Arquivo da categoria: São Paulo

Base tricolor

O São Paulo provavelmente entrará em campo amanhã contra o Ceará com a seguinte formação: Rogério, Jean, Xandão, Luiz Eduardo e Juan; Wellington, Casemiro, Rodrigo Souto e Lucas; Marlos e Henrique.

O curioso é que dos 11 jogadores, simplesmente 8 foram formados nas categorias de base do tricolor, são eles: Rogério, Jean, Luiz Eduardo, Juan Wellington, Casemiro, Lucas e Henrique.

Não há dúvidas de que esta escalação se deve muito em função dos desfalques do time para esta rodada. Estão fora do time por contusão os seguintes jogadores: Miranda, Rodolpho, Dagoberto, Luiz Fabiano, Willian e Fernandinho. Porém, é evidente um processo radical de reformulação do elenco tricolor, que tem investido uma fortuna no CT de Cotia (menina dos olhos do JJ), causado muito pela não classificação do clube para Libertadores deste ano e também pelo fato de ser dirigido por um técnico (goste você ou não dele) que aceitou este desafio.

Nos tempos de Muricy Ramalho seria inconcebível aos olhos do técnico investir tanto em um tipo praticamente composto por jovens revelados pelo clube.

Será que um time cheio de jovens revelados pelo clube é algo tão comum no tricolor?

Nos títulos recentes do clube estavam presentes jogadores da base , mas não em uma quantidade tão grande.

Mesmo no time dos Menudos, nos anos de 1980, não havia tantos jogadores da base, eram somente 4 (Nelsinho, Silas, Müller e Sidney).

No time campeão Brasileiro de 1991,  foram formados no tricolor: Cafu, Antonio Carlos, Adilson, Ronaldo, Müller e Elivelton.

No time bicampeão do mundo 92-93 havia 6 jogadores formados na base: Vitor, Ronaldo, Adilson, Müller, André Luis e Doriva.

No título mundial de 2005, eram formados pela base tricolor somente Rogério e zagueiro Edcarlos.

No tricampeonato brasileiro de 2006, 2007 e 2008 os seguintes jogadores eram da base tricolor: Rogério, Breno, Hernanes e Jean.

Ou seja, mesmo em times apontados como sensação no tricolor não havia uma presença tão grande de jogadores da base.

Embora, segundo alguns estudiosos do futebol, um time tão jovem reduz as possibilidades de título brasileiro para o tricolor, a tabela tem mostrado o contrário (eu sei, são só 4 rodadas).

Se vai dar certo este investimento não se sabe, mas que é interessante, em um tempo em que a maioria dos times é repleta de refugos de idade avançada, ver o tricolor com jogadores “criados” no clube.

Ainda assim, acredito que seria preciso um jogador um pouco mais experiente para cada setor do campo trazendo  um maior equilíbrio e um pouco de maturidade ao time.

Desta forma jogadores como Rodolpho, Rivaldo, Luis Fabiano e o próprio Rogério serão importantíssimos na formação de uma equipe vitoriosa.

Ainda sem Rodolpho, Rivaldo e Luis Fabiano entre os titulares, veremos como as “crias” de Cotia se sairão amanhã em Fortaleza.

Saudações tricolores.

 

A denúncia e a apuração

Imagem meramente ilustrativa

Muito tem se falado sobre as denúncias de corrupção no futebol que tem sido mostradas pela Rede Record na última semana, a partir de uma série de reportagens sobre os cartolas brasileiros.

Acho as reportagens positivas e negativas ao mesmo tempo. Explico.

Evidente que todo material jornalístico que venha somar com o futebol através de denúncias de irregularidades e corrupção é bem-vindo. As denúncias são muito graves, e todos, sem exceção, devem ser investigados.

Ricardo Teixeira, João Havelange, Andres Sanchez, todos deveriam passar por um processo de investigação para que todos os fatos sejam devidamente esclarecidos e nenhuma dúvida paire acerca da honestidade destes indivíduos. Em caso de provas de algum tipo de crime, cadeia neles, sem pestanejar.

Muito se fala que o futebol é um meio corrupto, sujo, mas até hoje ninguém teve coragem de dar nome aos bois e assumir a responsabilidade da acusação, assinando as matérias e deixando o nome e o CPF disponíveis para qualquer tipo de ação judicial. Sendo assim, acho muito positiva a ação da Rede Record, de revelar os bastidores do esporte mais popular do mundo.

Em época de denúncias mundiais contra a FIFA e a CBF, talvez seja a hora de fazer o grande levante contra os cartolas e colocar os pingos nos is, para que o futebol tenha finalmente uma gestão séria e profissional.

Porém, nem tudo são flores no mundo mágico da IURD. Sabemos que a motivação das denúncias são única e exclusivamente políticas. A Rede Record não quer apenas a transparência no futebol brasileiro, essas reportagens são uma retaliação ao fato dela ter perdido o direito de transmissão do Campeonato Brasileiro. Na parte que tange Copa do Mundo, ela defende claramente a utilização do Morumbi para o torneio porque seu diretor de marketing é também diretor de marketing do São Paulo, então toda a isenção e idoneidade vão para o espaço. (e antes que os analfabetos digitais comecem a xingar, eu sou contra a copa no Brasil, seja no Morumbi, no Palestra ou no Fielzão. Fazer festa com dinheiro público não é algo que eu considere muito legal).

Sendo assim, se for pra criticar, denunciar e investigar, que seja feito com todos. Que seja aberta a caixa preta do futebol brasileiro, que os dirigentes sejam responsabilizados por seus atos, devolvam o dinheiro que por ventura tenham roubado, e vão para a cadeia.

Qualquer conversa ou investigação que fique aquém disso não será nada mais que jogo de cena.

Clubes perdem seus ídolos

Rogério Ceni x Marcos

Despedidas são sempre tristes. No futebol não é diferente. Quando um jogador chega perto da aposentadoria é sempre motivo para comoção. Principalmente se esse jogador for um grande ídolo no clube.
Recentemente foi o Ronaldo Fenômeno que por problemas físicos decidiu se aposentar – não antes de merecer duas despedidas: uma pelo Corinthians e outra pela Seleção.
Em breve dois outros grandes nomes do futebol brasileiro irão deixar de vestir as camisas de seus clubes: Marcos (pelo Palmeiras) e Rogério Ceni (São Paulo).
A aposentadoria do goleiro alviverde está cada dia mais próxima. Em entrevista recente, ele próprio já chegou a dizer que seu corpo não aguenta mais e que no máximo chega até o final desse ano.
Idolatrado pela torcida do Palmeiras, Marcos é um dos grandes nomes da história do clube. Também chamado de “São Marcos”, vestiu apenas a camisa alviverde em toda a sua carreira profissional, onde conquistou inúmeros títulos como a Copa Libertadores da América de 1999. Marcos foi ainda o goleiro titular da Seleção Brasileira na conquista do quinto título mundial na Copa do Mundo de 2002, disputada no Japão e na Coréia do Sul, sendo o único jogador a não ser substituído em toda a Copa pelo técnico Felipão.
Rogério Ceni também começa a pensar no assunto. Recentemente o goleiro-artilheiro e detentor de inúmeros feitos pelo São Paulo já admitiu publicamente a possibilidade de parar em breve.
Vale lembrar que Rogério é tão vitorioso como Marcos, tendo inclusive sido campeão (como reserva de Marcos) pela Seleção canarinho em 2002 e conquistado duas Libertadores e outros títulos mundiais. O são-paulino é idolatrado pela sua torcida e faz questão de retribuir o apoio com títulos e recordes. Ceni já disse que não admite perder e por isso, muitas vezes, é tido como arrogante pelos adversários. Mas seu talento é incontestável.
Então chegamos a pergunta: como homenagear grandes campeões como esses?
Além de querido pelos companheiros e ovacionado pela torcida, Marcos é bom de vendas. Segundo a empresa que fabrica os “minicraques”, a miniatura do goleira é a mais vendida. Pelo visto, esses números podem e devem aumentar muito com a aposentadoria. Ciente disso, o Palmeiras já começa a estudar ações para o adeus definitivo de Marcos. Já existem rumores que o clube, juntamente com a Adidas, lançará no começo de agosto uma camisa comemorativa. E não para por aí: outras ações estão em estudo pela diretoria palestrina.
Já o São Paulo ainda não se pronunciou. No site oficial do clube, na sessão Fórum, os torcedores já criaram um tópico para discutir qual seria a melhor forma de se despedir do ídolo.
É jeito é aguardar para ver quem fará a despedida mais bonita e quem deixará mais saudades.

Bom jogo no Morumbi

Em uma noite fria o tricolor paulista apresentou um futebol consistente e veloz contra o Grêmio no Morumbi.

Carpegiani surpreendeu ao escalar o meia Marlos no lugar de Carlinhos Paraíba, dando mais velocidade e criatividade ao time.

Os principais destaques do jogo foram os garotos da base. O tricolor entrou em campo com nada menos do que 6 jogadores oriundos da base começaram o jogo (Rogério, Luiz Eduardo, Jean, Wellington, Casemiro e Lucas) além de Bruno Uvini que entrou no decorrer do jogo.

O São Paulo apresentou um futebol agradável de se ver com toques rápidos e qualidade técnica. Aos 13 minutos abriu o placar com um gol de Casemiro e não correu grandes riscos no primeiro tempo.

No segundo tempo, em uma infelicidade do Casemiro – que jogou contra o patrimônio, sofreu o empate. Alguns torcedores e comentaristas acreditavam que o time sofreria para retornar ao jogo, porém a molecada conseguiu manter a calma e demonstrou maturidade para desempatar o jogo (com Marlos) e ampliar o placar (em um golaço do Jean).

O São Paulo continua líder do campeonato, agora com 12 pontos e os mesmos 100% de aproveitamento.

Na semana que vem enfrenta o Ceará em Fortaleza e se ganhar o jogo terá tranquilidade para jogar em um período complicado em que estará desfalcado de um de seus principais jogadores (Lucas) e poder perder até outros 7 jogadores para Mundial Sub-20 (Bruno Uvini, Luiz Eduardo, Wellington, Casemiro, Henrique, William, Henrique Miranda).

Outro aspecto positivo foi a forma com que Marlos jogou, soltando um pouco mais a bola e tentando o drible mais próximo do gol.

Repito, um bom início do tricolor! Mas espero regularidade até a 38ªrodada.