98 anos: comemorações e preocupações

Essa semana o Palmeiras completou 98 anos e a semana que deveria ser de festa, acabou virando um misto de algumas comemorações, mas com muito mais destaque para a preocupação com a fraca campanha no Brasileiro.

Dá pra dizer apesar disso, que esse ano é um ano que os torcedores tem ainda mais a comemorar, principalmente se considerarmos como terminou o ano de 2011 e o que se projetava para esse…

O time terminou desmoralizado e desfigurado, com um elenco reduzido e de muito pouca qualiade, porém para a surpresa de todos o time acertou a mão em muitas contratações e conseguiu remontar o time(hoje dá para se dizer que o time tem uma cara). Como disse desde o ano passado, a chegada do César Sampaio foi o fator fundamental nessa mudança do time, pois ele virou o “para-raio” que evita que tudo respingue e seja esclarecido pelo Felipão, que vinha ano passado agindo como técnico/vice de fubetol/diretor de futebol, tal qual era o abandono na direção de futebol do time.

Contratações como a do Juninho, Barcos, Wesley(que acabou nem estreando direito), Artur, Obina e até jogadores para compor o elenco como Mazinho, Fernandinho, Román e menos Daniel Carvalho e Betinho(um porque não melhora nunca seu físico, outro simplesmente porque teve um momento de sorte, mas que já foi), foram decisivas para o retorno do time as conquistas.

A Copa do Brasil recolocou o Palmeiras como um dos protagonistas do futebol nacional, depois de passar anos atuando como mero coadjuvante nas competições, e claro alegrias para a torcida, que tinha tempos não comemorava um título expressivo.

O maior problema foi que a conquista custou relativamente caro ao físico dos jogadores. Muitos na fase final da competição, sentiam pequenas lesões, que deixando-os fora por pouco tempo, seria suficiente para recuperá-los, porém muitos foram indo para o sacrifício e por consequência, agravando as lesões, tanto que vem sendo normal a cada jogo o time contar com um número absurdo de desfalques(em média 10). Dizer que o time é sem elenco é complicado, ainda mais quando sempre se joga com muitos desfalques(e só olhar os times do Brasileirão, quase nenhum tem um número tão elevado de desfalques) e normalmente jogadores titulares.

A preocupação com o rebaixamento acabou tornando-se real por conta de muitos fatores: desfalques, erros absurdos de arbitragem e agora podemos colocar o próprio nervosismo dos jogadores, que acabam errando mais do que devem devido a essa pressão psicológica que lhes foi imposta por essa situação.

Acredito que a chance de rebaixamento seja mínima, muito mais pelo time como um todo, do que pela situação na tabela. O time podendo contar com a maioria dos seus jogadores por um período maior de partidas, deve retomar o futebol apresentado principalmente na Copa do Brasil e assim poder recomeçar a subida na tabela, não só para elevar a moral do time para a Libertadores do ano que vem, mas para terminar o campeonato de uma forma mais digna.

Sobre 2012 ainda, vejo o time indo longe na Sul-americana, mas acredito que a situação no Brasileiro terá intereferência direta no quão longe o time ira na competição internacional, pois se o time estiver correndo muitos riscos na competição nacional, não tenho dúvidas que a outra competição será posta em segundo plano(o que seria uma coisa coerente), porém se até lá o time já estiver em uma posição tranquila, sem dúvida que as chances de título no torneio, serão reais.

Deixe uma resposta