Escolha uma Página
Um Resumo do Grupo H

Um Resumo do Grupo H

Ao iniciar a cobertura do grupo H disse que tinha tudo pra ser o grupo mais divertido dessa copa, e agora posso dizer, nunca errei tanto. Com exceção de uma partida (Argélia X Coréia do Sul) todos os jogos foram mornos, muito abaixo do nível da copa e praticamente todas seleções desse grupo decepcionaram, com exceção da seleção Argelina. Vamos a uma analise de cada integrante do grupo: (mais…)

Seria a Bélgica a nova Colômbia-94?

Seria a Bélgica a nova Colômbia-94?

Ter um desempenho ótimo em eliminatórias e ser colocada como candidata a surpresa deve criar uma pressão difícil de aguentar ou um azar de ter um mau desempenho. Observando o desempenho da Bélgica nesses dois jogos me lembrou muito da situação da Colômbia em 1994. Os colombianos se classificaram para a copa dos Estados Unidos de forma invicta, e durante a campanha golearam a seleção argentina por 5-0, em Buenos Aires, e por causa disso, foram elevados para candidatos a surpresa da copa de 94.

Ao contrário do esperado, a campanha da Colômbia foi pífia, sofrendo duas derrotas e vencendo apenas o último jogo, quando já não tinha mais chances de classificação. Depois de ter assistido os dois jogos da Bélgica, fico com a sensação que não fará tão mal quanto os colombianos, até porque já se classificaram, mas que possivelmente não manterão o status de surpresa da copa.

Não sei qual a razão, se o time foi supervalorizado, se o calor tem afetado ou se é má-fase dos principais jogadores, porém a seleção belga tem ganho seus jogos sem convencer. Contra os russos apenas venceram por causa do pragmatismo exagerado da equipe Russa.

Entendo que os times do Fabio Capello costumam ser fechados aguardando um contra-ataque para resolver a partida, porém no caso da seleção russa isso parece um desperdício absurdo. Tanto no jogo contra a Bélgica quanto no jogo contra a Coréia, quando os jogadores do time russo resolveram ousar demonstraram ter técnica e capacidade de ter vencido os jogos até tranquilamente, porém graças ao conservadorismo sofreram nas duas partidas e agora terão de resolver contra os Argelinos.

A Argélia ontem me surpreendeu, no meu primeiro post sobre o grupo cheguei a dizer que era um time técnico e que iriam dificultar para seus adversários, porém não acreditava que teriam um resultado tão expressivo como o do jogo contra a Coréia do Sul. Os argelinos dominaram a partida e praticamente em nenhum momento foram ameaçados. Se mantiverem a qualidade podem até se classificar de forma tranquila.

Já a Coréia do Sul foi a decepção da rodada, tendo sido totalmente dominados pelos argelinos. Contra os russos demonstraram fragilidade no setor defensivo, porém contra a Argélia mostram fraquezas também no setor ofensivo. Na próxima rodada, contra os belgas dificilmente criarão problemas, caso continuem jogando dessa forma.

Dessa forma, acredito que na última rodada devem se classificar Bélgica e Argélia, caso essa última consiga repetir o desempenho que tiveram contra os coreanos.

Resumo da Primeira Rodada do Grupo H

Resumo da Primeira Rodada do Grupo H

O fim da primeira rodada trouxe-me algumas decepções e respostas sobre os integrantes do grupo H, que são essas:

Bélgica:

– A Bélgica chegou à copa como promessa de surpresa e hoje decepcionou, principalmente no primeiro tempo, em que jogaram nervosos e mal criaram dificuldades a seleção argelina, além do pênalti cometido de forma infantil.

– No segundo tempo o técnico belga conseguiu corrigir as falhas da equipe, que a partir daí dominou o jogo, porém, mesmo com sua superioridade técnica e tática, não conseguiu se impor de forma convincente.

– Se não evoluir durante o campeonato dificilmente passará da segunda fase

Argélia:

– Continuo com a sensação de que é a seleção mais fraca do grupo, porém como fizeram na copa de 2010, complicaram muito sua derrota.

– Em quatro anos melhoraram o setor defensivo, principalmente o goleiro, que demonstrou ser superior ao da copa passada.

– Dificilmente conseguirá uma vitória nessa copa, ah não ser que conte com uma péssima partida de Rússia ou Coréia do Sul, porém dificilmente serão humilhados em campo.

Rússia

– A seleção russa foi decepcionante no jogo de hoje contra a Coréia do Sul. Apresentou um futebol medroso, com pouca vontade de atacar, e mesmo com a maior qualidade de seus jogadores não conseguiu ser superior ao time coreano.

– Ainda acredito que seja a segunda força do grupo, mas se continuar com seu futebol preguiçoso pode perder a vaga para a Coréia do Sul.

– Caso se classifique, deve ser quase impossível que passem de fase, ainda mais com a possibilidade de enfrentar a Alemanha.

Coréia do Sul

– Demonstrou um futebol com certa habilidade e bom toque de bola. Levando em consideração as limitações de cada equipe, foram a equipe do grupo que jogou melhor nessa rodada.

– Irão brigar com os russos pela segunda vaga do grupo, com ligeira vantagem dos russos.

– Assim como os russos, não mostraram futebol que possa fazê-los passar da segunda fase.

Passado o nervosismo da estreia, espera-se que as seleções possam fazer partidas melhores, pois até o momento foi o grupo com o pior nível técnico, mesmo tendo partidas razoavelmente interessantes. Com a segunda rodada será possível ver qual o real poder de Bélgica e Rússia, se a Coréia do Sul poderá embolar o grupo e se a Argélia continuará sendo um saco de pancadas.

Grupo H – O que parece desinteressante pode ser uma das surpresas da Copa.

Grupo H – O que parece desinteressante pode ser uma das surpresas da Copa.

Quando a equipe do Em Cima da Linha se reuniu para decidir quem cobriria cada grupo confesso que ainda estava meio perdido em relação à copa. Nos últimos meses tenho andado meio alheio ao futebol e o único grupo que eu sabia os quatro integrantes era o grupo do Brasil. Dado meu afastamento acreditei que não conseguiria fazer uma cobertura decente desse grupo, então veio o pensamento “dos estragos o menor” e perguntei para o pessoal “qual o grupo mais fraco?”.

A pergunta gerou uma discussão, já que parte do grupo acreditava que o grupo H (Bélgica, Rússia, Argélia e Coréia do Sul) era o mais fraco enquanto outros acreditavam que era o grupo C (Colômbia, Japão, Costa do Marfim e Grécia). Ao pensar em cobrir Grécia e Costa do Marfim, seleções com um estilo de jogo sem qualquer carisma, percebi que minha antipatia iria afetar meus textos, e por eliminação, preferi escolher o grupo H.

Foi um grupo escolhido por eliminação, mas desde o dia que tomei minha decisão, tenho a sensação que esse grupo proporcionará alguns dos jogos mais divertidos dessa copa, e por isso tenho tido muita ansiedade para o início dos jogos. É um grupo sem grife, porém a diferença de qualidade da favorita Bélgica à seleção mais fraca do grupo, Argélia, é a menor entres os oito grupos do mundial. Dificilmente esse grupo terá um time nas quartas de final e será um feito ainda maior se algum chegar a semifinal, ainda mais se a seleção do feito não for a Bélgica.

Marouane Fellaini | Scotland V Belgium [2014 World Cup Qualifier Brazil]

A grande favorita do grupo é a seleção belga, que vem respaldada de uma campanha brilhante nas eliminatórias, tendo se classificado sem dificuldades num grupo que tinha ainda a Croácia e a Sérvia. O time da terra do Tintin também tem em campo uma de suas melhores gerações, contando com jogadores como Courtois, Lukaku, Fellaini, entre outros, comandados pelo técnico Marc Wilmots, que é razoavelmente conhecido no Brasil por ter feito um gol polêmico, anulado incorretamente, nas oitavas de final da copa de 2002 contra a seleção brasileira. O maior perigo de não classificação da seleção belga é se a maldição das eliminatórias, que já afetou a Colômbia em 1994 e a Iugoslávia em 1998, voltar a se repetir, caso contrário devem se classificar.

Russia is headed to the 2014 FIFA World Cup! #Russia #WorldCup

A segunda favorita do grupo é a seleção russa, mas os russos chegam com a situação um pouco diferente dos belgas. Mesmo tendo feito uma eliminatórias razoável, classificando em primeiro num grupo que tinha também Portugal, e possuindo uma seleção com bons jogadores, como Akinfeev, Dzagoev e Kerzhakov, não tem recebido muitas apostas como uma candidata a surpresa. Uma das armas mais fortes da seleção russa é o técnico Fabio Capello, conhecido por montar times de defesas sólidas , o que complicará muitos os ataques rivais.

ULSAN, SOUTH KOREA - JUNE 18: Ji Dong-Won of South Korea in action during the FIFA 2014 World Cup Qualifier match between South Korea and Iran at Munsu Cup Stadium on June 18, 2013 in Ulsan, South Korea. (Photo by Chung Sung-Jun/Getty Images)

A Coréia do Sul dificilmente repetirá o resultado da copa de 2002, onde atingiu as semifinais, e terá que lutar muito caso deseje chegar à segunda fase do mundial. Não conheço muito a equipe asiática, então pouco posso opinar sobre os pontos fortes e fracos dela. O que me fascina na seleção coreana, além do seu futebol com muita velocidade, é a oposição de resultados em comparação com a seleção japonesa, pois enquanto os japoneses dominam as eliminatórias e torneios asiáticos os coreanos possuem resultados muito mais expressivos em mundiais.

Switzerland Soccer WCup Algeria Armenia

A última seleção do grupo nesse texto também é a que acredito que será a última no torneio, que é a seleção argelina. Assim como os coreanos tenho praticamente nenhum conhecimento sobre seus jogadores e acredito que os únicos jogos deles que assisti foram os 3 jogos que fizeram na copa de 2010. Caso repitam o desempenho que tiveram na África do Sul, teremos em campo uma seleção simpática e de certa forma ingênua, jogando um futebol bonito porém pouco competitivo, mas que conseguiu dar trabalho para Inglaterra e Estados Unidos na competição passada.

Juntando talento, ingenuidade, velocidade e a maioria das seleções com um histórico de futebol ofensivo, o grupo H surge como um candidato a ter os jogos mais divertidos e interessantes dessa copa.

 

A nostalgia e a supervalorização do “craque”

 

Todo começo de temporada é a mesma história, os clubes contratam vários jogadores, que causa o crescimento da esperança do torcedor na transformação do time em um esquadrão imbatível. Poucas vezes tal esperança é concretizada e o que normalmente vemos é um time formado por pseudo craques, o primeiro assunto desse post, a supervalorização do jogador.
Tenho notado há alguns anos que tem ocorrido uma transformação forçada de jogadores medianos em craques, atletas que antes passariam desapercebido hoje são tratados como gênios e grandes ídolos de seus clubes. Acredito que muito dessa valorização passa pelo nosso orgulho de considerarmos os melhores no futebol e por isso não podemos aceitar que na atual geração existe apenas um único grande jogador de ataque atuando em alto nível. Graças a esse orgulho, a parte da imprensa e empresários, hoje vemos jogadores que tem como praticamente a única qualidade a raça ou aquele que tem lampejos de genialidades, serem colocados como os grandes destaques e ídolos do futebol Brasileiro.
E é aí que vem o outro assunto que gostaria de comentar nesse post, a nostalgia. Muitas vezes quando comentamos destes jogadores supervalorizados ou quando reclamos da postura de algum outro buscamos o exemplo de atitude em jogadores do passado. É muito comum ouvir comentários do tipo “Bom era quando havia jogadores polêmicos como Vampeta, Viola e Paulo Nunes” ou “Não temos mais atacantes como Romário, Ronaldo e Luizão”. Será que era tudo isso mesmo? Claro que alguns jogadores, como Ronaldo e Romário, são de qualidade praticamente indiscutível, mas as vezes acho que por ter sido uma criança na década de 90, tudo pra mim daquela época será melhor, o que me faz, num exemplo exagerado, achar que o Denílson foi uma jovem revelação mais importante ao São Paulo do que o Lucas está sendo agora. Muito dessa opinião vem por ter visto o Denílson no São Paulo com meus 10, 12 anos( e graças ao meu menor conhecimento, os 14 anos que fazem eu esquecer as partidas ruins e por ser menos crítico) me fazem supervalorizar um atleta que teve boa passagem, mas que não foi genial como diziam.
A supervalorização e a nostalgia são 2 sentimentos que sempre nos acompanharão em relação a jogadores e times, todos nós temos uns jogador ruim que era (ou é) admirado ou um craque do passado que achamos melhor que todos (vide a eterna briga entre Maradona e Pelé, que pode ganhar a opção Messi nos próximos anos), apenas o que não é legal e nós cegarmos e tornarmos inflexíveis, não aceitando críticas ou vendo qualidades, como muitos fazem.