A torre de babel chamada Palmeiras

Olhando a história da torre de babel, podemos ver que ela vem se assemelhando muito ao que vem acontecendo no Palmeiras nos últimos tempos, e principalmente no caso Kleber – Palmeiras – Flamengo.

 

Tudo começa com uma proposta feita, e prontamente rejeitada pelo presidente, que quando entrevistado disse claramente “ele trocaria o certo pelo duvidoso, pois ele já é ídolo no Palmeiras, coisa que no Flamengo ele não é”, até aí perfeito, ele deu uma opinião e considero que foi realista e também respeitoso, afinal nenhum jogador chega de cara no time como ídolo, pois ser ídolo de um time é algo que se conquista jogando com raça, honrando a camisa, ganhando títulos também, etc.

 

Domingo após o jogo, ouvindo o rádio, um reporter pergunta de forma maldosa ao Kleber, o que ele achava das declarações do presidente, dizendo que ele “trocaria o certo pelo duvidoso, pois aqui ele tem espaço e lá ele teria de lutar por esse espaço no time”(já vemos aqui algo totalmente fora de contexto e deturpado), isso deixou o Kleber visivelmente irritado, se sentindo desvalorizado pelo próprio time, fazendo ele atirar pra todo lado…

 

Frizzo que estava próximo dizendo que não tinha negócio e reafirmando as palavras do presidente, porém aí o estrago já estava feito. Felipão afirmou na coletiva categoricamente que ele não sai, coisa que mais uma vez foi reafirmada pelo presidente.

 

Notamos nisso tudo, uma crise desnecessária, um desencontro de informações, uma acessoria incompetente(pois alguém devia ter chegado no Kleber e mostrado o que o presidente disse, ou no mínimo avisado) e o que é pior: fazer o jogador ter a notícia através da imprensa, que diga-se prestou um deserviço ao repassar uma informação de forma totalmente distorcida e maldosa, claramente incitando o jogador a criar uma polêmica. Chega a ser absurdo ver um time com a grandeza do Palmeiras, passar por um episódio tão patético e que poderia ter sido facilmente evitado com uma coisa muito simples: comunicação.

Deixe uma resposta