Arquivo da categoria: Vasco

Nem só de amor se vive

Perder é ruim, claro, é muito ruim, mas não é o pior que pode acontecer. Faz parte do esporte, quem gosta e acompanha tem que saber que uma hora vai perder.

Mas o que aconteceu com o meu amado Vasco foi pior. Pois com a volta do Eurico, não perdeu só o clube, perdeu o futebol brasileiro. Perderam todos que gostam desse esporte e que queriam que evoluíssemos.

Inocência pensar que o Eurico fará mal só ao Vasco. Aliás, o provável que o Vasco volte a vencer, diria que em no máximo 3 anos ganhará um Carioca. Mas a que preço?

Bom eu digo por mim, para mim deu. Ver o Vasco cair duas vezes doeu, bastante, eu diria. Ver o principal ídolo como jogador do clube fazer o que o Roberto Dinamite fez, muito mais. Aliás, Roberto também se mostrou, além de fraco, covarde, um administrador bem “confuso”, para não acusá-lo de crime algum. Foi o pior essa é a verdade.

E quando eu achava que tínhamos chegado ao fundo do poço, a volta do Eurico foi a gota d’água para eu largar de mão.

“O Sentimento não pode parar!” O sentimento não para mesmo, mas nenhuma relação vive só de amor, e só de um lado. Perder faz parte, ser diuturnamente vilipendiado não. Se os sócios entenderam por bem o retorno de Eurico, eu que tenho que me afastar.

Foi fácil me afastar da seleção, será também do Vasco. Em certos momentos temos que escolher o que é mais importante, ganhar a qualquer custo, para mim, nunca será.

Copa do Brasil – oitavas de final

Depois das zebras da semana passada, onde Inter, Fluminense e São Paulo saíram de forma patética da Copa do Brasil(difícil dizer qual delas foi mais ridícula, apesar de eu achar que foram os 5 a 2 do Flu em casa), foi feito o sorteio com os 10 times classificados, mais os 6 oriundos da libertadores.

Agora analisaremos os confrontos e ver quais as maiores chances de classificação de cada um deles:

Continue lendo Copa do Brasil – oitavas de final

Virada… de novo?

Terminou o Campeonato Brasileiro e conforme citei no post anterior sobre o tema, tivemos como punidos por sua incompetência Vasco e Fluminense com mais uma queda para a segunda divisão, o Flu com sua terceira e o Vasco com a segunda em menos de 5 anos.

Depois da mudança do formato para pontos corridos, muitos times do grupo dos “grandes” já caíram: Palmeiras, Botafogo, Corinthians, Vasco, Grêmio, Atlético-MG e todos cumpriram com sua obrigação, fruto da sua incompetência, ou seja: caiu, suba dentro de campo, porém esse ano, com a queda de dois cariocas, parece que resolveram reviver os tempos de várzea, canetadas, amadorismo e bandidagem da CBF.

Tenho acompanhado tudo isso com certa perplexidade e muito desgosto, pois não tem coisa pior do que ver times que tem administrações péssimas, quererem usar de artifícios extremamente suspeitos para conseguirem corrigir os erros que já estão tão visíveis na esfera esportiva.

Primeiro vejamos o caso vascaíno: o time pleiteia a anulação de um jogo por conta de 13 minutos além do tempo regulamentar de espera. Dentro de campo, eles “somente” perderam por 5 a 1, ou seja foram massacrados, porque o time é um lixo e dentro de campo nunca que conseguiria a salvação. Esse atraso se deveu ao fato de esperarem as ambulãncias retirarem os feridos de dentro de campo.

Agora analisando a coisa mais a fundo: quem não garante que esses “torcedores” que arrumaram confusão não foram pagos pelo próprio Vasco para fazerem isso? Justamente com o intuito de anular o jogo e pleitear os pontos? É bem sabido a relação suspeita entre organizadas e clubes de futebol, então dentro de toda essa sujeira, eu não descartaria essa possibilidade…

Agora o pior dos casos, o do Fluminense. Ele acusa a Portuguesa pela escalação de um jogador de forma irregular, pedindo a punição com a perda dos pontos e consequente rebaixamento do time paulista para a série B. Olhando a coisa de forma fria, poderia se dizer: está na lei, não tem o que fazer, porém a coisa não pode ser vista de forma tão simplória…

Vamos analisar alguns aspectos sobre tudo isso:

1 – a Portuguesa já estava salva, apesar de matematicamente poder ainda cair, precisaria que fosse tirada uma diferença de 11 gols de saldo em uma rodada e que Vasco, Coritiba e Cricíuma vencessem, ou seja, as chances eram remotas.

2 – o jogador em questão sequer era titular, não era peça chave e nem ao menos era necessário que ele fosse escalado

3 – o time poderia até mesmo perder q não seria rebaixado, por quê arriscaria algo tão desnecessário?

4 – diversas vezes jogadores foram punidos e fizeram uso de efeito suspensivo, enquanto era julgado seu recurso, por que dessa vez isso não ocorreu?

5 – o tratamento que vem sendo dado é o de time condenado, quando nem sequer foi julgado o mérito do recurso da suspensão do jogador, ou seja, ele foi punido sem direito a recurso, quando tantos outros fazem uso disso por que? O fato de haver um time do rio diretamente beneficiado é apenas uma infeliz coincidência? Duvido…

6 – querem punir o Flamengo da mesma forma, apenas como forma de dar um “cala boca” dizendo que a regra vale para todos, no entando isso será feito apenas pelo fato de que o time rubro negro não vai cair com essa perda de pontos…

7 – o recurso do Vasco foi prontamente negado, mas se formos analisar de uma forma mais profunda, isso tem uma razão: os pontos pleiteados pelo Vasco, o levariam aos 47 pontos, que o salvaria do rebaixamento. A Portuguesa com 44 seria uma das rebaixadas e quem seria o outro? Flamengo, que com a punição no mesmo caso da Lusa, cairia para 45 pontos, ficaria também atrás do Fluminense e cairia. Coincidência? Muito improvável, ainda mais quando se trata de um time como o Flamengo.
Tudo isso pode parecer uma grande teoria da conspiração, porém quando se olha bem a fundo, nota-se que todos fatos se encaixam perfeitamente, em especial o último, tratando do Flamengo, o time intocável quando se trata de casos assim…

O futebol carioca hoje em dia é o próprio retrato do que se tem de mais obsoleto, arcaico e retrógrado no futebol brasileiro, não por acaso a sede da CBF também está entre eles…

Os times lá não agem com responsabilidade fiscal, sempre gastam muito mais do que arrecadam. Tem o Flamengo com a maior dívida do Brasil de forma disparada, tem um Vasco quem nem água paga, Fluminense e Botafogo com salários atrasados. O time das laranjeiras inclusive nem um centro de treinamento adequado tem, vide o que foi dito sobre presença de ratos no local há pouco tempo atrás.

Enquanto os clubes do resto do país buscam se profissionalizar, usar ações de marketing para ter uma arrecadação maior, fazer programas de sócio torcedor rentáveis e oferecendo um produto com mais qualidade, o que se vê lá são algumas tentativas feitas nas coxas, os times nem ligando para o seu marketing(vide a situação patética que foi o “marketing” que houve em volta do Ronaldinho Gaúcho no Flamengo).

Pessoas como Eurico Miranda ainda tem voz naquele futebol e ainda tem gente que acha q ele é a solução para algo, mais uma mostra do quão involuído está o futebol lá.

Vendo toda essa situação, não chega a ser tão inacreditável que isso tudo esteja vindo justamente de lá, o que é uma pena, pois os torcedores de lá não merecem ter um futebol tão amador e incompetente como o que lhes é oferecido, ainda mais com clubes de tanta tradição, que tantos craques tem em sua história, mas que pararam no tempo e ainda vivem na época onde se dá “jeitinhos” para incompetência.

Agora é esperar e torcer para que o time que caiu no campo, suba no campo.

Vasco e Fluminense: um, outro ou os dois na b?

Essa penúltima rodada do brasileiro foi certamente contra tudo que se espera de uma disputa pelo rebaixamento. Todos times em questão, a exceção do Fluminense, saíram vitoriosos. Criciúma, Coritiba, Portuguesa, Vasco e Bahia.

Desde que começou o campeonato por pontos corridos, não se viu tamanha reação dos times da parte de baixo da tabela, pior para Vasco e Fluminense, que podem morrer abraçados e irem juntos para a segunda divisão, além do que na melhor das situações, apenas um se salva, pois o Flu só pode passar o Coxa e o próprio Vasco, ou seja, se o Vasco se salva, o outro cai e vice-versa.

Isso apenas coroa as administrações amadoras e extremamente incompetentes dos times cariocas, que poderia até ter o Flamengo incluso, porém há uma certa dose de sorte naquele time, pois ele com certeza é dos piores exemplos do futebol do rio, mas ainda sim, sempre dá um jeito de safar-se.

O Vasco depois do título da Copa do Brasil, daquele bom time que disputou o título brasileiro até a última rodada, assim como fez um bom papel na libertadores de 2012, o time foi se esfacelando, não teve um planejamento para manter uma equipe competitiva, perdeu o Dedé para o Cruzeiro e montou um time horrível para dizer o mínimo para esse brasileiro e agora começa a pagar o preço.

O Fluminense por sua vez paga pela falta de planejamento. Do time campeão ano passado, saíram Wellington Nem, Thiago Neves, Deco se aposentou e deixaram somente o Fred para carregar o time e para completar ele se machuca e dos grandes destaques do time campeão, não sobrou quase ninguém, colocaram os jogadores da base em uma grande fria e alguns outros jogadores de qualidade muito duvidosa e agora apenas um milagre salva o time de cair(uma queda merecida diga-se, pois eles desde 2000 devem uma série B, já que se beneficiaram de uma virada de mesa na Copa João Havelange, finalmente irão pagar).

Certamente esse foi o Brasileiro mais equilibrado no que se diz respeito a parte de baixo da tabela, pois exceção feita ao Naútico e posteriormente a Ponte Preta, que acabou abdicando do campeonato visando o título da Sul americana, os demais tiraram vitórias de onde nem se imaginava. O próprio Criciúma, que está quase salvo, até algumas rodadas atrás estava até atrás da Ponte e era visto como fadado a série B, hoje depende apenas dele para safar-se.

O Coritiba idem, chegou até o Z-4, depois acabou por reagir quando ninguém mais acreditava que isso fosse possível e apesar da atual situação de risco, depende apenas de suas forças para safar-se.

Pior para os cariocas que dessa vez não tiveram a incompetência alheia para salvá-los e ainda correm o risco de no ano que vem terem menos representantes na primeira divisão que Santa Catarina, ponto para o futebol com alguma responsabilidade, onde dois grandes exemplos de como NÃO se deve administrar um clube estão prestes a amargar mais uma vez a segundona.