Alemanha, campeã dentro e fora de campo

Terminou a copa e nada mais justo para a que alguns chamam de a “copa das copas”(talvez tenham tido outras melhores, mas daquelas que tive a oportunidade de ver, certamente foi a melhor) do que uma final tão espetacular como foi a de hoje.

O placar de 1 x 0 é até pouco perto do tamanho que foi esse jogo, do que mostraram as seleções da Alemanha e principalmente da Argentina(que jogou até muito mais do que se esperava) jogando o melhor do futebol que se tem hoje em dia. Digo principalmente no sentido tático, além claro do técnico, já que não faltavam craques em campo.

A Argentina jogou sabendo que para ter chances devia anular o forte da Alemanha, ou seja seu jogo de meio campo e treinou muito para isso(entenderam Parreira, Felipão? TREINOU), e conseguiu durante todo jogo e quase toda prorrogação.

A Alemanha por sua vez teve imensas dificuldades nesse jogo, correu risco de tomar gol em algumas oportunidades, até tomou um em impedimento, mas manteve inabalado seu psicológico, fez o seu jogo, se adaptando as mudanças que a seleção argentina fazia, procurava abrir espaços e tanto caçou(teve uma posse de bola consideravelmente maior) que encontrou com Schurrle e Götze, este último o que marcou o belo gol que deu o título aos alemães.

Essa geração germânica conquista não só o quarto título da história do país, como podemos dizer que foi a seleção que conquistou o povo brasileiro também. Na contramão da própria seleção brasileira que vive de ações de marketing, que muitas vezes beiram o asqueroso(fazer uma campanha pós lesão do Neymar foi algo nojento, para dizer o mínimo), e de ser uma seleção distante do próprio povo(menos quando o Luciano Huck leva alguém lá) os alemães conquistaram a população do local onde ficaram concentrados(sem ficar divulgando para todo mundo isso) a tal ponto, que no dia do jogo deles contra os brasileiros, eles torcerem para a Alemanha.

Acham absurdo? Falta de patriotismo? Eu ao contrário, acho que isso é carisma e o fato de eles terem uma seleção perto deles que os valorizou, sem contar o legado que deixaram para a cidade:

– Compraram um terreno.
– Construíram um hotel.
– Construíram um centro de saúde.
– Fizeram um CT com campo de futebol.
– Fizeram uma estrada para interligar o CT à cidade.
– Não trouxeram funcionários alemães.
– Contrataram os moradores da cidade.
– Bancaram a reforma de uma Escola Pública local.
– Doaram uma excelente Biblioteca.
– Montaram um Laboratório de Informática.
– Doaram uma Ambulância para o Município.

Além da interação que tinham com a população do local,  socializando com as pessoas na cidade e na praia quando iam, participando das festas que tiveram lá e até mesmo interagindo com os índios de uma aldeia da região.

Isso até para não citar as camisas que deram de presente para alguns moradores e as bicicletas que doaram para a escola, que provavelmente serão leiloadas no futuro.

Chegar a tal ponto onde uma seleção estrageira consegue fazer parte de uma população, ainda mais daqui do Brasil o “pais do futebol”, torcer por eles, é uma clara mostra do quanto essa seleção hoje em dia está longe da população.

O que eles deixaram para a população além de tudo foi o fato de lidarem com campeões, que mesmo que tivessem perdido seriam vencedores para todos aqueles com os quais interagiram.

Souberam ganhar, pois consolaram os jogadores do Brasil após o massacre, nem sequer tripudiaram(como poderiam ter feito), ainda exaltaram a seleção como um todo(ainda bem que não exaltaram a comissão técnica).

Terminaram o torneiro de forma invicta, com o melhor goleiro da copa(Neuer), o melhor ataque(18 gols) e o artilheiro de todas as copas(Klose, 16 gols).

Coroou também a carreira do já citado Klose, que depois de 4 copas, conseguiu finalmente dar o grito de campeão(inclusive era curioso ver ele na entrega da taça, sentado olhando como quem não acredita que aquele momento finalmente chegou).

Consagra a carreira de dois “veteranos” da seleção alemã: Philipe Lahm e Bastian Shweinsteiger. Na terceira copa de ambos e depois de dois terceiros lugares, conseguiram finalmente a glória maior. Justo pelos jogadores acima da média que são, os melhores do mundo sem dúvida em suas posições.

Mostra ao mundo aquele que certamente é o mais genial dos jogadores alemães: Manuel Neuer. Um goleiro fantástico em diversos aspectos. Sabe jogar com os pés, muitas vezes foi até libero, além de embaixo das traves ter um posicionamento e saída como poucos goleiros na história. Praticamente completo e ainda tem mais copas pela frente, quem sabe mais títulos?

Para a tristeza dos rivais, também mostra a força da nova geração alemã, tanto que o lance do gol foi feito por dois novatos em copa(Schurrle e Götze, 23 e 22 anos respectivamente), além daqueles que estarão no auge na próxima copa, casos de: Kroos(24), Ozil(25), Draxler(20), Boateng(25), Hummels(25), Muller(26), isso para não citar os casos dos irmãos Bender(25), Reus(25). Alguns desses já são realidade há tempos, e até disputaram a copa passada e até outros que nem citados foram aqui, que só mostram o nível atual da seleção alemã, que já tem jogadores até para daqui duas copas jogando em altíssimo nível.

Olhando isso tudo, percebe-se o quanto eles estão na nossa frente e o quanto precisamos nos mexer para correr e tentar voltar a equilibrar isso, pois senão esse título a mais que temos, logo serão um, dois de desvantagem, principalmente porque eles conquistaram o título não pelo acaso, mas pelo trabalho duro e sério, que faz a seleção alemã ser agora a melhor do mundo.

Parabéns aos alemães, campeões dentro de campo e principalmente fora dele!

Deixe uma resposta