2012 frustrante e expectativas 2013

Fim de ano e a sensação de velório no time do Palmeiras é imensa. O time rebaixado e agora as limpas começam a ser feitas.

Sobre o rebaixamento: era algo mais do que evidente pelo que o time vinha apresentando(não ele todo, pois o Barcos e mais alguns jogadores ainda lutavam por melhor sorte), porém quando se tem uma parte tão grande do time jogando contra fica realmente difícil.

Foram até o momento 21 derrotas em 37 jogos, um verdadeiro absurdo se for considerado que o time perto dos outros que estão acima dele, nada deixa a desejar(Bahia, Sport, Portuguesa, Flamengo, Ponte Preta, Naútico), porém o que se via era um time sem raça, determinação, que jogava na base do “no próximo a gente resolve”, porém tantos próximos vieram que o campeonato chegou ao fim e o time não resolveu…

A incompetência foi tamanha, que o time conseguiu perder os 2 jogos para o Atlético-GO(tudo bem que não dá pra culpar os garotos da base no último, ainda sim é ridículo), fora que poucas vezes fez valer o mando de campo e quando mais precisou dele, contou com a parcela estúpida da torcida para fazer o time jogar no interior, praticamente eliminando essa vantagem.

Triste para a torcida que depois da alegria de ver o time novamente vencendo um título, teve de amargar um fim de ano tão melancólico como esse.

Desnecessário dizer que boa parte disso foi culpa da diretoria, que além de péssimos negócios(trocar Pierre por Daniel Carvalho?) e de não trazer nem metade dos pedidos de jogadores feitos pelo Felipão, ainda não teve pulso, nem deu a cara a tapa para administrar os momentos de crise do time. Clara prova da influênca nefasta do Mustafá ainda na direção do Palmeiras(haja visto que o “bananone” como carinhosamente a torcida o apelidou é sua cria). Agora com o estatuto mudado e com eleições diretas, deve ser apenas questão de tempo para que todo esse lixo que tanto estraga o clube finalmente seja eliminado e nunca mais volte para o bem do Palmeiras.

Com o término da temporada, saiu a tão esperada lista de dispensa do verdão e particularmente achei ela apenas razoável, pois o Márcio Araújo não estar nela é simplesmente absurdo.

agora sobre a lista:

Leandro – nem devia ter vindo

João Vitor – começou bem, sentiu a pressão, não vai fazer falta

Daniel Carvalho – outro que nem devia ter vindo, apesar de ter começado bem, caiu demais de rendimento, nunca se cuidou e ainda fez corpo mole, ridículo.

Betinho – esforçado, mas ruim, teve sua utilidade na Copa do Brasil, mas não dá pra mantê-lo só por isso, outro que não fará falta.

Obina – muito fora de forma, nem de longe serviu para ser reserva do Barcos e como ainda teria que gastar para mantê-lo, nem vale a pena.

Esses são os com contrato até fim do ano, agora a parte da lista dos com contrato mais longo:

Pegorari e Carlos – goleiros da base, indiferente estarem aí, tão só fazendo número na lista.

Fabinho Capixaba e Gerley – aleluia!! ruins demais, tão fazendo hora extra desde que chegaram.

Luís Felipe – não teve chance no time principal, talvez valesse uma aposta.

Leandro Amaro – a torcida agradece, ele precisa melhorar muito pra ser ruim.

Wellington – não é dos piores, acho que poderia ter chance ainda, nem que fosse para compor elenco.

Tinga – mais um da leva de jogadores horríveis que fazem hora extra no Palmeiras. Veio até com algum crédito, mas fez tantos jogos pífios que já ficou até tempo demais no clube.

Patrik – de início parecia até uma boa revelação, mas mostrou-se muito limitado e frequentemente era o cara que “estragava” as jogadas, um ótimo reforço sua saída.

Daniel Lovinho e Tadeu – por que o Kleina trouxe de volta? qualquer jogador da base deve ser melhor que isso aí.
Provavelmente depois do jogo contra o Santos devem ser liberados mais, afinal se o fossem agora, mal teria gente para entrar em campo.

Começaram até que bem, livraram o time de muito refugo, mas se não houver uma grande mudança na área política, apenas isso não bastará, pois precisa haver entedimento, para organizar contratações, ações de marketing, entre tantas outras coisas que levariam o Palmeiras de volta a frequência do protagonismo e não apenas contar com situações esporádicas.

 

 

Deixe uma resposta