Escolha uma Página

Foram 4 jogos desde q última vez q opinei algo sobre o time: a vitória sobre o Criciúma, massacre pelo Fluminense, empate roubado contra o Flamengo(nenhuma novidade ajuda ao time rubro-negro) e agora aquilo que aconteceu em Goiás e que é até difícil de definir.

Estava querendo esperar e analisar melhor se eu estava errado(e como queria estar) que a chegada do Dorival além de não melhorar em nada o time, o fez regredir, pois antes o time perdia, mas ainda mostrava alguma organização, porém no atual momento, o time parece mais um time de prédio, onde cada um vai pra um lado e ninguém sabe o que fazer.

Criticar jogadores ruins, a bobagem de tirar o Gareca(sim, acredito que o time estaria muito melhor com ele), fica sendo chover no molhado(coisa que o estado de São Paulo desconhece), pois desmandos, erros com comissão técnica, jogadores tem sido a marca dessa gestão que está sendo um lixo, para dizer o mínimo.

Há quem defenda o Nobre(naturalmente deve ser por puro deboche), pois apesar de coisas válidas que ele fez fora de campo(podemos pegar o rompimento com as organizadas, revitalização do sócio-torcedor e contrato por produtividade), no futebol propriamente dito, a gestão dele, já é a pior da história(se salvar do rebaixamento ao menos evita que ele seja um hors-concours da coisa). Ele conseguiu pegar um time que era meia boca(o da herança bananone), mas que ainda tinham jogadores de qualidade, como Henrique, Barcos e deixar esse time atual, que é um lixo, também para dizer o mínimo.

Para não dizer que nada se salva desse time, eu tiro o Prass, Tobio, os 3 da base(João Pedro, Nathan e Victor Luis), Renato, Allione, Cristaldo e ainda daria um crédito ao Wellinton e Patrick Vieira. O resto é totalmente descartável. Salvei 8 jogadores e dei crédito a mais 2, ou seja, desse elenco com cerca de 30 jogadores, apenas 1/3 dá pra dizer que presta, o que já explica muito do que está sendo feito ali.

Os que não citei, são basicamente por serem ridículos tecnicamente ou então por fazerem corpo mole ou jogar de má vontade ou os dois, caso de muitos ali.

Para se salvar do rebaixamento, precisamos de diversos milagres: que o Valdívia jogue pelo menos umas 10 dessas 15 partidas(sim, dependemos tanto assim do Valdívia, lamentável), que o Prass volte tão bem quanto antes de ele se contundir e que jogadores como Felipe Menezes, Josimar, Weldinho, Juninho, Bruno César, Leandro, os goleiros reservas, Lucio, Victorino, Wesley, Mendieta, Diogo e Henrique não joguem mais nenhuma vez, ou seja… é muito complicado. Que San Gennaro(como diria Avalone) proteja e ilumine esse time, porque agora só mesmo uma intervenção divina pra salvar ali.

Passada a questão da espera de um milagre versão Palmeiras, vamos a questão política…

Já cansei de repetir o quanto abomino o Brunoro estar ainda lá desde o caso Barcos(que também já dei diversos motivos pelo qual o negócio ter sido um lixo, então não vou entrar no tema também) e o fato do Nobre ter mantido ele lá é algo que não consigo acreditar. E aí penso: ele administra a fortuna que tem dessa forma? porque se for assim é um verdadeiro milagre que ele tenha um real que seja na conta.

Analisando como as coisas caminham, a solução seria uma primavera alviverde(parafraseando o título das revoluções árabes), onde pessoas como Mustafá, o maior câncer do Palmeiras, a maldição que não sai do quadro do conselho e que apadrinha Nobre(e ao que parece tem uma influência muito maior do que parece), Palaia, Pescarmona, Della Monica, Belluzzo, Tirone, Nobre, Gilto Avalone, Frizzo, entre tantos outros que se dizem palmeirenses, mas que estão lutando com todas as forças para acabar com o time.

Seria preciso tirar todos eles(quiça todo conselho) e recomeçar do zero e com gente disposta a fazer do Palmeiras o gigante de outrora, mas que esses infelizes transformaram em um time que tem sido digno de pena(e é nessa hora que se vê o quanto a situação é patética).

Essa ideia é apenas para ilustrar o como é sem perspectiva a situação atual do time. Não tem quem possa mudar, não tem uma expectativa, não tem uma esperança… O time tem risco de cair pela terceira vez nesse século e ninguém tem a dignidade de pegar o boné e ir embora.

Talvez o caso fosse fazer do time do Palmeiras, o mesmo que se fez com times europeus e deixá-lo com um dono que administre e cuide dele de forma realmente profissional, pois com o cenário político atual do clube, definitivamente é difícil ter esperanças de uma virada em curto/médio prazo. Só não digo longo prazo por uma questão otimista, mas nem nesse tempo vejo perspectivas…

E pensar que tudo isso está acontecendo no ano do centenário do time, simplesmente inacreditável…

%d blogueiros gostam disto: