. Eu que sempre fui defensor desse modelo ida e volta mais justo começo a repensar sobre isso visto que o playoff com eliminações talvez estanque por um pouco de tempo a dor de vermos esse futebol medonho que temos jogado.

Agora, para não falarmos que só temos visto desesperança em nosso universo futebolístico, estou cada dia mais feliz com o papel e desempenho do bom senso. Hoje mesmo eles retaliaram o nojento calendário proposto pela CBF para 2015. E não só foram contra como deram justificativas, e muitas, para comprovar porque esse calendário é patético.

Poderia escrever aqui mais algumas horas sobre esse poço de lama do nosso futebol, mas nesse momento o que podemos fazer é cobrar dos nossos jogadores, dos nossos clubes e dirigentes, para que eles acordem e comecem a subir a cobrança de acordo com a pirâmide de poder do nosso futebol.

É isso, ou isso. Não tem mais como empurrar com a barriga. Ou então clubes como Botafogo irão falir de vez e não será o único, virão outros tantos na rabeira.

 

Volta copa do mundo!!

A copa terminou! E a cada dia que passa, nos vemos pensando: por que terminou tão cedo?

Desde que a copa terminou, assisti/ouvi mais de 10 jogos(todos do Palmeiras e alguns de Santos, Corinthians e São Paulo, até em função das transmissões) e posso dizer: não vi um único jogo bom! Nenhum mesmo, nem ao menos o clássico entre Palmeiras x Corinthians.

Continue lendo Volta copa do mundo!!

O Abismo entre os clubes na 1ª divisão do Brasileirão

O futebol brasileiro, dentre os principais países do mundo, talvez tenha sido o que mais demorou para aderir definitivamente ao profissionalismo e ao poder do dinheiro.

Até a década de 80 a Televisão ainda tinha muito pouco poder sobre os clubes e os campeonatos, os valores de patrocínios eram quase irrisórios, e praticamente não haviam diferenças estruturais entre os clubes da primeira divisão. Bem por isso se justifica a grande variação de campões que tivemos na extinta Copa Roberto Gomes Pedrosa e também nos 15 primeiros anos do atual formato de campeonato Brasileiro.

De 71 a 85 por exemplo, no campeonato brasileiro tínhamos:

– Internacional e Flamengo com 3 títulos
– Palmeiras com 2 títulos
– Atlético Mineiro, Fluminense, Grêmio, Vasco, Coritiba, Guarani e São Paulo com 1.

Ao todo 10 times campeões.

De lá para cá foram 28 campeonatos brasileiros e:

– 5 títulos do São Paulo e Corinthians
– 3 de Flamengo (sim 87 ele foi o campeão brasileiro) e Vasco
– 2 de Palmeiras, Santos, Cruzeiro e Fluminense
– 1 de Atlético Paranaense, Bahia, Grêmio e Botafogo.

Ou seja, em 15 anos tivemos 10 times campeões e nos 28 anos seguintes apenas 12 times diferentes campeões. Se compararmos com os torneios internacionais é um número excelente, mas se considerarmos no âmbito brasileiro encontraremos gradualmente um sinal de início de monopólio.

Dos 12 times do eixo RJ, SP, MG e RS, Atlético Mineiro não vence brasileirão há 41 anos, Internacional há 35 anos,  Palmeiras 20 anos, Botafogo 19, Grêmio 18, Vasco 14 e Santos 10.

O estado do Rio Grande do Sul nos últimos 30 anos venceu apenas um campeonato brasileiro, Bahia também 1, Minas Gerais apenas 2, Paraná 2, Rio de Janeiro 9 e São Paulo 14. O estado Paulista venceu quase metade dos campeonatos brasileiros desse período.

Isso é sinal claro que a diferença econômica e de infraestrutura dos estados chegou definitivamente no futebol desde então. Hoje por exemplo se colocarmos no papel o poder aquisitivo de clubes como Corinthians e Botafogo, é impossível afirmar que ambos entram com chances iguais em seus campeonatos. É impossível até afirmar que hoje ambos são grandes.

Não analisamos história e sim condições profissionais de competição. No último final de semana os jogadores do Botafogo entraram em campo com uma faixa citando todas as dívidas que o clube tem com seus funcionários atualmente. (Sim jogadores de futebol são funcionários CLT como todos nós).

É absurdo pensar que em um país que Flamengo e Corinthians recebem cotas de TV e patrocínio de camisa a altura de grandes clubes do mundo, nós tenhamos um clube de primeira divisão, da cidade que irá receber as próximas olimpíadas e acabou de sediar a final do copa do mundo, devendo 3 meses de salário para seus jogadores. Isso porque estamos falando do clube que junto com SPFC mais cedeu jogadores para seleção brasileira em copas do mundo.
Imagina se analisarmos os clubes do interior do estado ou mesmo dos demais estados do país.

Aliás, hoje na primeira divisão do futebol brasileiro temos apenas 4 clubes fora das regiões Sul e Sudeste do país. Esse é um exemplo claro do ABISMO que existe no futebol brasileiro e que já chegou com toda força até a primeira divisão do país. Quando nós do Em cima Da Linha cobramos que não seja apenas o técnico da seleção alterado, mas sim toda a estrutura, todos dirigentes que comandam a CBF, é por isso.

O futebol brasileiro passa por um processo de desmoronamento em suas estruturas. Se não tivemos clubes pequeno revelando jogador, não vamos ter seleções brasileiras com novos craques. Apenas as escolinhas dos clubes grandes não são suficientes para apresentarem novos ronaldos, romários, etc.

É por isso que cada dia mais aumentamos o limite de jogadores estrangeiros em nosso país. Pois no final das contas, sai muito mais barato contratarmos jogadores medianos nos países vizinhos do que investir na escola de base. E mesmo que tenhamos uma ótima estrutura, como a do São Paulo em Cotia, se não tivermos mãos de obra qualificada, se não tivermos jogadores sendo revelados fora do eixo, não teremos novas perspectivas.

Ou fortalecemos nosso futebol, ou não voltaremos tão cedo a vencer copa do mundo.

Precisava parar

cansado

13 de Julho de 2014.

A Alemanha bate a Argentina no Maracanã e é coroada como a grande campeã do mundo.

16 de Julho de 2014.

O Campeonato brasileiro tem o início de sua décima rodada.

É demais, meus amigos. Hoje teremos vários jogos importantes pela Copa do Brasil, o segundo campeonato mais importante do país. E a verdade é que ninguém está ligando pra isso. Continue lendo Precisava parar

A difícil missão de Gareca no Palmeiras

O trabalho de Ricardo Gareca finalmente teve início, porém o começo é no mínimo desastroso, com duas derrotas, sendo uma delas em casa, para Santos e Cruzeiro. Ainda que um jogo tenha sido um clássico e o outro contra o líder do campeonato, é mais uma das razões(dentre as inúmeras citadas aqui e que praticamente todo torcedor palmeirense tem consciência) para se arrumar o time.

Continue lendo A difícil missão de Gareca no Palmeiras

Virada… de novo?

Terminou o Campeonato Brasileiro e conforme citei no post anterior sobre o tema, tivemos como punidos por sua incompetência Vasco e Fluminense com mais uma queda para a segunda divisão, o Flu com sua terceira e o Vasco com a segunda em menos de 5 anos.

Depois da mudança do formato para pontos corridos, muitos times do grupo dos “grandes” já caíram: Palmeiras, Botafogo, Corinthians, Vasco, Grêmio, Atlético-MG e todos cumpriram com sua obrigação, fruto da sua incompetência, ou seja: caiu, suba dentro de campo, porém esse ano, com a queda de dois cariocas, parece que resolveram reviver os tempos de várzea, canetadas, amadorismo e bandidagem da CBF.

Tenho acompanhado tudo isso com certa perplexidade e muito desgosto, pois não tem coisa pior do que ver times que tem administrações péssimas, quererem usar de artifícios extremamente suspeitos para conseguirem corrigir os erros que já estão tão visíveis na esfera esportiva.

Primeiro vejamos o caso vascaíno: o time pleiteia a anulação de um jogo por conta de 13 minutos além do tempo regulamentar de espera. Dentro de campo, eles “somente” perderam por 5 a 1, ou seja foram massacrados, porque o time é um lixo e dentro de campo nunca que conseguiria a salvação. Esse atraso se deveu ao fato de esperarem as ambulãncias retirarem os feridos de dentro de campo.

Agora analisando a coisa mais a fundo: quem não garante que esses “torcedores” que arrumaram confusão não foram pagos pelo próprio Vasco para fazerem isso? Justamente com o intuito de anular o jogo e pleitear os pontos? É bem sabido a relação suspeita entre organizadas e clubes de futebol, então dentro de toda essa sujeira, eu não descartaria essa possibilidade…

Agora o pior dos casos, o do Fluminense. Ele acusa a Portuguesa pela escalação de um jogador de forma irregular, pedindo a punição com a perda dos pontos e consequente rebaixamento do time paulista para a série B. Olhando a coisa de forma fria, poderia se dizer: está na lei, não tem o que fazer, porém a coisa não pode ser vista de forma tão simplória…

Vamos analisar alguns aspectos sobre tudo isso:

1 – a Portuguesa já estava salva, apesar de matematicamente poder ainda cair, precisaria que fosse tirada uma diferença de 11 gols de saldo em uma rodada e que Vasco, Coritiba e Cricíuma vencessem, ou seja, as chances eram remotas.

2 – o jogador em questão sequer era titular, não era peça chave e nem ao menos era necessário que ele fosse escalado

3 – o time poderia até mesmo perder q não seria rebaixado, por quê arriscaria algo tão desnecessário?

4 – diversas vezes jogadores foram punidos e fizeram uso de efeito suspensivo, enquanto era julgado seu recurso, por que dessa vez isso não ocorreu?

5 – o tratamento que vem sendo dado é o de time condenado, quando nem sequer foi julgado o mérito do recurso da suspensão do jogador, ou seja, ele foi punido sem direito a recurso, quando tantos outros fazem uso disso por que? O fato de haver um time do rio diretamente beneficiado é apenas uma infeliz coincidência? Duvido…

6 – querem punir o Flamengo da mesma forma, apenas como forma de dar um “cala boca” dizendo que a regra vale para todos, no entando isso será feito apenas pelo fato de que o time rubro negro não vai cair com essa perda de pontos…

7 – o recurso do Vasco foi prontamente negado, mas se formos analisar de uma forma mais profunda, isso tem uma razão: os pontos pleiteados pelo Vasco, o levariam aos 47 pontos, que o salvaria do rebaixamento. A Portuguesa com 44 seria uma das rebaixadas e quem seria o outro? Flamengo, que com a punição no mesmo caso da Lusa, cairia para 45 pontos, ficaria também atrás do Fluminense e cairia. Coincidência? Muito improvável, ainda mais quando se trata de um time como o Flamengo.
Tudo isso pode parecer uma grande teoria da conspiração, porém quando se olha bem a fundo, nota-se que todos fatos se encaixam perfeitamente, em especial o último, tratando do Flamengo, o time intocável quando se trata de casos assim…

O futebol carioca hoje em dia é o próprio retrato do que se tem de mais obsoleto, arcaico e retrógrado no futebol brasileiro, não por acaso a sede da CBF também está entre eles…

Os times lá não agem com responsabilidade fiscal, sempre gastam muito mais do que arrecadam. Tem o Flamengo com a maior dívida do Brasil de forma disparada, tem um Vasco quem nem água paga, Fluminense e Botafogo com salários atrasados. O time das laranjeiras inclusive nem um centro de treinamento adequado tem, vide o que foi dito sobre presença de ratos no local há pouco tempo atrás.

Enquanto os clubes do resto do país buscam se profissionalizar, usar ações de marketing para ter uma arrecadação maior, fazer programas de sócio torcedor rentáveis e oferecendo um produto com mais qualidade, o que se vê lá são algumas tentativas feitas nas coxas, os times nem ligando para o seu marketing(vide a situação patética que foi o “marketing” que houve em volta do Ronaldinho Gaúcho no Flamengo).

Pessoas como Eurico Miranda ainda tem voz naquele futebol e ainda tem gente que acha q ele é a solução para algo, mais uma mostra do quão involuído está o futebol lá.

Vendo toda essa situação, não chega a ser tão inacreditável que isso tudo esteja vindo justamente de lá, o que é uma pena, pois os torcedores de lá não merecem ter um futebol tão amador e incompetente como o que lhes é oferecido, ainda mais com clubes de tanta tradição, que tantos craques tem em sua história, mas que pararam no tempo e ainda vivem na época onde se dá “jeitinhos” para incompetência.

Agora é esperar e torcer para que o time que caiu no campo, suba no campo.

Vasco e Fluminense: um, outro ou os dois na b?

Essa penúltima rodada do brasileiro foi certamente contra tudo que se espera de uma disputa pelo rebaixamento. Todos times em questão, a exceção do Fluminense, saíram vitoriosos. Criciúma, Coritiba, Portuguesa, Vasco e Bahia.

Desde que começou o campeonato por pontos corridos, não se viu tamanha reação dos times da parte de baixo da tabela, pior para Vasco e Fluminense, que podem morrer abraçados e irem juntos para a segunda divisão, além do que na melhor das situações, apenas um se salva, pois o Flu só pode passar o Coxa e o próprio Vasco, ou seja, se o Vasco se salva, o outro cai e vice-versa.

Isso apenas coroa as administrações amadoras e extremamente incompetentes dos times cariocas, que poderia até ter o Flamengo incluso, porém há uma certa dose de sorte naquele time, pois ele com certeza é dos piores exemplos do futebol do rio, mas ainda sim, sempre dá um jeito de safar-se.

O Vasco depois do título da Copa do Brasil, daquele bom time que disputou o título brasileiro até a última rodada, assim como fez um bom papel na libertadores de 2012, o time foi se esfacelando, não teve um planejamento para manter uma equipe competitiva, perdeu o Dedé para o Cruzeiro e montou um time horrível para dizer o mínimo para esse brasileiro e agora começa a pagar o preço.

O Fluminense por sua vez paga pela falta de planejamento. Do time campeão ano passado, saíram Wellington Nem, Thiago Neves, Deco se aposentou e deixaram somente o Fred para carregar o time e para completar ele se machuca e dos grandes destaques do time campeão, não sobrou quase ninguém, colocaram os jogadores da base em uma grande fria e alguns outros jogadores de qualidade muito duvidosa e agora apenas um milagre salva o time de cair(uma queda merecida diga-se, pois eles desde 2000 devem uma série B, já que se beneficiaram de uma virada de mesa na Copa João Havelange, finalmente irão pagar).

Certamente esse foi o Brasileiro mais equilibrado no que se diz respeito a parte de baixo da tabela, pois exceção feita ao Naútico e posteriormente a Ponte Preta, que acabou abdicando do campeonato visando o título da Sul americana, os demais tiraram vitórias de onde nem se imaginava. O próprio Criciúma, que está quase salvo, até algumas rodadas atrás estava até atrás da Ponte e era visto como fadado a série B, hoje depende apenas dele para safar-se.

O Coritiba idem, chegou até o Z-4, depois acabou por reagir quando ninguém mais acreditava que isso fosse possível e apesar da atual situação de risco, depende apenas de suas forças para safar-se.

Pior para os cariocas que dessa vez não tiveram a incompetência alheia para salvá-los e ainda correm o risco de no ano que vem terem menos representantes na primeira divisão que Santa Catarina, ponto para o futebol com alguma responsabilidade, onde dois grandes exemplos de como NÃO se deve administrar um clube estão prestes a amargar mais uma vez a segundona.