Escolha uma Página
“Meninos da vila” decidem e Santos vence seu 21º paulista

“Meninos da vila” decidem e Santos vence seu 21º paulista

Robinho, Renato, Elano, Ricardo Oliveira… Quem ouve pensa que está se falando do time do Santos dos anos de 2002 à 2004, porém o ano é 2015 e mesmo eles já não sendo mais os “meninos da vila”(apesar de apenas o Robinho ser realmente formado lá, e o Ricardo ter se destacado primeiro na lusa, ainda sim todos ficaram marcados por essa alcunha da época), fizeram novamente história, levando um time desacreditado no começo da temporada ao um surpreendente e merecido título de campeão paulista de 2015, vencendo o também surpreendente(mas por outras razões) finalista Palmeiras nos pênaltis, depois de uma vitória por 2 a 1 no tempo normal(havia perdido o primeiro por 1 a 0).

(mais…)

A coisa ficou preta para o Grêmio

A coisa ficou preta para o Grêmio

Ontem foi um dia histórico no futebol brasileiro, pois o Grêmio foi julgado pela acusação de racismo de sua torcida, depois das muitas ofensas proferidas ao goleiro Aranha e foi punido com a eliminação da Copa do Brasil, ainda tomou mais uma multa. Os outros punidos foram os torcedores identificados, que levarão um gancho de 720 dias sem poder ir ao estádio acompanhar qualquer jogo que seja do Grêmio, além de o juiz ter sido suspenso por 90 dias e o bandeirinha por 60.

(mais…)

Copa do Brasil – oitavas de final

Copa do Brasil – oitavas de final

Depois das zebras da semana passada, onde Inter, Fluminense e São Paulo saíram de forma patética da Copa do Brasil(difícil dizer qual delas foi mais ridícula, apesar de eu achar que foram os 5 a 2 do Flu em casa), foi feito o sorteio com os 10 times classificados, mais os 6 oriundos da libertadores.

Agora analisaremos os confrontos e ver quais as maiores chances de classificação de cada um deles:

(mais…)

Manifesto

por TERCIO BAMONTE*

São Paulo, 25 de março de 2012. Domingo de sol, dia de alegria, dia de mais um Corinthians e Palmeiras. Eleita em 2008 como a 9ª maior rivalidade do planeta (junto com Barcelona x Real Madrid, Boca Juniors x River Plate, Nacional x Peñarol, Milan x Inter de Milão), a história do confronto entre os dois clubes ultrapassa a bola, envolve paixões.
Em um universo paralelo, eu vestiria minha camisa do Verdão, pegaria minha mulher com a camisa do Timão e iríamos ao Pacaembu curtir lado a lado e na companhia da nossa filha este espetáculo. Encontraria ao meu lado meu cunhado com o manto alvinegro, meus vizinhos palmeirenses e corinthianos em uma confraternização que ultrapassaria a bola, envolveria família e paixões.
Mas neste nosso universo isto sequer pode ser pensado. A violência gratuita, que não é privilégio tupiniquim, invadiu nossas ruas, nossos estádios e encheu nossos corações apaixonados de medo, consternação, decepção. Bom seria, naquele outro universo pudéssemos sair do Pacaembu e subir a pé a ladeira da Faap, alcançar a Praça Villaboim, tomar um Chopp e comer um lanche na Barcelona, todos juntos, comentando o jogo e entoando os hinos sagrados dos nossos clubes. Que lembrança seria esta para nossos pequenos.
Hoje choramos a morte de mais um irmão, assassinado covardemente em mais uma briga com hora marcada. É a tal tragédia anunciada. Hora morre um palmeirense, outra um corinthiano ou até mesmo os dois.
Sei que isto não vai acabar, e que poderemos exercer a utopia trancados em nossos lares. E sabendo que em dia de clássico a cor das nossas camisas deve ser neutra. A paixão permanece, mas o TESÃO está acabando.
Nem vou comentar a babaquice dos jogadores que se estranham em campo, TODAS as vezes sem motivo. E isto inflama a violência das torcidas.
PALMEIRAS e CORINTHIANS vamos JUNTOS mudar a história.
Se não podemos viver plenamente a UTOPIA, vamos dizer a todos que tentamos. No próximo Derby, vamos dar uma aula de civilidade e jogar com as camisas trocadas. Vamos envolver todos os jogadores, comissão técnica, dirigentes e mídias neste movimento. Mostremos aos CIMINOSOS UNIFORMIZADOS que somos todos iguais, reunidos em torno de uma paixão. Neste jogo não importarão as cores, os uniformes, mas a igualdade.
E como irmãos separados no nascimento nos reuniremos sob o mesmo teto, unidos pelo laço da paixão e da PAZ.
FICA A DICA.

 

*Tercio Bamonte tem 36 anos, é advogado, palmeirense, pai de família, paga suas contas mais ou menos em dia e sabe que futebol é apenas entretenimento, e não guerra.

Santos: o saldo do primeiro turno da Libertadores

Santos: o saldo do primeiro turno da Libertadores

Passados os três primeiros jogos do Santos na Libertadores, acho bastante válido fazer um breve resumo deles e comentar sobre desempenho e expectativas  do clube na competição:

The Strongest 2 x 1 Santos – Essa derrota nem de longe refletiu o que foi o jogo, porém o Santos pecou por excesso de erros de Neymar, Ganso, Elano, principalmente. Difícil saber se era questão de querer fazer gols bonitos, ou apenas um mau dia, porém essa derrota até inesperada pelo desenrolar do jogo, foi uma punição pelas falhas do time.

Santos 3 x 1 Internacional – Jogo que mostrou o porquê o Neymar é considerado disparado o melhor brasileiro em atividade, pois depois de fazer um golaço e deixar o jogo 2 a 0, o Inter diminuir com o Damião e dar a entender que o time santista acabaria sofrendo pressão, ele em seguida, foi e fez quase um “replay” do segundo gol: arrancou do meio e só parou no gol.  O time estava recuperado(pricipalmente na moral) da derrota na Bolívia.

Juan Aurich 1 x 3 Santos – Um campo pequeno, aquele gramado artificial, mais parecendo jogo de society do que campo. O time sofreu no início, saiu atrás, mas conseguiu se recuperar com um ótimo jogo de Ganso, que acabou sendo corooado com um gol.

 

O time santista terminou como vice-líder de seu grupo com 6 pontos, mesma pontuação do Inter e The Strongest, porém perde no saldo de gols para o Inter. Não acredito que apesar da pontuação do time boliviano, ele venha a ser uma ameaça da classificação dos brasileiros.

O Santos mostrou que está retomando o bom ritmo do ano passado, que o levou a conquista da última Libertadores, com jogadores como Ganso retomando a forma de antes das contusões e demonstrando melhor futebol a cada dia e principalmente o Neymar, que continua sendo o principal fator de desequilíbrio do time.

Acredito que a perda do Danilo de longe foi a mais sentida, pois apesar do Fucile ser um bom jogador, ele não tem a mesma qualidade ofensiva do atual jogador do Porto. O Juan é uma incógnita, pois saiu do São Paulo pela porta dos fundos, já que não conseguiu mostrar o futebol dos tempos de Flamengo e ninguém sabe qual lateral que chegou, porque se foi o do São Paulo, a torcida santista pode esperar fortes emoções…

A subida de produção do Ibson também foi importante na melhor do rendimento do time, pois desde que o Elano caiu absurdamente de rendimento, o Santos sentia falta de um jogador de meio que pudesse ajudar tanto na marcação e que tivesse qualidade na saída de bola, pois ano passado nem Henrique, nem o próprio Ibson vinham tendo atuações convincentes. Atualmente os dois subiram muito de produção, mas o ex-Flamengo ganhou a posição e ao que parece deixou de de vez o antes incontestável Elano no banco.

Dentre todos brasileiros, o time santista deve ser o de vida mais longa na competição, pois é o que ainda vem mostrando o melhor futebol e que conta com o maior fator de desequilíbrio dentre os elencos nacionais: Neymar.